Esqueceu a senha?

Corpus Christi

por Pr. Natanael Rinaldi - qui jun 20, 12:00 am

Qual a origem desta festa? 

O governo brasileiro extinguiu a proibição do trabalho em grande parte dos dias considerados santos pelos católicos. Entretanto, um dos feriados religiosos que ainda permanecem de pé é o dia em que se comemora a festa de Corpus Christi (expressão latina que significa “Corpo de Cristo”).

A festa é celebrada anualmente, mas não tem um dia fixo, ou seja, sua data é móvel e deve sempre ocorrer numa quinta-feira após o domingo da Santíssima Trindade. Neste ano, será comemorada em 10 de junho.

Na realidade, a observação da festa deveria ocorrer na quinta-feira da semana santa, o dia da última Ceia, mas foi transferida para outra data para que não fosse prejudicada por causa das celebrações em torno da cruz e da morte de Jesus Cristo, na sexta-feira santa.

Origem das comemorações

Tudo começou com a religiosa Juliana de Cornellon, nascida na Bélgica, em 1193. Segundo alegou, teve insistentes visões da Virgem Maria ordenando-lhe a realização de uma grandiosa festa. Juliana (mais tarde Santa Juliana) afirmava que a festa seria instituída para honrar a presença real de Jesus na hóstia, ou seja, o corpo místico de Jesus na Santíssima Eucaristia.

Ainda quando era bispo, o papa Urbano IV teve conhecimento dessas visões e resolveu estendê-la à Igreja Universal, o que então já era uma verdadeira festa. Pela bula “Transituru do Mundo”, publicada em 11 de agosto de 1264, Urbano IV a consagrou em todo o mundo, com uma finalidade tríplice:

Prestar as mais excelsas honras a Jesus Cristo

Pedir perdão a Jesus Cristo pelos ultrajes cometidos pelos ateus

Protestar contra as heresias dos que negavam a presença de Deus na hóstia consagrada

No Brasil

No Brasil, a festa de Corpus Christi chegou com os colonizadores portugueses e espanhóis. Na época colonial, a festa tinha uma conotação político-religiosa. É que dias antes das procissões, as câmaras municipais exigiam que as casas de moradia e de comércio fossem enfeitadas com folhas e flores. Na época, quando o Brasil ainda era uma colônia, participavam da procissão membros de todas as classes, incluindo os escravos, os leigos das ordens terceiras e os militares. Durante muitos anos, o entrosamento do povo com o governo, e vice-versa, foi praticamente completo. Um exemplo que comprova esse fato ocorreu em 16 de junho de 1808, quando D. João VI acompanhou a primeira procissão de Corpus Christi, realizada no Rio de Janeiro.

As procissões

O que marca a festa de Corpus Christi são as procissões, quando ocorrem as ornamentações das ruas com tapetes feitos de vários tipos de materiais, como papel, papelão, latinhas de bebidas, serragem colorida, isopor, etc. Desenhos são elaborados nessa ornamentação com as figuras de Jesus, do cálice da Ceia e da Virgem Maria. Utilizam-se toneladas de materiais para formar os tapetes vistosos e admirados pelos que acompanham as procissões.

O mais importante

O momento mais solene da festividade de Corpus Christi é quando o hostiário, onde estão depositadas as hóstias ainda não consagradas, é conduzido nas procissões por um líder da alta hierarquia católica. No momento em que o hostiário passa, um silêncio profundo é observado por todos os presentes e, de uma extremidade a outra, toca-se a sineta que anuncia a passagem do cortejo. As reações das pessoas são as mais variadas. Algumas se comovem ao extremo e choram, outras se ajoelham diante do hostiário. De ponto em ponto, há uma parada, quando, então, se entoam cânticos tradicionais. Segundo a liderança romana, as ornamentações são feitas para que o Corpo de Cristo possa passar por um local digno, para ser visto por todas as pessoas. Representa uma manifestação pública da fé na presença real de Jesus Cristo na Eucaristia.

Eucaristia

Ensinando sobre a Eucaristia, diz a Igreja Católica: “A Eucaristia é um Sacramento que, pela admirável conversão de toda a substância do pão no Corpo de Jesus Cristo, e de toda a substância do vinho no seu precioso sangue, contém verdadeira, real e substancialmente o Corpo, o Sangue, a Alma e a Divindade do mesmo Jesus Cristo Nosso Senhor, debaixo das espécies de pão e de vinho, para ser nosso alimento espiritual”.

Ensina, ainda, que na Eucaristia está o mesmo Jesus Cristo que se encontra no céu. Esclarece também que essa mudança, conhecida como transubstanciação, “ocorre no ato em que o sacerdote, na santa missa, pronuncia as palavras de consagração: ‘Isto é o meu Corpo; este é o meu sangue’”.

O catecismo católico traz uma pergunta com relação ao Sacramento da Eucaristia nos seguintes termos: “Deve-se adorar a Eucaristia?”. E responde: “A Eucaristia deve ser adorada por todos, porque ela contém verdadeira, real e substancialmente o mesmo Jesus Cristo Nosso Senhor”.

