Esqueceu a senha?

O Alcorão, a Bíblia e o Dilema Islâmico

por Artigo compilado - qui nov 07, 12:15 pm

Na Sura 29:46 o Alcorão ordena aos muçulmanos a dizer aos Cristãos,

Cremos no que foi revelado a nós e no que foi revelado a vós; e nosso Deus e vosso Deus é um só. E a Ele temos que nos submeter“.

Ao mesmo tempo os muçulmanos dizem coisas muito diferentes. Eles dizem,

Nós não acreditamos no seu livro [A Bíblia], porquê ele foi corrompido, e o seu Deus é um Deus falso“.

Se os muçulmanos recomendam e dizem que creem no que foi revelado a nós, Cristãos, porque eles dizem que não creem na Bíblia e na revelação que recebemos? E se eles recomendam e dizem que o Deus do Islã e o Deus do Cristianismo é um só, então porque dizem que o nosso Deus é um Deus falso? De acordo com a Bíblia, Deus é uma Trindade. Um em natureza e essência, mas três pessoas, O Pai, O Filho e o Espírito Santo. O Filho adentrou a criação como Jesus de Nazaré, morreu na cruz por nossos pecados e ressuscitou dos mortos (Mateus 28.18-20; João 1.1-14; Marcos 10.32-34,45; Lucas 24). O Alcorão nega todas estas doutrinas e o Muçulmano não pode dizer que ele acredita na Bíblia ou que Allah e o Deus da Bíblia são o mesmo Deus.

Os muçulmanos tem que rejeitar a Bíblia porque a Bíblia contradiz o Alcorão. Vamos ver se temos um problema aqui. O Alcorão declara que a Torá e os Evangelhos foram revelados por Allah:

“Ele fez descer sobre ti o Livro, com a verdade, para confirmar o que havia antes dele. E fizera descer a Torá e o Evangelho. Antes, como orientação para a humanidade …” (Alcorão 3:3-4).

Então, Allah revelou a Torá e os Evangelhos como um guia, mas os nossos amigos muçulmanos dizem que Allah não conseguiu proteger a Torá e os Evangelhos porque [segundo os muçulmanos] estas duas revelações foram corrompidas pelos homens. Mas Allah enviou este livro para guiar as pessoas, mas terminou enganando as pessoas, convencendo os Cristãos de que Deus é uma Trindade e que Jesus morreu numa cruz pelos pecados. Claro que devemos ficar embaraçados quando os muçulmanos dizem que a Torá e os Evangelhos foram modificados porque o Alcorão declara que ninguém pode modificar as palavras de Allah.

Na Sura 18:27 do Alcorão está escrito que,

E recita o que te foi revelado do Livro de teu Senhor; não há quem possa alterar suas palavras. E não encontrarás, além dEle, refúgio algum“.

Aqui está um texto que os amigos muçulmanos podem dizer que este texto significa que ninguém pode modificar o Alcorão, mas o verso não diz que ninguém pode modificar o Alcorão, antes que ninguém pode modificar as palavras de Allah, e a Torá e os Evangelhos, de acordo com o Alcorão, são palavras de Allah. Apesar da declaração clara de Allah de que ninguém pode modificar suas palavras, muitos muçulmanos afirmam que os Evangelhos foram corrompidos pelo Apóstolo Paulo ou pelos lideres Cristãos. Se os Evangelhos foram corrompidos, só podemos nos admirar pelo motivo de o Alcorão dizer que os Cristãos ainda tinham os Evangelhos durante os tempos de Maomé. Na Sura 7:157 do Alcorão lemos,

“Os que seguem o Mensageiro, o profeta iletrado – que eles encontram escrito junto deles, na Torá e no Evangelho – … – esses são os bem-aventurados“.

Como podem os Cristãos encontrarem Maomé mencionando os Evangelhos quando supostamente os Evangelhos foram corrompidos séculos antes? Allah está dizendo que encontramos Maomé mencionando as nossas escrituras corrompidas? Mas nós não encontramos Maomé mencionando as nossas Escrituras, é apenas parte de uma advertência geral contra os falsos profetas que chegam e levam as pessoas ao desvio dos Evangelho e se encontramos Muhammad mencionado nas nossas Escrituras [A Bíblia como um todo e os Evangelhos em particular], como podemos saber que estas partes não foram corrompidas também? E se as nossas Escrituras contradizem o Islã, porque Allah apelaria para Bíblia como uma evidência a favor do Islã?

