- CACP – Ministério Apologético - http://www.cacp.org.br -

Guerra nas estrelas

A revista VEJA*, na capa de frente, traz o título em manchete GUERRA NAS ESTRELAS – Mais uma vez a astronomia demole as crenças astrológicas. Mas isso importa para quem se guia pelos astros? Nas páginas 85/90 onde o assunto é comentado lemos o subtítulo “TEM CONFUSÃO NO CÉU DA CIÊNCIA E NO DA CRENÇA.” E continua o comentário: “Desde a Antiguidade, os homens olham para o céu noturno em busca de significados racionais e místicos.

[1]Agora, novas descobertas cosmológicas estão mexendo tanto com a astronomia quanto com a astrologia. Só se pode imaginar em que momento o homem olhou pela primeira vez para o céu e se encantou com o que viu.”… “No Brasil, uma enquête recente feita pela internet com 2 000 brasileiros revelou que 51% deles leem horóscopos diariamente e 37% acreditam que os astros influenciam destinos e apontam caminhos.”.

Duas semanas atrás, essa comunidade de decifradores de astros tomou um choque. O astrônomo americano Parke Kunke, professor da Minneapolis Community & Technical Center, veio a público afirmar que está errada a interpretação dos movimentos celestes usada pela astrologia para determinar os signos de acordo com a data de nascimentos das pessoas. Na prática, isso significa que muita gente pertence a um signo diferente daquele a que julga pertencer. “Mas quem leva essas coisas a sério ficou com a pulga atrás da orelha, tentando entender quais as repercussões em sua vida da nova ordem cósmica.

Como alguém que passou toda a vida acreditando ser do signo de Leão pode agora ser de Câncer ou um libriano ser informado de que deixou de sê-lo para ser regido pelo signo de Virgem? Para quem acredita, o horóscopo dos jornais é tão útil quanto às receitas de bolo. Para quem crê, crença é coisa séria.”

PR. NATANAEL: Não estarão decepcionados os astrólogos que criam que suas vidas eram dirigidas pelos signos conhecidos e que, agora, tomam conhecimento de que vinham se guiando por um signo que não era o seu?

Os que têm a astrologia como religião foram enganados. E se a mentira em si já é prejudicial, o que dizer de uma mentira religiosa? Isso revela que a astrologia não é confiável e deve ser abandonada principalmente porque desagrada a Deus. A propósito, a nova revista VEJA de 2 de fevereiro de 2011 na coluna do LEITOR, página 29, comenta a declaração de um leitor nos seguintes termos: “Desculpem-me os que acreditam e trabalham com esse assunto, mas minha esposa sempre disse que sou um exemplo de aquariano”. Agora, eu simplesmente passei a ser capricorniano. As recentes mudanças serviam como um “tiro” na crença de muitas pessoas, isso sim! (Judson M. Rezende)

Qual a diferença entre astronomia e astrologia?

Astronomia trata da ciência que se ocupa da constituição e movimento dos astros. Já astrologia é a arte de adivinhar o futuro referindo-se à posição ou aspecto de certos astros.

A Bíblia tem alguma declaração sobre essa decepção pela qual estão passando os astrólogos?

Sim. A Bíblia diz em Isaías 47:13-15 “Cansaste-te na multidão dos teus conselhos; levantem-se pois agora e te salvem os astrólogos, que contemplam os astros, e os que nas luas novas prognosticam o que há de vir sobre ti. Eis que são como restolho; o logo os queimará; não poderão livrar-se do poder das chamas; pois não é um braseiro com que se aquentar, nem fogo para se sentar junto dele. Assim serão para contigo aqueles com quem te hás fatigado, os que tiveram negócios contigo desde a tua mocidade; andarão vagueando, cada um pelo seu caminho; não haverá quem te salve.”

Há algum exemplo histórico na Bíblia que apresente a decepção de astrólogos de renome que, baseados nos cálculos astrológicos, não conseguiram revelar o futuro, o que demonstrou ser inútil apegar-se a tal prática?

