Esqueceu a senha?

O que é aborto?

por Artigo compilado - qui ago 13, 9:32 am

Aqueles que continuam lutando contra a legislação que restringe o aborto na verdade não são “pró-escolha”. Em vez disso, são especialmente “pró-assassinato”. Embora a retórica sirva para camuflar o massacre do aborto, essa prática continua sendo a morte morosa de um ser humano inocente.

Primeiro, o aborto é doloroso, pois os métodos empregados para matar um feto envolvem queimadura, sufocamento, mutilação e esmagamento. E esses procedimentos são executados em bebês vivos, que não foram anestesiados.

Além disso, o aborto envolve morte. O zigoto, que preenche os requisitos necessários para estabelecer a existência de uma vida biológica (metabolismo, desenvolvimento, habilidade de reagir a estímulos e reprodução celular), é, de fato, exterminado.

No livro “A Mulher e a Nova Raça”, Margareth Sanger, fundadora do Planned Parenthood, organização que possui a maior rede de clínicas de aborto do mundo, reconhece esse ponto de maneira implícita, quando escreveu: “O ato mais misericordioso que uma família grande pode fazer por uma de suas crianças é matá-la”.

Finalmente, o aborto mata seres humanos inocentes. A criança que é exterminada é fruto de pais humanos e possui um código genético humano totalmente distinto. Embora o embrião não tenha uma personalidade desenvolvida por completo, tem plena condição de indivíduo a partir do momento da concepção. Portanto, longe de merecerem a pena de morte, esses seres humanos inocentes merecem cuidado e proteção.

Somos gratos porque, no sistema divino, há esperança para aquelas que experimentaram a desolação do aborto. Elas podem não só receber o perdão aqui e agora, caso se arrependam dessa prática, mas também aguardar o enlevo de se reunir na eternidade com seus filhos que não nasceram.

“Pois possuíste o meu interior; entreteceste-me no ventre de minha mãe. Eu te louvarei, porque de um modo terrível e tão maravilhoso fui formado; maravilhosas são as tuas obras, e a minha alma o sabe muito bem. Os meus ossos não te foram encobertos, quando no oculto fui formado e entretecido como nas profundezas da terra. Os teus olhos viram o meu corpo ainda informe, e no teu livro todas estas coisas foram escritas, as quais iam sendo dia a dia formadas, quando nem ainda uma delas havia” (Salmos 139.13-16).

  1. HANK HANEGRAAFF

 


Cada autor é responsável pelo conteúdo do artigo.

Deixe seu comentário

Comentários fechados neste artigo.

Advertisement