Esqueceu a senha?

Integração segundo o Novo Testamento

por Pr. Natanael Rinaldi - seg set 22, 9:51 am

Evangelism565454554

Definição: Define-se integração à conservação, ao desenvolvimento e à multiplicação do fruto do evangelismo.

O Exemplo do Novo Testamento

A maioria das cartas de Paulo, Pedro e João são cartas que visam à integração dos novos na fé. Paulo escreveu: O qual nós anunciamos, admoestando a todo o homem, e ensinando a todo homem em toda a sabedoria para que apresentemos todo homem perfeito em Cristo. (Cl. 1:28) O termo anunciamos indica a proclamação da mensagem evangelística; o termo ensinando indica que os ganhos pela mensagem eram levados, através de ura processo de instrução e adestramento, à plenitude de vida em Cristo.

 

A Expansão do Evangelho

A expansão do evangelho no 1º século foi surpreendente. Os primeiros discípulos obedeceram ao mando do Senhor de ir a todo o mundo, pregando e ensinando; e o fizeram o ponto de levar seus contemporâneos a protestarem: “…Estes que tem transformado o mundo chegaram também aqui”. (At. 17:6).

 

Conservando e Desenvolvendo os Membros da Igreja

Salta aos olhos da gente que a maioria dos membros de nossas igrejas são crentes imaturos espiritualmente. Paulo descreve tais crentes, dizendo: “Não sois porventura carnais, e não estais andando segundo os homens?” (1Co. 3:3) São crentes que ignoram as doutrinas básicas da Bíblia e, as que conhecem, não são capazes de aplicar em sua experiência pessoal. Acham que ser crente é frequentar os cultos. Em outras palavras, espiritualmente são como recém-nascidos e, como tais, precisam crescer e se desenvolver. Nenês não crescem automaticamente. Para isso, eles carecem de receber um sem número de cuidados: precisam ser alimentados, protegidos e treinados. Já se disse que 40% dos que se batizam anualmente se perdem para o programa e influência da Igreja em 10 anos. Certo pastor fez em termos de porcentagem, o seguinte quadro da situação das igrejas:

20% nunca oram

25% nunca leem a Bíblia

30% nunca vão à Igreja

40% nunca contribuem para nenhum fim

50% nunca vão aos domingos de manhã à igreja

60% nunca vão aos cultos da noite

80% nunca vão às reuniões de oração

90% nunca fazem culto doméstico

95% nunca levam uma alma a Jesus

99% nunca acompanham o desenvolvimento das pessoas que elas conseguem levar a uma decisão para Cristo.

 

Perguntas

  1. Que porcentagem de membros da sua Igreja pode ser considerada espiritualmente amadurecida?
  2. Qual o propósito de Deus para cada crente? (Ef. 4:13).
  3. Como o alvo pode ser atingido? (Tg. 1:22).
  4. Quem pode citar uma diferença entre maturidade e imaturidade espirituais? (Hb. 5:14; 1Co. 3:1-4,18,21).

 

Cuidando do Indivíduo

A integração tem sido chamada pediatria espiritual. É o cuidado dispensado a novos crentes com o fito de levá-los à maturidade e fecundidade espirituais. A Bíblia nos mostra um Cristo profundamente interessado em indivíduos. Através de atos e palavras de amor e de cuidado com cada discípulo, individualmente, ele expressa um amoroso coração de pai.

Infelizmente poucas pessoas revelam amor semelhante ao de Cristo e poucas compreendem quão vasto e ilimitado campo de ministério é o trabalho com indivíduos. Não são muitos também os que estão dispostos a oferecer cuidados de pai a novos crentes, não permitindo que se tonem órfãos espirituais.

 

Pais Espirituais

Paulo se considerava pai de todos aqueles que ele ganhava para Cristo. Porque ainda que tenhais dez mil aios em Cristo, não tendes contudo muitos pais; pois eu pelo evangelho vos gerei em Cristo Jesus (1Co. 4:15; Gl. 4:19; 1Ts. 2:11). Paulo chamava a Timóteo e a Tito de seus filhos na fé. Há duas maneiras de alguém se tomar pai de bebês espirituais: ganhá-los ou adotá-los. Há os que ganham almas e assumem a responsabilidade de zelar por elas e há os que experientes e cheios de amor, adotam um novo convertido ou um irmão imaturo que deseja crescer espiritualmente.

