Esqueceu a senha?

Comentários sobre o Halloween

por Pr. Natanael Rinaldi - qui out 27, 11:05 am

 halloween-votives

Pergunta: Como o Pastor define essa festividade conhecida como Halloween?

Resposta: É uma festa onde tudo se identifica com o homenageado: a indumentária, o ambiente, os participantes, as alegorias. Daí surgiu o Dia das Bruxas, versão brasileira do Halloween, comemorado no dia 31 de outubro. Crê-se que nesse dia, à noite, Satanás e sus bruxas mostram um poder maior. Muitos cristãos lutam contra a comemoração desse dia, por ter ligação evidente com o ocultismo.Pergunta: Como o Pastor define essa festividade conhecida como Halloween?

 

Pergunta: O Halloween faz parte do folclore, ou da tradição brasileira?

Resposta: Não. O Halloween tem suas origens no antigo festival celta (irlandês, escocês e galês) da colheita, chamado Samhain (pronuncia-se so-uim), numa época que as pessoas acreditavam que os espíritos dos mortos vagavam pela terra. Como a intensidade do Sol diminuía com o início do inverno, as pessoas imaginavam que a noite era assombrada por fantasmas e bruxas, e mais particularmente pelos espíritos dos mortos, que visitavam os lares terrenos onde haviam morado.

Os celtas viveram há centenas de anos atrás, onde hoje é a Inglaterra e o norte da França. Eram idólatras animistas, pois adoravam a natureza e tinham o deus Sol como divindade favorita. Seus sacerdotes eram chamados druídas. Eram influentes guias espirituais, dados à magia e à feitiçaria. Os celtas criam que o ano novo deveria ser comemorado na última noite de outubro, pois o véu entre o nosso mundo e o mundo dos mortos se tornava mais frágil, sendo essa noite o tempo ideal para se comunicar com os que já partiram. Acreditavam que os espíritos dos mortos voltavam ao antigo lar, procurando algum contato com entes queridos. Se os vivos não providenciassem alimentos para esses espíritos, coisas terríveis lhes poderiam acontecer; e se não fosse oferecida uma festa nesta data, atormentariam os vivos. Seria uma noite de medo, pois os aldeões, amedrontados, acendiam fogueiras para honrar o deus Sol, sacrificando-lhe animais e oferecendo-lhe colheitas, porquanto temiam que os espíritos matassem seus rebanhos e destruíssem suas propriedades. Para confundir os espíritos, os aldeões usavam máscaras. Ofertavam seus sacrifícios em altares adornados com maçãs, simbolizando a vida eterna. O vinho era substituído pela sidra ou suco de maçã. Tudo isso misturado com muita música e dança. O Halloween está associado a esses rituais pagãos, reminiscências de superstições ocultistas.

 

Pergunta: Como foi que isso evoluiu para o que hoje é o Halloween?

Resposta: O ano novo celta ocorre em 1º de novembro, e coincide também com o ano novo para as bruxas wicca. Naquela época o primeiro dia de novembro era também o dia dos mortos. Muitas crenças e rituais foram associados a esse dia. Uma delas diz que os portões que separavam o mundo dos vivos e dos mortos eram abertos, a barreira entre esses dois mundos era posta abaixo, e as almas dos que haviam morrido durante o ano podiam entrar novamente no mundo que haviam deixado. Juntamente com a crença que os espíritos vagavam, surgiu também o hábito de preparar comidas especiais e vestir-se como esses espíritos e como animais selvagens.

 

Pergunta: Qual a origem da palavra “Halloween”?

Resposta: O dia 1º de novembro foi declarado pela igreja “Dia de Todos os Santos”, e o segundo “Dia de Finados”, porém muitas crenças e costumes tradicionais continuaram a ser praticados em 31 de outubro, véspera do Dia de Todos os Santos, que em inglês é Eve of All Hallows (a palavra inglesa ‘hallows’ é traduzida por ‘santos’. Da junção das três palavras inglesas All Hallows Eve surgiu Hallow Eve e em seguida o nome Hallow’en.

