Esqueceu a senha?

O que Fernando Iglesias não contou aos seus ouvintes

por Prof. Paulo Cristiano da Silva - qua jun 08, 9:50 am

Fernando Iglesias 2

Acredito que foi Lincoln quem disse “Você pode enganar algumas pessoas o tempo todo ou todas as pessoas durante algum tempo, mas você não pode enganar todas as pessoas o tempo todo.” Isso é fato: uma hora ou outra a fragilidade do erro ficará exposta. É tudo uma questão de tempo. Foi exatamente isso que ocorreu no dia 04/06/2016 no programa adventista “O Clamor da Meia-Noite”, da TV Novo Tempo, apresentado por Fernando Iglesias, no qual um texto bíblico manipulado pelo apresentador para a defesa do sábado acabou na verdade criando um efeito bumerangue, expondo a fragilidade dos argumentos sabatistas.

O propósito daquele bloco era apresentar ao auditório 04 motivos para se guardar o sábado. Depois de usar os velhos, conhecidos e surrados argumentos para explicar textos que aparentemente legitimam a guarda do sábado judaico para a igreja, ele tentou lidar com algumas objeções, dentre elas a de explicar porque certo texto bíblico afirma que Jesus violou o sábado. E aí meu amigo, ele encontrou sua derrocada, pois ao tentar explicar que Jo 5.16-18 não indica uma violação por parte de Jesus, mas uma mera acusação judaica contra o quebrantamento das regras farisaicas a respeito do sábado, ele ficou visivelmente perturbado e acabou tropeçando na própria eisegese. E por que ele fez isso? Simples: o texto é claro ao dizer que Jesus violou o sábado, acompanhe:

“E os judeus perseguiam Jesus, porque fazia estas coisas no sábado. Mas Ele lhes disse: Meu Pai trabalha até agora, e eu trabalho também. Por isso, pois, os judeus ainda mais procuravam matá-lo, porque não somente violava o sábado, mas também dizia que Deus era seu próprio Pai, fazendo-se igual a Deus.” 

Por diversas vezes Iglesias perguntava à sua plateia: “Quem disse que Jesus violava o sábado? Os fariseus.” E, “Jesus violava o sábado? Não”. Neste mesmo ímpeto emocional ele prosseguiu na sentença perguntando: “Jesus fazia-se igual a Deus? Sim, ele era Deus”. Neste momento acredito que ele entendeu a contradição e passou rapidamente para outro versículo bíblico sem dar maiores explicações aos seus ouvintes da tremenda contradição em que ele acabara de cair.

O que Fernando Iglesias não explicou aos seus ouvintes

Jesus quebrantou o sábado ou apenas as regras farisaicas sobre o dia, como afirmou o apresentador do programa “O Clamor da Meia-Noite”? A resposta é sim para as duas opções. Sim Jesus quebrou o sábado junto com as regras impostas pelos fariseus. E não sou eu quem diz isso ou algum fariseu legalista, não! Ao contrário do que afirmou Iglesias, quem declarou com todas as letras que Jesus violou o sábado foi o apóstolo João, o mais intimo dos doze, preste atenção novamente:

“E os judeus perseguiam Jesus, porque fazia estas coisas no sábado. Mas Ele lhes disse: Meu Pai trabalha até agora, e eu trabalho também. Por isso, pois, os judeus ainda mais procuravam matá-lo, porque não somenteviolava o sábado, mas também dizia que Deus era seu próprio Pai, fazendo-se igual a Deus.” (Jo 5.16-18 – destaque nosso)

João apresenta dois grandes motivos pelos quais os fariseus se opuseram a Jesus nesta passagem:

  1. Violar o sábado;
  2. Fazer-se igual a Deus.

Uma análise honesta e sensata da perícope precisa levar em consideração a dependência mútua entre as duas ideias. As duas sentenças se mantem de pé ou caem juntas. Não há como separá-las. Admitir validade para uma e não para a outra é miopia exegética ou desonestidade intelectual.

