Esqueceu a senha?

Islâmicos defraudam direitos de cristãos

por Artigo compilado - qua dez 12, 8:42 am

Direitos Fundamentais Negados aos Cristãos em Meio a Predominância  Islâmica

Direitos civis que para nós  são muito básicos, são extremamente  relativizados  em muitos países  a fora. Nas comunidades onde as leis islâmicas  prevalecem, o direito de um cristão em ter a sua propriedade respeitada depende de acordos com a  determinada liderança. Na mentalidade  dos radicais, roubar propriedades  de cristãos  é  uma espécie  de “jihad”. Subjugados sobre a lei Sharia, os cristãos  são aceitos dentro da sociedade, porém como cidadãos  de segunda  classe. Seu testemunho  Vale menos que o de  um muçulmano, é ainda tem o dever de pagar  um imposto  por ser infiel.

Muitas vezes  é  negado o princípio do contraditório  e da ampla defesa aos cristãos.  É  negado o acesso a advogado, e quando  consegue, o causídico  é  ameaçado de morte, algo  muito  frequente  em países islâmicos. Muitos advogados são condenados judicialmente por fazer propagandas contra o islã, só pelo fato de defenderem clientes que sofrem perseguição  religiosa.

Nesses lugares, não existe  nem a sombra do que é um Estado Laico:

Na Constituição Afegã, o artigo 3° diz que nenhuma lei pode ser contrária a sagrada lei do islã.  O artigo 167 da Constituição  Iraniana afirma que  na  ausência  de lei, aplica-se  a lei religiosa  islâmica.

No Irã, até  no ingresso  de universidades  exige-se conhecimento  do Alcorão nas provas. Até mesmo  em provas de especialização  médica, utiliza-se em caráter  eliminatório , o conhecimento  da ortodoxia  muçulmana.

Países de maioria  islâmica, budista  e hinduístas criam leis anti-conversão com a utilização  de termos vagos, para  tipificar   crimes de conversão  forçada tais como: “induzimento a conversão “; ” conversão fraudulenta”; ” conversão antiética” na tentativa de enquadrar qualquer tentativa de evangelização a alguma dessas expressões.

Vale lembrar também  a situação  dramática  de casamentos. Um cristão que se envolva romanticamente  com uma mulher  mulçumana     cria uma situação  terrível. Em 04 de março  de  2011, no Paquistão, uma  igreja foi destruída  por pessoas enfurecidas contra uma relação entre um cristão e uma muçulmana. A igreja  veio abaixo com a utilização  de cilindros de gás porque, veja só, o pai da garota  se recusou a matar a filha e assim, restaurar a honra da comunidade. Jovens caçados por seus familiares, comunidades  e até  pelo próprio  Estado, são  obrigados  a sair do seu  país sob ameaças  de morte. O que é  mais grave ainda  é  que mesmo  os dois sendo cristãos, muitas vezes  não podem se casar, pois suas carteiras  de identidade  trazem  sua religião  especificada   no documento, e se o pai da noiva tiver sido muçulmano por apenas  três  anos, a filha obrigatoriamente  será muçulmana  também. Portanto, não poderá casar com um cristão, ainda que ela  seja cristã  também. Se ambos são  muçulmanos e o marido  se converter  ao cristianismo, ele tem seu casamento  nulo, perde sua propriedade, deixa de  conseguir  emprego legal e regular, podendo se casar novamente, apenas, se retornar ao islã.

Fonte: A Cristofobia no Século XXI – Entendendo a perseguição aos cristãos no terceiro milênio( Daniel Chagas Torres)

———

Via Fabiana Ribeiro


Cada autor é responsável pelo conteúdo do artigo.

1 Comentário

Comentários 1 - 1 de 1Primeira« AnteriorPróxima »Última
  1. no ocidente os islâmicos são bem tratados etc etc … vivem bem em outros países do ocidente, mas se cristão vai para a terra deles os tratam com truculência e essas adversidades, quanto descaramento deste povo ingrato.

Comentários 1 - 1 de 1Primeira« AnteriorPróxima »Última

Deixe seu comentário

Advertisement