Esqueceu a senha?

Batismo em nome de quem?

por Pr. Natanael Rinaldi - sáb maio 06, 12:28 pm

Pergunta: Uma pessoa visitou a Igreja Evangélica da Paz, assistiu um culto de batismo, e nos perguntou qual é a fórmula corretado do batismo: Batizar em nome de Jesus, ou em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo? A dúvida surgiu por que ela recebeu dias antes um folheto que dizia: “Qual é a tua situação? Porventura já foi batizado em nome de Jesus, para remissão dos teus pecados?” O Pastor poderia nos esclarecer esse assunto?

Resposta: Quero primeiramente esclarecer que o folheto em apreço afirma: “A ordem dada aos apóstolos não era para pronunciar as palavras Pai, Filho e Espírito Santo, e sim batizar em nome”. Daí afirmamos que esse grupo religioso, que declara conhecer a verdade e não ter medo dela, está alterando a Bíblia ao afirmar que é para se batizar “em nome” e não em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo, como se lê claramente em Mateus 28.19. Alteram a Bíblia retirando “em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo” para simplesmente “em nome” sem dizer que nomes são esses. Isso é um raciocínio falho.

Pergunta: Nos dias de Jesus existiam grupos religiosos que também batizavam, ou além de Jesus só João Batista batizava nas águas?

Resposta: Sim, existiam grupos religiosos que batizavam seus adeptos, a história assim testemunha. Esses batismos levavam o nome da pessoa que se tornara líder. No caso de João Batista, o batismo que ele ministrava era conhecido como “o batismo de João”, isso não significava a fórmula do batismo, mas indicava que a autoridade para ministrar o batismo de arrependimento vinha de João. Repetimos para deixar bem claro: não se tratava de fórmula, mas sim da autoridade de quem partia a ordem para batizar.

Pergunta: Como o Pastor explica a passagem de Atos 2.38, onde Pedro recomenda batizar em nome de Jesus? Algumas igrejas se apegam a esse texto para ensinar que o batismo deve ser realizado só em nome de Jesus.

Resposta: Devemos notar que era a primeira vez que a mensagem de Cristo ressuscitado estava sendo proclamada à nação de Israel. Para os judeus isso era uma coisa nova, de maneira que quando Pedro fez referência à necessidade de batizar-se, a pergunta lógica que devem ter feito era: “Com qual batismo? Algum batismo da lei? Algum batismo de prosélitos? O batismo de João? Prevendo a confusão, Pedro especificou o batismo que deviam receber: Batizar-se em nome de Jesus Cristo, isto é, o batismo que se deriva da autoridade que Jesus Cristo deixou aos apóstolos, o batismo que tinha por fórmula “em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo” (Mateus 28.19), aquela mesma fórmula que Cristo instituiu.

Pergunta: Quer dizer então que Pedro não estava anunciando uma fórmula batismal, quando afirmou que os queriam batizar-se deviam fazê-lo em nome de Jesus?

Resposta: Não, não se tratava de fórmula batismal. Pedro estava adotando para o batismo o costume de fazer uso do nome do fundador. Da mesma forma que o batismo de arrependimento chegou a denominar-se “batismo de João” por ter sido ele quem o ensinou, agora o batismo cristão, devia referir-se a quem deu a autoridade para batizar, isto é, Jesus Cristo, pois foi ele quem o instituiu.

Pergunta: O que dizer de outras passagens bíblicas que falam do batismo em nome de Jesus, como Atos 3.16; 10.48 e 19.5?

Resposta: Quero repetir: em nenhuma dessas passagens se trata da fórmula batismal que se emprega no ato do batismo, mas tão somente é uma referência à autoridade de quem ordenou que se batizasse. Não é possível admitir-se que Pedro contradissesse Jesus, sendo seu discípulo, pois Jesus mandou que se batizasse em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo. Como poderia Pedro, dez dias depois de Jesus ser elevado para o céu, batizar de modo diferente?

Pergunta: Qual a diferença entre fórmula batismal e autoridade para realização do batismo?

