- CACP – Ministério Apologético - http://www.cacp.org.br -

90 perguntas sobre escatologia bíblica

volta

1 – O que é Escatologia Bíblica?

É o estudo dos eventos que estão para acontecer segundo as Escrituras. Eventos esses integrantes do plano divino e eterno dos séculos.

2 – Qual é a derivação do termo escatologia?

O termo escatologia deriva do grego “eskatos” = último e “logia” = tratado, estudo de um conjunto de ideias.

3 – Cite duas causas que resultam em dúvidas, confusões e interpretações absurdas em Escatologia Bíblica.

Falta de afinidade com o Espírito Santo e conhecimento bíblico desordenado.

4 – Cite três doutrinas escatológicas.

Doutrina da Vinda de Jesus, Doutrina do Milênio (Ap. 20.4) e Doutrina do Perfeito e Eterno (Ap. 21 e 22).

5 – Por que Israel será julgado durante a Grande Tribulação?

Porque rejeitou o Pai (1Sm. 8.7), rejeitou o Filho (Lc. 23.18) e rejeitou o Espírito Santo (At. 7.51).

6 – Qual será o resultado do juízo de Israel durante a grande Tribulação (Rm. 9.27)?

O remanescente se arrependerá aceitando Jesus como seu Messias (Zc. 12.10; 13.8-9). Esse remanescente constituirá o núcleo dos “filhos de Abraão”, que ingressarão no Milênio com seus corpos mortais, iniciando o reino milenar do Messias.

7 – Como é chamado o juízo dos ímpios falecidos?

Juízo final e juízo do grande trono branco (Ap. 20.11-15).

8 – Quais são os sinais concernentes à volta de Cristo?

A ciência multiplicada (Dn. 12.4), o derramamento do Espírito Santo nos dias atuais (At. 2.17 e Jl. 2.28), a juventude sem lei (2Tm. 3.1,2) e a projeção internacional de Israel (SI. 102.16 e Lc. 21.29-30).

9 – Cite as duas fases da Vinda de Cristo.

O arrebatamento da Igreja, que concerne somente à Igreja (1Ts. 4.16-17).

A Revelação ou manifestação pessoal d’Ele, que concerne a Israel e às nações sobreviventes naquela ocasião (Zc. 12.9 e 14.16).

10 – Quais são as diferenças e os contrastes das duas fases da Vinda de Cristo?

– No arrebatamento haverá segredo (Mt. 24.36-43).

– Na revelação tudo será público (Ap 1.7 e Jd 14).

– No arrebatamento o Senhor virá nos ares (1Ts. 4.17).

– Na revelação Ele virá sobre o Monte das Oliveiras (Zc. 4.4-5).

– No arrebatamento o Senhor virá para os Santos (1Ts. 4.17-18).

– Na revelação o Senhor virá com os Santos (Zc. 14.5).

– No arrebatamento haverá alegria (1Jo 3.2).

– Na revelação haverá incomparável lamentação (Mt. 24.30).

11 – O que é o arrebatamento da Igreja?

Do grego harpazo; do latim rapto, significa retirada brusca, sobrenatural e inesperada da Igreja deste mundo, culminando no encontro com Jesus nos ares (1Ts. 4.16-17).

12 – Como se dará o arrebatamento da Igreja?

– No céu: ouvir-se-á o brado de Jesus, a voz do Arcanjo e toques de trombeta (Lv. 23.24; 1Ts. 4.16).

– Nos ares: Jesus descerá até as nuvens (1Ts. 4.16-17).

– Na terra: a ressurreição dos mortos justos e a transformação dos justos que estiverem vivos (Rm. 8.23; 1Ts. 4.16-17).

Tudo será em segredo e repentino.

13 – O que acontecerá com a Igreja após o arrebatamento?

Após o arrebatamento a Igreja encontrará o Senhor nos ares e estará para sempre e eternamente com o Senhor. Haverá o Tribunal de Cristo (2Co. 5.10) para galardão (Ap. 19.7-8) e as Bodas do Cordeiro (Lc. 22.16-30; Ap. 19.7-9).

14 – O que é a Grande Tribulação?

