Esqueceu a senha?

Che Guevara foi um santo?

por Pr. Natanael Rinaldi - ter set 16, 8:46 am

che-guevara

Pergunta: Por incrível que pareça, Frei Betto considera Che Guevera um santo. Foi o que publicou o Estado de S. Paulo*. Que diz o irmão?

Resposta: As razões que Frei Betto apresenta para justificar sua opinião são as seguintes: “No evangelho, Jesus diz que ninguém tem mais amor do que aquele capaz de morrer pelo próximo”. E prossegue Frei Betto: “Nesse sentido, Che foi um santo, que lutou para que o torturador deixasse de ser torturador, o opressor deixasse de ser opressor e o milionário deixasse de ser milionário. Ele não queria que essa gente morresse, mas sim que se libertasse”.

 

Pergunta: Mas é correto esse modo de pensar? Ora, nós todos sabemos que Che Guevara foi um revolucionário que lutou ao lado de Fidel Castro contra o regime de Fulgêncio Batista e que Fidel, depois de alguns anos no poder, manifestou sua simpatia pelo comunismo, e que todos os ideais da revolução cubana, para acabar com a corrupção do governo anterior, foram abandonados. Estou historicamente certo?

Resposta: Sem dúvida. Historicamente certo. E convém acrescentar que os amigos de Fidel Castro, que lutaram ao seu lado, como Huber de Mattos e Armando Valadares, entre muitos outros, quando no fim do ano de 1961 Fidel se declarou comunista, esses homens foram acusados de anti-revolucionários e foram condenados a 30 anos de prisão, sem a menor chance de defesa, submetidos a torturas e toda sorte de violências por se negarem abjurar suas crenças.

 

Pergunta: Mas voltando ao nosso ponto principal, porque não somos políticos e nem nos interessamos por política, está correta a citação das palavras de Jesus feita por Frei Betto?

Resposta: Muito mal aplicadas essas palavras de Jesus por Frei Betto. O que Jesus disse realmente, e que ele citou distorcidamente, é o seguinte: “Ninguém tem maior amor do que este: de dar alguém a sua vida pelos seus amigos” (Jo. 15.13). Esse alguém que deu a sua vida pelos seus amigos e até inimigos foi Jesus Cristo. Paulo escreveu: “Porque se nós sendo inimigos, fomos reconciliados, com Deus pela morte de seu Filho, muito mais, estando já reconciliados, seremos salvos pela sua vida” (Rm. 5.10). Jesus, durante o seu ministério, fez várias declarações que viera para servir e dar a sua vida em resgate de muitos: “Bem como o Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir e para dar a sua vida em resgate de muitos” (Mt. 20.28). Che Guevara foi um mártir que morreu por um ideal revolucionário. Jesus não foi um mártir, Ele disse: “…dou a minha vida para tornar a tomá-la. Ninguém ma tira de mim, mas eu de mim mesmo a dou” (Jo. 10.17-18). Quando Pedro quis defendê-lo e cortou a orelha do servo do sumo sacerdote, Jesus colocou a orelha no lugar e disse a Pedro que metesse a sua espada na bainha, afirmando em seguida: “Ou pensas tu que eu não poderia agora orar a meu Pai, e que eis que ele me daria mais de doze legiões de anjos? Como se cumpririam as Escrituras, que dizem que assim convém que aconteça?” (Mt. 26.53-54). Diante de Pilatos, disse Jesus: “O meu reino não é deste mundo: se o meu reino fosse deste mundo, pelejariam os meus servos, para que eu não fosse entregue aos judeus, mas agora o meu reino não é daqui” (Jo. 18:36).

Pergunta: Que outras diferenças mais oirmão poderia explicar entre a morte de Jesus e a morte de um líder revolucionário que veio a morrer, mas também matou?

Resposta: Se o Frei Betto admite que Guevera foi um santo e quer uma religião de mártir, esqueça-se de Jesus e tome Frei Caneca ou Tiradentes como seu ideal. São mártires nacionais, e mártires da democracia. Há duas vastas diferenças entre o Filho de Deus e os mártires. A primeira diferença é na pessoa. Todos os homens revolucionários eram apenas homens pecadores, sem exceção. Nenhum morreu na capacidade que Jesus morreu por nós. E, por causa dessa diferença abismal, nenhum deles ressuscitou. A outra diferença é que eles eram carregados de seus próprios pecados e não morreram para expiar o pecado do mundo.

 

Pergunta: Frei Betto declara ainda que Guevera queria que os homens se libertassem. Quem oferece a verdadeira liberdade aos homens de todas as nações?

Resposta: A verdadeira liberdade só Jesus pode dar. Ele disse em Jo 8.32-36 que quem serve ao pecado é servo do pecado e se Ele libertasse o homem do pecado então o homem seria verdadeiramente livre. Isso é o evangelho que pregamos e que foi pregado por Paulo: “Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras e foi sepultado e ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras” (1Co. 15.3-4). Fora disso, é outro evangelho e outro evangelho é anatematizado por Paulo em Gl. 1.8-9. Lamentamos que um líder religioso como Frei Betto se tenha tornado num propagandista de regimes ditatoriais como o de Fidel Castro.

*Estado de S. Paulo na sua edição de 25 de agosto de 1997


Cada autor é responsável pelo conteúdo do artigo.

Deixe seu comentário

Comentários fechados neste artigo.

Advertisement