Esqueceu a senha?

Acupuntura – religião ou terapia?

por Artigo compilado - sáb jun 16, 1:51 pm

Acupuntura é a antiga prática chinesa de inserir agulhas hipodérmicas compridas e muito finas em pontos específicos do corpo, que supostamente estimulam ou atenuam o fluxo de energia do corpo, trazendo equilíbrio do chi (a energia vital).

O chi (ou ki) depende da interação de yin e yang, que são as forças em oposição que flutuam continuamente para produzir os ritmos dia-noite, verão-inverno, atividade-descanso etc. O yin representa as forças negativas (noite, inverno, lua, fêmea etc.) e o yang representa as forças positivas (dia, verão, masculino, atividade). Yin e yang circulam pelo corpo de órgão para órgão através dos meridianos, circuitos invisíveis que são diferentes dos da circulação, dos nervos e dos sistemas linfáticos. O corpo mantém o equilíbrio de yin e yang descarregando a energia excedente dos meridianos em certos pontos, onde eles passam perto da pele, e pode-se mudar a energia para áreas onde há falta dela, estimulando os pontos certos com agulhas. O fluxo da energia é restaurado revitalizando os órgãos e os sistemas do corpo, curando a doença e mantendo a saúde. Essa teoria está baseada no Taoísmo (religião oriental ocultista).

ORIGEM

A origem da acupuntura é desconhecida, mas podemos encontrar práticas similares no antigo xamaísmo. O Dr. Samuel Pfeifer, consultor de psiquiatria e neurologia de uma clínica psiquiátrica na Suíça, observa: “O tratamento com agulhas, posteriormente denominado acupuntura (do latim acus = “agulha” e punctus = “ponto”) no ocidente, retrocede aos médicos mais antigos, provavelmente xamãs espíritas. Eles realizavam rituais semelhantes àqueles encontrados nas atuais seitas do vodu, que tentam expulsar o espíritos malignos introduzindo agulhas no corpo do doente. Estudiosos posteriores abandonaram o modelo demoníaco e integraram o uso de agulhas nas suas teorias astrológicas”.

Outra fonte indica que, entre o terceiro e o primeiro século a. C., a acupuntura foi usada em rituais de ocultismo como uma forma de sangria, que também permitia que os “espíritos maus” relacionados com a doença saíssem.

A acupuntura parece estar relacionada também com o ocultismo na China na sua origem. O Dr. Pedro Chan, pesquisador associado de acupuntura no White Memorial Medical Center, em Los Angeles, EUA, autor de vários textos sobre a acupuntura, observa, que de acordo com a tradição, há cerca de cinco mil anos os chineses observam que a dor poderia ser aliviada esfregando pedras nos seus corpos. Segundo se diz, eles observaram que quando alguns soldados eram feridos por setas, recuperavam-se de doenças crônicas. Com o tempo desenvolveu-se o princípio de que a estimulação do corpo, quer por pressão, quer por inserção de agulhas, poderia resultar no alívio de tais doenças. Por causa das associações históricas da acupuntura com o ocultismo oriental, com algumas variações essa teoria provavelmente indica a origem da acupuntura na China.

AVALIAÇÃO CIENTÍFICA

O Taoísmo é ignorado nos estudos científicos e a acupuntura ainda não teve sua eficácia demonstrada cientificamente. Chi não é uma energia gravitacional, eletromagnética ou nuclear. Não é uma energia que pode ser medida ou monitorizada no mundo físico. Se existe de fato, então chi é aparentemente uma força espiritual, que no caso da acupuntura seria manipulada em benefício do paciente, e essa prática entra no campo da magia ou feitiçaria.

Existem, porém, duas possibilidades sobre como a acupuntura pode eventualmente funcionar. Uma delas diz que a colocação das agulhas em pontos específicos enviam sinais ao cérebro, que então libera endorfina aliviando ou eliminando a dor. A outra teoria é que as agulhas bloqueiam o sinal de dor enviado ao cérebro. Entretanto tais teorias nunca foram comprovadas. Mesmo se fossem comprovadas, a conclusão seria que não é a acupuntura que funciona, porque ela é baseada na ideia que o alívio vem do fluir harmonioso das energias yin e yang. O que estaria funcionando é o alívio da dor através da endorfina e do bloqueio de sinais de dor. Este alívio não teria nada a ver com os “meridianos”, mas sim com a biologia e com um entendimento adequado do funcionamento dos sistemas do corpo.

POTENCIAL DE OCULTISMO

Os adeptos da acupuntura geralmente seguem a filosofia taoísta, que envolve a manipulação de energias vitais místicas, tradicionalmente associadas com a magia, a astrologia e o ocultismo. Usam também parapsicologia, meditação e outras práticas do ocultismo oriental em conjunto com a acupuntura. Geralmente os acupunturistas são paranormais (médiuns ou sensitivos), que operam através de poderes do além, e atribuem parte do seu sucesso às forças espirituais.