Do latim tribulatione = contrariedade. Período de aflição e angústia incomuns, que terá início após o arrebatamento da Igreja. A Grande Tribulação terá a duração de sete anos. Nos três anos e meio iniciais o Anticristo estabelecerá o seu reinado absoluto, será aceito pelos judeus como o seu messias, e como salvador pelos gentios, no final deste período romperá o pacto com os judeus e começará a persegui-los. A Grande Tribulação recebe ainda os seguintes nomes: Dia do Senhor, Dia da Ira de Deus, Angústia de Jacó e Aflição. No Apocalipse, a Grande Tribulação vai do capítulo 6 ao 19.

15 – Quando terá início a Grande Tribulação?

Imediatamente após o arrebatamento da Igreja.

16 – O que acontecerá na terra durante a Grande Tribulação?

– Apostasia total entre os homens (Lc. 18.8; 2Ts. 2.3). Retorno pleno dos judeus à sua terra (Os. 3.5 e Mt. 24.9).

– Reconstrução do templo de Jerusalém, que será destruído pelo Anticristo, ao ser-Ihe recusada adoração (Mt. 24.15; 2Ts.2.4 e Ap. 11.1-2).

– Surgimento da Besta ou Anticristo (2Ts. 2.3-9 e Ap. 13.1-8,17,18) como Messias e redentor (2Ts. 2.4-9 e Ap. 13.5), um grande líder político (Ap. 13.5).

– Surgimento do falso profeta – líder religioso (Ap. 13.11-16), que estará à frente da Igreja falsa mundial (2Ts 2.4 e Ap. 13.8-12).

– Surgimento de uma confederação mundial de nações com núcleo na área central do Antigo Império Romano (Dn. 2.34-44; Ap. 13.1; 16.14 e 17.12).

A Grande Tribulação terá o seu curso (Mt. 24.21), visará primeiramente os judeus, para arrependimento (Jr. 30.7; Ez. 20.34-38; Zc. 12.10-11; 13.8-9 e Mt. 23.39), porém a terra toda sofrerá (Jr. 25.31-32; Mt. 24.29; Lc. 21.26 e Ap. 6 a 18).

17 – Haverá salvação durante a Grande Tribulação?

Sim, haverá multidões de salvos dentre os judeus e gentios (Jl. 2.32; Ap. 6.9-11; 7.9-14; 15.2; 20.4). Em Apocalipse 7.1-8 vemos uma multidão de judeus salvos na terra. No mesmo livro em 6.9-11 e 7.9-11 vemos uma multidão de gentios salvos, no céu, porém saídos da terra, após sofrerem martírio. No meio dessa multidão estarão aqueles que não subiram no arrebatamento, e, despertados por tal fato, decidiram permanecer fiéis, a despeito de toda e qualquer prova e sofrimento.

18 – Qual é o objetivo da Grande Tribulação?

Levar os homens a se arrependerem de seus pecados (Ap. 16.11), destruir o império do Anticristo (Ap. 16.10) e implantar o Reino de nosso Senhor Jesus Cristo (Dn. 2.44).

19 – O que acontecerá no céu entre o arrebatamento e a revelação de Jesus?

O Tribunal de Cristo para galardão (2Co. 5.10) e as Bodas do Cordeiro (Lc. 22.16.30 e Ap. 19.7-9).

20 – Por que cremos que a Igreja não passará pela Grande Tribulação?

Nós, a Igreja, seremos arrebatados antes da Grande Tribulação (Ap. 3.10), conforme a preciosa promessa de Cristo (Lc. 21.34-36). E para que Ele venha com os seus santos sobre o Monte das Oliveiras (Zc. 14.4-5), em glória, é necessário que primeiro os tome para si.

21 – Quando começaram as setenta semanas de Daniel?

Em 445 A.C, no mês Nisã (abril), no reinado do rei Artaxerxes, quando saiu a ordem para reedificar Jerusalém (Ne .2.5).

22 – O que se entende por “uma semana” em Dn. 9.24-27?

Em Dn. 9.24-27, “uma semana” significa um período de 7 anos (correspondente ao período da Grande Tribulação, v.27).

23 – A septuagésima semana já se cumpriu?

Não. Restam ainda sete anos para completar os 490 anos (setenta semanas). Esta semana se iniciará logo após o arrebatamento da Igreja (2Ts. 4.16-17).

24 – Como devemos encarar os sinais da volta de Cristo?

Os sinais previamente ordenados pelo Senhor, e registrados antecipadamente nas Escrituras Sagradas, devem ser encarados como um alerta aos fiéis com respeito à proximidade da vinda de Cristo.