O que diz a Bíblia?

Os católicos procuram justificar a festa de Corpus Christi com a Bíblia citando partes dela que supostamente dão base para o dogma da Eucaristia. Os textos mais freqüentemente são os de Mateus 26.26-29; Lucas 22.14-20 e João 6.53-56.

Essa doutrina é contrária ao bom senso e ao testemunho dos sentidos: o bom senso não pode admitir que o pão e o vinho oferecidos pelo Senhor aos seus discípulos na Ceia fossem a sua própria carne e o seu próprio sangue, ao mesmo tempo em que permanecia em pé diante deles vivo, em carne e osso. É manifesto que Jesus, segundo seu costume, empregou uma linguagem simbólica, que queria dizer: “Este pão que parto representa o meu corpo que vai ser partido por vossos pecados; o vinho neste cálice representa o meu sangue, que vai ser derramado para apagar os vossos pecados”. Não há ninguém, de mediano bom senso, que compreenda no sentido literal estas expressões simbólicas do Salvador. A razão humana não pode admitir tampouco o pensamento de que o corpo de Jesus, tal qual se encontra no céu (Lc 24.39-43; Fp 3.20-21), esteja nos elementos da Ceia.

Biblicamente, a Ceia é uma ordenança e não uma Eucaristia; era empregado o pão e não a hóstia; é um memorial, como se lê em 1Coríntios 11.25,26, e sua simbologia está em conformidade com o método de ensinamento do Senhor Jesus, que usou muitas palavras de forma figurada: “Eu sou a luz do mundo” (Jo 8.12); “Eu sou a porta” (Jo 10.9); “Eu sou a videira verdadeira” (Jo 15.1). Quando Jesus mencionou na última Ceia os elementos “pão” e “vinho”, não deu qualquer motivo para se crer na transubstanciação.

Não se engane, adorar a Eucaristia também é um ato de idolatria!


Cada autor é responsável pelo conteúdo do artigo.

29 Comentários

Comentários 1 - 29 de 29Primeira« AnteriorPróxima »Última
  1. Neste cerimônia católica chamada eucaristica no meu entendimento há um erro tecnico, o povo come somente a hóstia, e não bebe o vinho, mas somente o Padre utilizando o cálice sagrado.
    é estranho, porque se católicos querem caracterizar o ato de Jesus e os apostolos na última ceia e omitem o beber do vinho ?! talvez um católico argumente, falta de espaço pois seria necessario muitos litros e não tem jeito fazer isso na hora da missa.
    Então, os de bom senso, visitem uma Igreja protestante e vejam, lá faz-se de acordo com os moldes biblicos, pão e vinho. logicamente sem o milagre da “trans-substanciação” .

  2. Jesus disse: ´este é meu corpo´, ´este é meu sangue´. Os padres usam a palavra ´ESTE´, para definir como ´verdadeira´ sua doutrina eucaristica, ´ Jesus corpo e alma na hóstia´. Agora vamos PENSAR um pouco, já que infelizmente os fiéis católicos não podem fazer isso, seria pecado questionar o papa ou o padre. Jesus disse: ´Eu Sou, a videira verdadeira, Eu Sou a luz do mundo, Eu Sou a porta, Jesus é a Àgua Viva, quem tiver sede vem a mima e beba. Agora pergunto aos padres e quem defende que Jesus é a hóstia, vc colocam UM COPO de água mineral e ADORAM? Vcs colocam uma PORTA e adoram? Vcs colocam uma VIDEIRA e adoram? Vcs colocam uma lâmpada de mil volts e adoram no altar junto a eucaristia? Se não pergunto; ´Jesus disse: Eu SOU, plavra de afirmação muito mais forte que ESTE È, apesar de ser o mesmo significado, então coloquem um copo de água, porta uma lãmpada para ADORAR e DEPOIS venham e tentem convencer alguem, até os padres NÃO agreditam e querem convencer os outros. Jesus tbm disse: ´Fazei isso em MEMÓRIA de mim`, ele não mandou adorar o pão eo vinho, em MEMÓRIA, para lembrar a crucificação e proclamar a morte na cruz e disser que Jesus está VIVO para sempre na sua Palavra. Ah, Jesus também disse que Ele é a Palavra Viva, alguem já viu uma Biblia sendo ADORADA pelos padres!?!

    1. Fazemos isso todas as missas conforme Jesus disse. Adoramos Jesus presente no pão e no vinho ou em qualquer lugar que ele esteja, pois ele vivo está e é unipresente

  3. É Verdade e ainda propagamos que DEUS é o Senhor e que sempre está em primeiro Lugar nas nossas vidas…                
    PERDÃO MEU SENHOR E MEU DEUS…

    DIGA NÃO AOS ADORADORES DE DÍZIMO… (Recebido por e-mail – Autor Desconhecido)

  4. Porque voces gostam de julgar Nós catolicos ,pois fique sabendo que diz Jesus : não julgue para não ser julgado, nem condene para não ser condenado. Pnse nisto e cuide da vida de Voces.

