Esqueceu a senha?

Apóstolo proíbe uso de USB

por Pr. Natanael Rinaldi - sáb set 15, 10:13 pm

Pela internet* tomamos conhecimento de uma mensagem estranha e com uma proibição para determinada igreja evangélica nos seguintes termos: “Uma igreja evangélica localizada no interior de São Paulo, inseriu em seus cultos a proibição do uso de qualquer tecnologia USB pelos seus fieis. O motivo? A igreja alega que o USB carrega um símbolo que prega apologia ao demônio. O apóstolo Welder Saldanha, fundador do templo evangélico, declara que o USB representa um símbolo de satanás e não deve estar presente em lares cristãos. Em suas palavras: “O símbolo daquilo [USB] é um tridente, que é usado para torturar almas que vão para o inferno”. Usar um símbolo daqueles apenas mostra que todos os usuários dessa pífia tecnologia são de fato, adoradores de satã”, elucida o apóstolo. Por conta dessa medida, os fieis foram instruídos a trocar todas as conexões USB por conexões comuns ou Bluetooth, que segundo Saldanha foi permitida, já que “Azul era a cor dos olhos de nosso salvador Jesus Cristo”.”

PR NATANAEL: Como o irmão vê esse líder intitulado apóstolo que comete essa infantilidade de proibir o dispositivo de comunicação conhecido por USB por trazer um tridente que indica o seu funcionamento, sob a alegação de que se trata de um simbolismo satânico?

É de se notar na notícia colhida que ele é o fundador da sua própria grei e como tal ele não deve ter sido consagrado por uma igreja estável e com maiores conhecimentos bíblicos. Por exemplo, se ele mesmo tivesse lido a Bíblia para se autodenominar-se apóstolo ir reconhecer que ele não teria qualificações para o cargo que ocupa.

E quais são essas qualificações requeridas para ser um obreiro qualificado?

O apóstolo Paulo enumera as qualificações indicando as seguintes: (I Timóteo 3:1) – “ESTA é uma palavra fiel: se alguém deseja o episcopado, excelente obra deseja. (I Timóteo 3:2) – Convém, pois, que o bispo seja irrepreensível, marido de uma mulher, vigilante, sóbrio, honesto, hospitaleiro, apto para ensinar; (I Timóteo 3:3) – Não dado ao vinho, não espancador, não cobiçoso de torpe ganância, mas moderado, não contencioso, não avarento; (I Timóteo 3:4) – Que governe bem a sua própria casa, tendo seus filhos em sujeição, com toda a modéstia (I Timóteo 3:5) – (Porque, se alguém não sabe governar a sua própria casa, terá cuidado da igreja de Deus?); (I Timóteo 3:6) – Não neófito, para que, ensoberbecendo-se, não caia na condenação do diabo. (I Timóteo 3:7) – Convém também que tenha bom testemunho dos que estão de fora, para que não caia em afronta, e no laço do diabo.”.

Dentre as qualificações relacionadas por Paulo, qual não daria condições para ele se autodenominar apóstolo?

As duas últimas mencionadas que são: “Não neófito, para que, ensoberbecendo-se, não caia na condenação do diabo. (I Timóteo 3:7) – Convém também que tenha bom testemunho dos que estão de fora, para que não caia em afronta, e no laço do diabo.” Pela condição de usar o título apóstolo já indica um grau de soberba religiosa e outra qualificação importantíssima é “não ser neófito”, isto é, não pode ser uma pessoa com poucos anos de vida cristã que venha assumir um compromisso de líder de um grupo evangélico.

E como vê o irmão essa ligação do tridente do USO com sua interpretação que tem ligação com o demônio? Teria base bíblica?

Não. O tridente nada mais é do que mitologia da idade média. Usava-se a figura do Diabo como um ser com corpo escamoso, vermelho, chifres na cabeça, rabo, com um tridente espetando pessoas e jogando-as no fogo do inferno. Imagine se essa figura terrível não iria amedrontar qualquer pessoa? Mas, não é desse modo que o Diabo ganha seguidores. Ele é tão sagaz que a Bíblia declara que ele se apresenta como anjo de luz. (II Corintios 11:13) – “Porque tais falsos apóstolos são obreiros fraudulentos, transfigurando-se em apóstolos de Cristo. (II Corintios 11:14) – E não é maravilha, porque o próprio Satanás se transfigura em anjo de luz.” Aí está a estratégia de o Diabo agir: como “anjo de luz”. A outra colocação desse apóstolo não passa de meninice espiritual: imagine recomendar o uso da cor azul porque era a cor dos olhos de Jesus. De novo infantilidade. Quem pode afirmar que Jesus tivesse olhos azuis.

Essas esquisitices proibitivas seriam conseqüências de pouco conhecimento bíblico?

Só pode ser. Se esse apóstolo tivesse lido o que recomendou o apóstolo ao escrever que não fosse além do que está escrito não cairia nesse ridículo de ser motivo de chacota para outros. (I Corintios 4:6) – “E eu, irmãos, apliquei estas coisas, por semelhança, a mim e a Apolo, por amor de vós; para que em nós aprendais a não ir além do que está escrito, não vos ensoberbecendo a favor de um contra outro.” Aqui a recomendação: não ir além do que está escrito e esse apóstolo não observou essa recomendação de Paulo. Já é tempo desse apóstolo crescer um pouco biblicamente. Mais um conselho para o apóstolo (II Pedro 3:18) – “Antes crescei na graça e conhecimento de nosso Senhor e Salvador, Jesus Cristo. A ele seja dada a glória, assim agora, como no dia da eternidade. Amém.”

* Pela internet com data de 13 de dezembro de 2010


Cada autor é responsável pelo conteúdo do artigo.

Deixe seu comentário

Advertisement