Esqueceu a senha?

O Jesus espírita é um médium

por Artigo compilado - sáb out 12, 3:18 pm

Allan Kardec declara que: Segundo definição dada por um Espírito, ele era o médium de Deus (“A Gênese”, p. 1034. Editora Opus Ltda., 2ª edição especial, 1985).

Resposta Apologética:

A propósito, João admoesta a que não creiamos a todo o espírito, porque existem espíritos que não são de Deus:

Amados, não creiais a todo o espírito, mas provai se os espíritos são de Deus, porque já muitos falsos profetas se têm levantado no mundo (1 Jo 4.1).

Ora, a interpretação dos textos apontados parece ser muito simples, e o próprio Allan Kardec é um deles. Não seria ele por isso incluído entre os possíveis falsos profetas? Sim, ele poderia ser incluído, pois nega a veracidade de João 1.1. No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Diz Allan Kardec que essas palavras eram apenas a opinião do escritor e não podem ser tidas como prova da deidade de Jesus. Com isso, está negando a inspiração da Bíblia. Portanto, João está apontando em 1 João 4.1 que o espírito que não confessa Jesus como Deus, que veio em carne (Jo 1.14) é um falso mestre religioso. Kardec, para reforçar sua posição contra a deidade de Jesus, vai ao extremo de negar os próprios milagres de Jesus. Aproveita-se da Bíblia para dar consistência à sua doutrina espírita, mas quando a Bíblia enfatiza a deidade de Jesus, ele não só nega a declaração de João 1.1, como também nega os milagres de Jesus, como descritos na Bíblia, para provar sua condição de Deus conosco, Jesus (Mt 1.21-23; Jo 10.30, 37-38).

a) Apontava para seus milagres como prova da veracidade de suas palavras e doutrinas (Mt 11.2-6; Lc 5.24; Jo 5.36; 15.22; 20.30-31);

b) Aceitava adoração como Deus, sem lhes corrigir essa interpretação (Jo 20.28).

Extraído do site do ICP em 12/10/2013


Cada autor é responsável pelo conteúdo do artigo.

5 Comentários

Comentários 1 - 5 de 5Primeira« AnteriorPróxima »Última
  1. O kardecismo usa a prerrogativa de ser magia branca, usam textos isolados para dar sentido nessa variação espirita é um tiro pela culatra neles.
    A máxima do kardecismo é negar a Divindade de Jesus (EU SOU) e aplicar a blasfema idéia de ser um fantasma com sucessivas reencarnações. quanta besteiras !
    “… [Jesus disse] Vede as minhas mãos e os meus pés, que sou eu mesmo; apalpai-me e vede, pois um espírito não tem carne nem ossos, como vedes que eu tenho. Lucas 24:39
    na ressurreição Jesus estava ali bem vivo, e não era uma gosma espectral ou um ectoplasma.
    Gente kardecista, acorda : o allan kardec era um falso profeta, alias esse nem era o nome real dele, (de cartório hipolito leon dinizard rivail) ele achava que era reencarnação de um poeta morto.
    Por que ele não achava-se reencarnação de um humilde operarário? nãmm tem que ser alguém com benemerito histórico para ficar mais “tchamm”.
    o allan kardec era um falso profeta, o chico xavier também … e esses espiritos guias chamados aí de “imanuel” e o “andréluiz” são demônios mentirosos disfarçados com nickname.
    Acorda Brasil espirita … estão enganados!

    1. Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  2. Nossa JCP dá para notar que você não sabe nada em absoluto da doutrina espirita, jamais negamos milagres e a divindade de Jesus, muito pelo contrario, somos estudiosos de toda passagem Dele na Terra. Faça o mesmo, estude, se informe e depois coloque sua opinião.

    1. Celia, você está dizendo inverdades : o Espiritismo não aceita a Divindade (Jesus ser Deus). na literatura espírita de Allan Kardec e outros espíritas negam veemente isso. não venha com teatro que não cola.

      http://www.cacp.org.br/o-jesus-espirita-e-um-medium/

    2. “Se Jesus, ao morrer, entrega sua alma às mãos de Deus, é que ele tinha uma alma distinta de Deus, submissa a Deus. Logo, ele não era Deus”. (Obras Póstumas – Allan Kardec)

      Célia, é você que não conhece nem aonde você pisa. mulher vai urgente procurar eclesiologia saudável.

Comentários 1 - 5 de 5Primeira« AnteriorPróxima »Última

Deixe seu comentário

Advertisement