Esqueceu a senha?

Objeções das TJs contra a fé dos cristãos

por Pr. Natanael Rinaldi - sáb abr 18, 8:51 am

tj-paraiso

OBJEÇÕES DAS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ CONTRA A FÉ DOS CRISTÃOS E A RESPECTIVA REFUTAÇÃO

 

1ª Objeção – A Doutrina da Trindade

“Quanto à Trindade, o credo de Atanásio diz (em português) que cada um dos membros é imenso (ilimitado)” (Raciocínios à Base das Escrituras, p. 417).

Resposta: É claro que a compreensão completa da Trindade está além da capacidade humana. Entretanto, só porque uma pessoa não está capacitada para BIBLICAMENTE compreender a doutrina da Trindade, não significa que a doutrina seja falsa. Por exemplo, as TJs têm escrito: “Não temos capacidade de compreender completamente a eternidade de Deus, isto é, que Deus não teve princípio, embora creia que Deus sempre existiu: Nossa mente não pode compreender isso plenamente. Mas não é uma razão sólida para rejeitar” (Raciocínios à Base das Escrituras, p. 123).

Assim, desde que o fato de alguém não poder compreender como Deus não teve começo, não justifica rejeitar tal ensino, assim também não há razão para se rejeitar a doutrina da Trindade, embora não possamos compreendê-la completamente. Nossas limitações humanas nos previnem que não podemos compreender tudo sobre DEUS. Isaías 55.8-9 – “Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos os meus caminhos, diz o SENHOR, porque assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos mais altos do que os vossos pensamentos” Romanos 11.33 – “Ó profundidade das riquezas, tanto da sabedoria, como da ciência de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis os seus caminhos!”. As próprias TJs confessam também: “É verdade que nenhum de nós sabe tudo sobre Jeová e seus modos de agir. Ele é tão grandioso, que os homens aprenderão sempre coisas novas a seu respeito” (A Verdade que Conduz à Vida Eterna, p. 181).

 

2ª Objeção – A Palavra ‘Trindade’

“A palavra ‘Trindade’ não é encontrada na Bíblia” (Poderá Viver para Sempre no Paraíso na Terra?, p. 39).

Resposta: É verdade que a palavra Trindade não aparece na Bíblia, como também não aparecem outras palavras usadas pelas Testemunhas de Jeová. Por exemplo, a palavra ‘organização’, como se lê na revista A Sentinela, de 01 de Novembro de 1981, p. 31: “Visto que as palavras originais que significam ‘organização’ nas línguas antigas não ocorrem nas inspiradas Escrituras Hebraicas e Gregas”. Além dessa, a Sociedade Torre de Vigia usa palavras e expressões como teocracia, salão do reino, servo de congregação, servo de circuito, como também a palavra Jeová, que não é encontrada uma só vez no Novo Testamento, e é ali colocada pelas Testemunhas de Jeová 237 vezes. Encontram-se sim as palavras KYRIOS (Senhor) e THEOS (Deus), traduzidos por Jeová conforme a conveniência das TJs.

 

3ª Objeção – “A doutrina da Trindade é confusa, e Deus não é Deus de confusão” (1Coríntios 14.33).

Resposta: É provável que a doutrina da Trindade pode ser confusa para alguns. Entretanto, a doutrina da Trindade não é contraditória, e após quase dois mil anos de Cristianismo, ela tem sido mostrada como aquela que melhor se harmoniza com o ensino bíblico sobre Deus. Se vamos admitir como falsa a doutrina da Trindade, porque é difícil de ser entendida, pela mesma razão deveríamos rejeitar muitas outras doutrinas da Bíblia, como o nascimento virginal de Jesus, sua ressurreição corporal dentre os mortos, a doutrina da expiação etc. Além disso, se vamos rejeitar a doutrina da Trindade, porque não compreendemos totalmente a natureza de Deus, devemos lembrar-nos das palavras de Paulo em 1Coríntios 13.12 – “Porque agora vemos por espelho em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei como também sou conhecido”. Um dia entenderemos de maneira mais completa a natureza de Deus e muitos outros mistérios. 1Coríntios 15.51 – “Eis aqui vos digo um mistério: Na verdade, nem todos dormiremos, mas todos seremos transformados”.