    1. Não estamos julgando falamos verdade pois é um absurdo vcs precisam aceitarem a jesus

  5. Maria Carmem, você tem razão, contudo a heresia da doutrina e culto católico é bem catalogada aqui neste site, onde há outros dezenas de artigos relacionados ao catolicismo.
    acorda mulher !

  6. Eu vivi (72) setenta e dois anos sego porque estava na ilusão do catolicismos,no engano,passei a  conhecer a verdade,ai fui liberto Jesus Cristo me libertou.Hoje sou feliz,não digo que não passo por dificuldade,pois Jesus disse que no mundo tereis aflições.Sou Feliz Jesus Libertou-Me.

  7. Transubstanciacao é biblica. É uma santa festa.

  8. Transubstanciacao começa em João depois é relatada em Lucas, Mateus e Marcos e é ratificada em I Corintios isso NÃO acontece com os outros entendimentos.

    1. no ecziste “transubstanciação” éh tapiaçon !

      “este é meu corpo este é meu sangue” –

      Em João “eu sou a porta quem passa por mim tem vida” João 10:9

      é uma metafora, não sabe o que é metafora ? Jesus transubstanciou em uma porta por acaso, Jesus vira madeira agora também ?

  9. Jesus não pegou ou segurou uma porta além do mais leia João 6 :22-56 e veja a enorme diferença quando Jesus falou que era a a porta.

    1. ” … As palavras que eu lhes disse são ESPÍRITO e vida.” João 6:63

      o corpo e sangue de Jesus é no sentido espiritual, e não literal ou a tal de “transubstanciação” a qual não passa de misticismo católico romano, a igreja catolica ensina vampirismo e canibalismo com isso.

  10. João indica que a AÇÃO ESPIRITUAL de Jesus na Transubstanciação que é ESPIRITUAL dá VIDA aos que participam da Santíssima Ceia.

    1. se fizerem uma analise laboratorial de uma hóstia pós ser consagrada na missa, verás que a hóstia é apenas feita de farinha de trigo e água e nada mais. a chamada transubstanciação é uma fantasia medieval. desculpe desaponta-lo mas a verdade é essa.

    2. Não sr. !!! a tal de “Transubstanciação” é um termo católico, que nem na Tradução Bíblica Católica a Vulgata NÃO EXISTE. E esse termo e conceito NÃO EXISTE, e NUNCA EXISTIRÁ no ENTENDIMENTO de FÉ EVANGÉLICO PROTESTANTE … NUNCA. SE PENSA QUE VAE ARRUMA UMA CADEIRA E SENTA.

  11. A Transubstanciação na Ceia é um ato ESPIRITUAL na matéria e dá vida.

    1. MOSTRA NA TRADUÇÃO VULGATA CATÓLICA A PALAVRA Transubstanciação,
      NÃO EXISTE ! INVENÇÃO DO CLERO MEDIEVAL CORRUPTO.
      e o sr. me parece um papa-hóstia, reparou que só o padre bebe vinho e o povo não ? e ele come uma hóstia grande e o povo aquela rodelinha. AH AH AH AH.

  12. A análise química não detecta a ação espiritual na substancia. Jesus é Deus logo está além da matéria da mesma forma que a Ciência não detechamo o Espírito Santo agindo dentro dos crentes.

  13. A análise química não detecta a ação espiritual na substancia. Jesus é Deus logo está além da matéria da mesma forma que a Ciência não detecta o Espírito Santo agindo dentro dos crentes.

  14. Doutor Lutero é Consubstancialista  e NUNCA  simbolista. Jesus usa uma linguagem muito forte e objetiva para ser um símbolo. Igreja Católica Ortodoxa crê assim também. Jesus criou essa crença reclama com ele.

  15. Inverdades sua !

    a Santa Ceia da fé evangélica é apenas um ato simbólico em memória “Fazei isso em minha memória”. Não agem em na “matéria” dando vida. Isso é fantasia do catolicismo romano. Nós os Protestantes pós Dr. Martinho Lutero, NEGAMOS a tal da “Transubstanciação”.

  16. Se precisa de uma análise laboratorial para refutar a Transubstanciação então só a Bíblia não é suficiente para explicar, e não é mesmo a suficiência biblica é invenção protestantista.

    1. Agora você está sendo um Pilantra que sempre foi.

  17. Se é um ato deve ser feito e compreendido da maneira correta pois não se trata de um memorial ordinário mas um memorial que vem de uma ORDEM de Deus.

  18. Jesus ORDENOU que fizesse a Ceia como Transubstanciação e só assim se lembra o real significado das palavras dele.

  19. Seus argumentos estão fracos. Adi hominem não refutou a doutrina biblica da Transubstanciação. 

  20. Seus argumentos estão fracos e seu  Adi hominem não refutou a doutrina biblica da Transubstanciação. 

Comentários 1 - 29 de 29Primeira« AnteriorPróxima »Última

Deixe seu comentário

Advertisement