Esqueceu a senha?

A verdade sobre o ano de 1914

por Pr. Natanael Rinaldi - ter ago 17, 8:47 am

Para os leitores das publicações da Sociedade Torre de Vigia não é incomum a data de 1914, muitas vezes assinalada como de importância fundamental para as Testemunhas de Jeová. A Revista Despertai! de 8 de novembro de 1994 trouxe na capa a seguinte declaração: “1914 – TIROS QUE AINDA ABALAM O MUNDO”. Dedicam da primeira à décima segunda página para tratar do assunto e afirmam: “Como diz na página 4: Esta revista gera confiança na promessa do Criador de estabelecer um novo mundo pacífico e seguro, antes que passe a geração que viu os acontecimentos de 1914” (idem, p. 10).

A declaração a que se refere a revista fornece a razão por que ela é vendida: oferecer aos leitores confiança na promessa do Criador, sobre uma nova ordem social, que seria estabelecida antes que a geração de 1914 morresse. Tal declaração constou de todas as edições da revista Despertai! até 8 de dezembro de 1986. Deixou de constar nos números a partir de janeiro de 1987 e tornou a ser reimpressa a partir de 8 de março de 1988.

O ENSINO DA SOCIEDADE TORRE DE VIGIA

Ensinava a Sociedade Torre de Vigia que a expressão “esta geração” foi usada por Jesus para qualificar um limitadíssimo período de tempo, e este período de vida limitava-se a setenta ou oitenta anos – Salmos 90.10 (A Sentinela de 01/05/1968, p. 271).

Concomitantemente – dizia a Sociedade – embora Moisés fosse o escritor do Salmo 90 e tivesse vivido cento e vinte anos, o texto por ele escrito era a regra geral, embora as pessoas soubessem que poderiam viver mais. (Ajuda Para Entendimento da Bíblia , p. 641, em inglês).

A revista Despertai! de 22/04/1969, p. 13 trazia a seguinte manchete:

“O QUE TRARÁ A DÉCADA DE 1970?” Em seguida afirmava que para ver os acontecimentos que marcaram a “parousia”, ou presença de Cristo, em 1914, a pessoa precisaria ter pelo menos 15 anos de idade, com capacidade suficiente para perceber mentalmente o que havia acontecido naquele ano de 1914. Logo, essa publicação dava para os jovens com 15 anos em 1914, a idade de 70 anos em 1969. A Sociedade Torre de Vigia também afirmava, que os bebês nascidos durante a Primeira Guerra Mundial, nada tinham a ver com a aplicação da palavra ‘geração, empregada por Jesus em Mt 24.34 (A Sentinela de 15/01/1979), e isto para reforçar a ideia de urgência da década de 1970, ocasião em que se daria fatalmente o Armagedom.

O CALCULO DA GERAÇÃO VIVA EM 1914

Calculando, então, que alguém para perceber o “sinal” da presença de Cristo em 1914, deveria ter pelo menos 15 anos, essa pessoa teria nascido em 1899. Uma pessoa nascida em 1899, teria hoje (2016) 117 anos de idade. Se uma geração dura – segundo os cálculos da Sociedade Torre de Vigia – 70/80 anos, já se passaram 37 anos e não houve a profetizada mudança do atual sistema de coisas.

OS FATOS SOBRE 1914

Não é verdade o que a revista Despertai! de 08/11/1994, p. 10 declara sobre 1914. Embora afirmem que. “…já em dezembro de 1879 – uns 35 anos antes de 1914 – The Watchtower (A Sentinela, então conhecida em inglês como Torre de Vigia de Sião e Arauto da Presença de Cristo) apresentou a evidência bíblica de que 1914 seria um ano significativo”, isso não corresponde à verdade.

O Que a Sociedade Torre de Vigia publicou foi o seguinte:

  1. Que em 1914 se daria a Batalha do Armagedom, e os governos da terra deixariam de existir;
  2. Que em 1914 os membros vivos da verdadeira Igreja de Cristo, o “corpo de Cristo” subiriam glorificados para o céu;
  3. Que a Jerusalém terrestre, na Palestina, seria tirada do desfavor divino e seria colocada como sede do reino milenial de Cristo na terra;
  4. Que o povo de Israel voltaria a ser de novo o povo de Deus, pois o tempo dos gentios havia se completado, cumprindo-se assim a promessa de Romanos 11.25 (The Time is at Hand, 76/77, edição de 1889).

COMO ENCARAR OS FATOS APONTADOS

A Sociedade Torre de Vigia nos dá a medida de como julgar os fatos que contradizem a revista Despertai! de 08/11/94. Embora circule com uma tiragem de milhões de exemplares por todo o mundo, em várias línguas, diz a Sociedade: “É verdade, houve aqueles que, em tempos passados, predisseram um “fim do mundo”, até mesmo anunciando uma data específica… Todavia, nada aconteceu. O “fim” não veio. Eram culpados de profetizar falsamente. Por que? O que estava faltando? Faltava a plena medida de evidência exigida em cumprimento da profecia bíblica. O que tais pessoas não tinham eram as verdades de Deus e a evidência de que Ele as guiava e usava” (Despertai! 22/04/1969, p. 23).

UM AVISO AOS LEITORES!

Quando uma Testemunha de Jeová bater à sua porta, na próxima oportunidade diga: “Já esperava a sua vinda”. “Como?” perguntará a visitante. Você responderá: “Jesus me avisou que você viria bater à minha porta”. “De que modo Jesus a avisou?” – dirá a visitante . Você responderá: “Em Mateus 7.15-16 Jesus disse: Acautelai-vos, porém, dos falsos profetas, que vêm até vós…”.


Cada autor é responsável pelo conteúdo do artigo.

Deixe seu comentário

Advertisement