 

4ª Objeção – As religiões pagãs Ensinavam a Trindade de Deuses

“As religiões pagãs da Babilônia e da Assíria ensinavam a existência de uma Tríade ou Trindades de deuses, muito antes do Cristianismo admitir tal ensino, é claro, pois que a cristandade aceitou sua doutrina da Trindade das religiões pagãs”.

Resposta: É verdade que algumas religiões pagãs criam numa tríade de deuses. No entanto, existe muita diferença entre as crenças pagãs e a doutrina da Trindade. Os pagãos ensinavam o politeísmo, enquanto que o Cristianismo ensina o monoteísmo. Se a comparação que faz a Sociedade Torre de Vigia deve ser aceita, e como tal à doutrina da Trindade deve ser rejeitada, então, pela mesma razão, outras doutrinas devem ser rejeitadas:

  1. a) O dilúvio, pois os pagãos têm crença igual;
  2. b) O Messias, pois os pagãos têm a ideia de um messias chamado Tamuz, que também iria ressuscitar;
  3. c) O batismo nas águas, também praticado pelos pagãos.

Seria correto rejeitar a crença no dilúvio como fato histórico?

Mateus 24.37 – “E, como foi nos dias de Noé, assim será também a vinda do Filho do homem”.

O Messias (Jesus): Isaías 7.14 comparado com Mateus 1.21-23 – “E dará à luz um filho e chamarás o seu nome JESUS; porque ele salvará o seu povo dos seus pecados. Tudo isto aconteceu para que se cumprisse o que foi dito da parte do Senhor, pelo profeta, que diz eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, e chamá-lo-ão pelo nome de Emanuel, que traduzido é Deus conosco”.

A ressurreição corporal de Jesus.

Lucas 24.1-3- “E no primeiro dia da semana, muito de madrugada, foram elas ao sepulcro, levando as especiarias que tinham preparado, e algumas outras com elas. E acharam a pedra revolvida do sepulcro. E, entrando, não acharam o corpo do Senhor Jesus”

Lucas 24.36-43 – “E falando eles destas coisas, o mesmo Jesus se apresentou no meio deles, e disse-lhes: Paz seja convosco. E eles, espantados e atemorizados, pensavam que viam algum espírito. E ele lhes disse: Por que estais perturbados, e por que sobem tais pensamentos aos vossos corações? Vede as minhas mãos e os meus pés, que sou eu mesmo; apalpai-me e vede, pois um espírito não tem carne nem ossos, como vedes que eu tenho. E, dizendo isto, mostrou-lhes as mãos e os pés. E, não o crendo eles ainda por causa da alegria, e estando maravilhados, disse-lhes: Tendes aqui alguma coisa que comer? Então eles apresentaram-lhe parte de um peixe assado, e um favo de mel; o que ele tomou, e comeu diante deles”.

E o batismo nas águas?

 

5ª Objeção – A Bíblia Declara a Existência de um só Deus.

“Longe de admitir a ideia da existência de três Pessoas na Divindade, como a cristandade ensina, a Bíblia declara a existência de um só Deus (Dt. 6.4; Gl. 3.20; 1Co 8.4-6), não três”.

Resposta :É verdade que a Bíblia declara que Deus é um (Dt 6.4) e que há um só Deus (Is 43.10), contudo, isto não conflita com a Trindade, desde que cremos existir um só Deus. Essencialmente os textos usados pela Sociedade Torre de Vigia concordam que há um Só Deus. Os textos de nenhum modo estabelecem existir uma só pessoa na divindade.

