Esqueceu a senha?

Glossário das TJ’s

por Artigo compilado - qui set 06, 9:39 pm

  • Comentários desativados em Glossário das TJ’s
  • 2534 views
  • Print

Por sugestão de algumas pessoas que lêem os nossos artigos, resolvi criar esta seção para desmistificar alguns termos usados. Tais palavras são comuns as testemunhas de Jeová, mas são estranhos para pessoas de outra formação religiosa. Muitos talvez se perguntem porque eu faço uso demasiado de tais termos. Simples, caro amigo leitor – esta página é feita tendo em mente a forma de pensar das testemunhas de Jeová, sendo natural usar os termos que as próprias testemunhas usam no seu cotidiano.

Em tempo: a palavra glossário significa “Livro ou vocabulário em que se dá a explicação de palavras obscuras ou desusadas” (Michaelis). Isto é exatamente o que esta seção se propõe – explicar o uso das palavras obscuras e de sentido espúrio que são empregadas pela Torre de Vigia.

Vamos então ao glossário:

144.000 – 
Ver “Ungidos”.

A.E.C – Antes da Era Comum. 
Muitos devem estranhar porque as literaturas da Sociedade Torre de Vigia não usam o termo histórico/secular A.C (Antes de Cristo). Na verdade, por serem tão ferrenhamente apegados a verdade, acham que se usassem a designação A.C estariam incorrendo numa mentira. Todos nós sabemos que Cristo não nasceu no ano 0 (zero) do nosso calendário, mas que há uma diferença que alguns dizem ser de 3 (três) e outros de 5 (cinco) anos. Assim, dizer que tal evento ocorreu X anos antes de Cristo é, segundo a ótica das testemunhas, incorrer numa mentira. Assim, eles usam o termo A.E.C (Antes da Era Comum) o qual, com toda certeza, é um termo coerente com a verdade.

Ancião – 
Um dos líderes de uma congregação das testemunhas de Jeová. Seria o equivalente ao pastor ou padre em uma igreja convencional. Numa congregação sempre existe um ancião presidente (uma espécie de pastor dirigente) e os demais anciãos (como que pastores auxiliares) que formam o corpo de anciãos da congregação (igreja). Entretanto, o ancião presidente não tem nenhuma proeminência frente aos demais. Trata-se apenas de uma designação de que ele possui algumas responsabilidades singulares no exercício de sua função. Tais pessoas não são remuneradas pelo que fazem, significando que todos os que exercem tal cargo tem empregos seculares como qualquer outra pessoa normal.

Apóstata – 
Pessoa que se “afastou de Jeová” ou apostatou do “ensino da verdade”. O termo teria aplicação para qualquer pessoa que foi testemunha de Jeová e deixou de ser por livre e espontânea vontade, além dos que foram expulsos e não voltaram, e que hoje criticam os “ungidos” de Deus e seus ensinamentos. Também é usado para aqueles que nunca foram testemunhas de Jeová e que criticam ferrenhamente os seus ensinos.

Armagedom – 
Para as testemunhas de Jeová, o armagedom não é a reunião das nações para a batalha final, conforme nos descreve Apocalipse. É, na ótica delas, a grande guerra do Deus Todo-Poderoso contra as nações e os ímpios. Será uma guerra celestial contra o mundo (ou sistema de coisas), em escala global. Será neste dia que Deus vingará toda a iniqüidade praticada pelos homens e destruirá praticamente toda a humanidade – os únicos sobreviventes serão as testemunhas de Jeová, é claro.

Babilônia, a Grande – 
Qualquer outro grupo religioso que não seja o das testemunhas de Jeová. Para elas, qualquer grupo religioso fora o delas é parte do “império mundial da religião falsa” descrito em apocalipse, e por conseqüência dirigido pelo diabo. Assim, no pensamento das testemunhas de Jeová, o catolicismo, protestantismo, islamismo, hinduísmo, etc seriam todas organizações dirigidas por satanás e seus demônios.

Congregação – 
Ver “Salão do reino”.

