Esqueceu a senha?

França pós-cristã e em breve islâmica

por Artigo compilado - dom nov 15, 4:17 pm

França pós-cristã e em breve islâmica

A França dos grandes teólogos, como Irineu, o ilustre bispo de Lião, das liberdades civis, palco do iluminismo é atualmente uma nação em profunda mudança cultural e social. Vamos a alguns dados para justificar o meu titulo acima, antes que alguém me chame de alarmista.

Com uma população de 65 milhões de habitantes e uma das mais baixas taxas de natalidade do mundo, 50% são católicos nominais e 32% se declaram ateus. Ou seja, mais de 80% não frequentam as paróquias e muito menos tem a Bíblia como normativa para suas vidas: Nesse contexto de secularismo, o islamismo já é hoje a 2° maior religião professada pelos franceses com 6,5 milhões de adeptos, ou seja, 10% da população.

Em Paris, palco da barbárie do dia 13, o percentual é o dobro, 16% da população segue o Corão como livro sagrado. Em Marselha, a segunda maior cidade francesa, a situação é ainda mais séria, sendo 1 muçulmano a cada 3 habitantes. Esses índices fazem da França a nação européia mais islamizada. Justo a França, de Carlos Martelo (714 D.C) que derrotou os exércitos muçulmanos procedentes da Península Ibérica na célebre e decisiva batalha de Tours.

O mundo não está tratando com o devido cuidado o crescimento do lslã. Não, não estou dizendo que todos os muçulmanos são terroristas, também não estou dizendo que o mundo cristã é santinho, que as potências democráticas são inocentes; mas estou dizendo que por mais que sociólogos, politicos e até pastores digam que uma coisa não nada a ver com a outra, o terrorismo se alimenta sim de uma teologia fatalista, bélica e totalitária. Esse é um fato inconteste!

Uma pergunta que incomoda muita gente, é: Como serão os países depois desse êxodo de refugiados muçulmanos para Alemanha, ltália, Grécia etc. O ministro das Finanças da Alemanha, Markus Söder, advertiu que com os atentados de Paris “começa uma nova era” e aconselhou o governo de Berlim a reforçar os controles para acabar com a chegada “descontrolada” de refugiados.

Como cristão sei que devo orar em favor dos muçulmanos, refugiados, franceses, especialmente pela salvação deles em meio desse caos. Também devo orar por um avivamento na Europa, uma volta ao Evangelho dessas nações que já foram genuinamente cristãs.

NOTA do Prof° Martinez: O Governo Francês não observa que o problema não é o Estado Islâmico, mas o islamismo dentro de suas fronteiras escravizando a liberdade e a ideologia dos seus cidadãos. Enquanto o islamismo não for colocado como a causa do problema, não haverá solução – o Estado Islâmico é apenas fruto da teologia Alcorânica. Em 1400 anos de história essa religião só fez matar, aterrorizar, vitimar e perseguir. O Islã é um mal em si mesmo. Usando um adjetivo do próprio bojo semântico maometano – “islamismo é a religião do grande satã!”.

(Para conhecer melhor a história do cristianismo na França acesse http://www.mackenzie.br/7030.html)

Assista URGENTE:


Cada autor é responsável pelo conteúdo do artigo.

Deixe seu comentário

Advertisement