 

6ª Objeção – Deus Pai, o Filho e o Espírito Santo são igualmente Deus e um só Deus.

“A doutrina da Trindade ensina que o Pai, o Filho e o Espírito Santo são cada qual igualmente Deus por natureza e ainda um só Deus. Se isso for verdade, então o Pai seria (1/3) um terço de Deus; o Filho (1/3) um terço de Deus; e o Espírito Santo (1/3) um terço de Deus? Tal conclusão não faz sentido”.

Resposta: Não é correto tanto na hermenêutica (arte de interpretar o sentido das palavras, das leis, dos textos), com exegeticamente (comentário, explicação de textos que especialmente se aplica à interpretação gramatical e histórica da Bíblia), fazer que a palavra Deus sempre se refira a Trindade.

Algumas vezes a palavra Deus é empregada com referência ao Deus Trino:

  • Gênesis 1.26 – “E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança: e domine sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo o réptil que se move sobre a terra”.
  • Gênesis 3.22 – “Então disse o SENHOR Deus: Eis que o homem é como um de nós, sabendo o bem e o mal; ora, para que não estenda a sua mão, e tome também da árvore da vida, e coma e viva eternamente”.
  • Isaías 6.3-8 – “E clamavam uns aos outros, dizendo: Santo. Santo é o SENHOR dos Exércitos: toda a terra está cheia da sua glória. E os umbrais das portas se moveram à voz do que clamava, e a casa se encheu de fumaça. Então disse eu: Ai de mim! Pois estou perdido; porque sou um homem de lábios impuros, e habito no meio de um povo de impuros lábios; os meus olhos viram o Rei, o SENHOR dos Exércitos. Porém um dos serafins voou para mim, trazendo na sua mão uma brasa viva, que tirara do altar com uma tenaz; e com a brasa tocou a minha boca, e disse: Eis que isto tocou os teus lábios; e a tua iniquidade foi tirada, e expiado o teu pecado. Depois disto ouvi a voz do Senhor, que dizia: A quem enviarei, e quem há de ir por nós? Então disse eu: Eis-me aqui, envia-me a mim”.

No entanto, em outras passagens a palavra Deus pode se referir ao Filho, não ao Pai nem ao Espírito Santo:

  • João 20.28 – “E Tomé respondeu, e disse-lhe: Senhor meu, e Deus meu!”
  • Romanos 9.5 – “Dos quais são os pais, e dos quais é Cristo segundo a carne, o qual é sobre todos, Deus bendito eternamente. Amém”.
  • Tito 2.13 – “Aguardando a bem-aventurada esperança e o aparecimento da glória do grande Deus e nosso Salvador Jesus Cristo”. Onde as palavras Deus e Salvador referem-se à Pessoa de Jesus Cristo.
  • De acordo ainda com Hebreus 1.8 – “Mas, do Filho, diz: Deus, o teu trono subsiste pelos séculos dos séculos; cetro de equidade é o cetro do teu reino”. O Pai chama o Filho de DEUS;
  • E em Hebreus 1.10 – “E Tu, Senhor, no princípio fundaste a terra, e os céus são obra de tuas mãos”. O escritor cita o Salmo 102.25-27, onde Jesus e o Pai são chamados Senhor e Imutável.

Outras vezes, a Bíblia usa a palavra Deus para referir-se ao Espírito Santo.

  • Por ocasião da tentativa de Ananias, Pedro diz: “Disse então Pedro: Ananias, por que encheu Satanás o teu coração, para que mentisses ao Espírito Santo,e retivesses parte do preço da herdade? Guardando-a não ficava para ti? E, vendida, não estava em teu poder? Por que formaste este desígnio em teu coração? Não mentiste aos homens, mas a Deus(Atos 5.3-4).

Assim, a palavra Deus algumas vezes se refere ao Pai, algumas vezes ao Filho e às vezes ao Espírito Santo e ainda outras vezes ao Deus Trino (as três pessoas como Um Só Deus).

