Esqueceu a senha?

O que é um sábado?

por Pr. Natanael Rinaldi - qui jul 31, 1:08 am

o-selo-de-deus

A palavra vem do hebraico “shabat”, que significa originalmente “cessar” ou “encerrar” no sentido de parar de fazer, terminar algo que começou e que não se vai fazer novamente. Com o passar do tempo sofreu modificação de sentido, passando a ser interpretada como descanso, repouso. “Havendo Deus acabado no sétimo dia a obra que fizera, descansou (encerrou) de toda obra de criação que fizera” (Gn 2.2).

Não há ideia de descanso para recomeçar no dia seguinte, mas encerramento definitivo da atividade. Deus não descansou, por estar cansado, mas por dar por terminado o trabalho e não folgar no sentido de repouso.

No livro de Gênesis inteiro sequer aparece o nome ‘sábado’, e em Gn 2.3 não diz que o nome do sétimo dia é sábado, pois está escrito que “Deus abençoou o sétimo dia, e o santificou, porque nele descansou (cessou) de toda obra de criação que fizera”.

1 – Sábado Judaico

O mandamento que ordena a guarda do sábado é o quarto entre os dez que foram dados a Moisés no Monte Sinai, assim está escrito no livro de Êxodo 20.8-11: “Lembra-te do dia do sábado, para o santificar. Seis dias trabalharás, e fará toda a tua obra; mas o sétimo dia é o Sábado do Senhor teu Deus; não farás nenhuma obra, nem tu, nem teu filho, nem tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o teu estrangeiro, que está dentro das tuas portas. Porque em seis dias fez o Senhor os céus e a terra, o mar e tudo que neles há, e ao sétimo dia descansou; portanto abençoou o dia do sábado, e o santificou”.

O povo hebreu havia acabado de sair do Egito, e Deus sob seu governo teocrático estava orientando a conduta moral e religiosa da nova nação, representada pela classe sacerdotal. Até então esta nação não tinha um dia de descanso. Deus constitui uma semana de sete dias e colocou o último dia de descanso “sábado”.

Foi Deus quem o estabeleceu. Não é do homem, não vem do homem, nem foi criado pelo homem, mas para o homem.

Deus na sua providência divina deu um dia de descanso, instituído como Lei, para evitar explorações do homem pelo homem além do limite, e para o homem cultuar o Senhor, Deus Eterno.

A Torá foi destinada a ser uma força dinâmica guiando um povo inteiro, e portanto precisava de um conjunto de homens incumbidos de sua interpretação. Esse conjunto de homens formavam o Sanhedrim (Sinédrio), que servia de suprema corte, e corpo legislativo dos judeus. O sinédrio era o preservador da lei oral, estava incumbido de sua interpretação, e também tinha poder de legislar sobre a religião judaica. Eles eram uma autoridade derivada da Torá (Dt 17.9-10). Esse corpo governante era destinado a manter o espírito, bem como a letra da lei. Uma regra fundamental dada ao sinédrio era “fazer uma cerca em volta da Torá”. Conseguiram, e com isso, além de cercá-la, criaram um fardo pesado com suas 39 regras impostas para o sábado.

2 – As 39 regras de trabalhos proibidos no sábado:

1.    Transportar – inclui o transporte em um lugar público.

2.    Queimar – inclui acender fogo ou queimar qualquer coisa.

3.    Extinguir – inclui extinguir ou abaixar uma chama por qualquer meio.

4.    Fazer acabamento – abrange todas as formas de consertos e ajustes.

5.    Escrever – inclui todas as formas de escrita e desenho.

6.    Apagar – inclui apagar ou destruir qualquer forma de escrita.

7.    Cozinhar – inclui todas as formas de cozer e assar.

8.    Lavar – inclui lavar ou alvejar uma roupa por qualquer processo.

9.    Costurar – inclui todas as formas de costura e trabalho com agulhas.

10.  Rasgar – inclui desmanchar qualquer forma de costura.

11.  Amarrar- inclui dar um nó permanente.

12.  Desamarrar – inclui desfazer um nó permanente.

13.  Moldar – inclui cortar um objeto num formato desejado.

14.  Arar – inclui todo trabalho que melhora o solo.

15.  Plantar – inclui todas as formas de plantio e jardinagem.

16.  Segar – inclui cortar ou arrancar algo que cresça da terra.

17.  Colher – inclui todas as operações de colheita.

18.  Debulhar – inclui todas operações das quais o alimento é separado do seu recipiente natural.

19.  Joeirar – inclui todas as atividades pelas quais o alimento é separado das suas porções não comestíveis, através do vento.

