Esqueceu a senha?

A pluralidade de deuses no mormonismo

por Artigo compilado - seg set 01, 9:13 am

jesusmormo

Analisemos agora Joseph Smith na sua pretensão de profeta de Deus em face dos seus ensinos:

1 – Seus ensinos admitem a existência de vários deuses (politeísmo). Diz ele:

Pregarei sobre a pluralidade dos deuses. Escolhi este texto precisamente com este objetivo. Desejo esclarecer que em todas as congregações que falei sobre a deidade, sempre tratei da pluralidade dos deuses. Os élderes o pregam há 15 anos.

Eu sempre declarei que Deus é um personagem distinto, que Jesus Cristo é um personagem separado e distinto de Deus, o Pai, e que o Espírito Santo é outro personagem distinto, e é Espírito; são três personagens distintas e três deuses. Se esta proposição concorda com o Novo Testamento, olhai! Vede! Temos três deuses e são uma pluralidade; e quem pode contradizer isso?

O nosso texto diz: E nos fez reis e sacerdotes para Deus seu Pai (Apocalipse 1.6). Os apóstolos descobriram que havia deuses no céu, pois Paulo disse que Deus é o Pai de Nosso Senhor Jesus Cristo. Meu objetivo é pregar as Escrituras e ensinar a doutrina sobre um Deus no céu, o Pai de Nosso Senhor Jesus Cristo. Declaro, sem temor, que apresentei todas as doutrinas profundas em público.

João foi um dos homens e os apóstolos declaram que foram feitos reis e sacerdotes para Deus, o Pai de Nosso Senhor Jesus Cristo. É o que diz em Apocalipse. De maneira que a doutrina da pluralidade de Deuses ocupa um lugar tão proeminente na Bíblia como em qualquer outra doutrina. Está em toda a Bíblia, e além de toda controvérsia. O viandante, ainda que seja tolo, não tem porque errar a respeito desta doutrina.

Paulo disse que há muitos deuses e muitos senhores. Desejo apresentar esta idéia de maneira clara e simples; mas, para nós, não há senão um só Deus, isto é, no que concerne a nós; e Ele está em tudo e em todas as coisas. Mas se Joseph Smith proclama que há muitos deuses e muitos senhores, seus inimigos gritam: “Abaixo com ele! Crucifica-o! Crucifica-o!”.

O gênero humano, na verdade, diz que as Escrituras se encontram em seu meio. Examine-as, porque elas testificam das palavras que esses apóstatas querem tachar de blasfêmia. Paulo, se Joseph Smith é blasfemo, tu também o és. Digo que há muitos deuses e muitos senhores, porém, para nós não mais que um; a ele, temos a obrigação de nos sujeitar, e nenhum homem pode estabelecer os limites ou a existência eterna do tempo infinito. Acaso o homem contemplou o mundo eterno, e está autorizado a dizer que há um Deus? O que pensa ou diz tal coisa é um tolo, e sua carreira ou progresso quanto ao conhecimento está limitado. Não pode conseguir todo o conhecimento, porque ele próprio cerrou a porta.

A Interpretação das Escrituras

Alguns afirmam que não interpretam as Escrituras como eles o fazem. Alegam que elas se referem aos deuses pagãos. O apóstolo Paulo disse que há muitos deuses e muitos senhores; isso significa uma pluralidade de deuses, apesar dos caprichos de todos os homens. Sem revelação, não vou dar a eles o conhecimento do Deus do céu. Vós sabeis, e eu testifico, que Paulo não aludia aos deuses pagãos. Sei disso, porque Deus mo revelou, quer isso lhes agrade ou não. Tenho o testemunho do Espírito Santo e o testemunho de que Paulo não se referia aos deuses pagãos nesta passagem (“Ensinamentos do Profeta Joseph Smith”, edição 1975 – pp. 362-363, Joseph Smith. Editora, A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias).

Não é que Joseph Smith descobriu que Deus tem também um Pai?

De modo que, se Jesus teve um Pai, o que nos impede de crer que o Pai também teve um Pai? Desprezo a idéia de ficar atemorizado por causa desta doutrina, porque a Bíblia dela está repleta (“Ensinamentos do Profeta Joseph Smith”, edição 1975 – p. 365, Joseph Smith. Editora, A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias).

Resposta Apologética:

O livro de Isaías, 43.10, refuta esse ensino de o Pai de Jesus ter também um pai, o que poderia repetir-se com o avô de Jesus e, assim, daria margem a uma infinidade de deuses o que parece natural para os mórmons. Vós sois as minhas testemunhas, diz o Senhor, e meu servo, a quem escolhi; para que o saibais, e me creiais, e entendais que eu sou o mesmo, e que antes de mim deus nenhum se formou, e depois de mim nenhum haverá.

Deus – um Ser Progressivo

Cremos num Deus que é progressivo, cuja majestade é a inteligência, cuja perfeição consiste em progresso eterno, um Ser que chegou a esta condição exaltada por um caminho que a seus filhos é permitido seguir, e de cuja glória antes participaram como herdeiros. Não obstante a oposição das seitas, apesar de ser acusada diretamente de blasfêmia, a Igreja proclama esta verdade eterna: Como o homem é, Deus foi; Como Deus é, o homem poderá vir a ser (“Regras de Fé”, edição 1983 – p. 389, James E. Talmage).

Resposta Apologética:

Os textos bíblicos refutam esse ensino de um Deus progressivo. A Bíblia declara a existência de Deus como um Ser eterno e imutável: Deus é um Ser Eterno e Imutável.

