Esqueceu a senha?

As mulheres do Senador

por Pr. Natanael Rinaldi - sex set 07, 9:20 pm

A revista VEJA edição de janeiro de 2011 nas páginas 110/113 traz a notícia de um filme com o título Big Love (traduzido para o português) para O GRANDE AMOR que conta a história de uma família mórmon composta de quatro pessoas: um marido com três mulheres. Diz mais a revista VEJA que “Na temporada final de Big Love, o herói da série chega ao Congresso causando barulho: admite publicamente que, como fiel de uma dissidência mórmon, pratica a poligamia.” O herói da série Big Love acaba de ser eleito senador… “Após sua eleição, o novo congressista revelou sua peculiar condição doméstica: vive em ‘casamento plural’ – eufemismo para a prática da poligamia entre as seis mórmons fundamentalistas.”

PR. NATANAEL: Como se deu início a essa prática da poligamia nos Estados Unidos?

A própria revista ora comentada indica que a poligamia teve início com Joseph Smith. Diz a revista: “O primeiro polígamo mórmon foi o fundador da religião”. Joseph Smith (1805-1844) dizia ter recebido a orientação divina do direito ao ‘casamento plural’ quando já acumulava dezenas de mulheres. E prossegue a revista informando mais a respeito: “Há coincidências entre sua trajetória e a do herói de Big Love”. Smith arriscou-se também na política – em 1844, foi candidato derrotado à Presidência dos Estados Unidos. Ele foi aos poucos perdendo o pudor de se exibir publicamente com seu harém, o que ajudou a alimentar o ódio popular que redundaria no seu assassinato por uma multidão enfurecida, aos 38 anos.

PR. Quer dizer que o primeiro a praticar a poligamia foi o próprio fundador do mormonismo? E como isso se deu?

Há um livro entre os mórmons que ainda está em uso como livro padrão e que contém revelações supostamente recebidas por Joseph Smith.

Na seção 132 do livro ele justifica a prática da poligamia contando uma revelação que ele diz ter recebido de Jesus. Vou ler: “REVELAÇÃO através de Joseph Smith, o Profeta, em Nauvoo, Estado de Illinois, e registrada no dia 18 de julho de 1843. referindo-se ao novo e eterno convênio, incluindo a eternidade do convênio do casamento e a pluralidade de esposas.”

No capítulo 1 e versículo primeiro desse livro está escrito: “Na verdade, assim te diz o Senhor, Meu servo Joseph, sendo que Me procuraste e pediste que pudesse saber e compreender como Eu, o Senhor, justifiquei aos Meus servos Abraão, Isaque e Jacó, assim como a Moisés, Davi e Salomão, no que diz respeito ao princípio e doutrina de terem “muitas esposas e concubinas – 2”. Eis que Eu o Senhor teu Deus, e te responderei quanto a esse assunto. 34.

Portanto prepara o teu coração para receber e obedecer às instruções que estou prestes a te dar; pois todos a quem esta lei é revelada devem obedece-la. 4. Pois eis que Eu te revelo um novo e eterno convênio. E se não o obedeceres, então serás condenado; pois a ninguém é permitido rejeitar este convênio e entrar na Minha glória.”.

E nessa “revelação” que ele supostamente recebeu do Senhor Jesus estabelecia quantas mulheres o homem podia ter?

Sim. No versículo 61 estabelece, E novamente, no tocante à lei do sacerdócio, se um homem desposar um virgem e desejar desposar outra, e a primeira o consentir, e, se ele desposar a segunda, e elas forem virgens, e não se tiverem comprometido a nenhum outro homem, então ele será justificado;… 62. “E, se dez virgens lhe forem dadas por esta lei, ele não está cometendo adultério, pois elas lhe pertencem, e lhe são dadas; portanto, ele estará justificado.”

Mas eu pergunto: Jesus nos seus ensinos não confirmou a monogamia ensinada no livro de Gênesis 2.24 – um homem e uma só mulher e não dez?