MAIORES PROBLEMAS

O estímulo por meio de agulhas tem produzido complicações físicas tais como infecções e danos ao sistema nervoso. Outros problemas menos frequentes, como pulmão perfurado e convulsões, também têm sido registrados. Há também o perigo de mascarar o diagnóstico de uma doença grave ou de um diagnóstico errado. Outra ocorrência comum é a transferência de uma doença física real para um nível mental ou espiritual, acarretando consequências piores.

AVALIAÇÃO BÍBLICO-CRISTÃ

A acupuntura clássica está baseada no equilíbrio do fluxo da energia vital por todo corpo humano. Do desequilíbrio desse fluxo surgem as doenças. Assim diz a filosofia ocultista taoísta. Não há nada parecido com isso na Bíblia. A Bíblia não fala nada sobre o equilíbrio de energias vitais corporais que o homem precise ativar. A Bíblia não fala nada sobre a existência de pontos específicos do corpo humano que precisam ser “espetados”. A Bíblia não fala que o corpo humano possui meridianos. Em nenhum dos relatos bíblicos de cura (e são muitos), no Antigo e no Novo Testamento, encontramos alguma coisa parecida com acupuntura.

O cristão que optar por um tratamento de acupuntura deve recebê-lo das mãos de um profissional de saúde – médico ou cirurgião dentista – de acordo com a lei específica e as decisões judiciais que se seguiram, decorrentes das dúvidas surgidas sobre a habilitação requerida do profissional que usa esse método terapêutico. Precisa considerar, também, que esses médicos tem-se manifestado explicando que a acupuntura alivia a dor, mas não cura a doença. O cristão que se submete indiscriminadamente a um curandeiro, que afirma manipular energias, acabará envolvido num laço espiritual.

ACUPUNTURA HOJE

Os textos que utilizamos neste breve estudo datam dos anos 1990. Recentemente a Acupuntura foi incluída dentre as terapias alternativas oferecidas pelo Sistema Único de Saúde – SUS (Portaria do Ministério da Saúde nº 145 de 28/02/2017). São inúmeras as publicações na internet que fazem apologia a essa terapia alternativa. Quase todos omitem os riscos e as contraindicações desse método, o que nos levaria a pensar que no decorrer dos últimos 30 anos a ciência teria abraçado a acupuntura, e alguns até dizem isso. Entretanto, o site Acupunturista.net, que sugere ser a plataforma oficial da categoria, traz alguns esclarecimentos que demonstram não ter havido nenhum avanço na eliminação dos perigos da acupuntura, ao contrário, a lista das contraindicações, riscos e consequências indesejáveis acidentais aumentou consideravelmente:

“A Acupuntura é um método seguro para incentivar o corpo a promover a cura natural e melhorar suas funções, e raramente provoca efeitos secundários graves quando bem aplicada. Muitas pessoas sentem uma breve sensação de ardor durante a inserção de agulhas, no entanto o desconforto é inofensivo.

Porém, para que a prática da Acupuntura tenha os efeitos desejados, a escolha do especialista é imprescindível e deve ser feita com bastante cuidado. Outro ponto importante é esterilização das agulhas. Agulhas mal esterilizadas podem causar infecções graves e piorar o estado clínico do paciente.

Algumas pessoas submetidas à Acupuntura relatam uma piora dos sintomas originais durante os primeiros dias de tratamento. Alterações no apetite, no sono, intestino, urina ou estado emocional são algumas das queixas, que não devem se prolongar pois são indício de que a Acupuntura começou a fazer efeito.

A Acupuntura é a suavização de energia Qi bloqueada em algumas áreas do corpo. É como uma mangueira com dobras que bloqueiam a saída da água. Se você endireitar a mangueira, haverá uma pressão e a água acumulada será eliminada com mais força. É mais ou menos o que acontece quando você começa um tratamento com Acupuntura.

Também é comum nas primeiras sessões sentir uma sensação de profundo relaxamento ou mesmo uma leve desorientação que podem permanecer por até 48 horas. Não deixe de relatar ao seu acupunturista sobre esse tipo de sintoma. Seu conforto é uma prioridade.

Além disso, algumas pessoas têm relatado reações mais graves, como tonturas, sudorese ou náuseas. Também foram descritos casos de perda de consciência. No entanto, esses problemas geralmente são esclarecidos rapidamente e não provocam danos maiores ao paciente.

Embora a Acupuntura seja uma alternativa de tratamento extremamente segura dentro da medicina, são necessárias algumas precauções:

  1. Evitar agulhas no abdômen e áreas lombares de mulheres grávidas.
  2. Os vasos sanguíneos devem ser evitados para prevenir hemorragias.
  3. Pontos sobre o peito e as costas devem ser cuidadosamente trabalhados para que as agulhas não causem danos aos órgãos.