 

Pergunta: A igreja se manifestou em algum momento sobre o Halloween?

Resposta: Nos seus primórdios, a igreja adotou e acomodou as crenças e práticas religiosas daqueles que buscava converter. O Dia de Todos os Santos foi reconhecido pelo Papa Gregório IV em 835 d.C. e incluído no antigo calendário da igreja, para homenagear todos os santos que não tivessem uma data específica para serem celebrados. Por volta de 900 d.C., a igreja reconheceu que o Dia de Todos os Santos não suplantara os costumes pré-cristãos. O dia 2 de novembro foi guardado em reconhecimento à alma de todos os fieis que morreram durante o ano anterior. A igreja também redefiniu a crença que os espíritos do Samhain deveriam ser considerados maléficos. Além disso, instituiu que os deuses e outros seres espirituais das religiões, até aquele momento considerados tradicionais, eram fraudes diabólicas, passando a ensinar que as forças espirituais com as quais as pessoas tinham contato eram reais manifestações do demônio, príncipe das dissimulações, que levava as pessoas a se perder no caminho da adoração a falsos deuses. Com o início da Reforma Protestante em 31 de outubro de 1517, a importância dos feriados religiosos começou a diminuir. Entretanto, alguns costumes foram reinterpretados, receberam novos significados, chegando ao extremo oposto das antigas noites de terror serem  transformadas em ocasiões festivas, especialmente para jovens e crianças.

 

Pergunta: As pessoas então se preparavam para receber a visita desses espíritos que vagavam?

Resposta: Sim. Além das vestimentas, preparavam comidas especiais: pães de aveia, pão doce irlandês com passas, manjar escocês de aveia e pudim de batatas – observe que são pratos que não fazem parte da culinária brasileira usualmente. Dentro desses alimentos colocam surpresas, como amuletos de sorte ou de adivinhação do futuro, representados por anéis, botões, dedais e moedas.

 

Pergunta: E todos os espíritos eram bem recebidos, ou havia preocupação com os espíritos malignos?

Resposta: Na origem da festa do Halloween, seu início se dava na tarde do dia 31 de outubro acendendo-se enormes fogueiras, onde eram oferecidos animais e parte da colheita (às vezes até sacrifícios humanos), para o deus Sol Muck Olla e para Shamhain, deus da morte. Isso era feito para espantar os espíritos malignos, que poderiam ser enviados para atacar as pessoas na véspera da celebração de 1º de novembro, o dia dos mortos. Além das grandes fogueiras, as pessoas usavam fantasias, crendo que usando disfarces não seriam reconhecidas pelos espíritos maus.

 

Pergunta: Quais outras atividades fazem parte dessa ‘festa’?

Resposta: Práticas adivinhatórias, representações e fogueiras precediam a semana em que as crianças vão de casa em casa, fantasiadas de preto, muitas usando máscaras, carregando abóboras-morangas com lanternas dentro, pedindo dinheiro, frutas ou nozes. De novo ressaltamos que nada disso faz parte do folclore brasileiro.

 

Pergunta: A partir de quando o Halloween passou a ser comemorado?

Resposta: Os colonizadores irlandeses levaram seus costumes para a América do Norte em 1840, mas somente em meados do século XX o Halloween tornou-se popular. A atividade de ‘pedir doces para evitar uma travessura’ é um fenômeno datado da década de 1930 (nos EUA). Por volta de 1970, a “brincadeira das crianças” ressurgiu com força entre os adultos, até que em 1980 eclodiu nos EUA tornando o dia 31 de outubro feriado nacional, um feriado nacional muito comercial. Essa festividade não se concentra somente na diversão de crianças, mas tornou-se em um grande acontecimento promocional, atraindo o investimento de muitos empresários que ganham bilhões de dólares em lucro. O número de lojas especializadas em criar trajes cada vez mais macabros cresceu nos últimos tempos. Existem lojas que vendem tanto neste período, que o lucro obtido é suficiente para o ano todo. Os agricultores também olham o Halloween com olhos de grande lucro. As abóboras são acessórios usados pelas famílias por toda a nação, como decoração das “lanternas de jack” (abóboras morangas com uma lâmpada acessa dentro). Isto rende um lucro de milhares de dólares aos seus proprietários, somente no sul da Califórnia.