Sim. Isso nós lemos em (Mateus 19:4) – “Não tendes lido que aquele que os fez no princípio macho e fêmea os fez, (Mateus 19:5) – E disse: Portanto, deixará o homem pai e mãe, e se unirá a sua mulher, e serão dois numa só carne? (Mateus 19:6) – Assim não são mais dois, mas uma só carne. Portanto, o que Deus ajuntou não o separe o homem.” E isso é repetido pelo apóstolo Paulo (Efésios 5:31) – “Por isso deixará o homem seu pai e sua mãe, e se unirá a sua mulher; e serão dois numa carne. (Efésios 5:32) – Grande é este mistério; digo-o, porém, a respeito de Cristo e da igreja. (Efésios 5:33) – Assim também vós, cada um em particular, ame a sua própria mulher como a si mesmo, e a mulher reverencie o marido.”.

Então esse “jesus” dos mórmons não deve ser o mesmo Jesus da Bíblia. Porque enquanto lá pelos idos dos anos 30 a 33 A D, quando Jesus viveu aqui na terra durante o seu ministério, ele ensinou que cada homem tivesse uma só mulher e como depois, em 1843, ele aparece a Joseph Smith e lhe revela que um homem pode casar-se até com 10 esposas?

Realmente, o “jesus” dos mórmons não é o Jesus da Bíblia. Os mórmons ensinam que Jesus, antes de tomar forma humana, lá no céu, ele tinha um irmão chamado Lúcifer. Certamente, não era o Jesus que João descreve em (João 1:1) –“NO princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. (João 1:2) – Ele estava no princípio com Deus. (João 1:3) – Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez.”.

Ainda uma pergunta me ocorre. Nessa ocasião que Smith teve essa “revelação” recebida de Jesus ele era casado?

Como sua esposa reagiu à hipótese de conviver com mais nove esposas ao seu lado na mesma casa?
O “jesus” mórmon não se esqueceu desse pormenor. Deu também instruções a Joseph Smith para transmitir à sua esposa. Vou ler, no versículo 53 estão registradas as instruções de Jesus para ela: ”E que a Minha serva Emma Smith receba todas as que foram dadas ao Meu servo Joseph e que são virtuosas e puras perante Mim, e as que não são puras, e disserem ser puras, serão destruídas, diz o Senhor Deus.”.

E se ele podia viver com mais nove esposas ao lado de sua esposa Emma, ela também não poderia receber também nove maridos ao lado dele?

Mas isso foi proibido segundo revelação que ele recebeu nesse sentido. No versículo 54 lemos a ordem: “E mando que a Minha serva, Emma Smith permaneça com o Meu servo Joseph, apegando-se a ele e a nenhum outro. Mas, se ela nagô guardar este mandamento, será destruída, diz o Senhor; pois sou o Senhor teu Deus, e a destruirei se ela não guardar a Minha lei.”.

Que idéia o irmão faz de Joseph Smith: seria um profeta verdadeiro ou falso?

O que ensinou Jesus sobre o meio de reconhecer um profeta se verdadeiro ou não? (Mateus 7:15) – “Acautelai-vos, porém, dos falsos profetas, que vêm até vós vestidos como ovelhas, mas, interiormente, são lobos devoradores. (Mateus 7:16) – Por seus frutos os conhecereis. Porventura colhem-se uvas dos espinheiros, ou figos dos abrolhos? (Mateus 7:17) – Assim, toda a árvore boa produz bons frutos, e toda a árvore má produz frutos maus. (Mateus 7:18) – Não pode a árvore boa dar maus frutos; nem a árvore má dar frutos bons. (Mateus 7:19) – Toda a árvore que não dá bom fruto corta-se e lança-se no fogo.” Quem poderia crer que Joseph Smith foi um profeta verdadeiro?


Cada autor é responsável pelo conteúdo do artigo.

Deixe seu comentário

Advertisement