Esqueceu a senha?

O que foi que o centurião disse de Cristo?

por Norman Geisler - dom jul 19, 11:28 am

Centurião

MATEUS 27:54 (cf. Mc 15:39; Lc 23:47) – O que foi que o centurião realmente disse a respeito de Cristo na cruz?

PROBLEMA: Mateus registra o centurião dizendo: “Verdadeiramente este era Filho de Deus”, ao passo que Marcos diz, na essência, a mesma coisa, apenas acrescentando a palavra “homem”, o que resultou: “Verdadeiramente, este homem era o Filho de Deus”. Lucas registra as palavras do centurião da seguinte maneira: “Verdadeiramente, este homem era justo”. O que ele realmente disse?

SOLUÇÃO: As palavras do centurião não têm de se limitar a uma só frase ou sentença. Ele poderia ter dito as duas coisas. De acordo com a sua ênfase em Cristo como sendo o homem perfeito, Lucas decidiu registrar essa frase, no lugar daquelas preferidas por Mateus e Marcos. Não há grande diferença entre os relatos de Mateus e Marcos, já que no grego a palavra “homem” está implícita pelo masculino singular empregado no pronome “este”. É também possível que Lucas tenha parafraseado ou tirado uma conclusão do que realmente foi dito.

Os eruditos cristãos afirmam que não temos as palavras exatas que foram ditas em cada situação, mas apenas uma versão fiel do que realmente foi dito. Em primeiro lugar, é aceito como regra geral que eles falaram em aramaico, enquanto os Evangelhos foram escritos em grego. Dessa forma, as palavras que temos no texto grego, do qual provêm as nossas versões, também são traduções. Em segundo lugar, os autores dos Evangelhos, assim como acontece com os escritores da atualidade, às vezes resumiam ou parafraseavam o que fora dito. Desse modo, é compreensível que os escritos apresentem pequenas variações. Mas nesse caso, como em todos os demais, a essência do que foi originalmente dito é preservada de modo fiel no texto original.

Conquanto não tenhamos as palavras exatas, temos de fato o mesmo significado. Encerrando, sempre que houver sentenças completamente diferentes (mas não contraditórias) entre si, então o lógico será admitirmos que as duas coisas foram ditas naquela ocasião, e que um escritor cita uma e o outro cita a outra. Essa é uma prática literária muito comum, ainda hoje.


Cada autor é responsável pelo conteúdo do artigo.

Deixe seu comentário

Comentários fechados neste artigo.

Advertisement