Esqueceu a senha?

A riqueza roubada

por cacp - qui jul 11, 12:03 am

A revista VEJA de 19 de julho de 2006 na p. 56 traz um artigo sobre a violência e a ação dos ladrões no Brasil. Diz a reportagem: “A RIQUEZA ROUBADA – A Violência subtrai 200 milhões de reais por ano do Brasil. Os bandidos também levam empregados, bem-estar e a produtividade da economia.” Informa mais: “… é possível quantificar os recursos que empresas, pessoas e o Estado gastam sendo vítimas de criminosos ou defendendo-se deles todo ano – cifra que, no Brasil, chega a 10% do PIB, ou 200 bilhões de reais, segundo levantamento do Banco Interamericano de Desenvolvimento. Mais complicado – e certamente mais dramático – é descobrir quanta riqueza a sociedade deixa de produzir exposta à sanha dos bandidos que tiram vidas, estraçalham poupança, patrimônio e trabalho e minam a capacidade criativa das pessoas.” Como o Pr. vê essa situação dramática que está ocorrendo no Brasil e cada vez se vê mais a audácia dos bandidos que chegam ao cúmulo de comandar esses verdadeiros atos terroristas que deixam a população brasileira em pânico? Matar, roubar e destruir.

Pesa o coração ler a respeito da bandidagem no Brasil que acarreta um prejuízo de 200 milhões de reais por ano. A descrição que a reportagem faz é chocante ao dizer dos bandidos que estraçalham poupança, patrimônio e trabalho e minam a capacidade criativa das pessoas.” A Bíblia aponta dias trabalhosos os que hoje estamos vivendo. (RM 1:28) “E, como eles não se importaram de ter conhecimento de Deus, assim Deus os entregou a um sentimento perverso, para fazerem coisas que não convêm;”.(RM 1:29) “Estando cheios de toda a iniqüidade, prostituição, malícia, avareza, maldade; cheios de inveja, homicídio, contenda, engano, malignidade;”(RM 1:30) “Sendo murmuradores, detratores, aborrecedores de Deus, injuriadores, soberbos, presunçosos, inventores de males, desobedientes aos pais e às mães;”(RM 1:31) “Néscios, infiéis nos contratos, sem afeição natural, irreconciliáveis, sem misericórdia;”(RM 1:32) “Os quais, conhecendo a justiça de Deus (que são dignos de morte os que tais coisas praticam), não somente as fazem, mas também consentem aos que as fazem.” Diz o texto que são dignos de morte os que tais coisas praticam.

Quando tomamos conhecimento da hediondez dos crimes cometidos pelos bandidos tal situação nos faz lembrar das palavras de Jesus em (JO 10:10) “O ladrão não vem senão a roubar, a matar, e a destruir” . A quem se referia Jesus como sendo o ladrão que rouba, mata e destrói?

Jesus estava se referindo ao diabo veio para roubar, matar e destruir.
Seria oportuno pensar que se o diabo veio para roubar, então aquele que pratica tal ação possui em seu espírito, o comando dele, o próprio diabo. E não é só o fato de assaltar um banco, assalto à mão armada ou coisas do tipo. Qualquer tipo de roubo é por si uma atitude diabólica. E disso todos sabemos. Mas mesmo assim as cadeias estão lotadas. Gente que não teve medo algum de conviver com o diabo em suas vidas.Lemos mais na Bíblia: (1JO 3:8) “Quem comete o pecado é do diabo; porque o diabo peca desde o princípio. Para isto o Filho de Deus se manifestou: para desfazer as obras do diabo.”

Como Jesus desfaz a obra do diabo na vida dos homens que vivem cometendo tantas atrocidades, tantos crimes bárbaros?

Ora, se Jesus veio para desfazer as obras do diabo na vida das pessoas, então aquele que aceita a Cristo Jesus como Senhor e Salvador, experimenta o novo nascimento e torna-se uma nova criatura. (2CO 5:17) “Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo.”

A pessoa que aceita a Jesus como Salvador e Senhor ela fica definitivamente livre da influência de Satanás?

Não. O diabo diz o apóstolo Pedro que ele vive procurando brecha para enganar mesmo aquelas pessoas que receberam a Cristo como Senhor e Salvador. (1PE 5:8) “Sede sóbrios; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar;” (1PE 5:9) “Ao qual resisti firmes na fé, sabendo que as mesmas aflições se cumprem entre os vossos irmãos no mundo.”

De que modo Satanás age nas vidas de pessoas de modo a não ser reconhecido nas suas ciladas?

