Esqueceu a senha?

Como os Pais da Igreja interpretaram Lc 23.43?

por Itard Víctor Camboim de Lima - qua jan 23, 9:38 am

Geralmente, os adventistas do sétimo dia, diante do episódio ocorrido na crucificação de Jesus, procuram a todo custo estenderem suas defeituosas ideias as quais salientam que o ex-ladrão arrependido não está neste momento no Paraíso, pois, a alma, para os tais, é mortal. No pensamento destes, Jesus prometeu levar o arrependido ao paraíso só na ressurreição, não no mesmo dia das suas crucificações como ensinaram os cristãos do período da reforma e da pós reforma, sobretudo os cristãos das igrejas evangélicas. Eles fogem da crença ortodoxa, o que não lhes resta outro rótulo senão o de hereges, do ponto de vista bíblico. E, no desespero de defender o indefensável, os aniquilacionistas chegam até a citar autores do meio cristão os quais conhecem ou conheceram o grego do Novo Testamento, mas que criam de forma semelhante aos tais.

No entanto, para entender o que Jesus quis realmente dizer naquele dia, não é nem necessário recorrer aos bons comentários e gramáticas do grego do NT, pois certamente nenhum dos atuais eruditos conhece o grego do século I como os pais da Igreja. Vale salientar que muita coisa que sabemos do grego, como, por exemplo, a pronúncia, chegou a nós 1400 anos depois dos manuscritos originais terem sido escritos e lidos várias vezes, isto é, com Erasmo de Roterdã[1]. Desse modo, sem sombra de dúvidas, os que viveram antes de nós sabem inequivocamente o que a construção gramatical de Lc 23.43, mesmo sem o uso de vírgulas ou pontuação diz, haja vista que falar grego, nas épocas que serão apresentadas, era algo desde o “berço”. Vamos ao que eles disseram:

 

Cipriano 210 d.C:

“Mas o mesmo Senhor declara no Evangelho, que aqueles que são batizados em seu próprio sangue, e santificados pelo sofrimento, são aperfeiçoados e obtêm a graça da promessa divina, quando Ele fala ao ladrão acreditando e confessando em Sua própria paixão, e promete que ele deveria estar consigo mesmo no paraíso”. (Epistle LXXII. 22).

 

Atanásio 296 d.C:

“…o Paraíso foi aberto ao ladrão, Hades se encolheu, as tumbas foram abertas e os mortos ressuscitados, os portões do Céu foram levantados para esperar por Ele que “vem de Edom”.  (On Luke X. 22 (Matt. XI. 27). Illud Ominia).

 

Ambrósio 340 d.C:

“…tu, ariano, tu consideras; que Ele dá o reino de Deus – isso você não considera. Que Ele provou da morte, tu lestes, mas que Ele também convidou o ladrão ao paraíso, a isto tu não prestas atenção”. (Dogmatic Treatises Ethical Works, and Sermons: Exposition of the Christian Faith. XI. 96)

 

Agostinho 360 d.C:

“… Cristo na cruz, Cristo socorrendo algumas almas no inferno; e no mesmo dia Cristo no paraíso com o ladrão que confessou…”.  (Sermons on Selected  Lessons os The new Testament : On the Words  os The Gospel , Mat ix 25).

“…Tu tens agora Cristo, mas tu o terás sempre; porque quando tiveres partido, chegarás àquele que disse ao ladrão: “Hoje estarás comigo no paraíso“. (Lecture or tratactes on the Gospel to st. John: Chapter XI. 55-57; XII).

