Esqueceu a senha?

O namoro bíblico

por Pr. Natanael Rinaldi - qua abr 06, 9:41 am

namoro

Pela internet, tomamos conhecimento de uma notícia que considero oportuno comentar e dar amplo conhecimento. Diz a notícia:

“Eles não beijam na boca durante o namoro e defendem o sexo somente após o casamento. O objetivo: conhecer o verdadeiro amor. Este é o estilo de namoro que muitos jovens evangélicos têm adotado como princípio para uma vida ‘emocionalmente saudável’. É o que um jovem casal de universitários garante estar vivenciando há mais de um ano. O casal conta que os dois são adeptos da pureza sexual até o casamento. Nós abdicamos do contato físico, para focar nosso relacionamento na amizade e em conhecer um ao outro, disse o rapaz. Ele destaca ainda que essa escolha ajuda a ter uma vida emocional equilibrada. Para a moça, a união do casal está respaldada na santidade e em princípios que estão descritos na Bíblia… Voltamos ao tempo que nossos pais namoravam na sala com a presença da família, mas isso não é uma tarefa fácil. O preconceito da sociedade é grande, e a castidade um assunto polêmico. Nossa postura vai contra as regras ditadas pela sociedade. É difícil para muitos aceitarem que alguém, em pleno século 21, pense assim”.

Não é uma surpresa agradável tomar conhecimento que ainda há jovens que se colocam obedientes a Deus, no campo do namoro, não acompanhando o exemplo da maioria nos tempos atuais, que desonram seus corpos, não guardando a castidade? Sem dúvida que sim. A Bíblia ensina que sexo antes do casamento, entre namorados, se chama fornicação, além de ser imoralidade sexual e a violação dos princípios morais e eternos de Deus. É também um ‘acordo’ entre duas pessoas que envolve vender o corpo, não necessariamente por dinheiro, obviamente, mas por outras comodidades.

Então como se dá a fornicação, desde que nem sempre a jovem oferece seu corpo pelo dinheiro? Uma jovem oferece seu corpo para um jovem como um negócio: para que possa ir a uma festa com um rapaz popular; para se divertir ou ter prazer; para que ele possa viver com ela e dividir o aluguel; para que ele compre presentes e a leve a restaurantes caros; para que ele deixe que ela dirija seu carro esportivo; para que ele goste dela e passe a ser seu namorado, ou mesmo por todas essas e mais algumas razões. Isso faz com que um jovem cometa fornicação com uma jovem. Nenhum dos dois une seu corpo a outro, fora do casamento, num vazio ou numa situação neutra. Há sempre na mente de um, ou dos dois, um acordo, uma transação, uma negociação do corpo.

Podemos citar diversos textos bíblicos em que a prática da fornicação é considerada pecado contra Deus:

1Coríntios 6.13-19 – “Os alimentos são para o estômago e o estômago para os alimentos; Deus, porém, aniquilará tanto um como os outros. Mas o corpo não é para a fornicação, senão para o Senhor, e o Senhor para o corpo. Ora, Deus, que também ressuscitou o Senhor, nos ressuscitará a nós pelo seu poder. Não sabeis vós que os vossos corpos são membros de Cristo? Tomarei, pois, os membros de Cristo, e os farei membros de uma meretriz? Não, por certo. Ou não sabeis que o que se ajunta com a meretriz, faz-se um corpo com ela? Porque serão, disse, dois numa só carne. Mas o que se ajunta com o Senhor é um mesmo espírito. Fugi da fornicação. Todo o pecado que o homem comete é fora do corpo; mas o que fornica peca contra o seu próprio corpo. Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos?”

1Coríntios 7.1-2 – “Ora, quanto às coisas que me escrevestes, bom seria que o homem não tocasse em mulher; mas, por causa da fornicação, cada um tenha a sua própria mulher, e cada uma tenha o seu próprio marido”.

1Tessalonicenses 4.3-5 – “Porque esta é a vontade de Deus, a vossa santificação; que vos abstenhais da fornicação; Que cada um de vós saiba possuir o seu vaso em santificação e honra; Não na paixão da concupiscência, como os gentios, que não conhecem a Deus”.

Haveria algum castigo apontado na Bíblia para os que vivem no pecado da fornicação? Dizemos que sim, conforme lemos em Apocalipse 21.8: “Mas, quanto aos tímidos, e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos que se prostituem, e aos feiticeiros, e aos idólatras e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre; o que é a segunda morte”.


Cada autor é responsável pelo conteúdo do artigo.

Deixe seu comentário

Advertisement