Ele age de duas maneiras: 1) ele levanta líderes religiosos que negam sua existência negando sua personalidade. Por exemplo: o Pr Neemias Marien assim se pronuncia sobre o diabo: “A figura do Diabo, Demônio, Satanás, Lúcifer ilustra o instante da fraqueza do ser humano que pode ser cíclico enquanto não forem varridas do coração humano as suas secretas intenções, contrárias à vontade de Deus.” Continua ele: “As possessões demoníacas relatadas nas narrativas evangélicas, não se referem a incorporações malignas, mas a distúrbios emocionais.” (JESUS, À Luz da Nova Era, p. 115, Editora Record). Allan Kardec também nega a existência de uma pessoa espiritual conhecida como diabo. Afirma ele “… evidente que se trata da personificação do mal sob forma alegórica.” Os demônios são pessoas más que morreram e seus espíritos atrasados continuam fazendo o mal pelo mundo afora. E Alziro Zarur, fundador da LBV compôs um poema com o título “AO MEU IRMÃO SATANÁS. Alguns versos desse famigerado poema ao irmão de Alziro Zarur: Ora se um religião nega a existência do diabo como pessoa deixa a porta aberta da sua vida para ele entrar e arruíná-la 2) e o segundo engano movido por Satanás é que há pessoas nas igrejas que vêem o diabo em tudo. Dá uma topada, culpa o diabo: comete um pecado, culpa o diabo. Ele se exime de responsabilidade porque é o diabo que faz e não passa de um inocente. Enquanto isso, a Bíblia adverte: (TG 4:7) “Sujeitai-vos, pois, a Deus, resisti ao diabo, e ele fugirá de vós.”

Repetindo o texto de Jo 10.10 segundo o qual Jesus disse que o ladrão (o diabo) veio para roubar, matar e destruir qual a forma de ele agir e roubar os cristãos?

Ele agiu no Éden na forma de uma serpente. Roubou do primeiro casal a comunhão com Deus O desvio da fé iniciou-se no Éden. Adão e Eva creram em Deus, mas o diabo lhes propôs outro caminho como se vê de Gn 3.1-6:
a)O diabo torceu as palavras de Deus, “Certamente não morrereis” (v.4). A serpente oferece a imortalidade pela reencarnação; b) a promessa de iluminação ou sabedoria secreta apregoadas pelas seitas secretas; “se abrirão os vossos olhos”(v.5); c) busca do poder para experimentar a divindade “sereis como Deus”(v.5). O que colheram em aceitar a intervenção diabo em suas vidas: (GN 3:8) “E ouviram a voz do SENHOR Deus, que passeava no jardim pela viração do dia; e esconderam-se Adão e sua mulher da presença do SENHOR Deus, entre as árvores do jardim.” (GN 3:9) “E chamou o SENHOR Deus a Adão, e disse-lhe: Onde estás?” (GN 3:10) “E ele disse: Ouvi a tua voz soar no jardim, e temi, porque estava nu, e escondi-me.” (GN 3:11) “E Deus disse: Quem te mostrou que estavas nu? Comeste tu da árvore de que te ordenei que não comesses?” (GN 3:12) “Então disse Adão: A mulher que me deste por companheira, ela me deu da árvore, e comi.” Foram assaltados pelo diabo. Perderam a comunhão que desfrutavam com Deus e foram postos fora do Éden. A fé que deixou de crer naquilo que Deus disse, procura qualquer outra base e por isso temos milhares de objetos, simpatias e usos esotéricos, que se oferecem para substituir a Palavra de Deus.

O diabo age de maneira igual na vida das pessoas ou ele tem mais autoridade sobre determinadas pessoas e menos sobre outras? Isso depende do que?

Depende da liberdade que cada um dá para ele agir na sua vida. Os níveis de atuação do diabo podem ser descritas de quatro modos:
a)Tentação. Todos estão sujeitos, inclusive os cristãos (Mt 26.41; Tg 1.1314;4.7)
b)Obsessão: preocupação incontrolável da pessoa com as forças ou fenômenos demoníacos. Dois tipos: externa e interna. Externa quando há visões de demônios, de formas estranhas, de objetos se deslocarem, ruídos estranhos; interna: impulsos mórbidos ou suicidas, (a pessoa está convencida de que abriga sapos ou cobras no estômago.);
c)sujeição: é a condição de uma pessoa que está escravizada e sujeita ao poder do demônio (Jo 13.2; Lc 13.16);
d) Possessão: o ser humano é habitado, dirigido por um espírito imundo (Lc 22.3; Mc 1.23-27; 3.11,12; 7.25-30; 9.17-29)

POEMA DO IRMÃO SATANÁS

“Um dia, eu fui com meus irmãos à igreja,
E um padre perturbou a minha paz:
Ele falou de um certo Satanás
Que as almas brutaliza e mercadeja.

Mas falou com uma raiva tão bravia
Do Diabo vil, com um coração de pau,
Que eu perguntei à minha mãe avó Maria:
-Será que o Diabo é mesmo assim tão mau?

Mais tarde, eu lia a Bíblia, de manhã
E são 66 livros ou partes –
Para surpreender todas as artes
Daquele infernalíssimo Satã.

-Se Deus sempre é perfeito no que faz,
E nada do que fez ao mal destina,
Por que odiarmos nós a Satanás
Se ele, também, é criação divina?

-E, se JESUS nos veio esclarecer
que amássemos até “ao inimigo”,
Por que não transformar num bom amigo
A Satanás, em vez de o combater?

Amigos meus, oremos por Satã,
Amemo-lo de todo o coração,
E respondamos sempre com o perdão
Aos males que nos faça, hoje e amanhã.

(Mensagem de Jesus Para os Sobreviventes, p. 29/31)


Cada autor é responsável pelo conteúdo do artigo.

Deixe seu comentário

Advertisement