Analisaremos a segunda sentença perguntando: Jesus se fazia igual a Deus ou não? Todo o contexto aponta positivamente para a essa questão. João estava certo ao afirmar que Jesus “dizia que Deus era seu próprio Pai, fazendo-se igual a Deus”. Suponho que até mesmo o apresentador do programa (que julgo ser trinitariano) não teria reservas em admitir tal interpretação.

Os Testemunhas de Jeová tentaram neutralizar o texto argumentando da seguinte maneira:

“Mas, quem disse que Jesus estava fazendo-se igual a Deus? Não foi Jesus. Ele se defendeu contra…acusações falsas de judeus que, como os trinitaristas, estavam tirando falsas conclusões!” (Deve-se Crer na Trindade? STV,  1989, p. 24,25)

Todavia, o texto não admite esse ponto de vista. O que João faz não é repetir uma falsa conclusão criada pelos fariseus, antes é expor sua opinião pessoal com a inequívoca e cristalina confissão a respeito da divindade plena do Filho.

Isso foi admitido até mesmo por um escritor adventista. No livro “As pretensiosas Testemunhas de Jeová”, o adventista Pedro Apolinário, refuta os TJ neste texto com o seguinte argumento: “Não encontrando nenhuma base no texto grego, em defesa de suas eternas cavilações, as Testemunhas de Jeová afirmam, que João está aqui recordando o que os judeus diziam a respeito de Cristo. Não se encontra nesta passagem nenhum resquício desta estapafúrdia idéia, porque é o próprio João que por inspiração divina afirma em alto e bom som a igualdade de Cristo com Deus. A estrutura frasal apenas admite interpretar que foi João quem afirmou, inspirado pelo Espírito Santo, e não os judeus.” (As Pretensiosas Testemunhas de Jeová. Andrews University Instituto Adventista de Ensino, 1981, p. 124 – destaque nosso)

A interpretação do senhor Apolinário está corretíssima e nós concordamos com ela. Entretanto, a posição hermenêutica do senhor Iglesias quanto à segunda sentença conduz a uma incoerência gritante com a primeira, já que ele não levou até as últimas consequências o que o verso inteiro encerra. Pelo contrário, insiste que a afirmação de João, sobre a violação do sábado, dizia respeito meramente à interpretação legalista dos fariseus e não ao sábado em si. Em outras palavras, não era João que dizia que Jesus violava o sábado, mas unicamente os fariseus, pois na mente dos adventistas o sábado para Jesus é um “mandamento moral” e, como tal, nunca poderia ser quebrantado.

Observe o que afirmou Ellen White sobre essa passagem: “pediu ao homem que levasse a cama através da cidade, a fim de publicar a grande obra de que fora objeto. Isso daria lugar à questão do que era ou não era lícito fazer no sábado, e abriria o caminho para Ele condenar as restrições dos judeus quanto ao dia do Senhor, declarando vãs suas tradições.”  (O Desejado de todas as nações, CPB, p.206)

Pergunto: por que essa mudança brusca na análise das duas sentenças, sendo que ambas admitem a mesmíssima lógica em sua interpretação?

Em hipótese alguma a violação dizia respeito meramente às trinta e nove regras da Mishná que os fariseus haviam criado em torno da guarda do sábado. Admitir isso é desconsiderar completamente o tom da polêmica colocado por João.

João não deixava seus destinatários em suspense. Quando queria expor aos seus leitores o ponto de vista de terceiros ele mesmo registrava. Observe este exemplo a seguir:

“Por isso, alguns dos fariseus diziam: esse homem não é de Deus, porque não guarda o sábado (João 9:16)

Essa parece ser uma característica de João ao escrever seu evangelho, isto é, registrar e expor o real pensamento de outros, interpretando as entrelinhas (O que eu estou afirmando pode ser comprovado lendo os seguintes versos: João 2.20-22; 6.5-6, 6. 63-64, 6.70-71; 9.21-23; 11.11-14).

Como disse certo escritor: “João não ‘socorre’ Jesus do ‘engano’ dos leitores de entenderem que o Cristo profanou o sábado”.

