Esqueceu a senha?

O Diagnóstico de Ellen Gould White

por Itard Víctor Camboim de Lima - qui maio 09, 8:57 am

Hoje, ao estudar mais um pouco sobre a vida de Ellen Gould White e suas 2 mil visões, logo fui levado a refletir sobre esta mulher que para a maioria dos adventistas, como por exemplo, Arnaldo B. Christianini e o livro confessional “Nisto Cremos”, era uma profetisa infalível,  que tudo o quanto escreveu foi divinamente inspirado por Deus e cientificamente comprovado, ainda que a ciência jamais tenha provado e comprovado que haja vida em outros planetas, pois essa foi uma das 2 mil visões que a Srª White diz ter recebido de Deus. E o que dizer da visão em que supostamente Deus lhe disse o dia e a hora da segunda vinda de Jesus?

Espero que os amigos adventistas possam refletir após lerem o que aqui será apresentado.

Mas, será mesmo que Ellen Gould White foi mesmo direcionada por Deus? As acusações de que ela tinha problemas mentais não procedem, como dizem os adventistas quando são questionados?

Na verdade na verdade, as visões que a profetisa adventista alegava receber de Deus, na verdade não passavam de espasmos, surtos ou por que não dizer que ela era uma débil mental?

Ellen G. White chegou a ser diagnosticada como portadora de CATALEPSIA, doença esta gerada por um traumatismo craniano, esquizofrenia, epilepsia, síndrome neuroléptica maligna, debilidade mental e outros. 1

Ellen White também sofria de histeria cujo sintomas temos:

Os sintomas sensoriais e motores da histeria são denominados conversão pois geralmente não seguem as costumeiras inervações do sistema nervoso.

Os distúrbios sensoriais podem:  abranger os sentidos da visão, audição, paladar e olfato; variar desde sensações peculiares até a hipersensibilidade ou anestesia total; causar grande sofrimento com dores agudas, para as quais nenhuma causa orgânica pode ser determinada.

Os distúrbios motores podem incluir uma gama de manifestações, como paralisia total, tremores, tiques, contrações ou convulsões. Afonia, tosse, náusea, vômito, soluços são muitas vezes de origem histérica.   Episódios de amnésia e sonambulismo são considerados reações de dissociação histérica.2

Segundo o autor do livro “História do Adventismo” Ellen Gould White quando ainda jovem recebeu uma pedrada na face que a impossibilitou de concluir seu primário colegial. Ele disse:

Quando era criança da escola primária, Ellen foi ferida acidentalmente na face, e ocorreu quando uma menina mais velha atirou-lhe uma pedra. Isso resultou em considerável perda de sangue na ocasião e em permanente dano ao seu sistema respiratório. Na ausência de serviços médicos modernos, sua condição deteriorou-se de modo alarmante, e por muitos anos qualquer infecção ordinária poderia precipitar uma crise. Quando seus nervos não mais podiam permitir-lhe segurar um caderno, ela a contragosto abandonou a escola. (História do Adventismo, p. 58-59). 3

Acerca das doenças que Ellen White era portadora, o ex-adventista e escritor da obra White Out, Dirk Anderson após fazer uma minuciosa pesquisa sobre Ellen, escreveu o seguinte:

Minha primeira dúvida sobre Ellen White veio poucos meses após eu ter aberto meu Web Site de apologia dela. O Pr. William Fagal, diretor do White Estate (Patrimônio White), enviou-me um e-mail indicando que alguns dos materiais em meu Web Site estavam incorretos. O material fora escrito por J. N. Loughborough e tratava da história de William Foy, o homem que recebera visões antes de Ellen White.

Fagal fazia notar que pesquisa uma posterior havia comprovado que Loughborough estava equivocado. Comecei a indagar-me o que mais Loughborough havia escrito que também estaria errado. Que dizer sobre o relato da grande Bíblia sustentada no ar? E sobre a falta de respiração nas visões? [Obs.: Estas questões são tratadas candidamente pelo Pr. Arthur Daniells, presidente da Associação Geral, na Conferência de 1919, segundo o arquivo no. 22 de nosso “Catálogo”].

Comecei a imaginar por que Loughborough transmitiria informações erradas, e seu propósito em reescrever a história. Não obstante, decidi deixar de lado minhas dúvidas e confiar em que Ellen White era a profetisa de Deus.

Minha Apologia de Ellen White Naufraga

Cerca de um mês depois algumas pessoas na Internet me desafiaram a ler o livro de Canright sobre Ellen White. Decidi ler o livro com a intenção de refutá-lo. Li-o e o achei muito perturbador, mas estava determinado a provar que ele estava errado.

Assim, dirigi-me à biblioteca da universidade ASD local e comecei a cavar fundo nos velhos documentos para ver o que poderia achar sobre Ellen White e os pioneiros. Gastei muitas horas investigando o material. Para minha surpresa, não pude encontrar nada para refutar Canright. De fato, tudo quanto descobria parecia apoiar o que Canright escrevera. Fiquei perplexo.

