Esqueceu a senha?

Dois propósitos distintos

por Pr. Aureo Ribeiro - qui set 12, 3:09 pm

 

 E CONHECEU Adão a Eva, sua mulher, e ela concebeu e deu à luz a Caim, e disse: Alcancei do SENHOR um homem. 2  E deu à luz mais a seu irmão Abel; e Abel foi pastor de ovelhas, e Caim foi lavrador da terra. 3  E aconteceu ao cabo de dias que Caim trouxe do fruto da terra uma oferta ao SENHOR. 4 E Abel também trouxe dos primogênitos das suas ovelhas, e da sua gordura; e atentou o SENHOR para Abel e para a sua oferta. 5  Mas para Caim e para a sua oferta não atentou. E irou-se Caim fortemente, e descaiu-lhe o semblante. 6  E o SENHOR disse a Caim: Por que te iraste? E por que descaiu o teu semblante? 7 Se bem fizeres, não é certo que serás aceito? E se não fizeres bem, o pecado jaz à porta, e sobre ti será o seu desejo, mas sobre ele deves dominar. 8  E falou Caim com o seu irmão Abel; e sucedeu que, estando eles no campo, se levantou Caim contra o seu irmão Abel, e o matou. 9 E disse o SENHOR a Caim: Onde está Abel, teu irmão? E ele disse: Não sei; sou eu guardador do meu irmão? 10  E disse Deus: Que fizeste? A voz do sangue do teu irmão clama a mim desde a terra. 11 E agora maldito és tu desde a terra, que abriu a sua boca para receber da tua mão o sangue do teu irmão. 12 Quando lavrares a terra, não te dará mais a sua força; fugitivo e vagabundo serás na terra.13 Então disse Caim ao SENHOR: É maior a minha maldade que a que possa ser perdoada. 14 Eis que hoje me lanças da face da terra, e da tua face me esconderei; e serei fugitivo e vagabundo na terra, e será que todo aquele que me achar, me matará. 15 O SENHOR, porém, disse-lhe: Portanto qualquer que matar a Caim, sete vezes será castigado. E pôs o SENHOR um sinal em Caim, para que o não ferisse qualquer que o achasse. 16 E saiu Caim de diante da face do SENHOR, e habitou na terra de Node, do lado oriental do Éden. (Gênesis 4. 1 ao 16)

Um texto difícil de ser entendido, a partir da situação que é apresentada, pois não há nenhuma referência anterior à vida de ambos. O que se sabe é que Caim foi lavrador e Abel pastor de ovelhas.

Além disso, ainda no contexto da história de ambos, o texto bíblico nos aponta que eles vieram diante de Deus para trazer suas ofertas. Uma delas foi aceita por Deus, a outra não. Não havia regras sobre ofertas ainda nesse momento da criação. Muitos pregadores inventam teorias sobre esse texto, dizendo que os frutos de Caim estavam estragados ou que ele devia oferecer animal também e outras ideias sobre o texto, mas nada que seja dito sobre o tipo da oferta que devia ser trazida tem alguma base bíblica. O que tem fundamento é que uma oferta Deus aceitou e a outra não. O fato é que a oferta de Abel foi aceita e a de Caim não foi.

Fora o texto do livro de Gênesis, existe algumas outras referências sobre ambos. Vejamos tais referências:

Desde o sangue de Abel, até ao sangue de Zacarias, que foi morto entre o altar e o templo; assim, vos digo, será requerido desta geração. Lucas 11.51 (mesmo texto em Mt 23.35)

Pela fé Abel ofereceu a Deus maior sacrifício do que Caim, pelo qual alcançou testemunho de que era justo, dando Deus testemunho dos seus dons, e por ela, depois de morto, ainda fala. (Hb 11.4)

E a Jesus, o Mediador de uma nova aliança, e ao sangue da aspersão, que fala melhor do que o de Abel. (Hb 12.24)