 

Pergunta: O que mais o Pastor pode nos dizer sobre a origem do Halloween?

Resposta: A maioria dos costumes do Halloween são reminiscências de superstições pagãs relacionados aos costumes dos druídas (sacerdotes celtas), influentes mágicos e feiticeiros das religiões que cultuavam a natureza, que prevaleceram muito tempo no norte da Europa. Os druídas antigos adoravam a Baal, um dos mais poderosos de todos os reis dos demônios. Baal é considerado o rei que está no poder. A ordem dos druídas foi inaugurada em Londres em 1717.

 

Pergunta: Qual a forma mais conhecida das pessoas se vestirem para essa festa?

Resposta: Os participantes vestem-se a caráter, isto é, com as cores da igreja do Diabo: preto e vermelho; a maioria usa só a cor preta, caracterizando a situação de trevas sobre trevas. As máscaras são as mais imaginativas: Diabo, vampiro, bruxa, morcego, morte, caveira, monstros, fantasmas, tudo que tenha identidade com o maligno. Assim, o Diabo certamente teria muita alegria em falar a essas bruxas.

 

Pergunta: O que mais faz parte dessa comemoração?

Resposta: A comemoração utiliza ainda imagens de bruxas e suas vassouras, gatos pretos, fantasmas e esqueletos e ainda crianças fantasiadas, fazendo travessuras de casa em casa. Essas crianças batem às portas das casas e dizem: “tricks ou treats”, duas palavras inglesas que significam travessuras ou gostosuras. Paralelamente, se programam nas escolas festividades alusivas ao Dia das Bruxas ou Halloween.

O enfoque dessa festa é sangue, morte, terror e ocultismo, uma forma de diversão amedrontadora, onde aproveitam a oportunidade para passar a noite em casas mal assombradas. Os mais ousados passam a noite nos cemitérios em cerimônias espíritas, buscando contato com os mortos.

Em 2Coríntios 6.14-17 lemos: Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas? E que concórdia há entre Cristo e Belial? Ou que parte tem o fiel com o infiel? E que consenso tem o templo de Deus com os ídolos? Porque vós sois o templo do Deus vivente, como Deus disse: Neles habitarei, e entre eles andarei; e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo. Por isso saí do meio deles, e apartai-vos, diz o Senhor; e não toqueis nada imundo, e eu vos receberei”.

 

Pergunta: Quem são os maiores divulgadores dessa festividade do Halloween?

Resposta: Os maiores divulgadores tem sido o sistema de escolas públicas na América e Europa. No Brasil, as grandes patrocinadoras e incentivadoras das atividades dessa festa são as escolas onde se ensina a língua inglesa, que promovem concursos de fantasias e danças. Ultimamente essa prática vem se estendendo às demais escolas. As autoridades de educação relatam que as festividades do Halloween conquistam mais esforços e desempenho do que qualquer outro feriado, como Natal e Páscoa.

 

Pergunta: A festa do Halloween também é manipulada pelos diretores e produtores de filmes de terror, concorda?

Resposta: Sim. Filmes como A Profecia, O Exorcista, O Bebê de Rosemary, Postergeist, O Fenômeno, A Convenção das Bruxas, A Dança dos Vampiros dentre outros são programados na televisão nessa época, com vistas à festa do Halloween.

 

Pergunta: Será que a maioria dos participantes têm conhecimento das implicações diabólicas dessa festa do Halloween?