Corpo Governante – 
Grupo composto atualmente (2002) por 10 (dez) homens que são tidos como “ungidos” por Jeová com seu espírito santo (em minúsculo porque eles não acreditam que o Espírito Santo seja uma pessoa) para dirigir a sociedade torre de vigia e as testemunhas de Jeová. Tais pessoas literalmente exercem o direito de livre arbítrio das testemunhas, “aconselhando” (diga-se melhor: obrigando) as pessoas sobre o que elas devem ou não fazer de suas vidas com relação a diversas situações do cotidiano (se devem saldar a bandeira, cantar o hino nacional, se devem comemorar aniversários, natal, etc). Em suma, tal “corpo governante” é hoje o representante de Deus na terra, tal como o papa o é para os católicos romanos. Por esta razão, na ótica das testemunhas, que acreditam que tais homens são de fato tudo isso que eles se auto-atribuem, desobedecer tais homens é o mesmo que desobedecer a o próprio Deus, e rejeitá-los é como abandonar o próprio Jeová. Ver também “Escravo Fiel e Discreto”.

E.C – Era Comum. 
O mesmo que D.C (Depois de Cristo) ou A.D (Ano Domini). Favor ver a explicação de A.E.C.

Escravo Fiel e Discreto – 
Confunde-se muito com o “Corpo Governante”. São, na verdade, os cérebros da seita, homens que fazem as publicações da Sociedade Torre de Vigia. Diz-se que o “escravo fiel e discreto” alimenta o povo de Jeová no tempo apropriado, fazendo alusão a o alimento espiritual e o escravo (em algumas traduções: mordomo) descritos em Lucas 12:42. Detalhe: o tal escravo não seria todo e qualquer ministro de cristo, mas apenas alguns privilegiados que teriam a responsabilidade de dar a todos os demais as “instruções de Jeová” e o alimento espiritual para o “seu povo” (na verdade, para as testemunhas de Jeová).

Escrituras Hebraicas – 
O mesmo que “Velho Testamento”. Cabe aqui um comentário apropriado. É verdade que a palavra “Testamento”, usada para dividir os livros da bíblia pela maioria dos cristãos, é fruto de uma tradução incorreta dos termos citados por Paulo em Gálatas 3:15-17, que seriam melhor traduzidos por “Aliança”. Esta visão é quase uma unanimidade entre os eruditos bíblicos. Mas não é por isto que vamos criar uma “birra” diante de uma bobagem e não chamarmos as divisões da bíblia de “Velho Testamento” e “Novo Testamento”, achando que com isso estaremos cometendo algum tipo de pecado. Isto é discussão vã que só causa divisão (Veja Tito 3:9, Colossenses 2:8 e Judas 1:19). Ver também Tradução do Novo Mundo.

Escrituras Gregas – 
O mesmo que “Novo Testamento”. Ver comentário em “Escrituras Hebraicas” logo acima. Ver também Tradução do Novo Mundo.

Grande Multidão (ou outras ovelhas) – 
O grupo entre as testemunhas de Jeová que tem a esperança de viver em carne no paraíso reestabelecido nesta terra. Desde 1935, foi fechada a porta do céu para as testemunhas, e as que hoje ingressam no movimento tem de se contentar em viver na terra com um corpo físico limitado, porém “perfeito” (perfeição parcial, pois se pecarem ao longo de sua vida eterna podem ser exterminados para sempre – aniquilados). Constituem pelo menos 99,9% dos adeptos da seita. Isto certamente é uma idéia muito estranha para cristãos de todas as correntes. As testemunhas fizeram esta heresia interpretando que Jesus falou em João 10:16 que tinha outras ovelhas que não eram do aprisco celestial. Todo cristão com um mínimo de bom senso sabe que Cristo falava dos judeus (as ovelhas do aprisco) e dos gentios (as outras ovelhas). No entanto, o então presidente da STV, Joseph Rutherford, decidiu atribuir a Cristo o que Ele em momento algum falou, que as outras ovelhas seriam os que herdariam a terra. Apocalipse 19:1 e 7:9-15 nos mostra com certeza total que a grande multidão está no céu, e outros textos mostram que os ressuscitados serão como os anjos do céu (Marcos 12:25, Mateus 22:30).

Organização (ou Organização de Jeová) – 
Ver Sociedade Torre de Vigia (STV).

Outras Ovelhas – 
Ver “Grande Multidão”.

Publicador – 
Testemunha de Jeová ou estudante que faz o trabalho de proselitismo religioso conhecido como serviço de campo.