 

Quatro Necessidades de Um Novo Crente

Os pais têm a responsabilidade de amar, alimentar, proteger e educar seus filhos até que esses atinjam a maturidade. Espiritualmente, cada ganhador de almas tem também essa responsabilidade quádrupla.

  1. Amor (Jo. 15:.12; 1Jo. 3:16): Um verdadeiro pai jamais lamenta o tempo, o custo e o sacrifício necessários para ajudar os filhos a crescer.
  2. Alimentação: Em Jo. 21:15-17 Jesus por três vezes ordenou a Pedro que alimentasse as suas ovelhas. O único alimento indicado para crianças em Cristo é o leite espiritual (1Pe. 2:2). Fisicamente nos alimentamos três vezes ao dia. Um recém-nascido recebe o leite na mamadeira. Mais tarde, com o ensino dos pais, a criança vai aprendendo a comer sozinha; aprende também a escolher e onde encontrar os alimentos. Na adolescência a pessoa não come só alimentos preparados por outros, ela também já sabe prepará-los. Um crente amadurecido nas coisas espirituais é capaz de alimentar-se da Palavra de Deus e de partilhar com outros a sua abundância (Mt. 4:4).
  3. Proteção: Uma criança de 11 meses morreu queimada num incêndio em um apartamento em Santos. Um recém convertido precisa de proteção que o resguarde para o crescimento na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador (2Pe. 3:18). Satanás quer derrotar (1Pe. 5:8). As principais áreas de tentação, nas quais o diabo se empenha em enlaçar o recém-convertido são: sexo, segurança econômica e sucesso – a concupiscência da carne, dos olhos e a soberba da vida (1Jo. 2:16). Deve se revestir das armas espirituais (Ef. 6:10-12). Em caso de desobediência a disciplina será ministrada (Hb. 12:6).

 

  1. Ensino: Entre os muitos cuidados que os pais dispensam a seus filhos, inclui-se o ensino, que começa desde que são bem pequeninos e intensifica-se à medida que eles crescem. Pais espirituais fazem o mesmo; ensinam seus filhos, construindo sobre o fundamento que é Cristo Jesus (1Co. 3:10-15).Uns constroem com material eterno e sua obra permanece; outros procuram edificar com superficialidades e estas jamais resistem à prova do fogo, isto é, não são capazes de suportar as adversidades e pressões da vida. (1Ts. 3:5; Fp. 2:15,16). Vencer o pecado e testemunhar de Cristo, eis os objetivos do ensino aos crentes do Novo Testamento.

 

Perguntas:

  1. Qual é o alimento próprio para criancinhas na fé? (1Pe. 2:2; Hb. 5:13)
  2. Cite algumas características do crente amadurecido? (2Co. 5:7; Mt. 4:4; 1Ts. 5:18; 2Co. 9:7-8; 1Jo. 3:16; Fp. 1:20; Ef. 6:18.

 

Guiando os Filhos à Maturidade

Segundo o NT, integração é tudo que é feito na vida do crente para levá-lo à maturidade e ao aperfeiçoamento espiritual. O ideal de Paulo era ver cada um de seus filhos na fé chegando a homem perfeito em Cristo (Cl. 1:28). O mesmo se lê em Ef. 4:13. Maturidade cristã é o conhecimento das doutrinas bíblicas com uma aplicação delas às situações da vida.

 

Como Conseguir a Integração

Trinta e dois anos depois da ressurreição de Jesus, os primeiros cristãos já haviam atingido todo o mundo pagão do seu tempo com a mensagem do evangelho – sem rádio, sem TV, sem imprensa ou outro dos meios modernos de comunicação usados em nossos dias na pregação (At. 17:6). Crentes que testemunhavam eram naqueles dias a regra geral e não uma exceção. No NT vemos apresentados quatro métodos diferentes de integração com características acentuadamente pessoais. São eles: o contato pessoal, a oração pessoal, um mensageiro pessoal e correspondência pessoal.

