Esqueceu a senha?

Médicos são contra a descriminalização do aborto

por Artigo compilado - sex abr 19, 10:44 am

Médicos que debatem a descriminalização do aborto dividem opiniões. A dúvida está em que momento surge a vida entre o momento da concepção e o desenvolvimento do embrião. Questão esbarra em ética, moral e religião

Por trás do crime, das sequelas para o corpo e para a alma, muitas vezes carregadas pelo resto da vida, milhares de brasileiras que se submetem a um aborto clandestino no país se deparam com a eterna dúvida: em qual momento nasce a vida? De cunho moral, religioso e ético, a questão ganha foco no Brasil diante da decisão de entidades nacionais em propor a descriminalização do aborto, o que permitiria a interrupção da gravidez de até 12 semanas.

A posição, apesar de sugerida pelo órgão que representa 400 mil médicos, o Conselho Federal de Medicina (CFM), não é consenso na classe. Prova disso é o posicionamento do Conselho Regional de Medicina (CRM), que diz que “doutores são treinados para salvar vidas, não matá-las”. A resistência é tão grande que, até em processos legais de interrupção da gravidez, como em caso de estupro, há especialistas que se recusam a fazer o procedimento, respeitando a própria consciência e a ética. O CRM de Goiás também é contrário à medida.

Extraído do site correiobraziliense.com.br em 19/04/2013


Cada autor é responsável pelo conteúdo do artigo.

2 Comentários

Comentários 1 - 2 de 2Primeira« AnteriorPróxima »Última
  1. Glória a Deus que ainda existem médicos compromissados em defender a vida. 

  2. Então, não há consenso de quando começa a vida, em pleno século XXI? Ou será que querem negar o início da vida humana para não se responsabilizar por abortos e microabortos?

Comentários 1 - 2 de 2Primeira« AnteriorPróxima »Última

Deixe seu comentário

Advertisement