25 – O que a Bíblia ensina sobre a Batalha do Armagedom?

Será uma batalha travada no fim da Grande Tribulação, onde Satanás e seus demônios reunirão muitas nações com a intenção de destruir Israel (Ap. 19.19-21). Jerusalém, o principal alvo, será tomada de forma perversa e quando não houver mais esperança de salvação para os judeus eles clamarão a Deus (Is. 64.1-12) e nesse momento Jesus virá com seus santos (Ap. 1.7) e intervirá de modo sobrenatural. A presença e a Palavra do Senhor eliminarão num instante os exércitos do anticristo, e todos aqueles que rejeitaram o Evangelho serão destruídos na sua rebelião contra Deus. Serão imediatamente lançados no lago de fogo enxofre o Anticristo e o falso profeta (Ap. 19.11-21). A batalha terá como palco as montanhas de Megido, localizadas a 24 quilômetros de Nazaré.

26 – O que é o Milênio?

O Milênio será o glorioso reinado de Cristo na terra por mil anos, prevalecendo a justiça e a paz. É ansiosamente esperado pelos israelitas, e será a resposta às milhões de orações do povo de Deus através dos tempos: “Venha o Teu Reino!” (Mt. 19.27-28 e At. 1.6-7).

Será um reino único e universal, pois Satanás estará aprisionado no abismo durante mil anos (Ap. 20.1-3) e toda a oposição a Deus será neutralizada (1Co. 15.24-28) e o pecado não será tolerado. Israel será a cabeça das nações e Jerusalém, a capital do mundo (Is. 2.2-4 e 60.3; Jr. 3.17 e Zc. 8.22-23). Haverá pleno derramamento do Espírito Santo (Is. 32.15; Ez. 36.27 e Zc. 12.10). O Egito será temente a Deus e unido com Israel (Is. 19.21-25). A vida humana será prolongada como no princípio (Is. 35.5 e 65.19-20; Zc. 8.4).

27 – Quando será o Milênio?

O Milênio só será estabelecido depois da Grande Tribulação, com a volta de Jesus em Glória (Ap. 20.4-6).

28 – Para quem será o Milênio?

O Milênio é inteiramente para os judeus, ainda que todas as demais nações gozem dos benefícios do reino milenar. Haverá dois grupos de povos distintos no Milênio: 1- Os crentes glorificados, que consistem dos salvos do Antigo Testamento, dos do Novo Testamento (a Igreja), e os oriundos da Grande Tribulação. Seus corpos ressurretos não serão limitados pelas coisas físicas como os mortais. Nossos corpos serão apropriados para estarmos na terra e no céu. 2- Os povos naturais, em estado físico normal, vivendo na terra, a saber: os judeus salvos saídos da Grande Tribulação, os gentios poupados no julgamento das nações, e o povo nascido durante o Milênio.

29 – Como e onde estará a Igreja no Milênio?

Glorificada com Cristo na Jerusalém celestial. No Milênio haverá dois estados distintos: Um, o dos crentes glorificados no esplendor da glória de Cristo, habitando na cidade celestial, e seus corpos não estarão sujeitos às leis físicas. O outro é o estado dos vivos que habitarão na Jerusalém terrestre. Paulo disse: “Há corpos celestes e corpos terrestres” (1Co. 15.40). Assim, cada um no seu próprio corpo, Deus nos revestirá com a habitação dos céus (2Co. 5.2).

30 – Descreva as bênçãos e perfeições do eterno e perfeito estado.

No fim do Milênio, Satanás e seus anjos serão julgados pelos santos glorificados (1Co. 6.2-3). A terra passará por um grande estrondo, como nos afirma Pedro em 2Pe. 3.10. Então uma nova era será estabelecida, com novos céus, e uma nova terra onde habitará a justiça (Is. 65.17; 2Pe. 3.13 e Ap. 21.1). À medida que a eternidade for “passando”, conheceremos mais e mais da sabedoria e do poder insondáveis de Deus. As infinitas belezas celestiais irreveladas começarão a ser conhecidas. “Mas como está escrito: Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que o amam” (1Co. 2.9). Os maravilhosos e profundos mistérios de Deus começarão a ser conhecidos. Como são insondáveis as riquezas de Cristo! (Ef. 3.8). Deus será então tudo em todos, conforme está escrito em 1Co. 15.28, e, para sempre continuará o eterno e perfeito estado.