Comecei a investigar o tema da “porta fechada” e descobri que Ellen White havia de fato visto que a porta da salvação se fechara para os pecadores em 1844 em pelo menos uma de suas visões [Ver artigo “O Episódio da Porta Fechada”, nº 39 de nosso “Catálogo”]. Li a visão vez após vez novamente, lutando para encontrar sua lógica.

Lutei com a questão da visão empregando minha melhor ginástica mental para torná-la compatível com o que cria, mas em vão. Não podia contornar o problema. A Sra. White havia visto uma falsidade em visão. Fiquei confuso e revoltado. Decidi estudar mais a fundo antes de tomar uma decisão.

Comecei a estudar sobre sua condição médica. Seus próprios doutores ASD’s a haviam diagnosticado como vítima de histeria e catalepsia, de modo que investiguei essas condições. Descobri que pessoas sob tais condições experimentam alucinações e seus corpos se tornam rígidos e sua respiração quase se detém. Também descobri que tais condições podem ser provocadas por um dano ao cérebro.

Posteriormente descobri que tais condições geralmente se manifestam em mulheres, e que os sintomas amiúde param na meia-idade, tal como as visões da Sra. White, que diminuíram e, finalmente, pararam na sua meia-idade.

Comecei a perguntar-me por que Deus daria a alguém visões numa maneira que se assemelhava tanto aos padrões de uma conhecida condição médica? Parecia, na melhor das hipóteses, ser uma coincidência.4

Muitos adventistas tem conhecimento sobre o que aqui foi apresentado, mas se negam a aceitá-los devido sua profetisa ter dito que se algum dia eles perdessem a fé nos seus testemunhos (escritos) eles perderiam a suposta salvação, uma vez que eles a tem como o espírito de profecia de (Ap 19.10). Ela os intimidou da seguinte forma:

Não obstante, quando vos mando um testemunho de advertência e reprovação muitos de vós declarais ser simplesmente a opinião da irmã White. Tendes assim insultado o Espírito de Deus. Sabeis como o Senhor Se tem manifestado por meio do Espírito de Profecia. O passado, o presente e o futuro têm passado perante mim. “Têm-se-me mostrado rostos que nunca vira, e anos depois os reconheci ao vê-los. (Mensagens Escolhidas Vol 1, p 27,grifo nosso).

Negligência dos Testemunhos

Não são só os que abertamente rejeitam os Testemunhos ou que alimentam dúvidas a seu respeito, que se encontram em terreno perigoso. Desconsiderar a luz equivale a rejeitá-la. […] Muitos estão agindo em oposição direta à luz que Deus deu ao Seu povo, porque não leem os livros que contêm a luz e o conhecimento sob a forma de admoestações, repreensões e advertências. (Testemunhos Seletos. Vol 2. P. 290, grifo nosso).

“Se você perder a confiança nos Testemunhos você vai se afastar da verdade bíblica.” (Testemunhos para a Igreja, vol. 5, p. 98, grifo nosso).

Vale ainda salientar que Ellen White ensinou que, quando uma pessoa está doente, além de ser pecado, é fruto de uma transgressão:

É pecado ser doente, pois toda a doença é resultado de transgressão. Muitos sofrem em conseqüência da transgressão de seus pais. Estes não podem ser censurados pelo pecado de seus pais; não obstante, é seu dever, indagar em que seus pais violaram as leis do seu ser, que trouxeram sobre seus descendentes tão desditosa herança; e naquilo em que os hábitos de seus pais foram errados, devem eles mudar de procedimento, e guiar-se por hábitos corretos, em melhor relação para com a saúde. (Conselhos Sobre Saúde. P. 37) 

Logo, se verdadeiramente os ensinos de Ellen Gould White foram todos inspirados pelo Espírito Santo, devemos de forma avassaladora entender que ela mesma foi uma tremenda transgressora e falsa profetisa uma vez que foi aqui provado que a tal carregou sobre seu corpo graves doenças que adventista algum pode negá-las.

Finalizo esta reflexão dizendo que, Jesus é o Caminho a Verdade e a Vida. Ainda que uma mulher ou um anjo venha e anuncie outra mensagem além da que já esteja Escrita, a desconsidere.

——————

Veja o vídeo:

________________________________

1 http://www.infoescola.com/doencas/catalepsia-patologica/

2 http://www.freudpage.info/freudhisteria.html

3 MAXWELL, C. Mervyn. História do Adventismo. CPB.

4http://adventismonamiradaverdade.blogspot.com.br/2012/02/dirk-anderson-ex-adventista.html

 


Cada autor é responsável pelo conteúdo do artigo.

1 Comentário

Comentários 1 - 1 de 1Primeira« AnteriorPróxima »Última
  1. (Conselhos Sobre Saúde. P. 37) os adeptos do adventismo são espelho desta mulher. Acusam pessoas de serem doentes por portar pecados escondidos, porém, ela MESMA ou eles MESMOS fazem o MESMO. melhor definição para o E.G.Whiteísmo : fabrica de doidos.

Comentários 1 - 1 de 1Primeira« AnteriorPróxima »Última

Deixe seu comentário

Advertisement