Esqueceu a senha?

Fatos sobre a Tradução da Bíblia das TJs

por Prof. Paulo Cristiano da Silva - seg fev 23, 9:23 am

TNM Estudo

EM QUE SE BASEIA A TRADUÇÃO DO NOVO MUNDO (TNM)?

A Sociedade Torre de Vigia (daqui pra frente STV) responde a esta pergunta nestes termos:

“Usou-se como base para a tradução das escrituras hebraicas o texto da bíblia hebraica, de Rudolf Kittel… teve o benefício da atualização, em harmonia com a Bíblia Hebraica Stuttgartensia de 1977… os rolos do mar morto, e numerosas traduções antigas em outras línguas foram consultados. Para as escrituras Gregas Cristãs, usou-se primariamente o texto grego mestre de 1881, preparado por Westcott e Hort..outros textos mestres foram consultados…numerosas versões antigas em outros idiomas”. (Raciocínios à Base das Escrituras página 394)

Essa afirmação não é verdadeira, pois o tetragrama não aparece em Westcott e Hort e em nenhum manuscrito grego do Novo Testamento. Ela também rejeitou a Bíblia Hebraica Stuttgartensia que ao invés de Jeová aparece o nome Adonay como também os rolos do mar morto. Para o Novo Testamento até mesmo o The Emphatic Diaglott não traz o tetragrama. Ela foi arrancá-los de outros lugares, mas não dos textos padrões que afirma ter servido de base para fazer a tradução.

QUEM SÃO OS TRADUTORES DA TNM?

Veja as afirmações nesta mesma obra citada:

… ela pediu que seus membros permanecessem no anonimato”.E mais “Não usamos o nome de nenhum erudito para referência ou recomendações…”.

Uma pergunta que precisa ser feita é: porque esse anonimato?  Será porque a comissão a qual traduziu a TNM não tinham conhecimentos para tal tarefa?

Mais adiante o autor do livro se entrega e diz: “Visto que os tradutores preferiram ficar no anonimato, a pergunta não pode ser respondida aqui em termos de formatura cultural deles” (ibidem).

O que o livro não quer revelar explicitamente é que NINGUÉM entre a comissão que traduziu a TNM sabia as línguas originais e, portanto não poderiam fazer tal tradução; e mais que isso, a STV não revela que Russell foi processado em 1912 após ter movido um processo contra um pastor batista por este ter publicado em um panfleto, que Russel ignorava o grego. No tribunal o reverendo foi absolvido ficando provado que Russell desconhecia completamente o original grego, pois a última pergunta feita pelo advogado do pastor foi: P: O senhor conhece a língua grega? R: NÃO. Não podemos nos esquecer de que Russell foi quem publicou os seis volumes de que fala o prefácio da TNM edição de 1961(capa verde) da qual ela surgiu.Um outro que foi processado por não saber os originais era nada mais nada menos que o quarto presidente da STV, “Frederic W Franz” pois não soube traduzir Gênesis 2:4 perante o tribunal sendo que no começo do interrogatório ele afirmara ser conhecedor do hebraico. O processo se deu no dia 24/11/1954 numa quarta feira.O Sr.William Cetnar, ex-TJ e que trabalhou na sede mundial em Nova Iorque, como assistente do Corpo Governante, confirma que Franz foi um dos membros da comissão que traduziu a TNM, isto é confirmado também pelo sobrinho de Franz: Raymond Franz que foi membro do Corpo Governante durante nove (9) anos e pediu para ser desassociado após descobrir as trapaças e malogros do Corpo Governante vindo a se converter a Jesus Cristo mais tarde; mas tudo isso é abafado pela STV para que seus seis milhões de adeptos não venha conhecer a verdade.

O pior de tudo é que a STV quer passar uma imagem de erudição que a TNM não possui.Veja a versão em português, que ao invés de ser traduzida diretamente dos originais como são as demais versões, foi traduzida diretamente do inglês.Que horror!!

Esta é, pois a tradução das Tjs, com “consultas constantes nos originais” como ela mesma se ufana.O tempo não nos permite expor neste e-mail, todos os erros e aberrações que possui a TNM, da qual tanto as TJ se orgulham.É uma tradução de fundo de quintal, é na verdade uma (per) versão.                              Antes de retornarmos a questão das versões siríacas, devo avisá-lo que em pesquisas realizadas tomei o parecer de um amigo que possui a “Pechita” siríaca (adquirida em Jerusalém-Israel) que é bacharel em língua e literatura hebraica pela FFLCH , mestre em hebraico pela Universidade de São Paulo , professor de línguas hebraico/grega e licenciado em letras orientais;e foi por isso que demorei responde-lo pois queria dar uma resposta robusta ao senhor, no tocante a este tema, para que também possa pesquisar por conta própria e se ver livre de uma vez por todas das algemas da Organização. Aqui senhor Walter,temos um compromisso com a verdade!

Portanto como ficou demonstrada, a versão siríacas não são bases para a TNM, pelos vários motivos expostos acima.


Cada autor é responsável pelo conteúdo do artigo.

Deixe seu comentário

Comentários fechados neste artigo.

Advertisement