Esqueceu a senha?

As obras da (CPAD) apoiam a guarda do sábado?

por Itard Víctor Camboim de Lima - qui fev 19, 12:01 am

Por não aceitarem a verdade que liberta, alguns membros da Igreja Adventista do Sétimo Dia (IASD) tentam de todas as formas, ainda que sem sucesso, defenderem a guarda do sábado dado somente ao povo hebreu. E em meio as tentativas frustradas, usam todo tipo de artifícios que lhes venham em mente, ainda que os tais meios não os favoreçam. Uma das artimanhas dos adventistas é usar obras das denominações evangélicas para passar uma imagem que o cristão precisa guardar o quarto mandamento. Só que, quando as citam, citam de forma descontextualizada, pois caso fizessem a forma justa, poderiam se auto-refutarem uma vez que elas não apoiam a crença adventista. Abaixo veremos como eles usaram duas Bíblias lançadas pela CPAD, e em seguida faremos a refutação.

cpad 01

Percebam que o sabatista cita o comentário de Gn 2:3 da Bíblia Pentecostal (BP), e de forma isoladíssima conclui que a Igreja Assembleia de Deus apoia a crença de Ellen Gould White,profetisa e cofundadora desse movimento heterodóxo. Todavia, precisamos ver outros comentários dessa mesma Bíblia para podermos entender que o que houve por parte do sabatista foi uma injustiça intelectual.

Observem que no fim do comentário o autor da BP indica alguns versículos para corroborar o seu raciocínio, e entre os versos temos Mt 12:1, e é justamente no comentário que há no mesmo que mostraremos qual a visão que o comentarista tem sobre a guarda do sábado. Ele disse:

O sábado semanal (gr. sabbaton, significa “repouso” e “cessação”) era o sétimo dia da semana, separado pela lei de Moisés como dia de descanso do trabalho normal, para repouso pessoal e adoração ao Senhor (Êx 20:10; Dt 5:14; ver Êx 20:8 nota). Para o cristão, o sábado judaico já não é obrigatório. As exigências cerimoniais da lei foram canceladas na morte de Cristo (Cl 2:14-16;Rm 14:5-6;Gl 4:9-11). Além disso, o sábado como dia fixo semanal de descanso foi parte do pacto entre Deus e Isaque, somente (Êx 31:13-17; Ez 20:12-20). Os cristão observam o domingo como dia de repouso pessoal e adoração ao Senhor. É o dia em que Jesus ressurgiu dentre os mortos, sendo chamado no NT de “o dia do Senhor”. Uma vez que o cristão não é mais obrigado a observar o sábado judaico, ele tem fortes razões bíblicas para dedicar um dia ,em sete, para seu repouso e adoração a Deus. (Bíblia de Estudo Pentecostal. Tamanho médio, p. 1409-1410). CPAD.

Perceberam como o comentarista desqualifica a guarda obrigatória do sábado cerimonial? Vamos a segunda informação passada pelo sabatista.

cpad 2

Mais uma vez é possível ver o tamanho da falta de intelectualidade acadêmica, pois a intenção do autor autor da Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal é a mesma do da BP, ou seja, ambos quando comentaram o texto do Gênesis apenas disseram o que defendemos, ou seja, que o sábado era um dia de adoração a Deus dado apenas ao seu povo. Vejamos o que ele disse:

20.8-11  O sábado era um dia reservado ao descanso e à adoração. Deus ordenou uin “sábado” porque o ser humano precisa passar um tempo tranqüilo em adoração e descanso a cada semana. O Deus que se preocupa até mesmo em dar nos um dia semanal para descansar é realmente maravilhoso, e observar um dia regular em nosso mundo agitado demonstra como Ele é importante para nós, além de termos o benefício de renovar o nosso espirito.

Como cristãos, não temos mais necessidade de observar o sábado como o faziam os judeus. Estes, induzidos por suas tradições que nenhum compromisso tinham com a reta justiça de Deus acabaram por transformar o sábado num fardo insuportável. Veio Jesus, porém, e declarou-se Senhor até do sábado (Mt 12.8). Ele afirmou, ainda, que o sábado foi estabelecido por causa do homem, e não o homem por causa do sábado (Mc 23.27). O que isto significa? Em primeiro lugar, que Deus destacou um dia especial para o homem descansar de suas fadigas, e dedicar todo esse dia para adorar o Criador. Infelizmente, ha muitos cristãos que se deixam escravizar pelo sábado como o faziam os fariseus. Atentemos a esta advertência de Paulo: ‘ Portanto, ninguém vos julgue pelo comer, ou pelo beber, ou por causa dos dias de festa, ou da lua nova, ou dos sábados” (Cl 2.16). Com a ressurreição rio Senhor Jesus no primeiro dia da semana, os cristãos passaram a dedicar este dia como o seu período regular de adoração (Mt 28.1: At 20.7; 1 Co 16.2). Por conseguinte, dediquemos este primeiro dia da semana, que é  o domingo, conhecido também como o Dia do Senhor, para o dedicarmos inteiramente ao culto divino. Não deixemos que o ativismo, ou a ânsia de ganhar dinheiro, privem-nos deste período regular de adoração. Não nos esquecendo, é claro, das outras atividades da igreja local durante a semana. (Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal, p. 112. CPAD. Grifo nosso).

Portanto, podemos dizer que o placar foi d e 2×0 para a verdade. A verdade sempre vem à tona quando a procuramos de forma adequada. Faço as palavras de Cirilo de Jerusalém as minhas:

“Não ceda de forma alguma ao partido dos Samaritanos, ou aos Judaizantes: por Jesus Cristo de agora em diante foste resgatado. Mantenha-se afastado de toda observância de Sábados, sobre o que comer ou como se purificar. Mas abonime especialmente todas as assembleias dos perversos heréticos” (São Cirilo de Jerusalém. Carta 4, 37)


Cada autor é responsável pelo conteúdo do artigo.

Deixe seu comentário

Comentários fechados neste artigo.

Advertisement