31 – O que é o tribunal de Cristo?

Corte de justiça retributiva, que será inaugurada logo após o arrebatamento, tendo Cristo por presidente, ocupar-se-á do julgamento dos santos quanto ao serviço divino.

32 – Onde será o tribunal de Cristo?

Nas regiões celestiais. Em 1Ts. 4.17 diz que seremos arrebatados para o encontro com o Senhor nos ares. Visto que o tribunal segue o arrebatamento, os “lugares celestiais” devem ser o seu palco.

33 – Quando se realizará o tribunal de Cristo?

Imediatamente após o arrebatamento da igreja (Ap. 22.12).

34 – Quem será julgado no tribunal de Cristo?

Os crentes salvos, conforme 2Co 5.1-19.

35 – O que será avaliado no tribunal de Cristo?

– O trabalho do cristão feito para Deus (1Co. 3.8,14,15 e 2Co. 9.6);

– A conduta do cristão (2Co. 5.10) e

– O tratamento dispensado aos irmãos na fé (Rm. 14.10 e Tg. 5.9).

36 – Quem será o Juiz no tribunal de Cristo?

Jesus será o juiz (2Co. 5.1-19).

37 – O tribunal de Cristo determinará se a pessoa julgada irá para o céu ou para o inferno?

O tribunal de Cristo não é para determinar se as pessoas que diante dEle comparecerem são culpadas ou inocentes, isto é, salvos ou perdidos, uma vez que este julgamento é exclusivamente para os salvos.

38 – Que recompensa receberão os participantes do tribunal de Cristo?

Os fiéis receberão galardões, honras e posições no Reino de Deus.

39 – O que significa o vocábulo grego “criterion”?

Significa instrumento ou meio de por à prova e banca de juízes. Palavra traduzida por “tribunal” no Novo Testamento (1Co. 6.2-4; Tg. 2.6).

40 – O que significa o vocábulo grego “bema”?

Palavra traduzida por “tribunal” no Novo Testamento, que significa assento de recompensa. Nunca foi usada para um assento judicial. Desse modo, associa-se a essa palavra a ideia de proeminência, dignidade, autoridade, honra e recompensa, e não a ideia de justiça e julgamento. Vocábulo usado para designar o Tribunal de Cristo (Rm. 14.10) a ser instalado logo após o arrebatamento da Igreja, e que terá por objetivo julgar os santos.

41 – O que significa o vocábulo grego “stephanos”?

Coroa de vitória, ornamento festivo, honra pública concedida por um serviço notável ou por valor pessoal, como uma coroa de ouro (1Co. 9.25). No Novo Testamento “stephanos” da qual Paulo fala é sempre a coroa do conquistador e não a do rei. Embora venhamos a reinar com Cristo, a coroa real será apenas dEle. A nossa coroa é a do vencedor.

42 – O que significa o vocábulo grego “misthapodosia”?

Galardão de recompensa (Ap. 22.12). Este termo nasceu na vida comercial, e originalmente denotava o pagamento feito a um trabalhador.

43 – Qual o destino previsto para os crentes fiéis que estiverem vivos na hora do arrebatamento da Igreja?

Os crentes que estiverem vivos serão transladados, ou raptados, para se encontrarem com Cristo nos ares, ao soar da trombeta (1Co 15.51,52 e 1Ts. 4.13-17).

44 – Qual o destino previsto para os crentes falecidos “no Senhor” na hora do arrebatamento da Igreja?

Os crentes falecidos em Cristo serão ressuscitados dentre os mortos e, juntamente com os salvos vivos, serão transladados para se encontrarem com Cristo nos ares (1Ts. 4.13-18).

45 – Qual a posição que os santos terão juntamente com Cristo durante os mil anos de paz?

Reinarão com Cristo sobre a terra durante o Milênio.

46 – A Grande Tribulação afetará especificamente qual povo?

A Grande Tribulação, embora afetando o mundo inteiro, tem a ver especificamente com Israel (Jr. 30.4-9; Dn. 12.1 e Mt. 24.15,2).

47 – Demonstre a diferença entre as “trombetas” de 1Co. 15.52 e Ap. 10.7; 11.15-19, quanto à ocasião em que soam e quanto ao período do tempo que abrangem.

