Esqueceu a senha?

Igreja é vandalizada

por Julio Severo - sex set 13, 2:20 pm

Igreja vandalizada depois de se opor a um show homossexual predatório para crianças

Uma igreja pentecostal na Califórnia foi vandalizada depois que a igreja manifestou sua forte oposição a um evento homossexual voltado para crianças. O evento, financiado pela prefeitura e anunciado como “Hora de Contar Estorinhas da Drag Queen,” foi realizado em 10 de setembro de 2019, na biblioteca do Centro Cívico da cidade de Chula Vista, Califórnia, EUA.

O pastor executivo Amado Huizar, da Igreja Pentecostal South Bay, localizada em Chula Vista, disse que vândalos deixaram suas marcas nas paredes externas do edifício da igreja.

“Em todos os cantos, havia frases, palavras de ódio e pichações nas paredes de nossa igreja,” disse Huizar.

O pastor Huizar teve uma reunião com a prefeita Mary Salas, mas foi inútil, porque a prefeitura não recuou.

Dias antes do evento, Huizar esteve com outros líderes religiosos de toda a cidade em uma coletiva de imprensa nos degraus da prefeitura para orar e se opor ao evento da drag queen na biblioteca.

A coletiva de imprensa foi transmitida ao vivo para a página da igreja no Facebook.

Art Hodges, o pastor principal da igreja de South Bay, lembrou aos repórteres na coletiva de imprensa a mensagem bíblica de Provérbios 14:34:

“A justiça exalta uma nação, mas o pecado condena qualquer pessoa.”

“Nós, como líderes espirituais desta comunidade, como atalaias conhecidos na muralha, temos a responsabilidade de dar um alerta quando vemos o perigo se aproximando,” disse Hodges. “Edmund Burke disse: ‘a única coisa necessária para o triunfo do mal é que o homem bom não faça nada.’ Dietrich Bonhoeffer disse: ‘O silêncio em face do mal é o próprio mal: Deus não vai nos considerar inocentes. Não falar é falar. Não agir é agir.’ Então, os líderes religiosos veem algo que não está certo em nossa comunidade, roubando a paz e a alegria de nossa comunidade,” continuou Hodges.

O pastor provocou uma salva de palmas quando disse: “Uma pesquisa entre os residentes de Chula Vista revelou que a maioria esmagadora não é a favor de uma hora para uma drag queen contar estorinhas na nossa biblioteca pública.”

Contudo, se a maioria dos residentes não deseja propaganda homossexual predatória nos locais públicos de sua cidade, por que essa propaganda está sendo imposta aos seus filhos?

A Hora de Contar Estorinhas da Drag Queen na biblioteca do Centro Cívico teve em grande parte oposição da organização conservadora conhecida como MassResistance, que o Centro Legal de Pobreza do Sul, um grupo de extrema esquerda, descreve como um “grupo de ódio.”

A Hora de Contar Estorinhas da Drag Queen foi lançada em San Francisco, considerada a capital da homossexualidade nos EUA, em 2015 e, desde então, se espalhou pelos Estados Unidos, até cidades em estados conservadores como Lincoln, Nebraska e Juneau, no Alasca. Esses eventos visam celebrar a homossexualidade para crianças e ensiná-las que a homossexualidade é totalmente normal e saudável.

MassResistance organizou um protesto dias atrás para exigir que a cidade cancelasse o evento homossexual predatório. Como a maioria dos pais, MassResistance acredita que o evento está cometendo um crime ao buscar doutrinar as crianças no estilo de vida homossexual.

“Esse show precisa ser encerrado antes mesmo de começar,” disse Arthur Schaper, diretor da filial estadual de MassResistance na Califórnia. “Ter artistas adultos sexualmente explícitos e ilícitos lendo para as crianças, classificando-os como heróis e modelos é simplesmente impensável e inconcebível.”

Mesmo assim, mais de 70 líderes e grupos religiosos de esquerda na Califórnia assinaram uma carta em apoio ao evento homossexual predatório.

Em parte, a carta disse que “permitir que nossos filhos interajam com artistas drag queens ajuda a derrubar o preconceito anti-LGBTQ.”

Apoiadores que assinaram a carta incluem líderes da Primeira Igreja Metodista Unida de Chula Vista; Primeira Igreja Universalista Unitariana de South Bay, em San Diego; e Igreja Cristã Ajuntamento Missionário.

“Louvo o trabalho da biblioteca da prefeitura de Chula Vista por seu compromisso de criar uma programação inclusiva e de defesa LGBTQ +. Todos os gêneros e todas as expressões de gênero são saudáveis e santas,” disse numa declaração a Reverenda Tania Marquez, da Primeira Igreja Universalista Unitariana Universal de South Bay, em San Diego.

Os americanos estão em uma situação muito difícil. Inicialmente, os homossexualistas diziam no passado que queriam apenas o direito de viver sua homossexualidade. Agora, eles visam abertamente as crianças, e todo mundo sabe o final trágico dessa história: homossexualidade e pederastia andam de mãos dadas. A Igreja Católica tem sofrido grandes escândalos de pedofilia por causa de seus padres homossexuais.

Como uma minoria de predadores homossexuais e seus aliados esquerdistas consegue prevalecer sobre a maioria das pessoas que não querem que seus filhos sejam doutrinados na homossexualidade?

Apesar de seus protestos e esforços, o povo e as igrejas de Chula Vista perderam e os homossexuais venceram.

Os americanos estão perdendo a guerra cultural. Mesmo com Donald Trump como presidente, o rolo compressor homossexual continua esmagando a maioria dos americanos e sua vontade. Em certo sentido, isso não é surpresa. O governo Trump tem sido muito tímido ou até favorável a vários itens da agenda gay.

Os americanos precisam de uma lei que proíba a propaganda homossexual para crianças e adolescentes o mais rápido possível. Se a Rússia conservadora tem, por que os EUA também não podem ter?

Com informações de Christian Broadcasting Network, Fox 5 San Diego e San Diego Union Tribune.

Versão em inglês deste artigo: Church Vandalized After Opposing Predatory Homosexual Show to Children

Fonte: www.juliosevero.com


Cada autor é responsável pelo conteúdo do artigo.

Deixe seu comentário

Advertisement