Esqueceu a senha?

A Igreja de Cristo é a Católica Romana?

por Enviado por email - sex jan 24, 12:32 am

Papa_Francisco2-OSSERVATORE_ROMANO-ASSOCIATED_PRESS

 “O reino de Deus não vem com aparência exterior; nem dirão: Ei-lo aqui! ou: Ei-lo ali! Pois o reino de Deus está dentro de vós.”

LUCAS 17:20-21

No ano 2000 o então cardeal Joseph Ratzinger, presidente da Congregação para Doutrina e Fé da Igreja Católica, publicou uma declaração com fins ecumênicos que gerou muita polêmica no meio Cristão. O documento fui publicado com a ratificação do Papa João Paulo II no dia 6 de Agosto de 2000 e teve uma repercussão imediata por toda a mídia. Partes deste documento foram tidas como ataques às demais igrejas Cristãs, principalmente as igrejas protestantes. O cardeal romano autor da declaração teve muito cuidado com as palavras que usou, buscando utilizar palavras alternativas, isto é, palavras que podem ser moldadas conforme o contexto. Porém, isto não foi suficiente para conter a repercussão negativa do documento no meio Evangélico.

Separei este capítulo para analisar este documento, retirando três principais ideias mostradas nele, com o fim de descobrirmos como a Igreja Católica afirma ser a única Igreja verdadeira. Será que este documento contém provas irrefutáveis sobre qual é a verdadeira Igreja? Será que este documento é um tratado teológico avançado com fortes provas Bíblicas sobre qual é a verdadeira Igreja? Ou será que este documento é apenas mais uma declaração do Vaticano em que se afirmam coisas que não se podem provar? Convido o caro leitor a se aprofundar um pouco mais neste assunto, analisando as ideias apresentadas por Joseph Ratzinger no documento Dominus Iesus.

Uma só Igreja de Cristo

Como existe um só Cristo, também existe um só seu Corpo e uma só sua Esposa: « uma só Igreja católica e apostólica ».”

Dominus Iesus, Parte IV, parágrafo 16

A declaração citada acima está correta. Existe de fato uma só Igreja de Cristo Católica e Apostólica. Nós Cristãos Evangélicos, atendemos pelo nome de Católicos Apostólicos Cristãos. Católicos, pois a Igreja de Cristo é universal; Apostólicos, pois herdamos os ensinos dos apóstolos; e Cristãos, pois cremos e estamos submetidos somente a Cristo. A única Igreja de Cristo é um corpo vivo sobre a terra às ordens da cabeça que é Jesus. Gostaria de falar um pouco sobre esta igreja e seu significado segundo a Bíblia.

  1. A.     Uma Igreja Espiritual

A Igreja de Cristo não é uma organização humana, um estado diplomático ou mesmo uma religião. Ela é uma assembleia espiritual, um corpo de remidos; ela é a “igreja dos primogênitos inscritos nos céus” (Hb 12:23). Para fazermos parte desta Igreja não nos basta aderir a um sistema religioso ou ter carteira de membro de alguma Igreja, precisamos crer em Jesus Cristo e sermos feitos Filhos de Deus (Jo 1:12; 1Pe 1:22) pelo novo nascimento (Jo 3:3).

  1. B.      Uma Igreja não Aparente

Jesus deixou isto bem claro quando disse: “O reino de Deus não vem com aparência exterior;” (Lc 17:20). Não podemos vê-lo e dizer “Ali está o reino de Deus”, Jesus nos explica o porquê: “pois o reino de Deus está dentro de vós.”  (Lc 17:21). Nós somos a igreja de Cristo, pois somos pedras vivas (1Pe 2:5) e constituímos uma igreja espiritual em Cristo Jesus, nunca uma igreja física, visível ou uma religião. Paulo diz que somos: “santuário do Deus vivente, como ele próprio disse: Habitarei e andarei entre eles; serei o seu Deus, e eles são o meu povo” (2Co 6:16). O que Paulo está dizendo? Que nós somos o santuário de Deus, nós somos o templo de Deus, nós somos a única Igreja de Cristo. Eu não posso dizer que a Igreja Evangélica é a única Igreja de Cristo, mas posso dizer que os Evangélicos são a única Igreja Cristo. Percebeu a diferença? A Igreja de Cristo não se remete a sistemas, templos ou religiões, mas sim a pessoas, no caso, os que creem em Jesus Cristo como seu salvador.

