Esqueceu a senha?

Mais insegurança para os cristãos?

por Julio Severo - ter out 22, 12:03 pm

Ministério de Segurança Nacional dos EUA: Mais insegurança para os cristãos?

O presidente americano Barack Obama nomeou na sexta-feira Jeh C. Johnson como o novo ministro do Ministério de Segurança Nacional, por causa de sua “profunda compreensão das ameaças e desafios com os quais os Estados Unidos se defrontam.” Ele deu a Johnson o crédito por ajudar a projetar e implementar políticas para revogar a lei das forças armadas dos EUA que proibia militares gays de se assumirem publicamente, de acordo com uma notícia da Associated Press (AP).

Obviamente, a principal propaganda do Ministério de Segurança Nacional (MSN) será o que sempre tem sido: lutar contra o terrorismo — de um modo que expanda o islamismo! Desde o atentado terrorista islâmico contra Nova Iorque em 2001 e as medidas “antiterroristas” do MSN, muitas novas mesquitas estão surgindo nos Estados Unidos.

Cerca de 1.200 mesquitas estão hoje em funcionamento nos EUA, e quase 80 por cento delas foram construídas depois do ataque terrorista de 11 de setembro de 2001. A maioria dessas mesquitas é dirigida por clérigos Wahhabi — da mesma linha islâmica que Osama bin Laden seguia.

Os muçulmanos nos EUA não têm sentido nenhuma insegurança do MSN para crescer e se expandir. Eles não têm tido nenhuma preocupação com o MSN. Mas desde principalmente o governo Obama, o MSN tem sido uma preocupação e insegurança para os cristãos. Há várias reportagens da tendenciosidade anticristã do MSN.

Uma recente reportagem em inglês do WND incluiu vários casos, inclusive o meu:

“O MSN foi apanhado monitorando um blog postado por um cristão que foi forçado a fugir do Brasil por causa do conflito entre a agenda pró-homossexualismo e pró-PLC 122 da nação e sua defesa do casamento tradicional. O governo de Obama não quis comentar sua decisão de monitorar o blog [em inglês] de Julio Severo, Last Days Watchman, um blog que não tem vergonha de ser cristão.”

Se representam algum sinal, as credenciais tenebrosas do novo ministro do MSN de “projetar e implementar políticas para revogar a lei das forças armadas dos EUA que proibia militares gays de se assumirem publicamente” só tornam mais tenebrosa a situação de insegurança dos cristãos nos EUA, onde as mesquitas estão se espalhando. Grupos cristãos pró-família lutaram muito para revogar a medida homossexualista imposta nas forças armadas dos EUA, e Jeh C. Johnson prevaleceu. No MSN, ele alcançará outras vitórias homossexualistas?

De acordo com a notícia da AP, Obama o nomeou “para ajudar a projetar a política contra-terrorismo dos EUA.”

Os cristãos e sua luta contra a ditadura gay serão mirados como “ameaças terroristas”?

Mohamed Elibiary, assessor do MSN desde 2010, defende a Irmandade Muçulmana e, de acordo com o WND, ele acusa a minoria cristã perseguida do Egito de “cometer incitações” contra o islamismo. Então se os cristãos são assassinados por muçulmanos no Egito, é porque eles falaram sobre o Salvador Jesus ou outros termos similarmente “ofensivos”?

Elibiary tem avisado os cristãos conservadores americanos para que não tentem mudar o cenário político dos EUA por meio de “xenofobia cristianista.”

O governo dos EUA quer supostamente derrotar o terrorismo empregando muçulmanos anticristãos e apoiando a expansão muçulmana nos EUA. Uma nação em pecado semeia sua própria destruição.

Esse exemplo maligno americano poderá infectar outras nações, inclusive o Brasil. “Os Estados Unidos lideram globalmente em tudo, e isso inclui direitos gays”, disse Julio Moreira, presidente do grupo supremacista gay Arco Íris, com sede no Rio de Janeiro. “Isso forçará outras nações como o Brasil a avançarem com políticas mais progressistas”.

Com os EUA na liderança, as medidas internacionais anti-terrorismo poderão focar nos cristãos e seus valores. Afinal, enfrentar o terrorismo muçulmano traz bombas e outras consequências mortais. Perseguir os cristãos não traz nenhum dessas consequências.

Se o MSN é um modelo para o futuro internacional, os cristãos deveriam se preparar para um mundo com um esperado crescimento de mesquitas, financiado pelas nações ocidentais que tiveram um passado cristão, e previsível perseguição cristã.

Versão em inglês deste artigo: Homeland Security: More Insecurity for Christians?

Fonte: www.juliosevero.com


Cada autor é responsável pelo conteúdo do artigo.

Deixe seu comentário

Advertisement