Caso contrário, deveríamos esperar algo do tipo: “Não que Jesus tenha profanado o sábado, mas violou apenas as regras dos fariseus sobre a guarda do dia”, como ele fez em outras ocasiões, por exemplo, em relação ao santuário: “…replicaram os judeus: em quarenta e seis anos foi edificado esse santuário, e tu, em três dias, o levantarás? Ele porém, se referia ao santuário do seu corpo. (Jo 2.20,21)

Assim como João não estava registrando mera opinião dos fariseus de Ele ser igual a Deus, tampouco era mera opinião dos fariseus que ele havia violado o sábado. Jesus de fato, tanto era Deus, quanto quebrantou o sábado. Não há como fugir da lógica a que o versículo nos leva. É a única interpretação coerente e possível a ser admitida.

Em outra ocasião Mateus coloca na boca de Cristo as seguintes palavras: “Ou não lestes na lei que, aos sábados, os sacerdotes no templo violam o sábado, e ficam sem culpa?” (Mateus 12.5)

Jesus estava dizendo a verdade ou não? Os sacerdotes violavam o sábado ou apenas violavam regras humanas impostas sobre o dia? Creio que a pergunta dispensa uma exegese mais sofisticada…

Se formos levar Jesus a sério e admitindo-se que os sacerdotes de fato violavam o sábado, qual a razão de Jesus não poder violá-lo sendo Ele o nosso Sumo Sacerdote?

Que Jesus violou o sábado e não apenas as regras dos Fariseus sobre o dia já ficou comprovado. É fato. Agora se apresenta outra pergunta decorrente desta: como ele fez isso? O contexto fornece alguma pista de como isso ocorreu? Sim.

“Disse-lhe Jesus: Levanta-te, toma o teu leito e anda. Imediatamente o homem ficou são; e, tomando o seu leito, começou a andar. Ora, aquele dia era sábado. Pelo que disseram os judeus ao que fora curado: Hoje é sábado, e não te é lícito carregar o leito. Ele, porém, lhes respondeu: Aquele que me curou, esse mesmo me disse: Toma o teu leito e anda.” (Jo 5.9-11 – destaque nosso)

Tomar o leito não era de modo algum regra farisaica, estava escrito na Lei de Deus, lá no quarto mandamento mesmo, “não farás obra alguma” (Êx 20. 10; Dt 5.14).

Jeremias deixa mais explícita a ordem quando profetiza: “assim diz o Senhor: Guardai-vos a vós mesmos, e não tragais cargas no dia de sábado, nem as introduzais pelas portas de Jerusalém; nem tireis cargas de vossas casas no dia de sábado, nem façais trabalho algum; antes santificai o dia de sábado, como eu ordenei a vossos pais.” (Jr 17.21,22)

A cama era uma carga? Era sim. Jesus poderia ter curado o homem em outro dia, mas preferiu fazer no sábado, poderia apenas ter curado o corpo do homem, mas insistiu que ele carregasse uma carga quebrando a lei. Ao atrelar a cura com o ato de carregar uma carga o que era terminantemente proibido pela lei, não dos fariseus, mas de Deus, Jesus estava dando o recado de superioridade sobre a Lei.

E olha que não foi a primeira vez que Jesus fez esse tipo de coisa! Em outras ocasiões disse: “ouviste o que foi dito aos antigos…Eu, porém vos digo”, Etc.

Jesus não só violava o sábado, mas incentivava os outros a violarem também.

Jesus violou o sábado? Sim. Ele poderia muito bem fazer isso, pois como era “igual a Deus”, não estava sujeito a lei do sábado, pois Jesus era “maior” que o “templo”, maior que “Salomão”, maior que “Jonas” e maior que o “sábado”. O sábado foi feito para o homem e não para o Messias. Ele era Senhor sobre o dia e podia modificar as regras quando quisesse.

Como vimos, o texto é claro: Jesus quebrou o sábado. O problema, no entanto, não se concentra no texto em si, mas no pressuposto exegético adventista de que o sábado é um mandamento moral, portanto, inviolável. O que não é verdade.


Cada autor é responsável pelo conteúdo do artigo.