Os riscos mencionados abaixo são extremamente raros:

  1. Nódoas negras
  2. Desmaio
  3. Espasmos musculares
  4. Hemorragia
  5. Danos nos nervos
  6. Perfurações nos pulmões
  7. Lesões acidentais de órgãos (cérebro, medula espinhal, coração, fígado, baço, rins)”

http://www.acupunturista.net/content/acupunture/16/a-acupuntura-pode-oferecer-riscos-ou-efeitos-colaterais-ao-paciente/

Podem ser encontrados também sites ligados aos conselhos de medicina, que trazem esclarecimentos sobre a prática da acupuntura. Dentre esses selecionamos um artigo que deixa evidente: a) a disputa entre médicos e “acupunturistas” no campo médico e legal; b) há amparo legal somente para prática da acupuntura por médicos especialistas e dentistas, que indicam essa terapia após criteriosos exames clínicos e laboratoriais:

“No Brasil, pela legislação vigente, devidamente corroborada por decisões judiciais específicas para esse tema, proferidas pelo Tribunal Regional Federal da 1a Região, pelo Superior Tribunal de Justiça e pelo Supremo Tribunal Federal, somente é legal o exercício da especialidade Acupuntura pelos profissionais da medicina, da medicina veterinária e do cirurgião-dentista – cada qual em seu campo próprio de atuação, também definidos por lei; seu exercício por qualquer outro profissional poderia causar, sem dúvida, sérios danos à sociedade brasileira, o que determina a incriminação no artigo 282 do Código Penal Brasileiro, de detenção de seis meses a dois anos para tais casos.

Esclarecimento adicional em relação aos fisioterapeutas e aos terapeutas ocupacionais:

É importante fazer um esclarecimento especificamente em relação ao COFFITO e a uma decisão judicial que supostamente permitiria a prática de Acupuntura pelos fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais.

Uma simples leitura do acórdão proferido nos autos da Apelação Cível nº 5027564-03.2013.404.7100/RS, Des. Federal Luís Alberto de Azevedo Aurvalle – TRF 4ª Região, nos dá conta de que existe uma diferenciação entre o diagnóstico cinético-funcional (realizado pelo fisioterapeuta) e o diagnóstico nosológico (realizado pelo médico). Dentro desse pensamento o acórdão conclui que a Fisioterapia e a Terapia Ocupacional são ramificações da área da saúde, com plena habilitação para “clinicar dentro de sua especialidade, nos termos da legislação em comento”.

Ora, em momento algum o referido acórdão se pronuncia especifica e focalizadamente sobre o mérito de permissão ou autorização legal para a prática de Acupuntura por parte dos fisioterapeutas e dos terapeutas ocupacionais. Para essa constatação basta uma simples leitura do documento. Repita-se, o que o acórdão faz é uma afirmação de natureza ampla, dizendo que a esses profissionais é permitido “clinicar dentro de sua especialidade, nos termos da legislação em comento”.

Ora, como já foi dito anteriormente, a Acupuntura não é uma especialidade dos fisioterapeutas e dos terapeutas ocupacionais porque:

(a) é uma especialidade médica;

(b) é necessária a realização prévia de diagnóstico nosológico (realizado pelo médico conforme acórdão em análise);

(c) a Resolução que reconhecia a acupuntura como especialidade do fisioterapeuta e do terapeuta ocupacional já foi expressamente aniquilada pelo Poder Judiciário e declarada nula de pleno direito, aproximando-se o momento do trânsito em julgado.

Portanto, hoje, sob a análise legal e normativa, não existe fundamento para a permissão de prática de Acupuntura por fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais. Qualquer interpretação afastada dessa ou carece de conhecimento jurídico ou é mal intencionada.

Artigo do Dr. Fernando Genschow

Coordenador Central da Acupunturiatria na Secretaria de Saúde do Distrito Federal. Hospital de Base do Distrito Federal. Membro do Conselho Executivo World Federation of Chinese Medicine Societies – WFCMS”.

Legislação é clara: Acupuntura só pode ser exercida pelos profissionais da medicina

Bibliografia: Os Fatos Sobre Saúde Holística e Nova Medicina, John Ankerberg e John Weldon, Acupuntura, Obra Missionária Chamada da Meia-Noite, 1995.

Acupuntura, Revista Defesa da Fé, John Ankerberg e John Weldon, mai-jun/1998.

Acupuntura, Márcia Greene, artigo publicado pelo ICP, 1984.

Nota: As fontes da internet estão indicadas após as citações.

Texto compilado e adaptado por Maria Candida Alves, jun/2018.

 


Cada autor é responsável pelo conteúdo do artigo.

Deixe seu comentário

Advertisement