Resposta: Creio que a maioria dos participantes do Dia das Bruxas desconhece o grau de contaminação maligna a que ficam expostos. Certamente, acreditam tratar-se de mais uma festa, mais uma novidade. As “bruxas” estão ali para se divertir, e com esse intuito sujeitam-se às regras do jogo. Desconhecem as origens satânicas do Halloween; não sabem que nessa data os satanistas honram a Satanás com sacrifícios humanos; não sabem que essa prática iniciou-se há muitos séculos entre os druídas – sacerdotes dos celtas – que vestiam suas fantasias, esculpiam em nabos ocos caricaturas de demônios, e saíam pelas ruas amaldiçoando as pessoas que lhes negavam alimentos.

 

Pergunta: Há algum mal em participar dessa festa? Alguns pensam que isso não passa de divertimento.

Resposta: Há muitos males. Jesus afirmou que “o ladrão [o diabo] só vem para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida, e a tenham em abundância” (João 10.10). O Diabo entra na vida dos homens para roubar a paz, roubar a saúde, roubar os recursos financeiros; para causar a morte espiritual, e, não raro, causar a morte física; para destruir a família, o lar, a comunhão com Deus. Daí as insônias, os medos, as superstições, as doenças inexplicáveis, os tremores, os vícios, a possessão. Convém sabermos que bruxa ou bruxo é aquela ou aquele que faz bruxaria, e bruxaria é sinônimo de feitiçaria, magia negra, curandeirismo, ocultismo, adivinhação, astrologia, e demais atividades ligadas ao poder das trevas. Há também os que de forma consciente – os satanistas – servem a Satanás com sacrifícios e cânticos.

 

Pergunta: Que resposta a isso podemos esperar de Satanás?

Resposta: A verdade é que corre enorme perigo quem participa do Dia das Bruxas, dada a grande a probabilidade de contaminação. O Diabo, num sinal de agradecimento pela homenagem, não hesitará em designar um de seus anjos para acompanhar a “bruxa” pelo resto da vida.

 

Pergunta: O que disse Jesus dos que amam as trevas mais do que a luz?

Resposta: “A condenação é esta: A luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz porque as suas obras eram más” (João 3.19). Só existe um nome, uma Pessoa, que pode libertar o homem contaminado por demônios: é o Senhor Jesus. Ele mesmo afirmou isso: “Se o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres” (João 8.36). A Bíblia nos ensina que devemos pensar e fazer somente o que é verdadeiro, amável, justo e puro, e que “todo o nosso espírito, alma e corpo devem ser conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Salvador Jesus Cristo” (1Tessalonicenses 5.23). Uma pessoa que se fantasia de bruxa, coloca máscaras com motivos demoníacos e passa horas a fio num ambiente de trevas, estaria conservando seu corpo, alma e espírito irrepreensíveis? Não, pelo contrário, estaria invocando o poder das trevas; desejando maior aproximação com os demônios. A Palavra ainda adverte: “Não vos voltareis para médiuns, nem para os feiticeiros [bruxos], a fim de vos contaminardes com eles” (Levítico 19.31). “Ninguém pode servir a dois senhores. Ou há de odiar a um e amar o outro, ou se devotará a um e desprezará o outro” (Mateus 6.24). Não podemos ser ao mesmo tempo servos das trevas e servos da luz. Ou somos filhos de Deus ou filhos do Diabo. Quem serve ao Diabo com alegorias, fantasias, licores, danças e outras coisas mais, não é servo do Deus Altíssimo.

Mas haveria uma saída para quem está contaminado? Jesus responde: “Vinde a mim todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei” (Mateus 11.28). “Eis que estou à porta, e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo” (Apocalipse 3.20). Quem está enlaçado ao Diabo deve saber que o Senhor Jesus veio “para apregoar liberdade aos cativos, dar vista aos cegos, por em liberdade os oprimidos” (Lucas 4.18). Porque “em nenhum outro há salvação, pois também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos” (Atos 4.12).

 

Pergunta: A pergunta mais importante. Devem os pais permitir que seus filhos participem das festividades da festa das bruxas, programadas pelas escolas, sejam elas públicas ou particulares?