Pioneiro – 
Um publicador ativo das Testemunhas de Jeová, que assina com a congregação um compromisso formal de pregar um número específico de horas por mês. Subdividem-se em:

Pioneiro auxiliar – 
as reuniões semanais, principalmente no meio de semana, incentivam o trabalho de campo, a divulgação de casa em casa. Também são incentivados a serem pioneiros auxiliares pelo menos uma vez por ano, no período de férias secular. Mesmo os que têm responsabilidade com trabalho secular poderão dedicar apenas um mês neste serviço sagrado. Isto custará cerca de duas horas por dia, totalizando 50 horas de pregação naquele mês.

Pioneiro regular – 
70 horas mensais. Para ser um pioneiro regular o candidato fará uma petição de serviço para um ano.
Pioneiro especial – é designado a uma região que não tenha expressividade de seus adeptos, ou para uma cidade que ainda não tenha Testemunhas de Jeová. Geralmente serve como ancião em sua designação, tendo que relatar à Sociedade Torre de Vigia mensalmente suas atividades. Precisa divulgar 120 horas durante o mês.

Publicações – 
Quando uma testemunha de Jeová usa este termo, geralmente está fazendo menção das revistas, livros e brochuras publicados pela Sociedade Torre de Vigia.

Reunião – 
Termo empregado para denotar o ajuntamento das testemunhas de Jeová em sua congregação. Não podemos de forma alguma aqui colocar a palavra “Culto”, pois as testemunhas dificilmente cultuam (adoram) seu Deus como nós o fazemos. Suas “reuniões” são sempre focadas em estudos das doutrinas da Torre de Vigia, bem como as técnicas para abordar as pessoas no serviço de campo. O único momento que poderia ser considerado de culto está nos dois cânticos realizados durante as reuniões, sempre acompanhados por um disco (CD) fornecido pela sociedade torre de vigia, cantadas com o cancioneiro da torre de vigia e com músicas estabelecidas pela torre de vigia. É uma manobra total do “culto” (se é que podemos chamá-lo assim). Posso dizer que os cânticos são mera formalidade, pois são em sua grande maioria mornos e sem sentido de adoração a Deus.

Salão do reino – 
Local onde se reúnem as testemunhas de Jeová. O termo “igreja” nunca é usado por elas, pois se identifica muito mais com as denominações da “cristandade” (para eles, cristandade é o grupo de religiões pseudo-cristãs). Vê-se por esta coisa banal que as testemunhas de Jeová tem a doença de quererem ser diferentes de tudo e de todos, a todo o custo, inclusive em coisas simples como a terminologia usada. No entanto, a verdadeira razão para o termo mostra a união das testemunhas com um grupo reconhecidamente envolvido com coisas ocultas: a maçonaria. É verdade que hoje não existe tal união, mas foi fruto do envolvimento direto de seu fundador, Charles Taze Russel, com a maçonaria. As primeiras reuniões dos então “estudantes da bíblia” (como eram conhecidas as primeiras testemunhas) foram realizadas em lojas maçônicas. Porém, nos Estados Unidos uma loja maçônica chama-se de salão maçom (Masonri Hall), e daí provém o nome salão do reino (Kingdom Hall).

Serviço de Campo – 
Trabalho de proselitismo religioso que consiste em tentar “converter” os ouvintes às doutrinas das testemunhas. É feito tanto na forma de venda (eles chamam de colocação) das revistas, brochuras e livros da organização das testemunhas de Jeová como em pregação “apenas com a bíblia” (usando textos distorcidos e fora do contexto). O objetivo, independente do método empregado é um só: iniciar um “estudo da bíblia”, com uma duração de pelo menos 6 meses (tempo suficiente para a lavagem cerebral) com o propenso estudante e depois ir gradativamente levando o mesmo para as reuniões nos salões do reino. Toda testemunha tem de fazer tal trabalho, pois se não faz corre o risco de não ser salvo no armagedom. Os que fazem são conhecidos como publicadores.

Servo Ministerial – 
O mesmo que diácono.

Sinceros – 
Para as testemunhas, esta palavra tem um significado diferente do original. Todas as vezes que vemos a expressão “os sinceros” em suas publicações, geralmente está se referindo àqueles que ouvem e aceitam a pregação das testemunhas de Jeová. Qualquer outra pessoa que não se enquadre nesta situação é chamada de “duro de coração”.

