Esqueceu a senha?

A participação de cristãos na Maçonaria

por Pr. Natanael Rinaldi - qua fev 08, 9:46 am

MACONARIA00003

A MAÇONARIA:

1 – Afirma que Deus, “o Grande Arquiteto do Universo” – GADU, pode ser adorado por todos os homens, sejam eles budistas, cristãos, muçulmanos ou hindus, sem qualquer problema.

Refutação bíblica: Deus só pode ser adorado através de Jesus Cristo (João 14.6; ITimóteo 2.5; IJoão 2.22-23).

 

2 – Recusa admitir a Deidade única de Jesus, ou que ele tenha morrido por nossos pecados, e que tenha ressuscitado dentre os mortos, mas afirma que de fato o seu deus é a natureza em várias formas.

Refutação bíblica: Jesus Cristo é verdadeiramente Deus Todo-poderoso, que veio ao mundo em forma humana, morreu por nossos pecados e ressuscitou dos mortos (Lucas 24.1-6 e 24.39-41; João 1.1,14; ICoríntios 15.4; Colossenses 1.15-17 e 2.9).

 

3 – Não aceita a Bíblia como única Palavra de Deus, afirmando ainda que ela não é melhor do que outros livros sagrados, e orienta-se por meio da cabala, com seus mistérios, segredos e símbolos.

Refutação bíblica: A Bíblia é a inspirada e verdadeira Palavra de Deus (Salmo 12.6-7; IITimóteo 3.16-17; IPedro 1.25).

 

4 – Ensina que o homem pode ser salvo por suas boas obras, sem ser necessária a fé em Jesus Cristo e no seu sacrifício na cruz.

Refutação bíblica: A pessoa só pode ser salva pela grata, através da fé em Jesus Cristo (Romanos 10.9-10; Efésios 2.8-9).

 

5 – Blasfema o nome de Deus, por associá-lo com deuses pagãos da fertilidade como Baal e Hórus.

Refutação bíblica: Deus é um Ser absolutamente santo, cujo nome não pode ser associado com deuses pagãos (Êxodo 20.2-7; Deuteronômio 6.4; Salmo 8.1 e 29.2).

 

6 – Ensina que não existe inferno, e deixa de prevenir seus membros sobre o perigo do inferno de tormento eterno.

Refutação bíblica: Devemos ter cuidado com o inferno, mostrando o perigo do inferno de tormento para os que se descuidam diante de Deus (Mateus 13.42,49,50 e 25.41,46; IITessalonicenses 1.7-9).

 

7 – Requer dos seus membros juramento de sangue sobre a Bíblia, e em nome de Deus, envolvendo a mutilação do corpo.

Refutação bíblica: O Novo Testamento proíbe fazer juramentos (Mateus 5.34-37; Tiago 5.12). Proíbe tomar o nome de Deus em vão e cometer assassínio (Êxodo 20.7,13).

 

8 – Prende seus membros uns aos outros em jugo espiritual solene, independente de sua convicção religiosa.

Refutação bíblica: Proíbe aos cristãos um jugo desigual com os infiéis (IICoríntios 6.14-17; Apocalipse 18.1-4).

 

9 – Proíbe o cristão maçom de testemunhar de Jesus Cristo aos seus irmãos maçônicos ainda não salvos.

Refutação bíblica: Jesus ensinou seus discípulos a pregar o evangelho a todas as pessoas (Mateus 28.19; Marcos 16.15; Atos 1.8).

 

10 – Declara que procura apenas melhorar o homem natural, agindo, no entanto, por meio de interpretações errôneas da Bíblia (II Pedro 3.16).

Refutação bíblica: O homem natural (ICoríntios 2.14) não pode melhorar, a não ser por Jesus Cristo, nascendo de novo (João 3.3-5).

 

11 – Insiste em guardar segredos supostamente valiosos por meio de juramentos.

