Esqueceu a senha?

A resposta Divina para o problema do pecado

por Artigo compilado - qua set 16, 10:05 am

“Se, porém, andarmos na luz, como Ele está na luz, mantemos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo o peca­do”. I João 1.7.

Seria a maior tolice negar a existência do pecado. Seria como se alguém batesse com a cabeça numa árvore e depois ne­gasse a existência da madeira! Deus disse a Caim, o primeiro homicida: “(…) eis que o pecado jaz à porta (…)”. Gn 4.7. Basta ler a página da crônica policial de qual­quer jornal, para ver quantos assassina­tos, roubos e atentados contra a moral e quantos crimes de toda natureza são pra­ticados diariamente.

I – Apresentamos cinco fatos sobre o pecado

1) O pecado avoluma-se. Uma menti­rinha de criança parece coisa insignifican­te. Mas, sem demora, já se torna hábito e a criança é vítima. O pecado conduz às trevas e ao desespero das almas perdi­das.

2) O pecado engana. A transgressão é o fato que mais ilude os incautos, utili­zando-se tudo quanto é meio de cativá-los.

3) O pecado também produz a insânia moral, a ponto de a pessoa trocar os valores, considerando o direito como errado é o errado como direito. Um artista por nome Hogarth pintou um quadro mostrando um homem preso dentro duma cela, sentado num monte de palha, acorrentado qual fera à parede. Mas lá está o homem can­tando e rindo! Ele está pensando que é rei de um grande império. A cela escura e imunda é seu palácio. A palha mofada é seu trono e seus trapos são o manto real. Os guardas da prisão, que o olham atra­vés das barras de ferro da janelinha, são os seus soldados. E um demente. E é isto o que o pecado faz do homem.

4) O Pecado mata. Um só pecado já faz isto. Um pequeno furo no casco ao navio pode afundá-lo. Uma mentira con­dena qualquer um. Uma gota de veneno produz a morte. Saiba, meu amigo, que um caso de ódio pode mandá-lo para o inferno, assim como uma dentada de cão raivoso pode resultar em morte.

5) O pecado desfigura a alma. É ver­dade que o pecado deixa a pessoa mar­cada. O criador de gado marca com ferro quente o animal que lhe pertence. Assim faz Satanás com aqueles que lhe perten­cem. E esta marca é conhecida. O menti­roso já fica marcado, assim também a pessoa desonesta é aquela que não paga suas dívidas. O homem ou a mulher que vivem em adultério como são marcados! É a marca do próprio inferno!

Não existe coisa alguma neste mundo que possa apagar este estigma da alma, esta marca feia que faz a pessoa descon­trolar-se em acessos de raiva, que faz a criança desrespeitar os pais, ou o homem bater na esposa. Tais atitudes deixam marcas muito feias. Estas coisas deixam a vítima num estado poluído. Veja como o ébrio fica imundo, perdendo a linha em tudo quando faz. Nem o cérebro funciona mais. É como o porco deitado no lamaçal. É isto que você devia compreender, ao ver as propagandas de uísque e cachaça, tão bem elaboradas. Não interessam o brilho e a atração do copo social. Interessa saber qual é o produto final daquilo! Para sabê-lo, basta olhar nas sarjetas das ruas e ver os coitados, homens, mulheres e jovens com fome, sem lar, sem emprego, doen­tes, caindo desfalecidos, literalmente mor­rendo! E triste! E o que causou isso? Não é outra coisa senão a desobediência a Deus, a incredulidade, o pecado! Quando falamos em demônios, alguns ficam rindo, como se estivéssemos inventando estó­rias. O Sr. doutor em Filosofia pensa que demônios são só personagens da mitolo­gia. E as pessoas educadas não acredi­tam mais nesses fenômenos! Mas pergunte ao ébrio se não é o demônio do álcool quem o segura. Pergunte também ao escravo do sexualismo. Pergunte ao drogado. Há alguma força que os subju­ga, que os atormenta, que os obriga a cometerem atos que realmente não dese­jam praticar.

II – Qual será o remédio para o pecado?

Há quem pense que chorar sobre os pecados os desfará. Mas saiba-se que mesmo um rio de lágrimas não lava um só sequer. E a água do batismo? A água lava o corpo, sim, e certas águas servem de remédio, mas água para lavar pecado não existe! Mesmo em ser batizado no Rio Jordão, onde Jesus foi batizado, também nenhuma virtude há.

Será, então, que uma certa moralida­de exterior resolve o problema do peca­do? Quem sabe se escondê-lo não dá certo? Meu amigo, o problema do pecado não é escondê-lo, mas sim purificá-lo! Es­te foi o caso dos escribas e dos fariseus, no tempo de Jesus. A eles Jesus disse: “Ai de vós, escribas e fariseus hipócritas! Por­que sois semelhantes aos sepulcros caia­dos, que por fora se mostram belos, mas interiormente estão cheios de ossos de mortos, e de toda imundícia. Assim tam­bém vós exteriormente pareceis justos aos homens, mas por dentro estais cheios de hipocrisia e de iniquidade”. Mt 23.27- 28.