 

Contato Pessoal

Jesus e Paulo dão exemplos deste método de integração, o mais importante entre os quatro métodos. A missão de Jesus era buscar e salvar o que se havia perdido (Lc. 19:10). O contato pessoal tem como objetivo o treinamento e ensino (Mc. 3:14). Jesus tinha dois objetivos em mente, quando separou os doze para um contato pessoal e íntimo: desejava com eles partilhar sua vida e seu ministério. Fazer discípulo de uma pessoa é levá-la à experiência de ter Jesus como Senhor e centro de sua vida. Um homem é discípulo de Cristo quando permanece em sua Palavra e dá fruto (Jo. 8:31; 15:8) Paulo mantinha contato pessoal. Em At. 20:4 há uma lista de sete homens que viajavam com ele aos quais ele transmitia os mistérios da vida cristã. Em Rm. 16 ele menciona nominalmente cerca de 30 pessoas nas quais estava particularmente interessado. Aos tessalonicences escreveu: Rogando incessantemente, de noite e de dia, para que possamos ver o vosso rosto, e suprir o que falta à vossa fé (1Ts. 3:10; At. 14:22).

 

Oração Pessoal

Tanto Jesus gastou muito tempo em intercessão por novos crentes (Mc. 1:35; 6:12-14; Lc. 22:31-32; Mt. 16:23; 26:39-40).

 

Representante Pessoal

Quando Paulo não podia visitar as igrejas costumava mandar um representante em seu lugar (Fp. 2:19-22). Não há muitos homens iguais a Timóteo “pois todos buscam o que é seu e não o que é de Cristo Jesus (2:21). Epafrodito, Tíquico e Tito trabalhavam em diferentes igrejas, a mando e sob a autoridade de Paulo. Paulo enviava esses homens, por ele treinados, não só para promover integração entre os crentes, mas também como intermediários entre ele e as igrejas.

 

Correspondência Pessoal

A maior parte do NT consiste de cartas a novos crentes, escritas com o fito de encorajá-los, de guiá-los e de ensiná-los na sua nova fé. Deus usou Paulo, João, Pedro, Lucas para edificar vidas cristãs através de cartas, que hoje compõem grande parte do NT: Lc. 1:3-4; 2Pe. 1:12-15. Uma carta pode abrir uma porta para um contato posterior.

 

Perguntas:

  1. Quais os quatro métodos de integração usados no NT?
  2. O que é que Paulo considerava sua principal tarefas aqui na terra? (Fp. 1:23-25).
  3. Qual de vocês já adotou pelo menos duas pessoas para treinar para o serviço cristão?

 

A Classe de Novos Membros

Toda pessoa que se decide por Cristo deve ser pronta e cuidadosamente orientada e treinada na vida cristã. Na classe de novos membros são expostos os princípios e doutrinas básicas que cada crente deve saber e praticar para que cresça em Cristo.

 

Objetivos da Classe

Exigir que os membros da igreja sejam instruídos nas doutrinas bíblicas não é pedir muito. A história registra que a igreja primitiva mantinha classes de instrução para os que desejavam o privilégio de fazer parte de um grupo local de crentes. Cada decisão deve ser imediatamente fixada com ensino prático da Bíblia aplicado aos problemas da vida diária. Isto se pode conseguir por conselhos pessoais ou por ensinar em classe os princípios básicos do viver cristão, alguns dos quais os novos membros não conhecem.

 