A “trombeta” de ICo 15.52 tem a ver com o mistério do arrebatamento e o soar desta trombeta é coisa instantânea; ao passo que a “trombeta” mencionada em Ap 10.7 e Ap 11.15-19 é uma trombeta de juízo sobre a terra. É relacionada ao “mistério de Deus” e abrange um período de tempo e não apenas um toque instantâneo como é o caso da outra “trombeta” em ICo 15.52.

48 – O que significa a expressão “tempo, tempos e metade de um tempo” em Dn. 12.7?

Significa três anos e meio, a segunda metade do período da Grande Tribulação, que será de sete anos.

49 – O que significa “a abominação da desolação” em Dn. 9.27 e Mt. 24.15?

Significa a profanação das profanações, que há de ser introduzida pelo anticristo no Santo Templo de Jerusalém durante a Grande Tribulação. Literalmente, a expressão hebraica usada para descrever semelhante afronta pode ser traduzida como a “abominação que causa horror”.

50 – Em que cidade Jesus estabelecerá a sede do Seu governo milenial (SI. 48.1-3; Is. 2.2-4)?

Em Jerusalém. Ela será a capital do mundo.

51 – Onde e quando terá lugar o julgamento das nações (Jl. 3.2 e Mt. 25.31-46)?

Será na vizinhança de Jerusalém, no vale de Josafá (Zc. 14) e após a segunda vinda de Cristo à terra. O tribunal, a ser presidido pelo Senhor Jesus, terá lugar antes da instauração do Reino Milenial. Esse vale é até hoje desconhecido; nunca existiu. Talvez seja formado pelo fenômeno sobrenatural de Zacarias 14.4, no momento em que Jesus descer a Terra.

52 – A cidade de Jerusalém, além dos raios solares, será iluminada por qual tipo de luz no milênio (Ex. 13.21-22 e Is. 30.26)?

Os raios solares serão acrescentados sete vezes em potência, e a luz brilhará como sol, segundo Is. 30.26. Aparentemente, Jerusalém e as circunvizinhas serão iluminadas não apenas pelo sol e a lua, como também pela presença de Deus.

53 – Qual será o destino final da morte e do inferno?

O lago de fogo será para todos os ímpios o lugar final se separação de Deus. Para este lugar serão removidos para sempre a morte e o inferno (Hades) Ap. 20.14.

54 – Qual será o destino eterno de Satanás e seus anjos?

Satanás e seus anjos serão lançados no lago de fogo (Ap. 20.10).

55 – O que será as “Bodas do Cordeiro?”

Será a reunião da Igreja com o seu Redentor e Salvador. Será uma celebração tão elevada e inefável, que não encontrará precedente algum quer no tempo, quer no espaço. Esta união há de continuar por todo a eternidade (Ap. 19.7-9).

56 – Quem participará das Bodas do Cordeiro?

Os salvos chegados de todas as partes da terra e de todos os tempos.

57 – Quando se realizará as Bodas do Cordeiro?

As Bodas do Cordeiro seguir-se-ão ao rapto da Igreja e o Tribunal de Cristo.

58 – Onde ocorrerá as Bodas do Cordeiro?

Ocorrerá no céu, visto que quando o Senhor retornar, a igreja virá nos ares (Ap. 19.14), as Bodas devem ocorrer no céu. Nenhum outro local seria adequado a um povo celestial (Fp. 3.20).

59 – Descrever as atividades das duas testemunhas de Ap. 11.3-12.

Profetizarão durante três anos e meio (a segunda parte da Grande Tribulação); estarão vestidas de pano de saco (aflição e descontentamento); operarão milagres sobre a natureza e sobre os homens; possuirão poder ilimitado até terminar a obra; não poderão ser mortas até o final do trabalho; aplicarão os juízos de Deus e serão vencidas e mortas pela besta (o Anticristo); seus corpos serão expostos como objetos de zombaria e festa satânica; ressuscitarão após três dias e meio e serão arrebatadas pelo Senhor à vista dos inimigos.

60 – Descrever a futura prosperidade na terra durante o milênio (SI. 67.6; Is. 35.1; Is. 55.13; Ez. 36.8-11; Jl. 2.23-26; Jl. 3.18 e Am. 9.13-14).

Será uma terra próspera e florescente. A fertilidade do solo será maravilhosa. Os desertos desaparecerão. Haverá muita abundância de água (Is. 30.25 e Jl. 3.18). Haverá muita abundância de víveres e fartura para todos (SI. 72.16 – este Salmo é messiânico; Is. 30.23 e Jr. 31.12).

