Esqueceu a senha?

Leandro Quadros e o paraíso do Ladrão da Cruz

por Pr. João Flávio Martinez - qui nov 22, 4:46 pm

Primeiro questionamento de Quadros: “Se quebraram as pernas do Ladrão e não as de Jesus, então Cristo estava morto e o ladrão ainda vivo, ou seja, naquele dia eles não estariam juntos no paraíso”.

Bem, apesar das tratativas de adulteração textual de Quadros, o texto prova que os ladrões morreram naquele dia mesmo: Os judeus, pois, para que no sábado não ficassem os corpos na cruz, visto como era a preparação (sexta, véspera de sábado), rogaram a Pilatos que se lhes quebrassem as pernas, e fossem tirados. (João 19.31). Os dois bandidos ainda estavam vivos, é verdade.  Pela Lei de Moisés, os crucificados não podiam passar a noite na cruz (Deuteronômio 21.23). Para acelerar suas mortes foi decidido aplicar o crurifragium, ou seja, quebrar as pernas dos crucificados a fim de que estes ficassem sustentados apenas pelos braços e assim morressem rapidamente asfixiados (por falta de ar). Desta forma todos morreram antes do início do sábado e o ladrão convertido esteve mesmo com Jesus no Paraíso como prometido (Lc 23.43).

Segundo questionamento, “Jesus disse que ainda não tinha subido ao Pai, então, Ele não foi ao paraíso naquele dia (Jo 20.17)”.

Vamos lá… Quadros age de maneira desleal ao desfocar a doutrina cristã do Estado Intermediário da alma, ensinada por Jesus Cristo em Lucas 16.19-31. Em Lucas Jesus explica como era o Sheol ou Hades no Velho Testamento, ou seja, era embaixo e um do lado do outro, separados por um abismo. Entretanto, ocorreu uma mudança entre a morte e a ressurreição do Senhor. Paulo diz a respeito do assunto: “Subindo ao alto, levou cativo o cativeiro, e deu dons aos homens. Ora, isto – ele subiu – que é, senão que também antes havia descido às partes mais baixas da terra?“, Ef 4.8-9. Portanto, o Paraíso está agora lá em cima, na imediata presença de Deus. Não em baixo, como dantes. A mesma coisa vê-se em Apocalipse 6.9-10, onde as almas dos mártires da Grande Tribulação permanecem no Céu “debaixo do altar”, aguardando o fim da Grande Tribulação, para ressuscitarem (Ap 20.4) e ingressarem no reino milenial de Cristo. Diante da explicação entendemos o que Jesus disse, ou seja, Ele ainda não tinha subido ou levado cativo o cativeiro.

O Pr Natanael Rinaldi ainda acrescenta uma observação importante sobre o ocorrido: “…seu corpo ressuscitado é que ainda não tinha comparecido perante Deus, por cujo motivo Ele disse: Não me detenhas”…

Por fim, como fazem os jeovistas, Quadros destila sua heresia contra o texto traduzido arvorando a versão deveria ser outra. Ai ele defende uma tradução semelhante a TNM: E ele lhe disse: “Em verdade, eu lhe digo hoje: Você estará comigo no Paraíso”.

Entretanto, não contente, ele vai citar a Tradução Ecumênica da Bíblia – uma versão católica – na tentativa de que ela corroboraria com ele e definiria a vírgula no mesmo lugar que a Sociedade Torre de Vígia (Testemunhas de Jeová), mas… A tradução não diz isso, e Quadros vitupera a versão católica e devaga ao dizer que ela corrobora com ele: << Jesus lhe respondeu: “Em verdade te digo, hoje, estarás comigo no Paraíso”>>. O problema é que na segunda vez que ele lê o texto, ele só cita a segunda vírgula, deixando a Tradução Ecumênica do mesmo jeito da TNM (Confira no vídeo à partir do tempo 27.14).

Entretanto, a tradução não corrobora com ele. Veja o que nos informa a professora de Letras Beatriz Letícia Baptista Amaral: Nesta versão da Bíblia Ecumênica, eu entendo que as vírgulas isolando “hoje” são para destacar o termo, intensificar a ideia de que “hoje nos veremos no paraíso”.

Então, mesmo a versão católica, não lhe é favorável.

Para saber mais sobre a exegese to texto – clique aqui


Cada autor é responsável pelo conteúdo do artigo.

7 Comentários

Comentários 1 - 7 de 7Primeira« AnteriorPróxima »Última
  1. Lucas 16.19-31: Você usa uma parábola para defender o estado “intermediário”? Qual o sentido de “alma” estar em determinado lugar (paraíso) e Jesus ter que Voltar para ressuscitar seus filhos, sendo que eles já estão lá? Aberração estilo purgatório.

  2. Leandro Henrique Nogueira sex nov 23 at 12:05 pm

    Lucas 16.19-31: Você usa uma parábola para defender o estado “intermediário”? Qual o sentido de “alma” estar em determinado lugar (paraíso)

    1. Jesus claramente diz que há “paraíso” e você diz que não ?! o seus problema é que postulam a partir das interpretação de EGW a suposta “luz menor”, a suposta “espirito profecia”, suposta profetiza que tem um monte de contradições expostas e arguida, e vc individuo não percebeu ainda.

    2. “Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados..1 Tes 4:16. Apoc 21. E a? Mude o disco EGW não é base de teologia adventista.

  3. Leandro Henrique Nogueira seg nov 26 at 8:33 am E a? Mude o disco EGW não é base de teologia adventista.

    ah não é ?! então o que é isto :

    http://www.cacp.org.br/oracao-para-aceitar-a-profetisa-adventista/

    Whitelatria adventista.

    1. Vamos a resposta dada a Walter Martin e Donald Barnhouse (Obviamente sabe quem são eles, correto?) em 1957, “mantemos os escritos de EGW na mais elevada estima, eles não são fonte de nossas exposições, baseamos nossos ensinos nas Escrituras. Walter e Barnhouse estavam errados nas conclusões?

Comentários 1 - 7 de 7Primeira« AnteriorPróxima »Última

Deixe seu comentário

Advertisement