Resposta: Fórmula é um modelo que contém as palavras em que uma coisa deve ser feita. Com respeito ao batismo, a fórmula deve ser um modelo invariável, que tenha as palavras que devem ser pronunciadas durante o batismo. É como na matemática ou na química, que não pode admitir-se a inclusão de alguma alteração que possa mudar os resultados da fórmula. Não é o caso das passagens que falam do nome de Jesus. Vejamos a diferença das passagens empregadas por aqueles que defendem o batismo em nome de Jesus:

Em Atos 2.38 se lê “em nome de Jesus Cristo”

Em At 8.16 se lê “em nome do Senhor Jesus”

Em Atos 10.48 se lê “em nome do Senhor”

Em Atos 19.5 se lê “em nome do Senhor Jesus”

Então nós temos Pedro, em Atos 2.38, dizendo que o batismo deve realizar-se em nome de Jesus Cristo, ao passo que em Atos 10.48 menciona ele apenas “em nome do Senhor”. Já Atos 8.16 fala que eram os samaritanos batizados em nome ao Senhor Jesus, o que ocorre também em Atos 19.5.

Pergunta: Quer dizer então que não se trata efetivamente de fórmula batismal, mas sim da autoridade de quem mandou ministrar o batismo?

Resposta: Sim, pois do contrário ficaria a pergunta: qual a fórmula correta, se se tratasse de fórmula batismal, em nome de Jesus Cristo ou em nome do Senhor, ou em nome de Senhor Jesus, três diferentes expressões.

Pergunta: E os chamados “pais da Igreja” afirmaram alguma coisa sobre a fórmula batismal?

Resposta: Sim, falaram. Vou mencionar alguns dos chamados pais da Igreja:

IRINEU, cristão do ano 190, escreveu o seguinte: “Temos recebido o batismo… em nome de Deus, o Pai, em nome de Jesus Cristo, o Filho de Deus que se encarnou e morreu e ressuscitou dos mortos e em nome do Espirito Santo de Deus” (citado por J. N. D. Kelly in “Early Christian Doctrines”, N.Y., Harper & Row, 1958, p. 193).

O DIDAQUÊ , ou o Ensino dos Doze Apóstolos, que apareceu por volta do ano 110, afirma: Agora concernente ao batismo, batizai desta maneira: depois de dar ensinamentos primeiramente de todas estas coisas, batizai em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo”. E mais adiante declara: “O bispo ou o presbítero deve batizar desta maneira, conforme o que mandou o Senhor Jesus, dizendo: “Ide e fazei discípulos de todas as nações, batizando-as em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo” (citado Por Walker, Luisa Jeter, “Qual o Caminho?”, Miami, Editorial Vida, 1980, p. 277).

JUSTINO MÁRTIR, escrevendo no ano 165, afirma que com relação aos novos convertidos “são trazidos a um lugar onde existe água, e recebem de nós o batismo nas águas, em nome do Pai, Senhor do Universo, e de nosso Salvador Jesus Cristo e do Espírito Santo” (idem).


Cada autor é responsável pelo conteúdo do artigo.

7 Comentários

Comentários 1 - 7 de 7Primeira« AnteriorPróxima »Última
  1. o batismo “em nome de Jesus” foi assim chamado para diferenciar do “batismo de João batista”, mas a formula batismal do “batismo em nome de Jesus” prevalece o mesmo “em o Nome do Pai, Filho e do Espirito Santo”.

    1. e pensar que tem gente que até criou seitas unicistas usando erroneamente a expressão “batismo em o Nome de Jesus” .

  2. Muito esclarecedor este estudo. Não resta dúvida a respeito do batismo ordenado pelo Senhor! Aqueles que batizam de outra maneira devem rever seus conceitos!

  3. Vejam a referencia ao batismo de João: O batismo de João era do céu ou dos homens? respondei-me. Marcos 11:30 – Esta palavra, vós bem sabeis, veio por toda a Judéia, começando pela Galiléia, depois do batismo que João pregou; Atos 10:37

  4. – Eu creio que o Batismo é em nome de Jesus. E não vejo contradição com a ordem de Jesus(que deve ser analisado gramaticalmente) e nem tão pouco com a veracidade da trindade nas Escrituras. 

    1. Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, Mateus 28:19

      o batismo em nome de Jesus, assim foi chamado para diferenciar do batismo de João, é explicito o correto da formula trindade de Mt. 28:19.

  5. Muito claro, esse é o verdadeiro batismo ordenado pelo próprio Jesus e registado nas sagradas escrituras.

Comentários 1 - 7 de 7Primeira« AnteriorPróxima »Última

Deixe seu comentário

Advertisement