61 – Descrever o pleno cumprimento de Joel 2.28-29 durante o milênio, em comparação com a efusão do Espírito nos dias atuais (Ez. 36.25-27; Zc. 12.10).

Durante o Milênio a profecia de Joel 2.28-29 terá sua plena realização. O derramamento do Espírito Santo no dia de Pentecoste, e o atual movimento pentecostal, são da mesma qualidade daquela de Jl. 2.28-29. Contudo, nenhuma dessas efusões do Espírito Santo representa o cumprimento total ou a plena medida vista em Jl. 2.28-32. Esse cumprimento ainda aguarda o início do Milênio. No Milênio a efusão do Espírito Santo, em qualidade ou natureza, é igual aos dias atuais, mas em grau não o é. Dias gloriosos esperam Israel e as nações.

62 – O que resultará do fato de Satanás ser algemado no abismo durante o milênio? (Ap. 12.7-12 e Ap. 20.1-3).

Os céus, como também a terra, serão purificados de todas as influências maléficas de Satanás e suas hostes.

63 – Haverá qualquer mudança na natureza dos animais no milênio (Is. 11.6-8)?

A ferocidade dos animais será removida, todas as espécies viverão em paz e harmonia entre si e “um pequenino os guiará” (Is. 11.6-8).

64 – O que revela a Bíblia sobre a longevidade durante o milênio (Is. 65.20-22 e Zc. 8.4)?

O homem outra vez viverá até alcançar centenas de anos, como nos dias antediluvianos (Gn. 5.1-33 e Zc 8.4). Isso pode ser atribuído a algumas mudanças climáticas ou ambientais e à remoção da influência maléfica de Satanás (Is. 65.20).

65 – Que parte tomará Davi no reinado milenial de Cristo (Is. 2.2-4 e Ez. 37.24-25)?

Jerusalém será capital desse governo mundial de Cristo e Davi será o príncipe da Palestina.

66 – O início da tribulação será marcado por prosperidade ou por crise financeira (1Ts. 5.3)?

Aparentemente, o início da Grande Tribulação será um tempo de grande prosperidade, quando todos estarão proclamando “paz e segurança”, por terem alcançado o estado muito desejado de “utopia” sob o governo do anticristo.

67 – Qual será a situação do anticristo durante a Grande Tribulação?

Ele será um homem super dotado, o super-homem, o último ditador mundial.

68 – Qual será a posição de Israel durante o milênio em relação às nações (Dt. 28.13,44; Is. 60.10-15 e Zc. 8.20-23)?

Tendo Cristo como seu Messias e cabeça, Israel tornar-se-á a nação líder do mundo, e não mais a “cauda”.

69 – O número de pessoas que buscarão ao Senhor no reino milenial será grande ou pequeno (SI. 72; Is. 11.9; Zc. 14.16-21 e Ml. 1.11)?

No Milênio a grande maioria dos homens do mundo buscará a Deus e aprenderá a justiça.

70 – Demonstrar que a profecia de Ez. 38 e 39 não se trata da Batalha de Armagedom mencionada em Ap. 16.16.

Comparando a profecia de Ezequiel 38 e 39 com Ap. 16.16, vemos divergências insolúveis que nos levam a concluir que não se trata da mesma batalha. Vejamos algumas destas divergências:

Ezequiel 38 e 39:

Deus conduz a Gogue (Ez. 38.16 e Ez 39.2);

Limitado número de nações participam da invasão de Israel (Ez. 38.2-6);

Sobrevive 1/6 dos invasores (Ez. 39.2);

A batalha é precedida de um tempo de grande prosperidade em Israel (Ez. 38.8-11).

Apocalipse 16.16:

A Besta (Anticristo) conduz os exércitos das nações amotinadas contra Cristo (Ap. 19.19).

Participação mundial das nações na guerra contra o povo de Deus (Ap. 19.21).

Nenhum inimigo sobrevive (Ap. 19.21).

A batalha é precedida de grande tribulação, com intenso sofrimento para Israel (Ap. 12.17 e 13.7)

71 – Demonstrar as distinções entra a batalha de Gogue e Magogue de Ez. 38 e 39 com a de Ap 20.7-8.

