- CACP – Ministério Apologético - http://www.cacp.org.br -

Autor de ‘Os versos satânicos’ chega aos 70 anos

Salman Rushdie publica livro que causa ameaça de morte pelo Islã radical

Em 1989, sentença do aiatolá Khomeini, líder da Revolução Religiosa do Irã, obriga o escritor britânico a viver escondido. Autor de ‘Os versos satânicos’ chega aos 70 anos

O romance “The satanic verses” (“Os versos satânicos”), do escritor britânico de origem hindu islâmica Salman Rushdie, publicado na Inglaterra em 1988, comparava as três mulheres do profeta Maomé a prostitutas e chamava o fundador do islamismo por um nome depreciativo, atraindo a ira dos muçulmanos. Na Grã-Bretanha, imigrantes islâmicos queimaram exemplares do livro, que foi proibido em diversos países e motivou protestos na Índia e no Paquistão.

O pior viria do Irã do aiatolá Khomeini, que condenou Rushdie à morte em 1989 e prometeu o céu a quem cumprisse a sentença. Se o assassino sobrevivesse, teria um prêmio que se acumulou até a US$ 86 milhões. A ameaça estendia-se a quem publicasse o livro.

Rushdie e a família tiveram que se esconder, protegidos pela Scotland Yard. Bombas incendiárias e ameaças fizeram as livrarias retirarem o livro das prateleiras. Editoras cancelaram sua publicação em todo o mundo. Iranianas iam às ruas pedindo a execução do escritor, anunciava-se a chegada de comandos à Europa para executar a fatwah (condenação sagrada à morte) e, apesar dos protestos de países e intelectuais, a sentença do aiatolá não foi retirada até sua morte. Khomeini e sucessores foram pressionados até por correntes muçulmanas que ressaltavam a oposição de sua fé ao assassinato.

Nascido em Bombaim, na Índia, no dia 19 de junho de 1947, no ano em que o país se tornou independente do Reino Unido, Rushdie viveu anos em esconderijos, perdeu a mulher e os filhos e não conseguia mais editores. Chegou a pedir desculpas e aderir à religião islâmica tentando se livrar da condenação. Com os anos, publicou outros livros e se aventurou em aparições públicas, sob proteção policial. Em 1993, Bono o levou ao palco durante turnê do U2. Em 1998, foi convidado especial da Feira do Livro de Frankfurt.

A sentença de Khomeini se manteve embora tenha perdido o caráter político quando, em 1998, o governo do Irã declarou que estava se dissociando da fatwah. Com a medida política, visando a reaproximar o Irã da Europa, Rushdie disse crer que sua vida já não corria tanto perigo. Desde então, “The satanic verses” foi publicado em vários países, inclusive o Brasil, em 1998.

Brasil. Salman Rushdie, ameaçado de morte por seu livro “Os versos satânicos”, participa da Flip, em 2010

Extraído do site do OGlobo em 20/06/2017

[1] [2]Compartilhar [3]