- CACP – Ministério Apologético - http://www.cacp.org.br -

As Crenças e os Pilares do Islamismo

CRENÇAS DO ISLAMISMO

UM SO DEUS

O islamismo é uma religião monoteísta. Maomé proclamou que só Alá é Deus; outros ídolos não de­vem ser adorados. Os muçulmanos rejeitam o concei­to cristão da Trindade.

O PROFETA DE DEUS

Os muçulmanos acreditam que Deus enviou mui­tos profetas às nações para ensinar seus caminhos aos homens que estavam andando errado. Maomé é con­siderado o maior e o último profeta de Deus, sendo Jesus o segundo, depois de Maomé. Outros profetas importantes são: Adão, Noé, Abraão e Moisés. Acredi­ta-se que a cada profeta foram entregues livros, mas a palavra final autorizada, a revelação, veio exclusivamente a Maomé: o Alcorão.

O LIVRO DOS LIVROS

Os muçulmanos acreditam que Deus falou e deu alguns livros aos seus profetas. No Alcorão (de Maomé) há referências à Torah (de Moisés), ao Suhuf (folhas ou livros dos profetas), ao Zabur (Salmos de Davi) e ao Injil (o Evangelho de Jesus).

A RESSURREIÇÃO E O JULGAMENTO

Acreditam os muçulmanos que um dia a trombeta soará e os mortos ressuscitarão e serão julgados por seus feitos. Creem, ainda, no paraíso e no inferno. Todavia, nada dizem sobre onde estarão até o dia do julgamento. Apenas aos que morreram assassinados, como mártires, nas batalhas pelo islamismo é concedi­do o acesso imediato ao paraíso. Deus tem o absoluto direito de enviar qualquer indivíduo para qualquer lu­gar que lhe agrade.

OS ANJOS

Os muçulmanos acreditam que Deus criou os anjos sem pecado. Nas Tradições (uma série de livros) esses seres celestiais são vistos em várias posições. Alguns deles vivem em adoração a Deus, outros intercedendo pelos muçulmanos e há aqueles que ajudam nas bata­lhas, cuja missão é matar. Ainda nas Tradições, apare­cem quatro anjos: Gabriel, Miguel, Israil, o anjo da morte, e Israfil, o anjo que tocará a trombeta no último dia para acordar a morte. Gabriel trouxe a mensagem de Deus diretamente a Maomé. O Alcorão também atribui a Gabriel o aparecimento à Virgem Maria anun­ciando que ela teria um filho.

OS CINCO PILARES DO ISLÃ

Os dogmas básicos do Islã são chamados de os cinco “pilares”, obrigações primarias.

O primeiro pilar é o credo ou “Shahada”. Todos os muçulmanos têm de recitar: “Não há outro Deus se­não Alah e Maomé é o seu profeta”.

O segundo pilar é o da oração; ou seja, a “Salat”. Deve-se orar cinco vezes ao dia, seguindo um ritual de posturas corretas. Todos os muçulmanos de­vem executar essa tarefa.

O terceiro pilar é a taxa religiosa, conhecida como “Zakat”. Espera-se que todo muçulmano doe,

todos os anos, uma porcentagem de seus bens como uma cons­tante lembrança de que há outras pessoas no mundo que possuem menos do que eles. A “Zakat” serve para ajudar os menos afortunados entre eles.

O quarto pilar é o jejum, ou “Sawn”. É realizado no nono mês e chamado de Ramadã. Os muçulmanos seguem o calendário lunar. A cada ano o Ramadã ocor­re em meses diferentes no calendário solar. O jejum vai do nascer ao pôr-do-sol. Os muçulmanos não co­mem, nem bebem. Fumar, ter relações sexuais, pra­guejar ou irar-se é proibido. Os fiéis são encorajados a usar o mês do jejum para uma aproximação de Deus. E, com isso, renovarem suas forças espirituais.

O quinto pilar é a peregrinação a Meca, ou “Hajj”. Todo muçulmano que tenha recurso para isso e que não esteja doente deve fazer a Hajj. E um tempo em que todos são considerados iguais diante de Deus, in­dependente da sua posição social ou financeira. Como parte do processo de purificação, participar da peregri­nação eleva seu status social.

————-

REVISTA DEFESA DA FÉ – ANO 5 – N° 35

[1] [2]Compartilhar [3]