 

7ª Objeção – Jesus Teve Começo (Apocalipse 3.14).

“A conclusão lógica… Se Jesus fosse Deus, ele não poderia ter começo” (Raciocínios à Base das Escrituras, p. 401).

Resposta: A palavra grega ARCHE é a raiz das nossas palavras arcebispo e arquiteto referindo-se a alguém que ocupa lugar de autoridade. A palavra arquiteto é empregada para Jesus como o criador do universo:

João 1.3-10 – “Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez. Nele estava a vida, e a vida era a luz dos homens. E a luz resplandece nas trevas, e as trevas não a compreenderam. Houve um homem enviado de Deus, cujo nome era João. Este veio para testemunho, para que testificasse da luz, para que todos cressem por ele. Não era ele a luz, mas para que testificasse da luz. Ali estava a luz verdadeira, que ilumina a todo o homem que vem ao mundo. Estava no mundo, e o mundo foi feito por ele, e o mundo não o conheceu”.

Atos 3.15 – “E matastes o Príncipe da vida, ao qual Deus ressuscitou dentre os mortos, do que nós somos testemunhas”.

Colossenses 1.16-17 – “Porque nele foram criadas todas as coisas que há nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades. Tudo foi criado por ele e para ele. Ele é antes de todas as coisas, e todas as coisas subsistem por ele”.

Deus é chamado o princípio, o que as Testemunhas de Jeová concordam conosco. A palavra ARCHE não pode significar criado, desde que Jesus é também chamado o Primeiro e o Último:

Apocalipse 1.17-18 – “E eu, quando vi, caí a seus pés como morto; e ele pôs sobre mim a sua destra, dizendo-me: Não temas; Eu sou o primeiro e o último; E o que vivo e fui morto, mas eis aqui estou vivo para todo o sempre. Amém. E tenho as chaves da morte e do inferno”.

Apocalipse 2.8 – “E ao anjo da igreja que está em Esmima, escreve: Isto diz o primeiro e o último, que foi morto, e reviveu”.

Apocalipse 22.13 – “Eu sou o Alfa e o Ômeqa, o princípio e o fim. O primeiro e o derradeiro, como também chamado de Alfa e Ômega, expressão esta empregada para Jeová. Em Lc 12.11 a Sociedade Torre de Vigia na TNM emprega a palavra grega ARCHE com o sentido de autoridade.

 

8ª Objeção – Jesus foi criado.

“Colossenses 1.15 indica sre ele um ser criado, faz parte da criação produzida por Deus!” (Raciocínios à Base das Escrituras, p. 401).

Resposta: A palavra primogênito (do grego PROTOTOKOS) não significa o primeiro criado, que seria PROTOCTISIS. Prototokos e não protoctisis é a palavra que aparece nessa passagem. Significa senhorio sobre tudo o que ele próprio criou (João 1.3); supremacia, primazia ou preeminência. Colossenses 1.18 diz “para que em tudo tenha a preeminência” dependendo do contexto. Por exemplo, essa mesma palavra é usada na LXX (Septuaginta) em Gênesis 41.50-51, onde Manasses é chamado ‘primogênito de José’ (palavra grega PROTOTOKOS). Mas em Jeremias 31.9, Efraim, o segundo filho de José, é chamado ‘primogênito’ com o sentido de preeminente. No Salmo 89.27 se fala de Davi como primogênito. Ele não era o primogênito de Jessé, mas se tornou preeminente como o rei de Israel.

Se a palavra primogênito tivesse o sentido de primeiro criado, isto introduziria uma contradição com o contexto. Paulo estabelece em Colossenses 1.16 que todas as coisas foram criadas por Jesus. Se Jesus fosse o primeiro criado, ele teria criado a si mesmo. No versículo 17 o apóstolo Paulo estabelece ser Jesus antes de todas as coisas. Como podia Jesus ser antes de todas as coisas, se ele fosse uma das coisas criadas? Colossenses 1.18, por fim, estabelece o sentido de supremacia da palavra primogênito “para que em tudo tenha a preeminência”. A TNM da Bíblia introduz a mesma palavra outras quatro vezes no texto de Colossenses 1.16-17, para justificar seu ponto de vista de ser Cristo parte da criação. Tal acréscimo é condenado por Apocalipse 22.18-19.

