Esqueceu a senha?

A inconsistência de Calvino

por Artigo compilado - seg abr 17, 9:12 am

Em suas discussões sobre Depravação Total, Calvino as vezes pareceu confuso e incapaz de articular bem as suas ideias. Ele teorizou que o homem totalmente depravado ama a verdade naturalmente, mas não o suficiente; ainda, ele tem grandes presentes de seu Criador e toda a verdade que vem de Deus – ainda ele não pode conhecer a verdade de Deus completamente e assim ser salvo. Fica-se a pensar sobre o exato significado dessa terminologia e onde ela é declarada na Escritura. Outras vezes, Calvino ainda contradita a si mesmo concernente a essa doutrina chave, e em alguns lugares até mesmo indica que “total” realmente não significa total. Por exemplo, Calvino se engajou na seguinte especulação confusa, que parece oscilar a beira da Depravação Total, as vezes cai sobre a borda, e então se recobra:

“A mente humana…é influenciada naturalmente pelo amor à verdade [mas] mas esse amor a verdade falha antes que ela atinja a meta [ainda] os esforços do homem não são sempre completamente frutíferos para não levar a alguns resultados…e a inteligência naturalmente implantada…deverão conduzir cada individuo por si mesmo para reconhecer isso como um presente especial de Deus…

Portanto…a mente humana, portanto, caída e pervertida de sua integridade original, ainda está adornada e investida com admiráveis presentes de seu Criador.

Ele, pela virtude do Espírito…tem prazer em nos assistir…com grandes talentos para a investigação da verdade [mas] não baseado em um sólido fundamento da verdade…O Senhor outorgou [aos filósofos] alguma leve percepção de sua divindade que eles não podem alegar ignorância como uma desculpa pela impiedade deles, e tem, as vezes, os instigado a fornecer algumas verdades, a confissão de que seriam a própria condenação deles…O discernimento deles não foi de tal maneira a dirigi-los a verdade, muito menos para os permitir alcançar, semelhante ao viajante perplexo…

Um Apostolo declara, “Quando os gentios…fazem por natureza as coisas contidas na lei, esses…mostram as obras da lei escritas em seus corações…” (Romanos 2.14-15) [então] nós certamente não podemos dizer que eles estão todos cegos”.[37]

Confusão e contradição reinam aqui. O homem é totalmente depravado ou ele não é? E se ele é, o que isso significa exatamente? A crença que o homem natural não entende as coisas de Deus a menos que elas sejam reveladas a ele por Deus, não podem ser negado – a Bíblia diz isso. Isso é verdade de todas as coisas que nós temos; tudo isso vem de Deus:

  • Pois ele mesmo é quem dá a todos a vida, e a respiração, e todas as coisas; Porque nele vivemos, e nos movemos, e existimos; Atos 17:25, 28
  • Toda a boa dádiva e todo o dom perfeito vem do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há mudança nem sombra de variação. Tiago 1:17

Mas sem fundamento bíblico, Calvino introduz a ideia de graus: todos os homens recebem por natureza, recebem muita verdade de Deus, mas em graus variados. A maior parte deles somente não recebem o suficiente – tal quantidade e qualidade de graça é somente para o eleito. O homem não regenerado pode ver, mas ainda ele é cego – mas não totalmente cego. O que Calvino quer dizer exatamente? Ficamos a saber.

Confrontado com uma escolha

Os calvinistas objetam a declaração que o homem natural “não é tão totalmente depravado que ele não possa ouvir a voz de Deus e vir para Cristo”. Eles respondem “Totalmente depravado é totalmente depravado. Não faz nenhum sentido dizer que o homem não é tão totalmente depravado”. Não somente a Depravação Total não é um conceito bíblico, mas como a citação acima mostra, o próprio Calvino disse que o homem não é tão totalmente depravado que ele não possa receber muita verdade de Deus; ele somente não recebe a verdade suficiente, porque Deus a retém. Por quê? E onde a Bíblia diz isso? Calvino diz que Deus retém a verdade a fim de “torná-lo indesculpável…”. Isso é como paralisar um homem a fim de torná-lo indesculpável por falhar em correr rápido o suficiente ou pular alto o suficiente!

Calvino diz que a verdade vem somente do Espírito da Verdade, então, toda a verdade que o homem tem é recebida de Deus. Dai, se Deus dá a todo homem alguma verdade, porque Ele não os dá o suficiente para conhecê-lo e procurá-lo? Certamente Deus pode dar a toda humanidade tanta verdade que Ele deseje dar. Calvino não pode mostrar-nos que o homem tem, naturalmente, uma capacidade para essa muita verdade, mas não para a verdade. Como a depravação foi redefinida como incapacidade , que não é total mas é apenas suficiente para condenar a alma? Não há nada em lugar algum na Escritura para suportar tal especulação.