Comparando as duas batalhas, verifica-se que a batalha de Apocalipse é inteiramente diferente da que é mencionada em Ezequiel 38 e 39. Vejamos as distinções entre estas duas batalhas:

Ezequiel 38 e 39:

A batalha segue-se a um período de tempo em que o nome de Deus estará sendo profanado (Ez. 39.7).

Deus dirige Gogue em direção a Israel (Ez. 38.16). A invasão vem somente do Norte, de algumas nações bem identificadas na Bíblia (Ez. 38.15).

O propósito de Gogue nesta invasão é saquear Israel (Ez. 38.12)

Apocalipse 20:

A batalha segue-se a um período de tempo de glória milenar (Ap. 20.6).

Satanás dirige Gogue e Magogue contra Israel (Ap. 20.7-9).

Nesta invasão de Gogue, as nações do mundo inteiro são incitadas à guerra (Ap. 20.7-8).

As nações são enganadas pelo Diabo e se rebelam contra Deus para destruírem Jerusalém (Ap. 20.8).

72 – O que acontecerá no fim do milênio (Ap. 20.3,7-15)?

No fim do Milênio-Satanás será solto do abismo por “pouco tempo” (Ap. 20.3,7-9), quando uma vasta multidão de gente o acompanhará em uma rebelião contra o Senhor Jesus Cristo em Jerusalém. Essa rebelião será fustigada imediatamente e dominada por Deus, que enviará fogo do céu que os devorará. Esse será o verdadeiro e terminante fim da carreira de Satanás nesta terra, quando então ele será lançado no lago de fogo, onde será atormentado para sempre.

73 – O que muitos estudiosos de escatologia Bíblica pensam significar Gogue, Magogue, Meseque, Tubal, Ros, Gômer, Togarma, Persas, Etíopes, e Pute em Ez. 38.2-6?

Gogue: Líder da confederação do norte;

Magogue: Região composta por três partes (Rôs, Meseque e Tubal). Terra de Gogue. Corresponde hoje a moderna Rússia.

Meseque: Moscou, ou Moskva, como se escreve em russo.

Tubal: É o moderno nome de Tobolsk, uma das principais cidades russas.

Rôs: Uma transi iteração direta do hebraico, que muitos pensam significar a Rússia.

Gômer: Veio a ser a Germânia, e modernamente a Alemanha.

Togarma: Corresponde a Armênia e Turquia.

Pérsia: Irã.

Etiópia: A Etiópia original ficava na bacia dos rios Tigres e Eufrates (Gn. 2.13). Daí seus habitantes emigraram para a África Oriental.

Pute: Líbia, vizinha do Egito.

74 – O que ensina o pré-milenismo?

O pré-milenismo ensina que o segundo advento acontecerá antes do reino de mil anos de Cristo sobre a terra, com sede em Jerusalém.

75 – O que ensina o pós-milenismo?

O pós-milenismo ensina que Cristo voltará à terra depois de ter reinado espiritualmente, do Seu trono celestial, por um longo período de tempo durante a presente era, por meio da Igreja.

76 – O que ensina o amilenismo?

O amilenismo ensina que o Milênio deve ser encarado como simbólico. Descarta por completo a possibilidade de um Milênio literal.

77 – O que ensina o pré-tribulacionismo?

O pré-tribulacionismo ensina que Jesus virá arrebatar a sua Igreja antes da Grande Tribulação. Acredita também que a Tribulação é um assunto que diz respeito apenas aos gentios e aos judeus. Como a Igreja acha-se circunscrita noutra dispensação, a graça, não terá de passar pela ardência do Dia do Senhor. Aceita-se, porém que os salvos experimentarão o que se convencionou chamar de o princípio das dores.

78 – O que ensina o pós-tribulacionismo?

Ensina que a Igreja somente será arrebatada após a Grande Tribulação.

79 – O que ensina o midi-tribulacionismo?

Ensina que todos os crentes serão levados no arrebatamento que acontecerá na metade (depois dos primeiros três anos e meio) da Tribulação.

80 – Quem são os 144.000 mencionados em Ap. 7.1-8 e Ap. 14.1-5?

São judeus (homens e mulheres) que serão salvos no início da Grande Tribulação. Este grupo não será a Igreja representada. Serão pregadores do Evangelho do Reino durante a Grande Tribulação que foram comprados, resgatados e redimidos pelo Senhor (Ap.14.3). Pertencem às tribos de Israel que são mencionadas em (Ap. 7.4-8).

