Esqueceu a senha?

Os erros da Ciência Cristã

por Enviado por email - ter dez 02, 9:47 am

ciecia crista artigo jornal

1 – O anúncio acima apareceu num dos jornais de larga circulação no Brasil, em data que não se sabe ao certo, mas de acordo com a Wykipedia a Ciência Cristã chegou ao Brasil por volta de 1917. O nome da igreja-mãe desta seita é Primeira Igreja de Cristo Cientista.

2 – A sede desta igreja encontra-se na cidade de Boston.

3 – O nome da seita é Ciência Cristã.

4 – Segundo o nome da igreja-mãe, Jesus Cristo é um cientista.

5 – Você pode não conhecer essa seita, mas ela existe no Brasil e está crescendo. Em quase todos os grandes centros do Brasil há igrejas dessa seita, mas não percebemos sua existência. Em São Paulo (3), São Caetano do Sul (1), Rio de Janeiro (2), Brasília (1), Curitiba (1), Marechal Rondon (1), Florianópolis (1), Blumenau (1), Joinville (1), Porto Alegre (1), Ijuí (1) e Santa Maria (1).

ciencia crista 01

O convite acima mostra a inserção dessa seita no meio político da cidade de São Paulo, pelo uso que fez do auditório da Câmara Municipal para realização de palestras, no último mês de outubro.

6 – Por que você deve aprender sobre essa seita? A razão principal é que o crente precisa estar preparado quando encontrar adeptos dessa seita.

6.1 – Breve histórico: A seita Ciência Cristã foi fundada por Mary Baker Eddy, nascida nos EUA em 1821. Ela foi uma criança nervosa, que deu muito trabalho a seus pais. Quando adulta foi uma pessoa muito doente, sempre procurando resolver seus problemas de saúde. Casou-se três vezes: dois de seus maridos morreram e o terceiro divorciou-se dela. De seu primeiro casamento nasceu um filho que ela não amava, e ele ficou sem ver a mãe dos seis aos trinta e quatro anos de idade. A instabilidade mental da Sra. Eddy mostrou-se nos seus vários casamentos, na relação com seu filho, e na busca permanente por cura e saúde. Em 1862 ela entrou em contato com o Dr. Phineas Parkhurst Quimby, que afirmava efetuar curas pela mente. Os ensinos dele foram anotados e depois incluídos no livro Ciência e Saúde com a Chave das Escrituras que ela escreveu. Esse livro, publicado em 1875, é sua obra prima, e segundo ela mesma declara, foi inspirado por Deus como a Bíblia, por isso é a fonte de autoridade da seita. Foram vendidos muitos exemplares e a seita teve um crescimento impressionante. A igreja-mãe foi fundada em 1883. Apesar de negar a existência da morte, Mary Eddy faleceu em 1910. A seita continuou a espalhar-se pelo mundo, mesmo depois de sua morte.

7 – Os Erros da Ciência Cristã

7.1 – Revelação Além da Bíblia. O primeiro erro da Ciência Cristã foi aceitar uma revelação além da Bíblia, tida por sua autora como superior à Bíblia, revelação essa contida no livro Ciência e Saúde com a Chave das Escrituras. Esse livro tem três divisões: os ensinos, a chave das Escrituras e as curas efetuadas. Constam nesse livro, na seção Curas, cerca de cem páginas com relatos de curas obtidas a partir da simples leitura de seus ensinos. Faz parte da seção ensinos um capítulo sobre Ciência, Teologia e Medicina. Uma citação interessante aparece na seção Chave das Escrituras: “Assim vemos, tanto no primeiro como no último livro das Bíblia – Gênesis e Apocalipse – que o pecado deve ser reduzido dum modo cristão e científico à sua não existência original” (pág. 572).

7.2 – Panteísmo. Esse erro também encontra-se nos ensinos da Ciência Cristã. A ideia filosófica chamada panteísmo diz que ‘Deus é tudo’. A própria palavra significa pan = tudo, tei = Deus. Já a Bíblia diz que Deus criou tudo. O mais interessante sobre esta crença são duas conclusões que eles tiram desta doutrina:

  1. a) A matéria não existe. Se tudo é Deus, e Deus é tudo, então a matéria não existe, porque Deus é espírito (ou um ser espiritual).
  2. b) O mal não existe porque Deus é bom. Segundo a Ciência Cristã, o pecado e a doença não existem, porque Deus é espírito e é bom. A doença é tida como um erro da mente da pessoa, porque a doença não pode existir.

Em relação ao pecado e o mal, a Sra. Eddy disse: “A ciência da mente elimina todo mal. Deus, a Verdade, não é o Pai do erro. Pecado, doença e morte classificam-se como efeitos do erro” (Pág. 473).

