Esqueceu a senha?

A justiça exalta as Nações

por Artigo compilado - qua nov 11, 4:05 pm

Salomão, o autor dos Provérbios da Bíblia, destilou um dos seus pensamentos com estas palavras: “A justiça exalta as nações, mas o pecado é o opróbrio dos povos” (Provérbios 14.34). A mensagem do Cristianismo tem sua base na justiça. A Igreja de Cristo está na Terra como representante dessa justiça divina, através do Evangelho que prega. O apóstolo Paulo declarou na Carta aos Romanos que “o Evangelho é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê” (Romanos 1.16). Ora, esse Evangelho é, portanto, a manifestação do poder de Deus, que faz justiça contra o pecado e a favor do pecador arrependido.

O significado da justiça no contexto do propósito salvífíco de Deus é demonstrada através do Evangelho de Jesus Cristo. É aquela justiça que liberta o homem da servidão ao pecado e mostra-lhe um novo caminho. Na mente do sábio Salomão “a justiça que exalta as nações” é aquela baseada na retidão, e qualquer nação que queira ter força moral contra a injustiça deverá desenvolver um senso do que é certo e errado. Por outro lado, quando ele declara que “o pecado é o opróbrio dos povos”, se referia àqueles pecados que corroem os valores morais e espirituais de um povo e destróem suas esperanças.

Não podemos deixar de considerar o poder da justiça de Deus. Não há espaço suficiente para aprofundar filosófica e teologicamente a questão da justiça divina, por isso prefiro abordar o assunto mais objetivamente.

Já dissemos que o Evangelho de Cristo é a Boa Nova da manifestação da justiça de Deus na Terra. O apóstolo Paulo declarou que “no Evangelho se manifesta a justiça de Deus de fé em fé” (Romanos 1.17). O ato de fé implica reconhecer que a obra expiatória de Cristo foi uma manifestação da justiça de Deus para redimir o homem dos seus pecados. Quando se exerce fé na obra expiatória de Cristo, o poder dessa obra produz transformação de vida e caráter, e Cristo se torna o nosso justificador.

Uma Escritura bíblica diz que “Se alguém está em Cristo, nova criatura é” (2Coríntios 5.17). Os transformados produzem uma sociedade justa e temente a Deus. Por isso a Bíblia afirma: “Bem-aventurada a nação cujo Deus é o Senhor”. Esse poder do Evangelho operado pela justiça de Deus produz um padrão de vida capaz de influir até mesmo nos destinos de uma nação.

Entendemos, portanto, que “a justiça que exalta as nações” é aquela cujo padrão de vida tem sua base na Palavra de Deus, a Bíblia Sagrada, uma vez que ela oferece o autêntico modo de vida ideal para o homem, para um povo e para toda uma nação. É, também, aquele tipo de justiça que torna os cidadãos de uma nação responsáveis no cumprimento de seus deveres para com Deus, com a família e com a nação.

Pr. Elienai Cabral – líder da AD em Sobradinho (DF)

Relator do Conselho Fiscal da CPAD e escritor


Cada autor é responsável pelo conteúdo do artigo.

Deixe seu comentário

Advertisement