20.  Escolher – inclui a separação de porções não desejadas de alimentos, manualmente.

21.  Peneirar – inclui a separação das porções não desejadas de alimentos, mediante o uso de peneira.

22.  Moer – inclui todas as operações de moagem e trituração.

23.  Amassar – inclui combinar um pó com liquido, a fim de formar uma massa ou pasta.

24.  Pentear – inclui pentear lã ou algodão para fazer fibras.

25.  Fiar – inclui as atividades para fazer fios e cordas.

26.  Tingir – inclui mudar a cor de qualquer objeto ou substância.

27.  Fazer ponto em série – inclui croché, tricô e bordado.

28.  Urdir trama – inclui instalação de urdidura no tear, mesmo que não se faça realmente nenhuma atividade nele.

29.  Tecer – inclui todas operações de tecido.

30.  Desembaraçar – inclui desembaraçar qualquer material tecido.

31.  Construir – inclui todas as atividades de construção e montagem.

32.  Demolir – inclui desfazer qualquer operação de construção.

33.  Pegar em armadilha- inclui a captura ou restrição da liberdade de qualquer criatura viva.

34.  Cortar- inclui a remoção de cabelos, lãs ou penas de qualquer criatura viva.

35.  Abater- inclui a matança de qualquer criatura viva.

36.  Esfolar – inclui esfolar qualquer animal, a fim de obter seu couro.

37.  Curtir o couro – inclui todos oss processos de curtição e amaciamento para se obter couro.

38.  Amaciar o couro – inclui todas as operações de amaciamento e polimento.

39.  Marcar – inclui marcar ou riscar linhas sobre uma superfície como preparação para cortar ou escrever.

Essas regras compreendem leis rituais. Muitas coisas são proibidas, mesmo que não envolvam nenhum esforço físico. Não só é proibido acender fogo, como também dirigir um carro, porque o motor do carro funciona queimando gasolina. Não se pode arrancar nem mesmo uma folha de grama, anotar um número de telefone, colocar uma panela para ferver no fogão, mesmo que nenhum destes atos envolvam muito esforço físico. Esse é o sábado dos judeus, que eles observam até o dia de hoje.

3 – Devem os cristãos observar o Sábado?

Olhemos o que diz o profeta Jeremias (Jr. 31.31-33): “Eis que dias vêm, diz o Senhor, em que farei um concerto novo com a casa de Israel e com a casa de Judá. Não conforme o concerto que fiz com seus pais, no dia em que os tomei pela mão para os tirar da terra do Egito; porque eles invalidaram meu concerto, apesar de eu os haver desposado, diz o Senhor. Mas este é o concerto que farei com a casa de Israel depois daqueles dias, diz o Senhor: porei a minha lei no seu interior, e a escreverei no seu coração; e eu serei o seu Deus e eles serão meu povo. E não ensinará alguém mais a seu próximo, nem alguém a seu irmão dizendo: conhecei o Senhor; porque todos me conhecerão, desde o mais pequeno deles até o maior, diz o Senhor; porque lhes perdoarei a sua maldade e nunca mais me lembrarei dos seus pecados”.

Este é o Deus Eterno, Deus misericordioso que perdoa o pecado de seus filhos. Ele fala de um novo concerto com Israel, uma nova aliança, e um novo tempo, onde não seria mais necessária a observância rigorosa da lei, e diz que nunca mais se lembraria dos pecados do povo.

Vamos entender o que diz o Novo testamento para responder esta pergunta a respeito do descanso semanal. De início, não recomenda nenhum dia específico. A mensagem do N.T. diz respeito à salvação que está em Jesus Cristo, não depende de esforço humano em guardar a lei ou adquirir méritos próprios. Diante desta nova realidade, o descansar nesse ou naquele dia já não tem implicações espirituais, pois passou a ser de livre escolha do homem. O fato de os cristãos guardarem o domingo, nada tem a ver com a obrigação religiosa em termos bíblicos.


Cada autor é responsável pelo conteúdo do artigo.

Deixe seu comentário

Comentários fechados neste artigo.

Advertisement