7.3 – Rejeição do Sacrifício de Jesus. O que eles creem concernente à salvação? Se o pecado é apenas uma ideia errada, só precisamos corrigir essa ideia. A salvação, para a Ciência Cristã, é apenas não acreditar na existência do pecado. Segundo eles, o homem só precisa mudar sua ideia a respeito do pecado, ele não precisa de perdão nem de salvação. Portanto, o sacrifício de Jesus é sem importância para a salvação do homem. Leiamos as palavras da Sra. Eddy a respeito do sacrifício de Jesus: “Um sacrifício, por maior que seja, não é suficiente para pagar a dívida do pecado. A expiação exige uma auto-imolação constante por parte do pecador. Que a ira de Deus caísse sobre seu Filho amado não está de acordo com a natureza divina. Tal teoria foi feita pelos homens. A expiação é um problema difícil para a teologia, mas sua explicação científica é: que o sofrimento é um erro dos sentidos pecaminosos que a Verdade destrói, e que eventualmente pecado e sofrimento cairão aos pés do Amor sempre eterno”. Notemos que essas palavras da Sra. Eddy negam a expiação de Jesus.

Esses três erros da Ciência Cristã – revelação além da Bíblia, panteísmo e rejeição da expiação de Jesus – são exatamente a base doutrinária da Ciência Cristã.

7.4 – Curas. Segundo a Ciência Cristã, muitas foram as curas por ela efetuadas. Como já dissemos, o livro Ciência e Saúde com a Chave das Escrituras apresenta, na seção Curas, cerca de cem páginas com relatos de curas ocorridas a partir da simples leitura de seus ensinos. As revistas publicadas pela igreja-mãe ainda hoje dão muito lugar às curas. A Ciência Cristã usa também as curas para comprovar a verdade que ensina.

Também as seitas Renovação Pentecostal e Tabernáculo da Fé usam curas para comprovar sua veracidade (há outras seitas que fazem isso também). Existem, então, quatro possibilidades:

  1. a) rejeitar todas as curas;
  2. b) não usar curas para comprovar a verdade;
  3. c) aceitar todas as curas como evidência da verdade;
  4. d) avaliar se as curas são verídicas ou não.

Na alternativa ‘a’ fica excluída a possibilidade de Deus curar alguém. Realmente, Deus pode curar, portanto não se deve aceitar essa alternativa. A alternativa ‘b’ parece ser um meio de evitar o perigo da opção ‘a’. As curas não provam a verdade, portanto não vamos ficar preocupados com o problema de curas, logo esta parece ser a alternativa certa. No item ‘c’ vemos exatamente o que as seitas dizem: suas curas provam que ensinam a verdade. Mas, quando pelo menos três seitas, completamente opostas em seus ensinos, usam curas como prova, anula-se o valor dessa prova.

A possibilidade ‘d’ parece ser uma boa ideia, mas a dificuldade é exatamente avaliar se as curas foram reais. Não há meios de fazer essa avaliação, porque não conhecemos as pessoas que foram ‘curadas’. Não há como saber se o seu relato é verdadeiro ou não. Por isso essa opção tem suas dificuldades.

Vamos agora tentar estabelecer as explicações de uma cura milagrosa. Parece haver pelo menos quatro possibilidades:

  1. a) A cura foi feita por Deus;
  2. b) A cura foi feita por Satanás;
  3. c) A cura foi falsificada;
  4. d) A doença curada era psicossomática.

As seitas dizem que todas as suas curas foram feitas por Deus. Leiamos Mc. 13.22 e Ap. 13.3 e veremos nessas passagens que Satanás pode sim fazer curas e sinais, exatamente para enganar os homens. As duas primeiras alternativas são, portanto, verdadeiras: as curas podem ser feitas por Deus ou por Satanás.

Há casos de curas falsificadas. Um exemplo seria o da própria Sra. Eddy. Ela relata que em 1866 ela caiu sobre o gelo na cidade de Lynn. Segundo ela, o médico que a atendeu teria dito que seu mal era incurável, mas ela foi curada milagrosamente. Essa cura deu início às todas as demais alardeadas pela Ciência Cristã. Ocorre, porém, que o médico que atendeu a Sra. Eddy disse: “Eu nunca fiz semelhante declaração. Achei-a muito nervosa, em parte inconsciente, semi-histérica, e queixando-se de forte dor atrás da cabeça e do pescoço. Tratei-a e não me surpreendi com seu restabelecimento. Na ocasião ninguém falou em cura milagrosa”. Portanto a cura da Sra. Eddy foi falsificada, o que seria a terceira explicação para uma cura.