Sistema de coisas – 
O mesmo que a expressão “mundo apartado de Deus”, sendo que na verdade significaria mais apropriadamente “mundo apartado da organização das TJ’s”.

S.T.V (Sociedade Torre de Vigia) – 
A organização, ou pessoa jurídica devidamente registrada perante as autoridades de um país, que imprime e distribui todas as publicações das testemunhas de Jeová. É sinônimo, para elas, de “organização de Jeová” e por vezes sinônimo do próprio Jeová. Também é usado com o mesmo sentido dos termos “corpo governante” e “escravo fiel e discreto”.

Superintendente – 
O equivalente ao termo traduzido por bispo. Sendo que a sua função é a de coordenar um grupo de congregações. Pode ser superintendente de circuito (que reúne umas 24 congregações) como de distrito (que reúne um grupo de circuitos). Veja a divisão detalhada:

Superintendente de cidade – 
Ancião responsável por uma cidade, cuida de assuntos técnicos como problemas com locais para realização de reuniões de congressos e assembléias.

Superintendente de circuito – 
Ancião responsável por um circuito de cerca de 24 congregações.

Superintendente de distrito – 
Ancião responsável por vários circuitos.

Superintendente de filial – 
Ancião responsável pela gráfica (em cada país).

Superintendente de zona – 
Representante do corpo governante que visita um país.

Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas – 
Esta é a bíblia oficial das testemunhas de Jeová, que é igual às demais bíblias existentes com relação ao número de livros (66), divisão de capítulos e versículos e etc. Entretanto, existem internamente nesta bíblia (que eles chamam de Escrituras Sagradas) grandes diferenças em relação às demais. Por exemplo, no Velho Testamento (chamado por eles de Escrituras Hebraicas) o nome Jeová é usado em todos os lugares onde a palavra SENHOR é usada em muitas traduções. Não quero aqui criticar o uso do nome divino no velho testamento. Temos que ser coerentes com a verdade e afirmar que restaurar o nome – muito embora com uma transliteração errrada (a mais correta seria Javé) – ao Velho Testamento é se apegar fielmente aos escritos originais. Entretanto, eles exageraram na dose. Se fossemos de fato restaurar o NOME no número de vezes que Ele foi encontrado nos originais, teríamos que fazer isto 2.229 vezes. Na bíblia da Torre de Vigia vemos o nome repetido quase 7.000 vezes. Até mesmo no Novo Testamento (ou como eles chamam: Escrituras Gregas), onde nenhum original disponível até hoje tem sequer a menção do NOME que os Israelitas se referiram ao Deus Todo-Poderoso, os senhores da equipe de “Tradução do Novo Mundo” inseriram o NOME onde acharam que seria apropriado. Em outras palavras, eles escolheram ao seu bel prazer onde deveriam colocar o nome Jeová na nova aliança. Afora isto, eles também fizeram todos os esforços possíveis e imagináveis para tirar qualquer traço da divindade de Jesus no Novo Testamento, e onde foi possível (e até em lugares onde não era possível) eles traduziram alguns textos de forma tendenciosa, para se conformar com suas doutrinas. Em suma: é uma versão da bíblia completamente distorcida e tendenciosa aos dogmas e doutrinas da Sociedade Torre de Vigia. Os cristãos fazem bem em ter uma cópia para poderem refutar as testemunhas em sua própria bíblia onde é possível fazer isto.

T.J – 
O mesmo que “testemunhas de Jeová”.

Ungidos (ou 144.000) – 
São o “grupo seleto de homens” que tem uma relação direta com Jeová através de Jesus e que tem esperança de vida celestial. Os demais (a ampla maioria das TJ’s – cerca de 99,99%) não tem uma relação com Deus, nem tampouco Cristo é o seu mediador pessoal, e além disso tem esperança de viver na terra. Para serem salvos, o restante não só deve obedecer os “irmãos de Cristo” (os ungidos ou 144.000), como também estar junto com eles, pois a salvação longe de tal “categoria seleta” de homens não é possível.

Veja o vídeo

Autor: Irmão Brasileiro

  • Comentários desativados em Glossário das TJ’s
  • 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (Sem Votos)
    Loading...
  • 2534 views
  • Print

Cada autor é responsável pelo conteúdo do artigo.

Deixe seu comentário

Comentários fechados neste artigo.