Antes que os montes nascessem, ou que tu formaste a terra e o mundo, mesmo de eternidade a eternidade tu és Deus (Salmo 90.2):

Assim diz o Senhor, Rei de Israel o seu Redentor, o Senhor dos Exércitos: Eu sou o primeiro, e eu sou o último, e fora de mim não há Deus.

E quem proclamará como eu, e anunciará isto, e porá em ordem perante mim, desde que ordenei um povo eterno? E anuncie-lhes as coisas vindouras, e as que ainda hão de vir. Não vos assombreis, nem temais; porventura desde então não vo-lo fiz ouvir, e não vo-lo anunciei? Porque vós sois as minhas testemunhas. Porventura há outro Deus fora de mim? Não, não há outra rocha que eu conheça (Isaías 44.6-8).

Ora ao Rei dos séculos, imortal, invisível, ao único Deus sábio, seja honra e glória para todo o sempre. Amém (1 Timóteo 1.17).

Porque Eu, o Senhor, não mudo; por isso vós, ó filhos de Jacó não sois consumidos (Malaquias 3.6).

Triteísmo

Observamos que Joseph Smith Jr. declara ser o mormonismo triteísta, ou seja, a crença na existência de três deuses.

Resposta Apologética:

A Bíblia declara a existência de um só Deus, eternamente subsistente em três pessoas distintas, que é o que define a doutrina da Trindade. O mormonismo ensina o triteísmo, diferente do trinitarismo.

1 – O Pai é chamado Deus – Ef 1.2;

2 – O Filho é chamado Deus – Jo 1.1; 20.28; Tt 2.13;

1 Jo. 5.20;

3 – O Espírito Santo é chamado Deus – At 5.3-4;

4 – E declara ao mesmo tempo existir um só Deus – Dt 6.4 (comparado com Gn 1.26-27; 3.22; 11.6-7; Is 6.3-8; Mt 28.19; 2 Co 13.13).

O ensino bíblico sobre a existência de um só Deus em três pessoas é corroborado pelo “Livro de Mórmon”.

E em sua ira havia jurado ao irmão de Jarede que todos os que habitassem esta terra da promissão, daquele tempo em diante para sempre, deveriam servir a ele, o verdadeiro e único Deus, ou seriam varridos quando sobre eles caísse a plenitude da sua ira (Éter 2.8“Livro de Mórmon”, edição 1997 – p. 571).

E prossegue:

E Zeesrom disse-lhe: Dizes que existe um Deus vivo e verdadeiro?

E Amuleque respondeu: Sim, existe um Deus vivo e verdadeiro.

Disse então Zeesrom: Existe mais de um Deus?

E ele respondeu: Não.

Então, perguntou-lhe Zeesrom novamente: Como sabes estas coisas?

E ele disse: Um anjo, mas deu a conhecer.

E Zeesrom tornou a perguntar: Quem é aquele que virá? É o

Filho de Deus?

E ele respondeu-lhe: Sim.

E disse novamente Zeesrom: Salvará ele seu povo em seus pecados? E Amuleque respondeu-lhe e disse: Digo-te que ele não salvará, porque lhe é impossível negar sua própria palavra.

Disse então Zeesrom ao povo: Lembrai-vos destas coisas; porque ele disse que existe um só Deus, não obstante, declarou que o Filho de Deus virá, mas não salvará seu povo – como se ele tivesse autoridade para mandar em Deus.

Ora, esta restauração acontecerá com todos, tanto velhos como jovens, tanto escravos como livres, tanto homens como mulheres, tanto iníquos como justos, e não se perderá um único cabelo de sua cabeça, mas tudo será restaurado em sua estrutura natural, como se encontra agora, ou seja, no corpo; e todos serão lavados perante o tribunal de Cristo, o Filho, e Deus, o Pai, e o Espírito Santo, que são um eterno Deus, para serem julgados segundo as suas obras, sejam elas boas ou más (Joseph Smith, editora, A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias). (Alma 11.26-35,44 – “Livro de Mórmon”, edição 1997 – p. 270).

E agora, meus queridos irmãos, este é o caminho; e não há nenhum outro caminho ou nenhum outro nome dado debaixo no céu pelo qual o homem poderá ser salvo no reino de Deus. E, agora, eis que esta é a doutrina do Cristo, e a única e verdadeira do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo, que é um Deus sem fim. Amém (2 Nefi 31.21 – “Livro de Mórmon”, edição 1951 – p. 133).

Resposta Apologética:

Esse conceito de muitos deuses ensinado por Joseph Smith Jr. deve ser rejeitado por não estar de acordo com a Bíblia em passagens como:

Assim diz o Senhor, Rei de Israel, e seu Redentor, o Senhor dos Exércitos: Eu sou o primeiro, e eu sou o último, e fora de mim não há Deus (Isaías 44.6).

Anunciai e chegai-vos, e tomai conselho todos juntos: quem fez ouvir isto desde a antiguidade? Quem desde então anunciou? Porventura não sou eu o Senhor? Pois não há outro Deus senão Eu; Deus justo e Salvador não há além de mim. Olhai para mim e sereis salvos, vós todos os termos da terra; porque Eu sou Deus e não há outro (Isaías 45.21-22).

Extraído da Série Apologética, Vol V, Ed. ICP


Cada autor é responsável pelo conteúdo do artigo.

Deixe seu comentário

Comentários fechados neste artigo.

Advertisement