A quarta possibilidade é a cura de uma doença psicossomática, isto é, trata-se de uma doença que tem sua causa na mente e não no corpo. Um exemplo é de um homem que sentiu dores fortes no seu lado direito. Estava certo de que iria morrer como seu pai morreu, de apendicite. Os exames médicos não acusaram nenhum sinal de apendicite, mas o homem sentiu muitas dores. O homem foi operado, mas não se achou nenhuma indicação de apendicite, mas depois da operação não sentiu mais dores. Vemos neste caso que a mente causou o problema. A convicção (e medo) de que poderia morrer como seu pai. Se esse homem leu o livro da Sra. Eddy, antes de ser operado, e ficou curado, poderia dizer que foi curado de apendicite? Ele poderia pensar e dizer que sim, mas o fato é que a doença estava na sua mente e não no corpo. Muitas doenças são imaginadas, causadas pela mente ou pelo estado emocional da pessoa. Neste caso trata-se de uma doença psicossomática. A causa estava na mente, mas seus efeitos se refletiam no corpo.

Acabamos de ver que uma cura tem várias explicações, e existem quatro explicações diferentes para uma cura milagrosa. Por isso uma cura não comprova a verdade que uma pessoa fala. Quando alguém vier dizendo que foi curado por adeptos de uma seita, sua fé não deve ser enfraquecida pelas ‘provas’ das seitas.

No livro Ciência e Saúde com a Chave das Escrituras encontra-se o seguinte: “A ciência da mente elimina todo o mal. A Verdade, Deus, não é o Pai do erro. Pecado, doença e morte classificam-se como efeitos do erro. O Deus-Princípio é onipresente e onipotente. Deus está presente em todo lugar, e nada separado dele está presente ou tem poder” (p. 473).

A respeito de Gn. 2.7, a Sra. Eddy escreveu: “Tem de ser mentira, porque logo Deus amaldiçoou a terra. O Espírito pode criar o contrário, a matéria, e dar-lhe capacidade de pecar e sofrer? O Espírito entra no pó e perde toda a sua natureza divina, e sua onipotência” (p. 524). Dois erros são apresentados nesta citação: revelação além da Bíblia e panteísmo. A Sra. Eddy contradiz as Escrituras, que afirmam que Deus fez o homem do pó da terra, e ela tem a coragem de dizer que é mentira! O segundo erro é do panteísmo, porque alega a não existência da matéria.

Vamos ver outra citação de Ciência e Saúde: “A expiação de Cristo reconcilia o homem com Deus, e não Deus com o homem; o princípio de Cristo é Deus, portanto, como Deus pode oferecer propiciação em favor de si mesmo? Cristo é a Verdade, que não alcança além de si mesmo. A água não pode subir mais alto de onde jorra. Cristo, Verdade, não pode conciliar uma natureza acima de sua própria, derivada do Amor eterno” (p. 19). O erro neste trecho é negar o valor do sacrifício de Jesus em reconciliar o homem com Deus.

“Um médico disse que possivelmente eu precisava de uma intervenção cirúrgica antes de alcançar a cura, mas graças à Verdade, achei que a única intervenção seria a regeneração da mente humana pela assimilação do conhecimento de Deus. Muitas vezes tenho ajudado a mim mesmo e aos outros” (p.684). O erro aqui foi em relação á cura. A explicação mais provável aqui foi a cura de uma doença psicossomática. Essa parece ser a conclusão mais razoável.

Fontes:

http://pt.wikipedia.org/

http://www.cienciacrista.com.br.

https://www.facebook.com/410942188981243/
photos/a.411010105641118.96615.410942188981243/733206290088163/?type=1&theater.


Cada autor é responsável pelo conteúdo do artigo.

4 Comentários

Comentários 1 - 4 de 4Primeira« AnteriorPróxima »Última
  1. Em Chicago, Boston … não precisa dizer mais nada ô que essa seita é ! para um bom entendedor essas duas palavras iniciais basta. 

    1. Nada a ver.

  2. Porque não produzem, difamadores do Projeto Esplêndido  “Ciência e Saúde com a Chave das Escrituras, Mary Baker Eddy, os frutos que a leitura do livro produz em pouco tempo? Como a Leitura de um livro cura em 5 dias um mal suportado por 12 anos? O Cristo Verdadeiro está naquelas páginas.

    1. Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema. – Gálatas 1:8

      esses seus livros “milagrosos” caem na advertência de Paulo, são espúrios para o cristão.

Comentários 1 - 4 de 4Primeira« AnteriorPróxima »Última

Deixe seu comentário

Advertisement