Mas Allah vai ainda mais longe, pois ele recomenda os Cristãos a julgar pelos Evangelhos, na Sura 5: 47

“E que os seguidores do Evangelho julguem conforme o que Allah fez descer nele. E quem não julga conforme o que Allah fez descer, esses são os perversos”.

Qual o motivo de Allah nos recomendar a julgar por um livro corrompido? Os únicos Evangelhos que temos contradiz o Islã. Então, para obedecer os mandamentos de Allah, teremos que julgar pelos Evangelhos e concluir que o Islã é falso. Allah continua na mesma linha na Sura 5: 68 dizendo,

Ó seguidores do Livro! Não estais fundados sobre nada, até que observeis a Torá e o Evangelho e o que de vosso Senhor fora descido para vós“.

Qual o motivo de Allah afirmar que não temos nenhum fundamento além de um livro corrompido? Se os Evangelhos já estavam corrompidos, Allah não nos falaria para evitá-los e não nos mandaria crer no Alcorão? Se o Alcorão sustenta claramente que os Evangelhos são uma fonte de autoridade para os Cristãos, isso só faz sentido se o autor do Alcorão acreditasse que os Cristãos tinham a Palavra de Deus. Pois os Evangelhos não eram autoritativos apenas para os Cristãos, eles eram autoritativos também para o próprio Muhammad e, portanto, para os Muçulmanos. Um dia Muhammad começou a receber as revelações e teve dúvidas sobre essas revelações, em resposta as suas dúvidas, Allah recomendou que Muhammad fosse ao Povo do Livro, os Judeus e Cristãos, para confirmação. Na Sura 10: 94 está escrito,

E, se estás em dúvida acerca do que fizemos descer para ti, Muhammad, pergunta aos que, antes de ti, leram o Livro. Com efeito, chegou-se a verdade de teu Senhor. Então, não sejas, de modo algum, dos contestadores“.

Os muçulmanos hoje acusam que o conteúdo da Bíblia deve ser julgado pelo Alcorão, uma vez que a Bíblia entra em contradição com o Alcorão, os muçulmanos assumem que a Bíblia deve ser rejeitada. Mas no Alcorão a verdade é o exato oposto, pois é o Alcorão que deve ser julgado pela Bíblia, e o próprio Muhammad só pôde confirmar suas revelações checando para ver se suas revelações estavam alinhadas com as Escrituras do Povo do Livro. Uma vez que Muhammad continuou a pregar o Islã, isso prova que Muhammad nunca levou este teste muito a sério, pois se ele tivesse buscado uma confirmação nas Escrituras do Povo do Livro ele seria forçado a rejeitar o Alcorão. Porque o Alcorão coloca os muçulmanos em um dilema inescapável: ou os Cristãos tem a Palavra de Deus Inspirada, preservada, autoritativa ou não. Não existem duas possibilidades. Se nós temos a Palavra de Deus inspirada, preservada e autoritativa, o Islã é falso porque o Islã contradiz as nossas Escrituras. Se nós Cristãos não temos a Palavra de Deus inspirada, preservada e autoritativa o Islã [também] é falso porque o Islã afirma a Inspiração, preservação, e autoridade do nosso livro. Então, se os Evangelhos são a Palavra de Deus, o Islã é falso, e se os Evangelhos não são a Palavra de Deus, o Islã é falso. De qualquer forma o Islã é falso. Ao afirmar o livro que contradiz seus ensinos principais o Islã destrói a si mesmo. Se os muçulmanos não querem acreditar em uma religião que destrói a si mesma, eles devem portanto encontrar uma nova religião. Vamos encorajar os nossos amigos muçulmanos a obedecer aos Evangelhos como um mandamento das duas religiões.

—–

Por David Wood

Fonte: youtube.com/watch?v=nNAS0aaViM4

—–

Tradução Walson Sales.


Cada autor é responsável pelo conteúdo do artigo.

Deixe seu comentário

Advertisement