- CACP – Ministério Apologético - http://www.cacp.org.br -

A bruxaria como meio de cura hoje

 

Foi se o tempo em que as pessoas achavam que as terapias alternativas eram “coisas de outro mundo”, crenças supersticiosas, ou que eram mais crenças do que realmente terapias complementares com efeitos comprovados.

Devido aos resultados já obtidos através dos tratamentos naturais, hoje a medicina alternativa já é vista como um “complemento” eficaz na promoção da saúde e da qualidade de vida.

Nossa geração assistiu a mais revoluções científicas, tecnológicas e sociais do que todas as gerações anteriores. Com essa experiência de vida, fico pensando como será o futuro dos nossos netos.

Hoje vivemos num mundo onde as pessoas desconfiam dos cientistas e se entregam às crendices e superstições. Um mundo de violência, injustiça e desencanto, que abre espaço para a exploração do desespero da população.

A caminhada do homem na Lua, as fotos dos planetas distantes, como Marte, os computadores, a televisão direta dos satélites, as vacinas que eliminaram da face da Terra a varíola e a poliomielite, os remédios desenhados em computadores que curam o câncer quando detectado a tempo, os transplantes de coração e rins, a biotecnologia gerando plantas mais resistentes e mais produtivas. E, apesar disso, o que colhemos? Uma geração de crédulos sem capacidade crítica.

Até mesmo pessoas que seguiram carreira técnico-científica não entendem a racionalidade da ciência. Consomem toneladas de pseudomedicamentos sem nenhum efeito positivo para o organismo. Engolem comprimidos de vitaminas que serão eliminadas na urina. Consomem extratos de plantas com substâncias tóxicas e abandonam o tratamento médico. Há os que untam o rosto com colágeno – geleia de mocotó – e ovos ou aqueles que estão bebendo urina quentinha e acham que estão rejuvenescendo.

1 – o que são AS TERAPIAS ALTERNATIVAS?

Diferente da nossa medicina convencional (alopática), a medicina alternativa não vê a doença e sim o doente. Podemos simplificar isto, dizendo que na medicina alternativa o indivíduo é analisado como um ser completo e o tratamento é indicado para agir nas causas das doenças e não apenas em seus sintomas.

São práticas terapêuticas não utilizadas na medicina tradicional ou na psicologia científica. Apesar de haver algumas exceções, a grande maioria das terapias alternativas seria melhor definida como segue: práticas terapêuticas não comprovadas cientificamente.

MODALIDADES E FORMAS DE ACESSO

As terapias alternativas possuem princípios de ação catalogados por seus organizadores e teóricos, e incluem diferentes formas de acesso. Para efeitos didáticos, quanto à forma deste acesso pode-se diferenciá-las em:

Os codificadores e estudiosos das terapias alternativas muitas vezes buscam explicações para a ação curativa na Física Moderna, embora em quase todos os casos o efeito da vontade pareça ser o fator mais relevante. A Psicologia Junguiana também pode contribuir para a compreensão dos mecanismos de cura despertados pelas terapias alternativas, especialmente no que tange ao estudo dos rituais e seus efeitos.

São consideradas, entre outras, práticas de medicina alternativa:

IRIDOLOGIA – O que é

Os praticantes da técnica afirmam que podem oferecer um diagnóstico físico, psicológico e emocional a partir da análise da íris.

NATUROPATIA – O que é

Motivada pelos ideais de “volta à natureza”, originou-se no século 19 como um fenômeno emocional e espiritual para melhorar a saúde geral do corpo. Prega, dentre outras coisas, que alimentos crus são mais bem aproveitados pelo organismo.

ORTOMOLECULAR – O que é

Técnica criada por Linus Pauling, Nobel de Química e da Paz, que emprega o uso de vitaminas, aminoácidos e minerais em quantidades superiores àquelas capazes de serem absorvidas pelo corpo. O diagnóstico é feito a partir da análise de um fio de cabelo.

REFLEXOLOGIA – O que é

Propõe que todos os órgãos internos do corpo têm pontos de reflexo no pé, na orelha, no nariz e em outras partes. Acredita que a manipulação desses pontos pode melhorar o fluxo de energia e, portanto, curar sintomas em certos órgãos.

REIKI – O que é

Rei significa “universal” e Ki “energia”. Reiki, portanto, é a energia do universo que poderia ser transmitida ao paciente por meio da imposição de mãos do praticante. A terapia vê a doença como um desequilíbrio energético do corpo.

RADIESTESIA – O que é

Baseia-se nas vibrações do universo, do ambiente e dos seres vivos. Sua prática mais difundida prevê uma sessão de perguntas e respostas a um pêndulo de metal que leva ao diagnóstico de doenças.

