Esqueceu a senha?

Jornal australiano publica uma charge do profeta Maomé

por Artigo compilado - sex jan 16, 6:40 pm

Reprodução/The Weekend Australian

Reprodução/The Weekend Australian

Um jornal australiano publicou neste sábado uma charge do profeta Maomé falando com Jesus e fez um apelo a favor da liberdade de expressão depois do atentado contra a revista francesa Charlie Hebdo.

A charge, intitulada “Oremos”, foi publicada pelo jornal The Weekend Australian e mostra Jesus com o Corão na mão dizendo a Maomé que “Eu já te disse que precisa de uma segunda parte”, em referência ao fato de que a Bíblia cristã tem um Antigo e um Novo Testamento.

Maomé, que tem nas mãos um jornal com a manchete “O mundo em guerra”, responde a Jesus que agora não pode voltar à forma humana porque seria “crucificado” se o fizesse.

As representações de Maomé, como as publicadas pela Charlie Hebdo em 2006, são proibidas pelo Islã e qualquer tipo de humor relacionado com o profeta irrita muitos muçulmanos.

Em seu editorial, o Weekend Australian pede ao mundo que defenda os valores ideias universais e que não ceda ante os ataques à liberdade de expressão.

“Seja deliberado ou não, um dos aspectos mais devastadores desta atrocidade [o ataque à Charlie Hebdo] é que atinge nossa civilização em um lugar que já está se convertendo em nosso calcanhar de Aquiles: a crescente e covarde tendência do politicamente correto”, afirma o jornal.

“Nos últimos anos, frente aos que sempre se sentem ultrajados, nossas sociedades plurais, democráticas e livres cederam terreno frente à liberdade de expressão que conquistamos”, acrescenta.

O autor do desenho, Bill Leak, explicou em um artigo publicado na sexta-feira que os extremistas que cometeram o massacre na Charlie Hebdo, onde morreram 12 pessoas, escolheram de propósito “um símbolo da liberdade de expressão, a base da civilização ocidental”.

Extraído do site br.noticias.yahoo.com em 16/01/2015


Cada autor é responsável pelo conteúdo do artigo.

2 Comentários

Comentários 1 - 2 de 2Primeira« AnteriorPróxima »Última
  1. Eu comparo o terrorismo islâmico ao movimento gay. Quando se publica qualquer charge sobre Maomé, há uma revolta sem precedentes do mundo islâmico; quando o homossexualismo é criticado, os gays se reúnem e vão até o local com o tal “beijaço gay” ! Tem alguma diferença ?

  2. Concordo plenamente!

Comentários 1 - 2 de 2Primeira« AnteriorPróxima »Última

Deixe seu comentário