  1. C.      Uma Igreja Viva

Quando o Vaticano afirma que a Igreja Católica é a Igreja de Cristo, estão dizendo que Jesus veio ao mundo e fundou um sistema religioso; mas certamente não isso que Jesus fez. Ele instituiu uma Igreja Viva, isto é, formada por pedras vivas (1Pe 2:5). Deus não tem compromisso com templos e sistemas, e sim com pessoas. Ninguém pode dizer que está na Igreja de Cristo pelo fato de ser adepto de alguma religião. A Bíblia diz que Deus “não habita em templos feitos por mãos de homens” (At 17:24), isto é, Deus não habita em sistemas religiosos ou em templos de pedra, mas sim no meio do seu povo (veja Ag 2:5; Lc 17:21; Jo 14:23; 2Co 6:16)

A Igreja Romana é a Única Igreja de Cristo?

Esta Igreja, como sociedade constituída e organizada neste mundo, subsiste [subsistit in] na Igreja Católica, governada pelo Sucessor de Pedro e pelos Bispos em comunhão com

ele ».”

Dominus Iesus, Parte IV, parágrafo 16

Existe portanto uma única Igreja de Cristo, que subsiste na Igreja Católica, governada pelo Sucessor de Pedro e pelos Bispos em comunhão com ele.”

Dominus Iesus, Parte IV, parágrafo 17

Acreditamos que esta única verdadeira religião se verifica na Igreja Católica e Apostólica,”

Dominus Iesus, Conclusão, parágrafo 23

    Na introdução deste capítulo informei que Joseph Ratzinger, autor do documento Dominus Iesus, tomou muito cuidado com as palavras que usava para falar sobre a singularidade da Igreja Católica conforme suas crenças. Perceba que ele utiliza uma pequena palavra que faz toda a diferença quando afirma que a Igreja de Cristo “subsiste [subsistit in] na Igreja Católica”. Ele não escreveu que a Igreja de Cristo é a Igreja Católica, mas que ela subsiste na Igreja Católica. Esta palavra foi originalmente usada no Concílio Vaticano II e traz a mesma artimanha para pregar o ecumenismo. Perceba que ela é inserida também em latim – subsistit – para que desta forma, a expressão “subsiste” fosse totalmente preservada no sentido original dado pelos Padres do Concílio Vaticano II.

Quando afirmam que a Igreja de Cristo subsiste na Igreja Católica, querem afirmam que são a única Igreja verdadeira. A palavra subsiste indica a ideia de existência singular, ou seja, seria o mesmo que dizer que a Igreja Católica não é a verdade, mas contém toda a verdade.

Em outra parte do documento, Ratzinger demonstra sua habilidade de argumentação baseado na palavra subsiste, usada no Concílio Vaticano II. Veja a declaração de Ratzinger tentando explicar o sentido de subsistit in:

Com a expressão « subsistit in », o Concílio Vaticano II quis harmonizar duas afirmações doutrinais: por um lado, a de que a Igreja de Cristo, não obstante as divisões dos cristãos, continua a existir plenamente só na Igreja Católica e, por outro, a de que « existem numerosos elementos de santificação e de verdade fora da sua composição >>” isto é, nas Igrejas e Comunidades eclesiais que ainda não vivem em plena comunhão com a Igreja Católica.“

Dominus Iesus, Parte IV, parágrafo 16

     Com tantas palavras Ratzinger quis afirmar duas coisas: que a Igreja de Cristo só existe plenamente na Igreja Católica, porém, isso não impede que outras Igrejas (protestantes por exemplo) tenham alguns “elementos de santificação e verdade”, isto é, tenham partes da verdade.

Eu gostaria de informar aos clérigos do Catolicismo que todos os elementos de santificação e a plenitude da revelação da verdade estão totalmente descritos e expostos nas Sagradas Escrituras, como afirma o próprio Senhor Jesus Cristo: “Santifica-os na verdade; a tua palavra é a verdade” (Jo 17:17). Portanto, não necessitamos de nos ajuntarmos com quaisquer sistemas religiosos para fazermos parte da plenitude da verdade, uma vez que já dispomos da “palavra da verdade” (2Co 6:7). Onde estava esse sistema religioso antes da organização da Igreja Romana? Onde estava esse sistema religioso que contém a plenitude da verdade na época dos apóstolos, quando não existia o Vaticano? Onde estava a plenitude da verdade antes da Igreja Católica existir?
Também gostaria de perguntar ao autor da declaração: onde estão as provas de que a Igreja de Cristo subsiste plenamente só na Igreja Católica? Onde estão as provas de que as demais Igrejas Cristãs só possuem partes da verdade? Onde estão as provas? Vê-se claramente que a Igreja Católica faz afirmações meramente vazias.

 E as Demais Igrejas Cristãs?

As Comunidades eclesiais, invés, que não conservaram um válido episcopado e a genuína e íntegra substância do mistério eucarístico, não são Igrejas em sentido próprio.”