Quando Pedro confessou a Jesus, “Tú és o Cristo”, Jesus falou a ele, “Não foi a carne ou o sangue que te revelou, mas meu Pai que está no céu” (Mateus 16.15-17). Pedro deve ter sido um homem totalmente depravado quando o Pai revelou Cristo a ele. Certamente, ele ainda não havia sido nascido do Espírito. Embora ele reconheceu Jesus como o Cristo, ainda lhe faltava qualquer entendimento sobre Cristo sofrendo pelos seus pecados. O Pai não poderia, portanto, revelar Cristo a todos como Ele fez com Pedro? Porque não? Claramente, Pedro recebeu a revelação do Pai concernente a Cristo antes dele ser regenerado.

Por toda a importância que o Calvinismo coloca sobre a doutrina da Depravação Total, na medida em que é a suposta condição de toda a humanidade e os eleitos são livrados dela, sendo totalmente depravado, não é o que mantém o homem na escuridão depois de tudo, mas Deus que retém a luz necessária. Os perdidos são mantidos fora do céu não somente pelos seus pecados (para o que existe um remédio) mas pela retenção de Deus da graça que eles necessitam para a salvação, porque Ele já os predestinou ao tormento eterno – uma condição impossível de corrigir!

Fornecido o que a Bíblia nos fala do tratamento de Deus com o homem e a doutrina do calvinismo da inabilidade do homem para crer, existem somente duas escolhas: ou culpar o Deus infinito por agir insinceramente e com um amor limitado e uma graça limitada, ou admitir que o calvinismo está em erro. De fato, isso leva para outra conclusão devastadora ao calvinismo a ser considerado no próximo capítulo.

Tradução Walson Sales

Fonte:

HUNT, Dave. What Love is This? Calvinism’s Misrepresentation of God. Third Edition. Oregon: The Berean Call, 2006, pp. 130 – 132

_______

Notas do trecho:

[37] Calvin, Institutes, II: ii, 12-22.

Este livro foi publicado pela Editora Reflexão sob o título:  Que Amor é Este? Compre e leia!

Por Dave Hunt


Cada autor é responsável pelo conteúdo do artigo.

12 Comentários

Comentários 1 - 12 de 12Primeira« AnteriorPróxima »Última
  1. “não quereis vir a mim para terdes vida” João 5:40

    este verso é uma péssima noticia para os calvinistas, pois Jesus dialoga com pessoas com potencial para salvação mas não querem. por si só, este verso indica livre-arbítrio e abrangência da salvação a quem que seja conforme 3:16

    1. o calvinista é um individuo deveras obtuso, quando confrontado com esses versos eles simplesmente dizem isso é “Armínio” … ué que Armínio?! é Jesus falando nada ver com “Armínio”.

    2. “Deus é amor” (1 João 4:8) isso é “Armínio” ?! os calvinistas tem ojeriza por este verso, pois eles gostam de entender que Deus é um ser deveras arbitrário e individual e só age por “atos soberanos” e que Deus não tem sentimento de amor abrangente a toda criatura humana.

    3. o deus que João Calvino criou é uma caricatura dele mesmo, olhando em um espelho embaçado da era medieval arcaica … e saiu isso aí que se vê hoje.

    4. “escolhe pois a vida” Deuteronômio 30:19

      neste verso Deus mostra duas opções vida e morte, e recomenda “escolhe a vida”, aí vem um abestado calvinista diz que isso é “Armínio” (e não Deus falando).

  2. A argumentação de Hunt é bem fraca, e simplesmente percebe-se que não leu bem o que Calvino escreve. Os comentários anteriores caem, de modo bem simples, com Rm 7.24, Rm 9-11, por exemplo. O apóstolo Paulo não deve ter lido os textos citados, não? Poderiam ler antes de tentar denegrir…

    1. “escolhe pois a vida” Deuteronômio 30:19

      prezado sr. JMR o que o sr. escolheu ???? Deus lhe dá oportunidade de liberdade de escolhe mas preferem chama-lo de “deus banana” como o “ilustre” reverendisssimo. ???

  3. JCP, tem alguma obsessão pelo rev. Nicodemus… fala dele assim do nada… 😉

    1. não ! não tenho obsessão etc sabe por que ? porque não sou filho de seu pai e nem de sua mãe. ok não sou parente seu para ter esse tipo de esquizofrenia.

    2. do nada (?!) : vide aqui o seu individuo adjetivando de “deus banana” …. fala dele assim do nada…??

      https://youtu.be/RSRJV7g-aM4?t=3134

      deixa de cinismo coisa feia luciana sena. o video fala por si só. reveja seu conceitos.

    3. Deus criou a banana e não Ele é a Banana. ensina isso para o seu “mestre” o seu tio demus ok .

      https://image.slidesharecdn.com/narraonodiaemquedeuscriouasfrutas-121120190035-phpapp01/95/narrao-no-dia-em-que-deus-criou-as-frutas-24-638.jpg?cb=1353438663

    4. 1 João 4:8 “Deus é Amor” …. mas na teologia do par luciano e nico : “Deus é Banana”.

      pode uma cousa dessa ? os srs. dois estão demitidos. passa no RH e tchau ! sem carta de recomendação.

Comentários 1 - 12 de 12Primeira« AnteriorPróxima »Última

Deixe seu comentário

Advertisement