SHIATSU – O que é

Atua nos mesmos pontos que a acupuntura, usando apenas a pressão dos dedos.

URINOTERAPIA – O que é

Propõe a manipulação da urina do próprio indivíduo para curar diversas doenças. Tem origem, possivelmente, em rituais hindus criados há 4 mil anos.

OUTRAS

Terapias alternativas funcionam?

A resposta a essa pergunta não é simples. As terapias alternativas não funcionam, mas fazer uso delas promove, sim, mudanças positivas. Essa resposta não é paradoxal; precisa ser analisada em duas etapas. Primeiro, a parte em que diz que elas não funcionam e, em seguida, a parte em que diz que elas produzem mudanças positivas.

Tratamentos alternativos reconhecidos

Alguns tratamentos são plenamente reconhecidos pelos órgãos governamentais de saúde. Outros, portanto, ainda estão sendo pesquisados. A AMHB (Associação Médica Homeopática Brasileira) lançou um informativo sobre a aceitação e o uso do público brasileiro dos tratamentos alternativos. O mesmo documento alerta quanto à carência de profissionais formados nessa área. Alguns dos tratamentos alternativos reconhecidos são: a homeopatia, a fitoterapia, a naturopatia, a quiropatia e a acupuntura. Contudo, verificamos que existe a tendência para a administração holística de tais tratamentos. É neste ponto que esbarramos com conceitos que nós, os cristãos, não aceitamos.

OS EQUÍVOCOS SOBRE A MEDICINA ALTERNATIVA

Eu acredito que será útil neste momento mencionar os muitos equívocos que as pessoas cometem a respeito da holística ou das práticas de medicina alternativa.

É importante compreender que, mesmo que um certo tratamento seja realmente eficaz para uma determinada pessoa, não significa que ele será eficaz em todos os outros. É verdade que um multivitamínico resolveu meu problema com resfriados frequentes, mas isso não significa que as multivitaminas são um remédio eficaz para todos os tipos de resfriados.

Por que as terapias alternativas são perigosas?

Porque os indivíduos que confiam nelas não se curam de fato, e podem não procurar um profissional especializado que ajudaria em seus problemas. Apesar de haver o efeito placebo, ele se limita a produzir uma redução da ansiedade e da dor; pode melhorar o funcionamento do sistema imunológico, no entanto, não cura doenças físicas ou psicológicas, como depressão ou síndrome do pânico.

CONCLUSÃO

Nós estamos proibidos de adotar os caminhos dos gentios (Jeremias 10.2). Coisas associadas com a idolatria e as trevas pagãs são demoníacas, e a Bíblia nos proíbe de participar destas coisas (I Coríntios 10.19-21). A Palavra de Deus adverte: “E não comuniqueis com as obras infrutuosas das trevas, mas antes condenai-as” (Efésios 5.11).

A investigação dos reinos secretos ou ocultistas é proibida. Essa é a própria essência da adivinhação e da magia. Ver Levítico 19.31 e Deuteronômio 18.10-12.

Assim como para a alimentação, não há nenhuma dieta bíblica que seja necessária para o povo de Deus nos dias de hoje, como havia antes no Antigo Testamento. Paulo advertiu que o vegetarianismo como prática legalista é uma doutrina de demônios, e ele ensinou que todas as coisas são boas para se comer, se recebido com ações de graças (I Timóteo 4:1-5). Para o cristão, a dieta é uma questão de saúde e preferência pessoal, não uma questão de doutrina bíblica.

Devemos tomar cuidado com uma ênfase exagerada na dieta. Isto pode se tornar uma idolatria. A Bíblia nos ensina a colocarmos nosso foco no que é espiritual ao invés daquilo que é físico. “Porque o exercício corporal para pouco aproveita, mas a piedade para tudo é proveitosa, tendo a promessa da vida presente e da que há de vir” (I Timóteo 4.8).

Nós não vivemos no paraíso. Vivemos em um mundo amaldiçoado e em um corpo de morte (Rm. 8.22-23; 7.24). A vida é curta e isso é mais importante, e não importa que tipo de dieta você adote, você terá muitos problemas e doenças e, eventualmente, morrerá.

A Bíblia diz que devemos morrer para nós mesmos e vivermos para Cristo e por amor do Seu evangelho (Mc. 8.35). A Grande Comissão de Cristo nos instrui a irmos por todo o mundo e pregarmos o evangelho (Mt. 28.18-20; Mc. 16.15; At. 1.8).

[1] [2]Compartilhar [3]