81 – Descrever as atividades do falso profeta no período da Grande Tribulação.

Enganará, tendo aparência de cordeiro (Ap. 13.11); exercerá liderança religiosa (Ap. 13.11); falará como dragão (Ap. 13.11), ensinará fortemente idolatria (Ap. 10.14); imitará os verdadeiros profetas do Senhor (Ap. 13.12); influenciará fortemente as pessoas (Ap. 13.12); operará milagres (Ap. 13.13); receberá e exercerá o poder da primeira besta (Anticristo); fará a vontade exclusiva do Anticristo (primeira besta); exigirá adoração absoluta para a primeira besta; fará descer fogo do céu na terra; enganará os habitantes da terra com grandes sinais; ordenará aos moradores da terra que façam a imagem da besta, e forçará as pessoas a serem marcadas com o sinal e o número da besta (666).

82 – Descrever quais serão as atividades do Anticristo no período da Grande Tribulação (Ap. 13.1-10).

Usará de astúcia diabólica e maligna (Ap. 13.1); falará de coisas grandiosas (Ap. 13.5); blasfemará contra Deus, contra o Tabernáculo e os que moram no céu (Ap. 13.6); fará guerra contra os santos que mantiverem o testemunho de Jesus durante a Grande Tribulação (Dn. 7.21 e Ap. 13.7); exercerá autoridade e domínio sobre o mundo inteiro (Ap. 13.7); controlará as massas humanas (Ap. 13.16-17); atrairá a atenção do mundo (Ap. 13.3); oferecerá uma falsa prosperidade nos primeiros três anos e meio do seu governo (Dn. 8.24-25); mudará os tempos e as leis (Dn. 7.25); fará sua própria vontade e se engrandecerá sobre todo deus e não fará caso do Deus verdadeiro (Dn. 11.36-37); controlará todo sistema religioso e toda adoração (se assentará no templo de Deus, fazendo-se passar por Deus – 2Ts. 2.4); será inimigo declarado de Deus (Ap. 13.2); comandará a guerra mundial do Armagedom (Ap. 16.12-14); com as dez nações, destruirá a Babilônia misteriosa (a grande prostituta) que dirige o falso profeta (Ap. 17.16-17); matará as duas Testemunhas, deixando seus cadáveres expostos durante três dias, para que todo mundo veja o seu poder (Ap. 11.7-10); desencadeará uma terrível perseguição contra o povo de Israel (judeus), que será guardado por Deus no deserto (Ap. 12.14-15) e estabelecerá no mundo inteiro um avivamento da idolatria (Ap. 13.14).

83 – Quais são os poderes que se levantarão sobre a terra no tempo do fim?

O poder do Norte (Ez. 38 e 39), o poder do Sul (Dn. 11.40), o poder do Oriente (Dn. 11.44 e Ap. 16.12) e o poder do Ocidente – Império Romano (Ap. 13.1-10).

84 – Quanto tempo Israel levará para enterrar os restos mortais das tropas de Gogue (Ez. 39.12)?

Sete meses.

85 – Quanto tempo Israel levará para remover os escombros da batalha de Gogue e seus aliados (Ez. 39.9)?

Sete anos.

86 – Qual é o significado da expressão Gogue e Magogue em Ap. 20.8?

Gogue e Magogue em Ap. 20.8 são títulos simbólicos que representam os últimos inimigos de Israel (nações do mundo inteiro), que aliados com o Diabo pelejaram contra a Cidade Santa após o Milênio.

87 – Cite oito diferenças entre o Senhor Jesus Cristo e o Anticristo.

O Senhor Jesus Cristo:

O Cordeiro, manso e humilde, o Salvador, não houve engano em sua boca, derramou seu sangue pelos pecadores, verdadeiro Deus, pacificador e Deus encarnado.

O Anticristo:

A Besta, altivo e soberbo, ditador e destruidor, enganador e mentiroso, derrama o sangue dos santos, pretende ser Deus, produz guerra, é Satanás encarnado.

88 – Qual é o número que identificará o Anticristo? (Ap. 13.18).

O número 666.

89 – Quem dará apoio político ao anticristo?

Uma confederação de dez nações (Dn. 7.7-8 e Dn. 2.41-45).

90 – Quanto tempo durará a batalha do Armagedom (Zc. 14.4-7)?

A batalha durará um dia.

[1] [2]Compartilhar [3]