Sugestões Para a Classe

  1. Horário: A classe deve ser realizada numa hora em que se possa contar com o maior número possível de novos membros e novos crentes.
  2. O Professor: O melhor meio de conservar o aluno na classe e de mantê-lo interessado nela é dar-lhe sempre o melhor ensino.
  3. Preparo do Aluno: Recomenda-se que o grupo se coloque informalmente ao redor de uma mesa ou que se assente em círculo. Este plano anima os alunos a fazerem perguntas e não dá a ideia de ser apenas urna outra pregação ou culto. Insista com os alunos para que tragam sempre as suas Bíblias. O ensino que será ministrado baseia-se exatamente naquilo que a Bíblia diz. Peça aos membros da classe que tomem nota durante as lições; é excelente caminho para fazerem o mesmo durante os cultos.
  4. Ensino: Ao ensinar, use linguagem simples e sem termos técnicos. Se você deseja que os alunos aprendam certos termos doutrinários, explique bem o significado deles antes de usá-los. Não se esqueça: falar sozinho não é ensinar, e ouvir somente não é aprender. Lembre-se também: se os alunos não vivem lá fora e não transmitem a outros o que aprendem na classe, está sendo improdutivo o esforço e vão o tempo que você lhes dedica, e eles se enganam a si mesmos (Tg. 1:22).
  5. Tarefas e Deveres: Os alunos devem entender que aquilo que você sugere que façam é para o próprio desenvolvimento e benefício deles. Lembre-se da base de um bom ensino: explique aos alunos por que, mostre-lhes como, consiga que comecem e verifique como estão fazendo.
  6. Disciplina: Não há soldado bem treinado sem disciplina; isto é essencial na tarefa de fazer discípulos. Textos como: Ec. 8:11; 2Tm. 2:24-25 são para o professor. Ec. 9:10 e Cl. 3:23-24 são bons para os alunos.
  7. Roteiro: Um bom roteiro para a classe: oração de abertura, recapitulação, nova lição, tarefas, hora de perguntas, intercâmbio de experiências e orações para o término da classe.
  8. Classe de Evangelismo Pessoal: Recomenda-se que se organize anualmente uma classe de evangelismo pessoal com o tríplice objetivo: 1) preparar e desenvolver ganhadores de almas e edificadores de vidas; 2) conservar os crentes fiéis e interessados, saídos da classe de novos membros; 3) fortalecer a projeção da igreja na direção dos perdidos.

 

O Plano de Adoção

Adotar é tomar, por escolha, algo ou alguém para alguma forma de relacionamento. Cada novo membro que entra para a igreja deve ser adotado por um crente mais antigo, que, por meio de um programa de estudo da Bíblia, de oração e de serviço cristão, o ajude a crescer espiritualmente. E a isto que chamamos Plano de Adoção. A Comissão de Adoção visita semanalmente cada novo membro da igreja, em seu lar, durante seis semanas pelo menos, procurando estabelecer um contato de natural espiritual e a fim de consolidar a sua decisão. Por meio de conselhos e de pequenas e simples tarefas sobre o estudo da Bíblia e por meio da oração, cada novo crente é guiado em seu desenvolvimento espiritual. A Comissão procura visitar e ensinar cada novo convertido, cada recém batizado e cada crente ou família que chega para a igreja.

 

Base Bíblica da Adoção

Moisés adotou e treinou Josué (Js. 1:1-9). O grande líder preparou pessoalmente Josué para a responsabilidade de guiar os filhos de Israel na conquista da Terra Prometida. Elias tomou Eliseu dentre o grupo de homens a que ensinava na escola de profetas (2Rs. 2:1-11). Jesus escolheu os doze dentre os muitos que o seguiam nos primeiros anos do seu ministério. Quando Paulo adotou Timóteo, estava aplicando o princípio de líderes entre os judeus. Charles Spurgeon, orou: Senhor, dá-me 12 homens que amem as almas e eu sacudirei Londres de ponta a ponta. a prática de transmitir a outros o conhecimento de Deus era como a marca registrada da igreja do primeiro século. Timóteo havia sido um dos que se converteram em Listra, por ocasião do primeiro trabalho de Paulo ali. Paulo o tomou, pouco depois, como seu companheiro de viagem. Enquanto viajavam juntos, Timóteo foi absorvendo o ideal de Paulo e o seu consagrado amor a Cristo. Paulo ordenou-lhe que passasse a homens fiéis e capazes também de ensinar a outros (2Tm. 2:2) o que dele tinha aprendido. Milhares e milhares fazem sua decisão por Cristo e depois se perdem para a igreja unicamente por serem deixados entregues à própria sorte. O de que eles necessitam, porém, é de estudo bíblico individual, no recesso de seus lares, e de orar com um crente amigo mais experiente, que compreenda seus problemas. Por meio da Comissão de Adoção pode-se entrar em contato semanal com todos os novos membros.

 

A Comissão de Adoção

A Comissão de Adoção deve ser um estímulo para todos, fiel no estudo da Palavra, na oração e no testemunho. Só podemos dar e ensinar aos outros aquilo que temos e sabemos. Só podemos ajudar outros a experimentar as bênçãos que nós conhecemos. Por exemplo; só um ganhador de almas pode levar outro irmão a ganhar almas. Um visitador inconstante na sua devoção pessoal terá pouco sucesso ao incentivar alguém a reservar tempo para meditação e oração (2Tm. 2:2).