“Porque esta é a mensagem que ouvistes desde o princípio: que nos amemos uns aos outros. Não como Caim, que era do maligno, e matou a seu irmão. E por que causa o matou? Porque as suas obras eram más e as de seu irmão justas” (I Jo 3.11 e 12)

Ai deles! porque entraram pelo caminho de Caim, e foram levados pelo engano do prêmio de Balaão, e pereceram na contradição de Coré.(Jd 11)

O que se verifica, de fato, é que ABEL foi tido como justo e CAIM não. Algo que podemos afirmar é que, em tese, ambos tiveram as mesmas formações, tiveram o mesmo tratamento de seus pais, aprenderam a amar a Deus desde o nascimento, enfim, tiveram uma formação, uma educação por assim dizer, bem semelhante. Quando chegaram na idade de adotar uma profissão, Caim escolheu ser lavrador e Abel, pastor de ovelhas. Tal situação é comum nos nossos dias. Dentro de nossas famílias, nossos filhos são criados da mesma maneira, mas um escolhe ser funcionário público, o outro quer ser empresário, um escolhe se advogado, ou seja, são diferentes, porque possuem traços de personalidade diferentes.

Foi exatamente isso que ocorreu com Caim e Abel. A diferença é que o ódio tomou tanto a vida de Caim que o levou a matar seu irmão.

Antes de Caim assassinar seu irmão, Deus o admoestou, orientando-o que se ele fizesse bem, Deus aceitaria sua oferta também. Ademais, Deus o repreende um pouco antes de matar seu irmão dizendo: “o seu desejo é contra você, cabe a você dominá-lo” (verso 7).

Ao experimentar o amor de Deus, Abel recebeu o entendimento da salvação. A Bíblia não comenta isso exatamente, mas é o que acontecia. Os homens do passado tinham revelações do Cordeiro de Deus. De algum modo faziam referência ao Cordeiro do futuro. [caso de Abel, caso de Moisés (Nm 21.8), caso de Jó (Jó 19.25)]. Caim, por sua vez, não experimentou o amor de Deus, não compreendeu o significado do sacrifício para perdão de pecados. Veja que Abel foi considerado justo e Caim mau. Os textos seguintes que eu apresento, ao citar Abel, mostram Abel como exemplo de homem de fé, justo, temente a Deus, ao passo que os que falam de Caim falam de uma pessoa rebelde, ímpia, que era do maligno, ou seja, mau.

Se por um lado ambos tiveram as mesmas opções, por outro lado ambos tiveram a chance de escolher o mesmo caminho, mas não o fizeram. Cada um seguiu um caminho diferente. Tiveram propósitos diferentes. Um quis conhecer a Deus, o outro não. Um entendeu que a remissão de pecados só existiria pelo derramar de sangue, o outro não, um alcançou testemunho de fé, o outro não. Caim tornou-se homicida, desobediente, um exemplo que não deve ser seguido. Abel, em contrapartida, com tão pouca coisa a seu respeito, é citado em Hebreus 11 como exemplo de fé.

Quantas vezes não entendemos porque parece que Deus está longe. Ou então pensamos que ele não ouve nossas orações, enfim, tudo parece distante. Quando nosso coração entende o sacrifício de Jesus como único meio de agradar a Deus, Ele jamais ficará longe de nós. Quando não enxergamos isso e ficamos tentando agradar-Lhe por nossas obras, mais longe ele ficará e nos tornamos maus. Mau não é necessariamente aquela pessoa que faz o mau, mas aquele que não entende o sacrifício do Calvário, aquele que não enxerga qual a verdadeira oferta para agradar a Deus.

Assim, todos nós podemos ter dois propósitos, duas opções, dois caminhos, o da justiça (que é pela fé) e o das obras mortas (que é sem fé – quando queremos agradar a Deus por nós mesmos). Temos duas lições a seguir. Temos dois rumos a tomar: ou seremos como Abel ou seremos como Caim. Não há meio termo.

Extraído do blog restauracaodapalavra.blogspot.com.br em 12/09/2013


Cada autor é responsável pelo conteúdo do artigo.

Deixe seu comentário

Advertisement