48 Comentários

Comentários 1 - 48 de 48Primeira« AnteriorPróxima »Última
  1. “…no pressuposto exegético adventista de que o sábado é um mandamento moral, portanto, inviolável…”

    por que então os adventistas não solicitam para o carteiro e o coletor de lixo não trabalharem para eles no dia de sábado ? visto que estariam sendo “imorais” … 

    1. Portanto, não é pecado aquecer o alimento no sábado. Devemos preparar a comida na sexta-feira e no sábado aquecê-lo, tornando-o mais apetitoso e saudável. (Mensagens Escolhidas, vol. 3, 263) e vide Testemunhos Seletos, vol. 3, p. 23 e 24.

      EG-White contradiz Êxodo 35: 2 e 3 

    2. EG-White a suposta “espirito profecia” é muito bem adjetivada como “papisa” do adventismo, pois as escrituras dizem uma coisa, mas ela dá o “porém” para tudo, e interpreta ao bel prazer e acabou inventando essa “igreja remanescentes” de supostos guardadores do sábado.

    3. EG-White viveu ano 1800 e bolinhas, nos EUA plena epoca do faroeste americano, e logicamente para iluminação caseira e aquecimento do ambiente em tempo de neve, era o fogo. será que ela passava frio e comia comida fria no inverno ? Deixem de ser burros em seguir essa mulher !

    4. será que EG-White não acendia (fogo) uma lamparina ou mais a noite ? como ela ia fazer xixi no penico e pegar sem ver o mesmo em baixo da cama no escuro ?

      http://br.vazlon.com/static/pics/2014/01/19/Lamparina-lampio-de-vidro-com-suporte-de-ferro-20140119004936.jpg

  2. Esse site apela para qualquer coisa para tentar anular algo que não consegue através da bíblia. Olha como o argumento de vocês é otário..

    SE Jesus violou o sábado ( violar no sentido de quebrar a lei estipulada por ele mesmo) então Jesus pecou pq pecado é a transgressão da lei…

    1. o único “otário” aqui parece-me que é você sr. parreiras ! pois como pode Jesus ter pecado por violar o sábado sendo Ele é o Senhor do sábado ? ou seja, Ele faz o que quer neste dia como em qualquer outro. E Jesus disse também que sábado não é dono do homem Mc2:27-28

  3. Se ele pecou logo não pode morrer para me salvar sendo ele próprio um pecador. Porém a bíblia diz que ele não pecou e nele não havia pecado. Portanto ele não violou a lei do contrário a bíblia estaria se contradizendo. Resolve essa equação sr. inteligente.

    1. pois como pode Jesus ter pecado por violar o sábado sendo Ele é o Senhor do sábado ? ou seja, Ele faz o que quer neste dia como em qualquer outro. E Jesus disse também que sábado não é dono do homem Mc2:27-28

  4. Além de todos os argumentos apresentados por Paulo Cristiano em desfavor do sábado, vale lembrar que Jesus é Senhor do sábado e não o sábado o seu senhor. Acaso o Senhor está sujeito a um servo ou o servo que se submete ao seu Senhor?

    1. eu aplaudiria os adventistas se se realmente vocês guardassem o sábado como de fato determina a Lei … mas não ! vocês só fingem que guardam, na prática vocês procedem como manda a EG-White, onde ela dita os “PORÉM” dela, e vocês a obedecem mesmo contradizendo a Lei.

  5. Eu gostaria que um adventista sofisticado explicasse para mim, um trecho de um livro da senhora EG-White.

    “HISTÓRIA DA CRIAÇÃO” pag. 333 tópico  “A COROAÇÃO DE CRISTO”

    1. No trecho diz EG-White : “…Entre a multidão resgatada acham-se os apóstolos de Cristo, o heroico Paulo, o ardoroso Pedro, o amado e amante João, e seus fiéis irmãos, …”

      Ela chama o apostolo João de “amante” de Jesus, insinua homo-afetividade. Um absurdo !

    2. Somente neste afirmação a senhora EG-White já joga lama na Lei a qual ela diz que defende tanto.
      por isso que S.Paulo não permitia que mulheres falassem na Igreja pois algumas tais levadas por emoções psíquicas dizia um monte de bobagens. essa EGW é uma falsa profetisa !!!

