- CACP – Ministério Apologético - http://www.cacp.org.br -

Daniela Mercury: “homofóbicos” merecem cadeia!

Em entrevista concedida ao UOL nesta sexta-feira (17), data considerada pelos ativistas gays como Dia Internacional de Combate à Homofobia, a cantora baiana Daniela Mercury comentou que os que se opõem à agenda gay não merecem ser livres na sociedade, e defendeu: “Pros homofóbicos, prisão.”

Deixe-me ver se entendi direito. Desde 2007, denuncio o homossexual Denílson Lopes por defender a pedofilia (veja a denúncia aqui: http://bit.ly/19KTOOk [1]), mas nunca houve medidas das autoridades contra ele. De acordo com a lésbica Daniela, os que se opõem ao homossexual Denílson são “homofóbicos” e merecem prisão? E o quê o homossexual Denílson merece?

Em 2007, também denunciei o filósofo Paulo Ghiraldelli por dizer: “As pessoas que desejam castrar o estuprador ou o que chamam de pedófilo, não raro, são tão ou mais perigosas que o pedófilo.” Ghiraldelli também afirmou: “Muitos relacionamentos homossexuais se dão de modo melhor quando há grande diferença de idade, e isso não traumatiza ninguém.” Minha denúncia está aqui: http://bit.ly/19KV1oU [2]

As autoridades nunca tomaram nenhuma providência contra Ghiraldelli. De acordo com a lésbica Daniela, os que se opõem a essa agenda homossexual são “homofóbicos” e merecem prisão? E o homossexualista Ghiraldelli merece o quê?

Durante anos, tenho denunciado o infame kit gay, e Paulo Ghiraldelli o tem defendido [3]. De acordo com a lésbica Daniela, Ghiraldelli merece ser aplaudido por defender o kit gay e eu, que me oponho, tenho de ser tachado de “homofóbico” e ir para a prisão?

De fato, Denílson Lopes, Paulo Ghiraldelli e os defensores do infame kit gay estão muito à vontade, como se só tivessem tido a intenção de distribuir pirulitos e doces para todas as crianças do Brasil.

Além disso, desde as denúncias contra Luiz Mott envolvendo defesa da pedofília em 2007 [4], a reação das autoridades tem sido a mesma: descaso e indiferença. Ninguém pediu a prisão de Mott, Lopes, Ghiraldelli e outros homossexualistas.

A reação dos cantores famosos tem sido igual: descaso e indiferença. Ninguém pediu a prisão de Mott, Lopes, Ghiraldelli e outros homossexualistas.

O que vale, com honestidade ou não, é fazer a vontade do movimento gay. Por isso, Daniela Mercury quis avançar em seu show de exibição homossexual, desta vez pedindo a prisão das pessoas que se opõem ao comportamento homossexual e à agenda homossexual. Haja prisão para caber tantos pastores, padres e milhões de outros que não querem se submeter à imposição das repugnâncias homossexuais!

No início de maio, a cantora baiana foi homenageada pela APOGLBT (Associação da Parada do Orgulho GLBT de São Paulo). Se dependesse dessa associação, eu estaria atrás das grades.

Em 2006, se sentindo ofendida, a Associação da Parada do Orgulho GLBT de São Paulo recorreu ao Ministério Público Federal contra meu blog, porque meus textos sobre homossexualismo deixam claro que a prática homossexual — seja por base bíblica ou médica — não é normal. O principal motivo de acusação foi este artigo “Marcha para Jesus ou Parada Gay: Quem é realmente vítima de preconceito? [5]”.

Imagino que com todos os “homofóbicos” presos (todos os pastores e padres do Brasil), gente como Denílson Lopes, Paulo Ghiraldelli e Luiz Mott estará livre para fazer o que quiser, debaixo dos aplausos de gente como Daniela Mercury.

Fonte: www.juliosevero.com

[6] [7]Compartilhar [8]