 

O Processo de Adoção

Cada vez que alguém se une à igreja, por batismo ou carta de transferência, ou faz uma decisão ao lado de Cristo, o relator da comissão deve receber duas cópias da ficha de informação: uma para ele mesmo e outra para ser dada a um membro da comissão.

 

Ajudando o Novo Membro

Com o intuito de ajudar a Comissão de Adoção no seu trabalho, preparamos uma série de fichas intituladas “Relatório de Visita”. Elas fornecem ao visitador um questionário detalhado para ser preenchido por ocasião de cada uma das seis visitas que vai fazer. Se o irmão faz parte da Comissão de Adoção e recebeu um nome para adotar, eis o que lhe sugerimos:

Marque o dia e hora para visitar a pessoa que lhe foi designada logo na primeira semana após sua decisão. Reserve o material exato para a primeira visita, repassando em oração, o Relatório de Visita e o estudo a ser dado. Ore antes de ir e conserve-se em atitude de oração e de serviço (MT. 20:27-28). Não hesite em relatar ao relator da Comissão qualquer problema ou questão que achou difícil durante a primeira visita.

 

Como Ensinar nos Lares

  1. Procure, se possível, estar sozinho com o novo crente. Seja, contudo, flexível e hábil.
  2. Familiarize-se com o adotado. Observe seu lar e quaisquer traços de interesse que possam ajudar você a conhecê-lo melhor. Note os livros e revistas e qualquer indicação dos seus gostos pessoais. Uma base de interesses comuns torna o trabalho de integração mais fácil e mais pessoal.
  3. Faça perguntas sobre seu conhecimento e experiência espirituais. Explique a razão de sua visita e acentue o desejo que a igreja tem de vê-lo crescendo em cristianismo vivo e prático. Esse crescimento se consegue através do estudo da Bíblia, comunhão na igreja, oração diária e testemunho fiel.
  4. Use a Bíblia par responder a perguntas e problemas. O tempo que passar com o adotado. Use-o para criar um relacionamento fundamentado no que Deus diz em sua Palavra. A Igreja que você representa prega e ensina a Bíblia, único padrão pelo qual a vida deve ser avaliada.
  5. Seja simpático e cheio de entusiasmo enquanto fala com ele. Seja, também, franco ao lhe transmitir suas experiências de oração e ao mencionar as dificuldades em sua vida nas quais Deus cumpriu suas promessas.
  6. Quando apresentar estudos bíblicos de novas doutrinas ou tarefas, explique-lhe sempre como e por que fazê-los; ajude-o a iniciar a tarefa e mantenha-o fazendo aquilo que foi designado. Ensine-o transmitir a Palavra de Deus a outros, pois fazer é o melhor meio de aprender.
  7. A cada visita, recorde ligeiramente a lição anterior.
  8. Gaste de 20 minutos a uma hora em cada visita, se possível Depois da primeira visita, encaminhe-se rapidamente para as lições, Anime-o a lhe falar delas e faça perguntas que estimulem seu interesse.
  9. Tenha uma ficha de notas onde registre tudo a respeito de seu adotado: seu progresso, seus problemas, suas tarefas e as datas das visitas.

 

O Que Ensinar

Alguns novos crentes devoram as lições que lhes são dadas. Outros, porém, caminham muito mais devagar. Para aqueles cujo interesse cresce e aumenta de semana para semana, tarefas especiais de memorização de textos, visitas, leitura e estudo da Bíblia. O estudo pode versar sobre as lições do curso VIDA FRUTÍFERA. O relator do Plano de Adoção deve examinar com o visitador as fichas do Relatório de Visita sempre uma semana antes de cada uma ser usada. E bom irem de dois a dois.

 

Relatório de Visita

Ore antes de visitar seu adotado. Estabeleça cordialidade com ele. Seja amável, positivo e franco. Ore com ele. Devolva a ficha ao relator da Comissão de Adoção com sua assinatura.

 

Eu estive com _____________________________ no dia __________ às _____ horas.

Assinado: __________________________________________


Cada autor é responsável pelo conteúdo do artigo.

Deixe seu comentário

Advertisement