Esqueceu a senha?

O elogio ao “jihadismo” no Ministério da Justiça

por Artigo compilado - sex nov 06, 5:02 pm

O elogio ao “jihadismo” no Ministério da Justiça: eis um governo que abriga a delinquência desbragada

É até possível o autor da façanha nem saber o que é “jihadismo”. Mas será que a ignorância deve ser perdoada?

O Ministério da Justiça, de José Eduardo Cardozo (PT), afirmou em resposta a um usuário do Facebook que jihadistas “merecem respeito”, pois podem trazer “progresso ao Brasil”, como “qualquer outro povo”. A delinquência dita em nome da Pasta foi publicada em 28 de outubro, nos comentários de um post para divulgar a campanha de combate à xenofobia contra os imigrantes. Heder Duarte, um internauta, escreveu um comentário no qual dizia que “imigrantes pacíficos são bem-vindos, já os jihadistas devem ser impedidos de entrar no Brasil”. O Ministério da Justiça não concordou com o rapaz e disse o seguinte: “Temos de desconstruir alguns conceitos, Heder. Os jihadistas, assim como qualquer outro povo de qualquer outra origem, vêm ao Brasil para trazer mais progresso ao nosso país e merecem respeito”.

Em nota, o Ministério da Justiça lamentou o erro cometido na resposta na qual confunde jihadistas com um povo e que o “erro crasso foi corrigido”.

“Jihad” é um termo árabe que, originalmente, significa “luta” ou “empenho” para disseminar a fé, mas passou a ser usado por radicais islâmicos como convocação para a “guerra santa” – os que atendem a esse chamado e usam da violência são chamados de “jihadistas”. É a base do terrorismo islâmico.

No dia 24 de setembro de 2014, Dilma disse o seguinte em Nova York:
“Gente, vocês acreditam que bombardear o Isis resolve o problema? Porque, se resolvesse, eu acho que estaria resolvido no Iraque. E o que se tem visto no Iraque é a paralisia. Hoje a gente querer simplesmente bombardear o Isis e dizer que você resolve, porque o diálogo não dá… Eu acho que não dá, também, só o bombardeio, porque o bombardeio não leva a consequências de paz”.

Reinaldo Azevedo da Revista Veja em 06/11/2015


Cada autor é responsável pelo conteúdo do artigo.

1 Comentário

Comentários 1 - 1 de 1Primeira« AnteriorPróxima »Última
  1. O governo quer testar, na verdade, nossa ignorância.

Comentários 1 - 1 de 1Primeira« AnteriorPróxima »Última

Deixe seu comentário

Advertisement