Esqueceu a senha?

O islã é antidemocrático em sua essência

por Pr. João Flávio Martinez - ter nov 17, 2:45 pm

O Jornalista Reinaldo Azevedo explicitou uma assertiva imprescindível para entendermos o islamismo. Ele concluiu – “nem todo muçulmano é terrorista, mas mesmo o muçulmano que é contra o terrorismo, ele não é a favor da democracia e do nosso jeito de viver”. Ou seja, ser islâmico, na melhor das hipóteses, é ser antidemocrático por natureza religiosa. E claro que esse muçulmano que não respira os valores da liberdade é facilmente cooptado por outros religiosos islâmicos fanáticos, ou melhor, religiosos que levam o Alcorão como ele é – um livro de terror e que chancela o ódio e a perseguição! Fatos são fatos!

Nós cristãos não matamos ninguém por causa de religião, pois assim ensinou Jesus Cristo. E quando, como aconteceu na história, um cristão faz isso, faz sem o aval do Senhor do Cristianismo. Entretanto, podemos usar uma arma poderosa contra o islamismo. Sim, podemos – ataquemos o islamismo com a força da comunicação, da ideologia da liberdade, das redes sociais, dos blog, revistas, jornais, TV e tudo o que pode ser usado pra se comunicar. Vamos denunciar esse religião assassina, vamos abrir os olhos dos brasileiros. Lembrem-se, a seita petista e seu profeta Lula, até pouco tempo atrás eram endeusados, mas hoje todos sabem o quanto esdruxula é esta instituição e como criminoso é o seu profeta. Podemos deixar isso claro sobre o islamismo e Maomé. Usem tudo o que podem, você que ama a liberdade, ataque na esfera das ideias. A liberdade e a ideologia da democracia vencerá!!! Não tenham medo, juntem-se a pessoas como Ayaan Hirsi Ali, Salman Husdie e tantos paladinos da liberdade na “jihad intelectual” contra o islã. Vamos juntos derrubar essa religião do inferno e mostrar as pessoas que ser muçulmano é ser inimigo do bem e da liberdade. Lutem, vamos juntos à liberdade!!!

E sim, o islamismo é assassino, são 1400 anos de crimes e assassinatos… E o Alcorão, diferente da Bíblia, manda matar sim e no contexto presente. A Bíblia, em contexto restrito e um dado momento histórico dentro de uma conjuntura de guerra social. Vale salientar que as escrituras judaico-cristã são históricas, já o Alcorão é um poema e não um livro histórico. Então, quando a Surata 9.111 manda o fiel matar em troca do paraíso, isso vale hoje e sempre. Então, sim, o islamismo é uma religião assassina e hedionda e precisa ser criminalizada. Reitero, não me importo que me rotulem como “islamofóbico” – tenho a liberdade de repudiar o Islã e não, não quero islâmicos assassinados, mas criminalizados e fiscalizados – simples assim.

Imagino que a Lei da reciprocidade já resolveria muito, ou seja, enquanto o berço do Islã não permitir a expressividade de outras formas de crenças, que o islamismo seja proibido no resto do mundo…


Cada autor é responsável pelo conteúdo do artigo.

Deixe seu comentário

Advertisement