Dominus Iesus, Parte IV, parágrafo 17

    Joseph Ratzinger afirma que as Igrejas que se dizem Cristãs, mas que não estão unidas às ideologias Católicas não são Igrejas em sentido próprio. Então são o que? Agrupamentos de pessoas? Clubes de amizade? Desta vez, o autor de Dominus Iesus declara que, para serem Igreja em sentido próprio, os demais grupos religiosos Cristãos devem conservar o válido episcopado e íntegra substância eucarística.
Mais uma vez tem-se uma declaração vazia, sem provas e muito longe da verdade. Devemos conservar o válido episcopado que erroneamente é pregado pelo Catolicismo para sermos igreja? Eu creio que não. Também não verifico na Bíblia nenhum versículo que confirme a declaração feita por Ratzinger. Vale ressaltar que Ratzinger chama as demais Igrejas Cristãs de “comunidades eclesiais”.

Caro leitor, analise isto: onde a Bíblia diz que a Igreja de Cristo deve estar submetida a Roma? O apóstolo Paulo escreveu uma epístola aos romanos, porém, não mostrou nenhum tipo de sujeição ou até mesmo de superioridade da Igreja de Roma. Paulo, após sua conversão, foi imediatamente anunciar o Evangelho. Ele não foi a Roma falar com Pedro, Tiago ou João antes (Gl 1:17). Somente depois de três anos Paulo visitou Pedro (Gl 1:18) em Jerusalém (não em Roma, como muitos pensam), e depois de catorze anos Paulo subiu novamente à Jerusalém para mostrar-lhes o Evangelho que pregava (Gl 2:1). Durante este tempo, Paulo pregava e fundava Igrejas em várias cidades. Onde estava o Papa nesta época? Onde estava o Vaticano?

A Igreja de Cristo é Igreja em sentido próprio, quando esta se submete à Palavra de Deus e à sua autoridade. A Igreja de Cristo está fundada sobre a Pedra Jesus, e por este motivo, aqueles que têm a Jesus como tal e ensinam conforme a Palavra de Deus são Igrejas em sentido próprio.

Conclusão

Sobre esta questão, o então cardeal Joseph Ratiznger afirmou que:

  • Existe uma só igreja de Cristo
  • Esta igreja se encontra na Igreja Católica Apostólica Romana
  • Toda comunidade eclesial Cristã que não está sob o episcopado Papal, não é Igreja em sentido próprio

Durante um debate na Rádio Melodia, um Padre do Rio de Janeiro disse que a declaração Dominus Iesus não tem valor de Encíclica Papal, isto é, não pode ser considerado um documento de suma autoridade, pois seu autor era um cardeal e não o Papa. No entanto, o documento Dominus Iesus diz:

O Sumo Pontífice João Paulo II, […] com ciência certa e com a sua autoridade apostólica ratificou e confirmou esta Declaração, decidida em Sessão Plenária, e mandou que fosse publicada.”.

Hoje (Maio de 2012) Joseph Ratzinger (Bento XVI) é o Papa sucessor de Karol Wojtyla (João Paulo II). Será que sua opinião declarada no Dominus Iesus mudou?

Novamente volto a questionar: Onde na Bíblia Jesus diz que sua igreja seria uma religião? Ou como na verdade é o Vaticano, um Estado? A igreja de Cristo é constituída por todos aqueles que creem em Jesus e são feitos Filhos de Deus (Jo 1:12, 3:16; Rm 8:14; Ef 2:19, 21-22; Hb 3:6, 12:23). Não é restrito a uma religião, placa de Igreja, denominação ou grupo religioso.

Respeito a opinião dos Católicos sobre a singularidade de sua igreja, mas dizer que ela é a única Igreja de Cristo é uma afronta, tanto ao evangelho, como às demais igrejas Cristãs. Porque Jesus não deixou uma Igreja de placa, física, visível? Exatamente para mostrar que o evangelho é universal e espiritual (Mc 16:16; 1Co 2:12-14) e está sob controle divino (leia Ef 1:20-23), não humano.

Perguntas para meditação:

  1. Existe uma só Igreja de Cristo. A Bíblia afirma que esta Igreja não é uma igreja visível, mas sim, espiritual. Onde está esta Igreja? Será que esta Igreja é realmente um sistema religioso?
  2. Se a Igreja de Cristo é o Sistema Religioso Católico, eu não poderia dizer que “o reino de Deus está ali”?
  3. Quando o anjo diz a João: “Vem, mostrar-te-ei  a noiva, a esposa do Cordeiro;” (Ap 21:9), o que o anjo mostrou à João? Será que ele mostrou o Vaticano ou alguma arquidiocese Católica?
  4. E o que a Bíblia diz sobre a Igreja de Cristo? Ela é um sistema religioso humanamente organizado?

Extraído do livro “O Catolicismo Romano e a Bíblia” – Rafael Nogueira

Colaboração na edição do texto: Prof° João Flávio Martinez


Cada autor é responsável pelo conteúdo do artigo.

Deixe seu comentário

Comentários fechados neste artigo.

Advertisement