Refutação bíblica: A Bíblia não permite tais segredos (Mateus 10.26-27; João 18.20; Atos 26.26).

 

12 – Permite que seus membros chamem seus líderes por títulos impróprios, e que se ajoelhem diante deles.

Refutação bíblica: A Bíblia diz para não chamarmos a ninguém de mestre, a não ser Jesus (Mateus 6.24 e 23.8-10) e para não adorarmos a nenhum outro senão a Deus (Mateus 4.10; Atos 10.25-26; Apocalipse 22.8-9).

 

13 – Absorve a lealdade, o tempo, e os recursos emocionais, espirituais e financeiros dos cristãos maçons.

Refutação bíblica: Ensina que o cristão deve estar envolvido com as obras de missões e evangelização e cuidar dos pobres para a glória do nome de Jesus (Mateus 6.1-3 e 28.19; Lucas 6.38; Tiago 1.27).

PORTANTO, como humildes servos de Jesus Cristo, e ministros do seu evangelho, tomamos a liberdade de conclamar todos os que creem em nosso Senhor Jesus a ficar firmes contra a religião da Maçonaria – uma religião rival do Cristianismo, ao qual também procura estar unida, tendo sido tolerada e até enaltecida em algumas igrejas evangélicas.

“ATÉ QUANDO COXEAREIS ENTRE DOIS PENSAMENTOS? SE O SENHOR É DEUS, SEGUI-O; E SE BAAL (GADU), SEGUI-O” (IReis 18.21).

——————————–

Fontes bibliográficas das citações:

ALBERT PIKE 33°, Morals and Dogma of the Ancient and Accepted Scottish Rite of Freemasonry, 1966, p.104-105, p.167, p.226, p.539, p.715, p.718, p.744, p.771.

ALBERT MACKEY 33°, Mackey’s Revised Encyclopedia of Freemasonry, 1966, p.8-9, p.133.

HENRY CLAUSEN 33°, Practice and Procedure for the Scottish Rite, 1981, p.75-77.

  1. S. CLYMER, The Mysticism of Masonry, 1900, p.47.
  2. D. BUCK, Symbolism of Mystic Masonry, 1925, p.57.

MANLY P. HALL 33°, The Lost Keys of Freemasonry, 1976, p.90-91.

HENRY W. COIL, Coil’s Masonic Encyclopedia, 1961, p.520.

OLIVER STREET, Symbolism of the Three Degrees, 1924, p.44-45.

SIMMONS AND MACOY, Standard Masonic Monitor of the Degrees of Entered Apprentice, Fellowcraft and Master Mason, 1984, p.111, 125.

  1. H. LACQUEMENT, Freemasonry and Organized Religions, The Pennsylvania Freemason, february 1989), p.7.
  2. F. NEWTON, Michigan Monitor and Ceremonies, p.42.

MALCOLM C. DUNCAN, Duncan’s Masonic Ritual and Monitor, 1974, p.35-36, 65, 96, 224-225 e 250-251.

Pierson’s Traditions of Freemasonry, p.35.

Masonic Monitor of the Degrees of Entered Apprentice, Fellowcraft and Master Masoni, F. & A.M., Arkansas, 1983, p. 15.

L.R. TAYLOR, Indiana Monitor and Freemason’s Guide, p. 106-107.

  1. BLANCHARD, Scottish Rite Masonry Illustrated, 1979, 2:47.

Cada autor é responsável pelo conteúdo do artigo.

1 Comentário

Comentários 1 - 1 de 1Primeira« AnteriorPróxima »Última
  1. Muito esclarecedor as questões e suas devidas respostas, onde nos mostra a contradição entre eles. No item 3 eles não aceitam a bíblia como a única palavra de Deus, porém, no item 7, eles fazem juramento de sangue sobre a bíblia como a palavra de Deus!!!

Comentários 1 - 1 de 1Primeira« AnteriorPróxima »Última

Deixe seu comentário

Advertisement