 

João Cassiano 360 d.C

Mas se você se importa também em entender as palavras ditas ao ladrão: ‘Hoje estarás comigo no Paraíso’, o que eles mostram claramente, mas que não apenas sua inteligência anterior continua com as almas, mas também que em sua mudança condiciona-os a participar de algum estado que corresponda a suas ações e desertos? Pois o Senhor certamente nunca teria prometido isso a ele, se Ele soubesse que sua alma, depois de ter sido separada da carne, teria sido privada de percepção ou ter sido transformada em nada. Pois não era sua carne, mas sua alma que devia entrar no Paraíso com Cristo. Pelo menos devemos evitar, e evitar com o maior horror, a má pontuação dos hereges, que, por não acreditarem que Cristo poderia ser encontrado no Paraíso no mesmo dia em que Ele desceu ao inferno, assim pontuam: “Verdadeiramente, Eu digo a vocês hoje, ”e fazendo uma parada,“ você estará comigo no Paraíso”, de tal maneira que eles imaginem que esta promessa não foi cumprida imediatamente depois que ele partiu desta vida, mas que isto será ser cumprido após a ressurreição…”  (The Conferences XIV).

 

João Crisóstomo 407 d.C:

Para isso foi que colocou o publicano diante do fariseu; enquanto que, orgulho eu quero dizer e um espírito arrogante, superou até mesmo um poder incorpóreo, o do diabo; enquanto a humildade da mente e o reconhecimento dos próprios pecados cometidos trouxeram o ladrão ao Paraíso antes dos Apóstolos.” (Homilia Conceming lowliness of mind).

E para que não possamos buscar nosso exemplo a partir de qualquer base, vamos examinar essa mesma afirmação em sua aplicação a Cristo, e então veremos a força do que foi dito. Porque nosso Senhor Jesus Cristo foi cuspido e açoitado com varas por escravos misericordiosos; e não apenas Ele não considerou isso uma falta de graça, mas Ele mesmo exultou e chamou a coisa de glória; e trazendo consigo um ladrão e assassino antes do resto para o paraíso…” (Homilies First Corinthians XXXIII).

Porque esta geração procura um sinal: e nenhum sinal lhe será dado, senão o sinal de Jonas”; e novamente Paulo diz: “pois os judeus pedem um sinal e os gregos procuram sabedoria, mas pregamos a Cristo crucificado”.  A cruz abriu o Paraíso, trouxe o ladrão, conduziu ao reino dos céus a raça do homem que estava para perecer e não era digna nem da terra”. (Homily on the Passage (Matt xxvi.19) ‘Father if it Possible let This Cup Pass From Me).

Se alguém vos disser alguma coisa, direis: O Senhor precisa dele”. (Marcos xi. 3.) “Hoje estarás comigo no Paraíso.” (Lucas 23.43.) “Ouvistes que foi dito aos antigos: Não matarás, mas digo-vos que todo aquele que se irar com seu irmão sem causa estará em perigo de ser julgado. ” (Mateus v. 21, 22). “Vinde após mim e eu farei de você pescadores de homens.” (Marcos 17). (Homilies on the Gospel of St John.  XXIV. John 2. 23).

“Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra.” Diga-me, que tipo de terra? Alguns dizem uma terra figurativa, mas não é isso, pois em nenhum lugar nas Escrituras encontramos qualquer menção de uma terra que seja meramente figurativa. […] Ele segura um prêmio sensato; como Paulo também fez, quando disse: “Honra a teu pai e a tua mãe”, acrescentou: “Pois assim viverás muito sobre a terra”. E Ele mesmo ao ladrão novamente: “Hoje estarás comigo no Paraíso.” (Homilies on the Gospel of Matthew V.1.2).

Pois não era menos maduro do que sacudir as pedras, mudar um ladrão na cruz e levá-lo ao Paraíso”. (The Homilies on the Gospel of St John 19:16-18).[2]

[1] REGA, Lourenço Stelio; BERGMANN, Johannes. NOÇÕES DO GREGO BÍBLICO. P. 12. VIDA NOVA.

[2] Os textos foram pesquisados no Bibleworks. A tradução é via internet.


Cada autor é responsável pelo conteúdo do artigo.

1 Comentário

Comentários 1 - 1 de 1Primeira« AnteriorPróxima »Última
  1. Muito bom! Contra fatos não há argumentos! Outra questão é que Jesus não falava daquele jeito que eles querem fazer pensar.Eles torcem o texto.

Comentários 1 - 1 de 1Primeira« AnteriorPróxima »Última

Deixe seu comentário

Advertisement