Sim. Quando o Rei Nabucodonozor teve um sonho, ele mandou chamar os magos, os feiticeiros e os astrólogos para que lhe contassem o que ele tinha sonhado. Como é que eles responderam? A Bíblia diz em Daniel 2:10 “Responderam os caldeus na presença do rei, e disseram: Não há ninguém sobre a terra que possa cumprir a palavra do rei; pois nenhum rei, por grande e poderoso que fosse, tem exigido coisa semelhante de algum mago ou encantador, ou caldeu.” Os astrólogos da Babilônia não foram capazes de ajudar o rei com o seu sonho perturbador. Todavia, Deus abençoou o seu profeta piedoso Daniel com os dons verdadeiros do Espírito Santo, e ele foi levado à presença do rei para interpretar o sonho. A Bíblia diz em Daniel 2: 27-28 “Respondeu Daniel na presença do rei e disse: O mistério que o rei exigiu, nem sábios, nem encantadores, nem magos, nem adivinhadores lhe podem revelar; mas há um Deus no céu, o qual revela os mistérios; ele, pois, fez saber ao rei Nabucodonozor o que há de suceder nos últimos dias. O teu sonho e as visões que tiveste na tua cama são estas.” Com a unção de Deus, Daniel pode descrever e explicar ao rei o seu sonho profético.

Os astros foram colocados por Deus para serem objeto de adivinhações, para dirigir a vida das pessoas que crêem nos horóscopos?

Não. Isso é terminantemente proibido: (Deuteronômio 4:19) – “Que não levantes os teus olhos aos céus e vejas o sol, e a lua, e as estrelas, todo o exército dos céus; e sejas impelido a que te inclines perante eles, e sirvas àqueles que o SENHOR teu Deus repartiu a todos os povos debaixo de todos os céus.” A finalidade da criação de astros foi para iluminar tanto o dia como a noite, como aponta o texto de (Gênesis 1:14) – “E disse Deus: Haja luminares na expansão dos céus, para haver separação entre o dia e a noite; e sejam eles para sinais e para tempos determinados e para dias e anos”. (Gênesis 1:15) – E sejam para luminares na expansão dos céus, para iluminar a terra; e assim foi. (Gênesis 1:16) – E fez Deus os dois grandes luminares: o luminar maior para governar o dia, e o luminar menor para governar a noite; e fez as estrelas. (Gênesis 1:17) – E Deus os pôs na expansão dos céus para iluminar a terra, (Gênesis 1:18) – E para governar o dia e a noite, e para fazer separação entre a luz e as trevas; e viu Deus que era bom.”

Que textos bíblicos poderiam ser citados como Deus proibindo essa prática divinatória de astrologia e horoscopia com fins de revelar o futuro da pessoa?

(Deuteronômio 18:10) – “Entre ti não se achará”… nem adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro; (Deuteronômio 18:11) – Nem encantador, nem quem consulte a um espírito adivinhador, nem mágico, nem quem consulte os mortos; (Deuteronômio 18:12) – Pois todo aquele que faz tal coisa é abominação ao SENHOR; e por estas abominações o SENHOR teu Deus os lança fora de diante de ti. (Deuteronômio 18:13) – Perfeito serás, como o SENHOR teu Deus. A nossa vida deve ser dirigida por Deus que é muito mais seguro, sabendo que Deus é onisciente e conhece o nosso futuro, considerando que, mesmo antes de nascer, já estávamos sendo conhecidos por Deus. (Salmos 37:5) – “Entrega o teu caminho ao SENHOR; confia nele, e ele o fará.” (Salmos 139:2) – “Tu sabes o meu assentar e o meu levantar; de longe entendes o meu pensamento. (Salmos 139:3) – Cercas o meu andar, e o meu deitar; e conheces todos os meus caminhos. (Salmos 139:4) – Não havendo ainda palavra alguma na minha língua, eis que logo, ó SENHOR, tudo conheces.”

*A revista VEJA edição de 26 de janeiro de 2011

[2] [3]Compartilhar [4]