 

9ª Objeção – Jesus é chamado Filho Unigênito

“João 3.16: Jesus é chamado de Filho unigênito (TNM). As palavras único gerado significam que o Pai é o gerador do Filho Jesus e, portanto, Jesus é um filho criado” (Poderá Viver no Paraíso na Terra, pg. 58).

Resposta: A palavra Filho Unigênito (do grego MONÓGENES) é traduzida por um só. Os eruditos gregos traduzem a palavra por único e um só (Veja Bauer, Amdt, Gingrich no seu Greek-English Lexicon of The New Testament).

A palavra MONÓGENES em João 3.16, traduzida por Filho unigênito, indica que Miguel não pode ser Jesus, pois Miguel não passa de outro anjo (Daniel 10.13) e Jesus é único. É preciso guardar na mente que João empregou a palavra MONÓGENES. Foi o mesmo escritor que também chamou Jesus de Deus em João 1.1. Este mesmo escritor, em João 1.23, registrou que João Batista chamou Jesus de Jeová (do grego KYRIOS), que é uma citação de Isaías 40.3, onde aparece no texto hebraico o tetragrama traduzido por Jeová. João não podia, pois, invalidar seu próprio ensino afirmando que Jesus fosse o único criado diretamente por Jeová, sendo, pois criatura e não Criador, desde que já fizera a afirmação em João 1.1 de ser Jesus DEUS, da mesma natureza do Pai.

 

10ª Objeção – Jesus é um Ser Criado, diz o Livro de Provérbios

Provérbios 8.22-24 . Dizem as Testemunhas de Jeová que Jesus é indicado como um ser criado e, portanto não é Deus.

Resposta: O assunto de Provérbios 8 é a sabedoria, a qual é personificada sendo-lhe dada atributos humanos, por exemplo, ela ‘clama nas portas’. As Testemunhas de Jeová afirmam: “Não é incomum nas Escrituras que algo seja personalizado ou personificado sem ser realmente uma pessoa” (Ajuda para o Entendimento da Bíblia, p. 542).

A sabedoria é personificada no livro de Provérbios em 1.20-33 e 8.1-36. Portanto, a sabedoria em Provérbios 8 não pode ser identificada como Cristo, pelas seguintes razões:

  1. a) A sabedoria é declarada feminina em Provérbios 8.1-3 e 9.1-4. Se realmente a palavra se refere a Cristo, indica que o Messias seria do sexo feminino, situação esta com a qual as Testemunhas de Jeová não concordam.
  2. b) Se as Testemunhas de Jeová estão corretas na sua interpretação de que a sabedoria personifica Jesus, e que a sabedoria, isto é, Jesus teve principio, então é lógico admitir que Deus não tinha sabedoria antes de Jesus ser criado, desde que declara: “Mas, para os que são chamados, tanto judeus como gregos, lhes pregamos a Cristo, poder de Deus, e sabedoria de Deus” (1Coríntios 1.24). “Em quem estão escondidos todos os tesouros da sabedoria e da ciência” (Colossenses 2.3).

O mesmo capitulo 8 de Provérbios tem a sabedoria habitando com a prudência (v.12) e se ambas são pessoas, com quem podemos identificar a prudência? Uma melhor solução para interpretação de Provérbios 8 é tê-lo como se referindo aos atributos de Deus. Não há lógica em atribuir uma linguagem poética a um ser pessoal.


Cada autor é responsável pelo conteúdo do artigo.

Deixe seu comentário

Comentários fechados neste artigo.

Advertisement