Resposta: A nossa resposta é não. Esses festejos, como dissemos, têm ligações ocultistas, diabólicas. É claro que a Bíblia condena tais festividades. Todas as práticas ocultistas são francamente condenadas na Bíblia em Deuteronômio 18.9-12: Quando entrares na terra que o SENHOR teu Deus te der, não aprenderás a fazer conforme as abominações daquelas nações. Entre ti não se achará quem faça passar pelo fogo a seu filho ou a sua filha, nem adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro; nem encantador, nem quem consulte a um espírito adivinhador, nem mágico, nem quem consulte os mortos; Pois todo aquele que faz tal coisa é abominação ao SENHOR; e por estas abominações o SENHOR teu Deus os lança fora de diante de ti”.

A Bíblia diz mais, que “não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas sim contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século” (Efésios 6.12). Como igreja do Senhor sobre a face da terra, nós temos que “quebrar os conselhos e toda a altivez que se levanta contra o conhecimento de Deus” (2Coríntios 10.4-5).

 

Pergunta: Como é comemorado o Dia das Bruxas, ou Halloween, nos EUA?

Resposta: Nos EUA se celebra o Halloween, e podemos afirmar que essa festa não é simplesmente uma brincadeira de crianças que se vestem como bruxinhas, fantasmas e duendes, mascaradas e com uma lanterna de abóbora na mão. Lá realizam-se rituais satânicos onde ocorrem até sacrifícios humano. Paralelamente, há um desencadeamento de uma onda de violência que percorre os Estados Unidos durante a noite desse dia 31 de outubro, uma noite de derramamento de sangue, quando na manhã seguinte algumas cidades se apresentam arrasadas, como se passasse um furacão ou tivesse ocorrido um terremoto.

 

Pergunta: Existe algum rito para uma pessoa se tornar bruxa ou bruxo?

Resposta: Sim. Quando alguém se transforma em bruxa, faz um pacto com o diabo. Ao fazer esse pacto, o iniciando promete servi-lo como os cristãos prometem servir a Cristo.

 

Pergunta: O que significa exatamente alguém ser chamado de bruxa ou bruxo?

Resposta: Bruxa significa uma feiticeira ou megera, que iludida por um pacto feito com o diabo, através de sua inspiração, pensa poder provocar todo tipo de atos malignos, seja por pensamento ou maldição, como provocar relâmpago, trovão, granizo, tempestades, mudar de lugar pés de milho verde ou árvores, ser transportada para uma montanha distante num espaço de tempo curto, e algumas vezes, voar sobre uma vassoura.

 

Pergunta: O Pastor falou em pacto com o diabo feito pelas bruxas. Existe algum exemplo de como é feito esse pacto?

Resposta: As exigências para alguém se transformar em bruxa são as seguintes:

  • Negar a fé cristã. “Nego o Criador dos céus e da terra, nego meu batismo, nego o culto que anteriormente prestava a Deus. Uno-me ao diabo e creio apenas nele”. Acompanhando esse juramento caminham sobre a cruz.
  • Ser batizado novamente pelo diabo, com um novo nome.
  • Oferecer ao diabo, como prova de rendição, uma peça de roupa.
  • Jurar obediência ao diabo colocando-se dentro de um círculo mágico desenhado na terra.
  • Pedir ao diabo para que seu nome seja escrito no livro da morte.
  • Prometer sacrificar crianças ao diabo, um passo para as histórias de crianças mortas por bruxas.
  • Colocar marcas do diabo em várias partes do corpo. Essas marcas têm várias formas: um pé de coelho, um sapo ou uma aranha.

Um aviso muito solene aos que se envolvem nessa prática de fazer pacto com o diabo e rejeitar a Jesus Cristo. Jesus disse em Mateus 10.28: E não temais os que matam o corpo e não podem matar a alma; temei antes aquele que pode fazer perecer no inferno a alma e o corpo”.

 

Pergunta: O que a Bíblia diz sobre bruxas ou feiticeiras?