    3. A Biblia diz que o apostolo João era o discípulo amado, e não “amante” com esse acréscimo imoral que a EGW fez cai na maldição de Ap 22 : 18-19 sobre quem acrescenta coisas extras a Palavra de Deus.

    4. no dicionario brasileiro vide como define a palavra “amante” : Pessoa que mantém com outra relações amorosas ilícitas; concubino.

      E AINDA TEM GENTE QUE DEFENDE A IDEOLOGIA ADVENTISTA E AINDA FAZENDO UM MELODRAMA…ACORDA PEÃO !

  6. mat- 5:19 Qualquer, pois, que violar um destes mandamentos, por menor que seja, e assim ensinar aos homens, será chamado o menor no reino dos céus; aquele, porém, que os cumprir e ensinar será chamado grande no reino dos céus.

  7. Boa tarde, JCP Onde encontrar na internet este livro História da Criação ? gostaria de ler a passagem que você mencionou.

    1. Desconheço link de internet … se quiser pesquisar no google digite lá o nome do tal livro talvez apareça algum link em PDF. as vezes, eu acho alguma bagaça de livro deste tipo em sebo. 

    2. eu acho alguma bagaça de livro

      vixe irmão..usando vocabulário mundano?

  8. Os Adventistas do sétimo dia aparecem agora de forma mais contundente no cenário nacional com suas heresias, tentando enganar os desinformados que não conhecem a palavra de Deus. Infelizmente estão conseguindo enganar a muitos!

  9. Muito bom o artigo, o problema adventista é acreditar que o sábado é moral, mais não é.
    E leis cerimonias podem ser violado por um lei superior que no caso é a lei da benevolência de Jesus Curar todo um homem.

  10. Se os Adventistas fossem sectários como muitos pensam,porque há tantos pastores renomados de outras denominações que estão aceitando as verdades antes pisadas por eles?simplesmente porque o Espirito Santo tem conduzido os sinceros a toda a verdade,e oro pra que ele conduza vcs tmb.

    1. ninguém disse que adventistas são sectários, são seita, e se tem pastores “renomados” aderindo ao culto Ellen Gold White-ismo quem são então ? só falar ao léu esta sendo hipócrita ! e se tem evangélico aderindo então são apostatas e não seguidores da “verdade” …

    2. Voce mencionou Espirito Santo, pois bem estudando a Bíblia, Ele nunca iria apoiar chamar uma mulher (que ensina na igreja), usurpando o titulo “Espirito Profecia” que é uma coisa exclusiva dele. “os sinceros” quer dizer que vão para a adventista ?! Deixe de ser endemoninhado !

    3. Você quer que eu vá para isto ? “aceita-la como espirito profecia” ???

      http://www.cacp.org.br/oracao-para-aceitar-a-profetisa-adventista/

      a minha resposta para você é : UM SONORO NÃOOO ! e VADE RETRO SATANA !

    4. O Nome mais correto de chamar Ellen Gold White é JEZABEL …

      “Jezabel, mulher que se diz profetisa, ensinar e enganar os meus servos” Apocalipse 2:20

      A mensagem da EGWhite adultera a Palavra e ensina idolatria de si mesma em chamar-se “Espirito”
      acorda homem !!

  11. O adventismo tenta anular o sacrifício de Jesus pela humanidade a partir do momento que alegam que para ser salvo tem que se tornar membro dessa igreja.Quem salva é Jesus não placa.

    1. desculpe me , mas estas muito mal informada

  12. Pessoal o texto é bem claro e podemos ver em outras traduções também. Os Judeus que fizeram essa afirmação.
    Então: 1 – Jesus quebrou o Sábado do ponto de vista dos Judeus e não do escritor João.
    2 – Jesus não era filho de Deus segundo a visão dos Judeus

    1. Exatamente!!

  13. Mesmo na morte de Cristo as mulheres repousaram no Sabado conforme o mandamento.

    E, voltando elas, prepararam especiarias e ungüentos; e no sábado repousaram, conforme o mandamento.
    Lucas 23:56-56
    Ver também Ap 1:10

    Mas irmãos essa questão é entre vocês e Deus.Nada mais.

