Esqueceu a senha?

O Outro Consolador

por Pr. João Flávio Martinez - ter set 04, 10:23 am

Espírito Santo de Deus 

Ele é denominado Espírito do Senhor (2 Coríntios 3:17-18), Espírito de Deus (Romanos 8:9), Espírito de Cristo (Romanos 8:9), Espírito Santo (Atos 1:8; 1 Coríntios 6:19), Espírito (Romanos 8:26), entre outros Nomes. Ele é Deus (2 Coríntios 3:17-18; Hebreus 9:14).

———————————————————————–

O Espiritismo declara: “… Assim, o Espiritismo realiza o que Jesus disse do Consolador prometido…” (O Ev. Segundo e Espiritismo).

Diante de tal declaração, torna-se evidente que o Espiritismo procura basear-se na Bíblia, particularmente nos evangelhos, para confirmar suas doutrinas. Sabemos que não pode haver duas verdades, assim, precisamos examinar a Bíblia e o seu contexto para determinar a verdadeira identidade do “outro Consolador”, pois se o Espiritismo estiver certo em sua reivindicação, então os evangélicos estão enganados quando dizem que o outro Consolador é a terceira pessoa da Santíssima Trindade, o Espírito Santo.

Vejamos então o que diz a Bíblia.

Veremos três razões para provar que o “outro Consolador” não é o Espiritismo propagado pelo Kardecismo, a saber:

Primeira: O Espírito Santo é uma pessoa, por pessoa queremos dizer um ser com atributos e características pessoais. Ele não é uma falange de espíritos. O Espírito Santo é Deus, o Deus verdadeiro. A Bíblia mostra isso claramente. Diante da desonestidade de Ananias, Pedro indaga: “Disse então Pedro: Ananias, por que encheu Satanás o teu coração, para que mentisses ao Espírito Santo, e retivesses parte do preço da herdade? (…) Não mentiste aos homens, mas a Deus”(ACF) (Atos 5:3,4). Como parte integrante da Trindade, Ele possui todos os atributos próprios da Divindade: é Onipotente (Jó 26:13; 33:4; Romanos 15:13,19); é Onisciente (I Coríntios 2:10-11); é Onipresente (Salmos 139:7-10); além de tudo isso Ele existe desde a eternidade (Hebreus 9:14; Salmos 90:2).

Segunda: 
A promessa do Consolador foi cumprida no primeiro século, em Jerusalém, apenas alguns dias após a Ascensão de Jesus e não no século XIX, na França, como querem os Espíritas. Disse Jesus: “Todavia digo-vos a verdade, que vos convém que eu vá; porque, se eu não for, o Consolador não virá a vós; mas, quando eu for, vo-lo enviarei” (ACF) (João 16:7). Que o lugar não seria na França nos foi assegurado pelo discípulo Lucas: “E, estando com eles, determinou-lhes que não se ausentassem de Jerusalém, mas que esperassem a promessa do Pai, que (disse ele) de mim ouvistes. Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra” (ACF) (Atos 1:4,8). Apontando para o cumprimento da promessa, relata-nos a Bíblia: “E todos foram cheios do Espírito Santo, e começaram a falar noutras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem. De sorte que, exaltado pela destra de Deus, e tendo recebido do Pai a promessa do Espírito Santo, derramou isto que vós agora vedes e ouvis” (ACF) (Atos2:4 e 33). O texto é límpido como a mais limpa água cristalina; “a promessa do consolador foi derramado em Jerusalém e deu-se o início da Igreja de Cristo”. Esse fato é, “teologicamente” consumado, o outro Consolador é o Espírito Santo e Ele já foi derramado. E por causa dele milhares de Espíritas têm se arrependido e se convertido a verdadeiro evangelho, o de Cristo Jesus, Aleluia!!!

Terceira: 
Em suas publicações, Kardec contradiz as escrituras em vários pontos, fazendo-se um anticristo, por não conhecer a Palavra de Deus que afirma: “Porque três são os que testificam no céu: o Pai, a Palavra, e o Espírito Santo; e estes três são um”. (ACF) (I João 5:7). “Porque já muitos enganadores entraram no mundo, os quais não confessam que Jesus Cristo veio em carne. Este tal é o enganador e o anticristo” (ACF) (II João 1:7). A Palavra é uma com o Espírito Santo, se as doutrinas Espíritas fossem inspiradas por Deus estariam de acordo com os ensinamentos da Bíblia, mas o que acontece é o contrário, por isso dizemos que Kardec é um anticristo, aliás Kardec não crê que Jesus veio em carne. De acordo com as doutrinas Kardecistas, os milagres registrados na Bíblia são apenas fenômenos psíquicos; sobre a inspiração Divina da Bíblia, Kardec afirma que está cheia de erros; sobre a Trindade, diz que não pluralidade na divindade; Sobre a existências de anjos, diabo e demônios, afirma serem espíritos desencarnados; sobre a Divindade de Jesus, diz que Jesus foi apenas um médio e uma criatura de Deus como todos os outros; sobre o Espírito Santo, declara que “é uma falange de espíritos”; Sobre a existência da vida humana, Kardec diz que existem mundos que são habitados; a respeito do céu e inferno, declara que não castigo eterno, e a contemplação de Deus é vista como inútil e estática; a ressurreição corporal tanto de Jesus como de todos, Kardec afirma que o espírito não retornará ao mesmo corpo, mas reencarnará em muitos corpos; sobre a obra de Cristo na cruz, Kardec a desconsidera e diz que o homem deverá conseguir a sua redenção através de sucessivas reencarnações aperfeiçoando a si mesmo.

Não há aqui espaço suficiente para analisarmos todos os aspectos, mas a maior parte das negações das doutrinas bíblicas diz respeito a Jesus: Sua pessoa e sua obra. Esperamos, sinceramente, que o verdadeiro Consolador convença os Kardecistas de que o testemunho do apóstolo João é verdadeiro, quando disse: “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus” (ACF) (João 1:1). “Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna” (ACF) (I João 5:20). “Deus nunca foi visto por alguém. O Filho unigênito, que está no seio do Pai, esse o revelou” (ACF) (João 1:18). Este mesmo Deus, vendo o homem no lamaçal do pecado, condenado à punição eterna, amou de tal maneira que veio à terra expiar os nossos pecados, uma vez que isso seria impossível ao próprio homem. Disse o outro Consolador por meio de Paulo: “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie” (ACF) (Efésios 2:8-9). A Bíblia é totalmente contrária a reencarnação e vidas sucessivas (Hb.9:27). O Deus da Bíblia apresenta algo melhor do que a reencarnação: Jesus (que morreu em nosso lugar, dando-nos uma viva esperança: a de vivermos eternamente com Deus no céu, sem pecado, sem dor, sem morte…). Discordamos veementemente, da doutrina Espírita, com todo o seu dorso de pseudos ensinamentos, que se declara a melhor religião e a última revelação de Deus, como sendo algo da parte de Cristo. O povo de Deus sabe que: “SEM JESUS E A SUA PALAVRA NÃO HÁ SALVAÇÃO”. Podemos ver com os exemplos citados que a “terceira Revelação”, “o Outro Consolador”, não passam de uma grande fraude, de um enorme engodo, pois todas essas doutrinas Espíritas são facilmente desmanteladas pela verdade de Deus – A Bíblia Sagrada.


Cada autor é responsável pelo conteúdo do artigo.

Deixe seu comentário