Resposta: Tanto o Antigo como o Novo testamento fazem repetidas referências à prática da feitiçaria ou bruxaria:

Êxodo 22.18 “A feiticeira não deixarás viver”.

Levítico 19.26 “Não agourareis nem adivinhareis”.

1Samuel 15.23: “Porque a rebelião é como o pecado de feitiçaria e a obstinação é como a idolatria e culto aos ídolos do lar”.

1Reis 17.17: “Também queimaram a seus filhos e suas filhas como sacrifício; deram-se à prática de adivinhações e criam em agouros; e venderam-se para fazer o que era mau perante o Senhor, para o provocarem a ira”.

1Crônicas 10.13: ”Assim morreu Saul por causa da sua transgressão e também porque buscou a adivinhadora para a consultar”.

E finalmente o ultimo castigo: “Quanto, porém, aos covardes, aos incrédulos, aos abomináveies, aos assassinos, aos impuros, aos feiticeiros, aos idólatras e a todos os mentirosos, a parte que lhes cabe será no lago que arde com fogo e enxofre, a saber, a segunda morte” (Apocalipse 21.8).

 

Pergunta: Para concluir esse assunto; um filho de cristão deve participar da festa das bruxas?

Resposta: Taxativamente não. Esses festejos têm ligações ocultistas, diabólicas. É claro que a Bíblia condena tais festividades que não passam de superstições e influências ocultistas de várias culturas que se uniram, através dos séculos, criando o Haloween – Dia das Bruxas. Como já lemos em 2Coríntios 6.14-17, não pode haver ligação entre Cristo e Belial, que é um dos nomes do diabo. Todas as práticas ocultistas, ou esoteristas, são francamente condenadas na Bíblia em Deuteronômio 18.9-12, como já vimos acima. Sendo assim, é impróprio para um cristão ser partícipe de tais festividades. Sendo assim, é impróprio para um cristão ser partícipe de tais festividades, embora alguns possam até justificar tais práticas como simples brincadeiras inocentes. O pior de tudo é que as práticas ligadas à feitiçaria acarretarão a perdição eterna (Apocalipse 21.8).

 

Pergunta: Quem são os maiores divulgadores dessa festa do dia das bruxas?

Resposta: Atualmente um dos maiores divulgadores dessa festividade tem sido o sistema de escolas públicas na América do Norte e Europa, patrocinando as atividades dessa festa, através de concursos de fantasias, danças, exposições de arte e artesanatos. Existem também muitas lojas especializadas em criar trajes cada vez mais espantosos e macabros. Muitos agricultores apoiam o Halloween uma vez que a abóbora é acessório usado, pelas famílias como decoração das lanternas de Jack.

 

Pergunta: As bruxas sempre estiveram presentes nas literaturas de quadrinhos. Quem não se lembra da Madame Min e da Maga Patológica, ou da Rainha Madrasta de Branca de Neve? Esses precedentes dão margem a que hoje as crianças estejam familiarizadas com a festa de Halloween, e que haja por parte dos pais certa indiferença para com essas festividades. Tem lógica o que dizemos?

Resposta: Sem dúvida que sim. As bruxas e feiticeiras sempre foram vistas como adoradoras de demônios e detentoras de poderes mágicos e ocultos. Na Idade Média eram consideradas perigosas, pois se agrupavam em comunidades anticristãs. As mulheres, de um modo geral, eram vistas como feiticeiras em potencial, embora também pudessem ser recrutados homens ou até mesmo crianças. Segundo crenças remotas, as bruxas e feiticeiras eram cuidadosas em seus métodos para seduzir suas vítimas. Malificium era o nome do dia propício para a prática secreta do mal; e para que suas feiticeiras se transformassem em fontes poderosas de desarmonia, Satanás lhes conferia poderes sobrenaturais. Estranhamente, o Halloween significa dia das bruxas. É por isso que os participantes dessa festa apreciam tanto as bruxas. Muitos pais encaram com indiferença essas festividades do dia das Bruxas e isso tem dado crescimento ao ocultismo tão apreciado pelos jovens de ambos os sexos em nossos dias. Imagine que até as músicas mais apreciadas por eles, como o rock, quase sempre tem temas satanistas. Rock e horror é uma mistura que tem propiciado grandes auditórios para as bandas chamadas de heavy metal. Foi o Black Sabbath que inventou o heavy metal, e quase sempre os integrantes dessas bandas fazem pacto com o diabo, de modo que a simpatia pelo demônio é meio caminho para o estrelato. Tudo parecia tão somente um tipo de mentirinha, mas o assunto foi levado a sério a tal ponto, que Kurt Cobain, do Nirvana, meteu uma bala na cabeça.

