Esqueceu a senha?

O que é o joio mencionado por Jesus?

por Pr. Natanael Rinaldi - sex abr 17, 10:27 am

Em Mateus 13.24-30 Jesus contou a parábola do Trigo e do Joio. Essa palavra “joio” é pouco conhecida entre nós brasileiros, enquanto que a palavra trigo é bem conhecida, pois o nosso pão de cada dia, e muitos alimentos que consumimos, são feitos com farinha de trigo. Mas o que significa a palavra “joio” e qual a razão da parábola contada por Jesus?

Interessante que essa é uma das parábolas que o próprio Jesus deu a interpretação. Vejamos como ela se aplica essa em nossos dias.No texto mencionado, a Bíblia Almeida Corrigida emprega a palavra joio. A tradução do Padre Antonio Pereira de Figueiredo traz a palavra cizânia. São palavra sinônimas. A palavra cizânia vem do grego sizanion. É uma planta que se parece muito com o trigo e o arroz. Produz uma semente escura, menor que a do trigo, é de natureza narcótica e até venenosa. A palavra joio é de origem egípcia – çoio e oci que significa trigo danoso. A definição do Dicionário Online diz: “Substantivo masculino. O que pode prejudicar ou corromper aqueles que o cercam”.

Em primeiro lugar, não se pode deixar de perceber a astúcia do diabo. Ele é tão astuto que leva as pessoas a crer que ele não existe. Jesus disse que o inimigo é o diabo, e o joio são os filhos do maligno. E como se manifesta a astúcia do diabo?

1- Pedro disse que ele anda rondando, espreitando como leão que persegue a presa para devorá-la (IPe 5.8);

2- Transforma-se em anjo de luz para encantar e seduzir (IICo 11.14);

3- Cita a Bíblia para iludir e derrotar (Mt 4.6);

4- Dá testemunho de Cristo como santo de Deus (Lc 8.28);

5- Proclama, pela moça adivinha, que os apóstolos eram servos do Altíssimo e anunciavam o caminho da salvação (At 16.17);

Tudo isso para isso para realizar seus planos de ruína e perdição. Daí a presença do joio no lar, na sociedade, nas nações e na igreja, em descalabro físico, moral e espiritual.

Devemos notar, também, que o diabo trabalha na calada da noite, quando se cometem os maiores pecados e os crimes hediondos. O livro apócrifo de Judite narra a história do assassinato do general assírio Holofernes. Certa viúva, Judite, se embeleza, seduz o general, e depois de embriagá-lo corta-lhe a cabeça. Em Jz 4.17-21 lemos que Jael mata Sisera.

Mas a existência do mal ao lado do bem é temporária, não durará para sempre. Lemos em Mt 13.41-42 que no dia da ceifa, que é o dia do Juízo Final, o joio será jogado na fornalha de fogo. O fazendeiro proibiu arrancar o joio antes, não porque não pudesse distingui-lo, mas porque poderia arrancar também o trigo. O crente vive hoje ao lado do descrente no trabalho, às vezes no lar, na escola, mas sempre mantendo uma linha divisória, como os cordões de isolamento. De um lado a igreja, do outro lado o bar, na mesma rua. Caminho estreito para a salvação, caminho largo para a perdição (Mt 7.13-14). Luz e trevas, o lado de Cristo e o lado de Belial (Sl 1.1-3; Jo 17.15; IICo 6.15).

Resumindo o ensino de Jesus na Parábola do Trigo e o Joio, temos:

1- O diabo é sagaz e opera nas trevas, quer pessoalmente, quer por meio de seus sequazes ou filhos. Cumpre-nos ter prudência, vigiar, orar e não dar lugar ao diabo (Mt 26.41; Ef 4.27; Tg 4.7).

2- A tolerância do incrédulo com o crente é na terra, e termina no fim do mundo, quando haverá separação eterna, definitiva (Mt 25.34,41,46; ICo 6.9-10; Ap 22.14-15). Os descrentes devem aproveitar o dia de salvação que é hoje (IICo 6.2; IITm 3.15).

3- O joio prejudica o trigo, mas não lhe impede a produção. No final, o joio irá para a fornalha e o trigo para o celeiro.


Cada autor é responsável pelo conteúdo do artigo.

Deixe seu comentário