Esqueceu a senha?

Miller condenou o movimento Adventista

por Artigo compilado - qui set 13, 10:02 am

CONFISSÃO DE MILLER – ELE SE OPÔS AO ADVENTISMO DO SÉTIMO DIA

Há muito tempo todos os outros Adventistas renunciaram às marcações do tempo de 1843-4, considerando-as um erro. Assim: “A maioria dos Adventistas tomou a posição de que o tempo foi um erro humano de julgamento.” (History of the Second Advent Message, pág. 383). Ouça o próprio Sr. Miller: “Na passagem do meu tempo divulgado, eu francamente reconheci meu desapontamento… Naquele tempo esperávamos a vinda pessoal de Cristo, e agora é desonesto contender afirmando que não estávamos errados. Nunca deveríamos nos envergonhar de confessar abertamente nossos erros. Eu não tenho confiança em nenhuma das novas teorias que brotaram do movimento, a saber, que Cristo veio na época como Noivo; que a porta da misericórdia se fechou; que não existe salvação para os pecadores; que a sétima trombeta soou ou que a profecia tenha se cumprido em qualquer sentido.” (History of the Advent Message, pág. 410, 412).

Disto, vemos:

1. Que Miller, o fundador e líder do movimento, assumiu que aquilo foi um erro.

2. Ele repudiou a ideia de que houve um cumprimento da profecia em qualquer sentido.

3. Ele aponta especialmente para a posição dos Adventistas do Sétimo Dia como sendo totalmente falsa.

Ele conhecia tudo sobre seus argumentos das três mensagens, o santuário, o Sábado, etc., e mesmo assim ele não apenas os rejeitou, mas alertou severamente seu povo contra eles, de modo que muito poucos dos Adventistas originais os aceitaram. Ouça a própria Sra. White sobre este ponto: “Vi homens principais observando William Miller, temendo que ele fosse abraçar a mensagem do terceiro anjo e dos mandamentos de Deus. Enquanto ele se inclinava em direção à luz do céu, esses homens maquinaram algum plano para puxar sua mente para longe. Vi uma influência humana exercida para manter sua mente em trevas, e para manter a sua influência entre eles. Ao final, William Miller levantou sua voz contra a luz do céu.” (Spiritual Gifts, Vol. 1, pág. 167).

Deste modo, o pai e fundador do Adventismo condenou e se opôs à posição que os Adventistas do Sétimo Dia tomaram com relação à sua própria obra. Ele teve sensatez suficiente para ver, e honestidade suficiente para confessar que aquilo foi um erro. Mas os Adventistas não teriam a mesma atitude. Eles sabiam mais do que o próprio Miller. Eles veriam no movimento um maravilhoso cumprimento de Ap 14. 6, 7. Miller o nega. Assim, vemos que os Adventistas do Sétimo Dia dão uma interpretação para a obra de Miller que ele mesmo condenou. Nenhum homem na liderança da obra de Miller jamais abraçou as visões dos Adventistas do Sétimo Dia, mas sempre se opuseram a elas considerando-as como fanáticas e uma questão secundária. Nenhum dos líderes dos Adventistas do Sétimo Dia, tais como White, Andrews, Bates, Rhodes, etc., jamais tiveram algum significado na obra de Miller, ainda que todos estivessem nela; ainda que depois declarassem ser os únicos que tiveram o entendimento correto dela. Todo restante estava “em trevas”, eram “virgens insensatas”, “apóstatas”, etc. Que modéstia!

Livro: Adventismo do  Sétimo  Dia Renunciado, REV.  D.  M.  CANRIGHT


Cada autor é responsável pelo conteúdo do artigo.

Deixe seu comentário

Advertisement