 

Pergunta: Já houve tempo na história que se queimavam bruxas em fogueiras. Hoje, determinadas mulheres ligadas ao esoterismo como videntes, sensitivas, astrólogas se sentem envaidecidas quando são chamadas de bruxas. Como os tempos mudaram. Podia indicar épocas da história quando houve queima de bruxas em fogueiras e por que faziam isso?

Resposta: Acreditava-se antigamente que o fogo purificaria o corpo e libertaria a alma dos condenados, envolvidos em artes de bruxaria. De modo que com essa ideia começaram em alguns países as perseguições. Em Toulouse, 40 bruxas foram queimadas vivas. A região de Mertz passou por um verão peculiar, onde o calor foi substituído por um frio rigoroso. A alteração climática foi automaticamente atribuída a artes diabólicas e 28 pessoas acabaram mortas na fogueira. Em Lorena, em poucos anos, 900 pessoas tiveram o mesmo fim.

 

Pergunta: O Pastor citou que Deus condena a bruxaria, e para provar apontou Deuteronômio 18.9-11. Pode descrever o que abrange realmente esses versículos da Bíblia?

Resposta: Sim. Quando o texto fala das abominações daquelas nações, implica isso numa lista das práticas de magia ocultista, comuns nas regiões de Canaã, as quais eram detestáveis a Deus e proibidas por ele. Eram mortos os que praticavam tais coisas. “O homem ou mulher que sejam necromantes, ou sejam feiticeiros, serão mortos: serão apedrejados” (Levítico 20.27). Por sua vez, o verso 10 fala de adivinhador e prognosticador. Os adivinhos ou feiticeiros procuravam predizer eventos futuros ou desvendar segredos pela ação de espíritos malignos, ou de algum meio humano. Já o plano de Deus para obtermos a verdade é ouvir os fieis mensageiros de Deus exporem a Sua Palavra (Salmo 119.105,130). O verso 11 fala de encantador e consulta aos mortos. Esta lista inclui os médiuns espíritas e todos que invocam os mortos ou consultam espíritos (isto é, demônios) para conhecerem segredos, predizer o futuro, ou controlar coisas e pessoas. O que eles chamam de comunicação com os mortos é, na realidade, comunicação com os demônios (2Reis 21.6; Isaías 8.19). Logo, devemos afastar-nos de todas essas práticas ocultistas proibidas pela Bíblia.

—————

Notas Bibliográficas:

Halloween – Folclore Americano ou Estratégia de Satanás?, Steve Russo, Editora Vida, 2001.

Entendendo o Oculto, Josh MacDowell e Don Stewart, Editora Candeia, 1ª edição, 1992.

Pr. Natanael Rinaldi, Estudo elaborado em outubro de 2006


Cada autor é responsável pelo conteúdo do artigo.

2 Comentários

Comentários 1 - 2 de 2Primeira« AnteriorPróxima »Última
  1. A respeito do Halloween.eu como um Cristão penso que um Cristão Não deve participar da festa de Halloween.por fidelidade a Jesus.

    1. Corretíssimo amigo!
      Quem é de cristão não tem parte com trevas.

Comentários 1 - 2 de 2Primeira« AnteriorPróxima »Última

Deixe seu comentário

Advertisement