Quem sabe se o fogo do purgatório acabará com as transgressões! Primeira­mente, deixe-me esclarecer que esta ideia de purgatório veio da mitologia grega e romana, que ensinava que os pecados do falecido, após a morte, seriam queimados nas chamas duma lagoa subterrânea. A igreja Católica deu ao mito o nome “purgatório”.

III – O Calvário é o único e exclusivo, lugar de purificação dos pecados.

Não e nem fogo, nem água, nem rito, nem lágrimas, nem estudo da religião nem coisa alguma que purifica a alma, mas sim o sangue de Jesus Cristo. Só Jesus tem este poder.

É o Calvário a resposta divina para o problema do pecado. No calvário, Jesus derramou Seu sangue. Ele, como Filho de Deus, pagou a dívida por toda a humani­dade. A pessoa que, humildemente, acei­tar esta solução, que não custa nada mesmo, será salva imediatamente. O Es­pírito de Deus aplica à alma a expiação efetuada por Cristo. Este sangue remidor tem poder para purificar o mais vil peca­dor, como purificou, naquele dia, o malfei­tor crucificado ao lado de Cristo.

A cruz de Cristo exerceu um efeito tremendo sobre o malfeitor, sobre o centurião romano, que comandava a crucifi­cação de Jesus, sobre José de Arimatéia, sobre Pedro e mesmo sobre muitos sacer­dotes que, posteriormente, se converte­ram a Cristo. Sim, o Calvário tem uma mensagem para toda a humanidade. Seu efeito no coração é um efeito total.

Não importa o grau do pecado come­tido. Existem certos pecados muito gra­ves, pecados como escarlate. Saulo de Tarso foi um dos que tais pecados come­teram aprisionando e matando os crentes. O que faz o sangue de Jesus para tais pecadores? Em Isaías 1:18, Deus diz:”(…) ainda que os vossos pecados são como escarlate, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que são vermelhos como carmezim, se tornarão como a lã (…).” É isso que Deus promete. Ele perdoa peca­dos, os mais graves, com a mesma facili­dade com que perdoa os demais. Portanto, meu amigo que está com o problema de graves pecados, confia no Se­nhor. Deus tem poder! O sangue de Jesus purifica de todo pecado.

Conta-se o caso de Martinho Lutero, o frade católico que iniciou o Protestantis­mo. Certa noite Satanás, o rei do inferno, apareceu a ele e, com muita insolência, apresentou-lhe um enorme pergaminho todo escrito. “Que é isto?” – perguntou Lutero. “E a relação dos teus pecados” – disse Satanás. Lutero saiu da cama para ler aquele documento. E Satanás gos­tou muito, por ficar Lutero visivelmente comovido. Ele lia um trecho e desenrolava outro trecho. Parecia que o documento não ia terminar nunca! Desesperado, Lu­tero até gemia, tão fortes eram as acusa­ções. A lista estava certinha! Satanás dominava essa alma, sem dúvida alguma. Ali estavam todos os pecados que Lutero cometera em toda sua existência, todos os pensamentos maus, todos os momentos de incredulidade e todos os desejos impu­ros. Lutero ficou apavorado. E Satanás gritou para ele, dizendo que nele “era tudo pecado, e mais nada”! Imagine que desespero do pobre Lutero! Mas, de repente, ele percebeu que perto dele uma voz lhe falava, a qual também dizia: “Todo peca­do!” Conhecendo a Bíblia, Lutero sabia onde encontraria esta expressão. Abrindo-a ali mesmo, na presença de Satanás, ele leu o texto: “(…) o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado”. Jesus, no Calvário, havia resolvido o pro­blema para Lutero. E Satanás teve que deixá-lo em paz, retirando-se com seu per­gaminho de condenação!

Qual é o destino daqueles que são purificados pelo sangue de Cristo? No Apocalipse 7.15-17, o apóstolo João nos informa: “Por isso se acham diante do trono de Deus e O servem de dia e de noite no seu santuário; e aquele que se assenta no trono estenderá sobre eles o seu tabernáculo. Jamais terão fome, nunca mais terão sede, não cairá sobre eles o sol, nem ardor algum, pois o Cordeiro que se en­contra no meio do trono os apascentará e os guiará para as fontes da água da vida. E Deus lhes enxugará dos olhos toda lá­grima”.

Alguém perguntou: “Estes, que se vestem de vestiduras brancas, quem são e donde vieram?” (Ap 7.13). A resposta é: “São estes os que vêm da grande tribulação, lavaram suas vestiduras, e as alveja­ram no sangue do Cordeiro”. Ap 7.14.

Como pode isto acontecer em você? A resposta está no texto: “ (…) andar na luz (…).” Chegue-se a Deus! Escolha a luz! Rejeite as trevas! Esta escolha é sua e somente sua! Aceite a Bíblia! Obedeça ao Espírito Santo. Ore a.Deus, confessando seus pecados. Na luz e pelo poder do sangue de Jesus, você será purificado!

————

LAWRENCE OLSON, FONTE: REVISTA “ RAIO DE LUZ” ANO 21 – N°81


Cada autor é responsável pelo conteúdo do artigo.

Deixe seu comentário