  14. Refutando o adventismo com apenas um versículo (colossenses 2:16).

    1. Sábados cerimoniais, meu nobre… CERIMONIAIS. Larga de preguiça e estude mais um pouquinho pra ver se da próxima se sai melhor.

  15. Violava o Sábado segundo o conceito farisaico e não pela Bíblia, pois o próprio Jesus disse que era lícito fazer o bem aos Sábados e a obra que Jesus fez foi curar uma pessoa!!

  16. Ninguem e salvo por guardar a lei somos salvo pela graça em cristo a lei nos mostra o nosso pecado a cristo que nos perdloa esa e a funçao da lei anulamos a lei pela fe de maneira neunhuma.antea confirmamos a lei.vao estudar mas a biblia so nela tendes a vida eterna.

  17. Brando Guerras mar 31 at 6:15 pm “colossenses 2:16 Sábados cerimoniais, meu nobre… CERIMONIAIS.”

    Sr.Guerras ..em CL 2:16 não especifica “cerimonial” … diz “sábados” (plural) quantos ssssábadossss tem no mês ? ( 4 né ) deixe de ser adepto de EGW.

  18. Deus tenha misericórdia de vocês! Você com suas palavras me lembrou os próprios fariseus que espumava de ódio quando Jesus falava as verdades incompreendidas por eles, heresia é vocês falarem contra a palavra de Deus em particular o sábado.A IASD prega a palavra 24 hs e vocês coisas vazias.

  19. Boa tarde meus senhores, eu falo apartir de Angola, vocês estão todos errados com relação o sábado, o sábado surgiu antes do pecado, la na criação, não é uma doutrina de um povo, de uma denominação religiosa, é um mandamento para todos habitantes da Terra,

    1. o Sr. Não percebe que estamos no Novo Testamento ou na Nova Aliança ? o Sr. Já estudou por exemplo a carta de S.Paulo ao Gálatas ? no Antigo Testamento tinha sim a premissa do “sábado” mas Hoje no N.T deveras Não ! Se fosse assim por que o sr. não guarda o ano sabático Lev. 25?

    2. OU medite no contexto de colossenses 2:16-17

      quem veio com essa estória de “guardar sábado” no novo testamento é Ellen Gold White,
      e não aceitamos essa individua como profetisa.

  20. Sua explicação parece-me contraditória… Perdão, mas se Jesus violou o mandamento então não pode ser um salvador perfeito!. Lembrando que ele não havia morrido (alguns sugerem que a lei foi abolida com sua morte) então algo está errado em sua ótica..

    1. o adventismo já chama Jesus de “imperfeito” tanto que ensinarm 1) a obra na cruz não está completa pois precisou entrar no santuario em 1844 … 2) precisa do bode azazel (diabo) como co-redentor. 3)Jesus esqueceu de ensinar sobre o sabado e precisa da EGW.

  21. ….devemos nos respeitar mutuamente irmãos, é o que Deus espera de nós, lembrando que atrocidades são cometidas em nome da religião! A Paz!!!

    1. respeito não é se calar diante da heresia … atrocidades em nome da religião ?! debate ou dialogo sobre um tema pra você é “atrocidades religiosas” ?! dá licença, se não tem argumento, perdeu a oportunidade de ficar calada.

  22. amigos jesus curou no sábado sim curou, mais vem uma pergunta ele cobrou alguma coisa ele falou vou ti corar mais você vai me paga tabom.
    Claro que não ele fez porque ele sentiu compaixão hoje não há compaixão mais sim pessoas querendo ganhar dinheiro atravez do evangelho.

  23. Essa é a pura iguinorância desses qui se dizem sertinhos af.

  24. Os comentários expostos acima são os mesmos de sempre pra tentar justificar que o sábado não é pra ser observado, mais do mesmo e sem sentido tentativa fraca só quem não estuda a bíblia pra cair nele

Comentários 1 - 48 de 48Primeira« AnteriorPróxima »Última

Deixe seu comentário

Advertisement