Esqueceu a senha?

O Pedestal de Maria

por Prof. Paulo Cristiano da Silva - qui ago 30, 8:30 am

Papas, bispos e padres conseguiram gradativamente destronar Deus e Cristo do coração dos católicos substituindo-os pela devoção às imagens e pelo Culto à Maria “Honrando mais a criatura que ao Criador”. (Romanos l :25).

Maria, mãe do corpo físico de Jesus e não “mãe de Deus” como ensinam, viveu a fé que Cristo seu filho deixou e morreu como todos os Cristãos. Mas a partir do século IV observaram que o nome de Maria sensibilizava as mulheres, então passaram a atribuir-lhe honrarias e atributos que se estivesse no mundo recusaria. Eis a escalada:

1- No Concilio de Efeso, ano 431, decidiram chamá-la “Mãe de Deus”.

2- No Concílio de Latrão, ano 649, proclamaram sua virgindade. (A Bíblia no entanto registrou que José não coabitou com Maria sua esposa somente “ATÉ” nascer Jesus. (Mateus l .25). Os primeiros cristãos e muitos “pais da Igreja”, como Tertuliano, Euzébio, Santo Irineu, Epifaneo, Hegesipo, Helvidio e tantos outros confirmavam que Maria teve outros filhos no seu matrimónio com José. Afinal, casar-se e ter filhos não desmerece; o casamento é Instituição Divina e ter filhos é ordem do Criador; o que desmerece e muito é a condição de celibatário.

3- No Cone. de Nicéa, 787, instituíram o Culto à Maria, anti-biblico. Esse culto não chega a ela, pois Maria e os Santos não são Onipresentes.

4- Imaculada Conceição. Na Bíblia não há nem cheiro dessa “concepção” milagrosa de Maria. Mas Pio IX decretou essa inverdade no ano 1854.

5- Cem anos depois, ano 1950, de maneira espectacular a velha Igreja Católica escorrega de novo deixando a cristandade perplexa. Baseado numa lenda de 15 séculos atrás, decreta a Assunção de Maria.

A bem conhecida reza “Ave Maria” é uma mistura de textos bíblicos e doutrina espírita. pois a expressão “Rogai pôr nós” não está na Bíblia. Os cristãos jamais apelaram para as pessoas santas que morreram.

Cogitam aumentar o “peso da coroa” proclamando-a Rainha do Céu e Mãe de todas as graças. Há cidades e igrejas com o nome de “medianeira” contrariando frontalmente a Bíblia que adverte: Só há um mediador entre Deus e o homem: Jesus Cristo, o Justo”. (I Timóteo 2:5). A caduquice da Igreja de Roma pode aumentar: Já há quem deseje uma posição de Maria na Santíssima Trindade. Abyssus Abyssum invocat.

No Brasil, em 1717, em Aparecida do Norte, o José Alves, o Domingos Garcia e o Felipe Pedroso “pescaram” no Rio Paraíba uma imagem de Maria em dois pedaços. O padre Vilela não perdeu tempo e fizeram uma capela; queimaram velas, incentivaram crendices e surgiu uma igreja. Mais engano e simulação e construíram uma “basílica” onde recolhem fortunas com porcentagens para bispados e Vaticano, explorando a credulidade do povo.

Mas pôr que tanto exagero para com o nome de Maria? Antigamente os teólogos católicos acalmavam os cristãos dizendo que o Culto a Maria servia para “contrabalançar” com o paganismo que desfilava com formosas deusas… Mas os Jesuítas explicam melhor: Eles dizem que “a mulher é um grande instrumento, é a chave com a qual se entra nas famílias, pôr elas consegue-se grandes séquitos, as festas se tomam pomposas e ajudam a Igreja a manejar as plebes”. Sabem que usando o nome de Maria sensibilizam o sexo feminino que pôr sua vez atraem os jovens e os esposos para as festas romanistas dos “santos e padroeiros”. (Prof. de teologia, Borba do Liceu de Braga, Portugal).

————————————————
Para saber mais sobre o Catolicismo – O CACP disponibiliza para você, por um preço especial, os seguintes produtos:

DVD
– A Rainha do Céu: Nesse DVD o Dr Paulo Romeiro discute a doutrina mais polêmica do Catolicismo – A Mariolatria. 

APOSTILA
-O Catolicismo: Você terá nessa apostilas a refutação de todos os dogmas do Catolicismo.


Cada autor é responsável pelo conteúdo do artigo.

Deixe seu comentário

Advertisement